A incrível história de um cão que vive com seu dono, no cemitério | Mascote

    Postado por Mascote | 12 Setembro 2012

    A incrível história de um cão que vive com seu dono, no cemitério

    Desde que seu mestre morreu Ele saiu de casa para ser perto da, Embora ninguém disse Onde estavam os restos mortais. Todos os dias, para o 6 no período do tarde, deitar ao lado da lápide e se recusa a voltar para sua casa

    Poucos dias após a 24 em Março de 2006, Quando Miguel morreu, Capitão decidiu deixar a casa onde ele morava., na cidade de Córdoba Villa Carlos Paz. O cão que ele tinha trazido casa como uma surpresa para o seu filho, Apesar da oposição morna deVeronica, sua esposa, foi sem direção certa a inaceitável ausência de seu mestre.

    No momento novamente, nariz cada canto e fui. "Foi um tempo de vida fora", a poucos metros, "metade de um quarteirão da casa", Veronica tem.

    Obviamente, para ver o que Michael não estava retornando, o cão, um mestiço com algum pastor alemão, Ele foi buscar. Claro que para ver que já não era na rua, Veronica e seu filho, Damian, Eles achavam mortos, ou adotado por outra família.

    No entanto, seu destino não era de nenhum deles, do que podiam imaginar:"Quando fomos com meu filho para o cemitério, Vamos encontrá-lo lá. Damian começou a gritar que ele era o capitão e o cão veio até nós a ladrar, e se você chorar", Veronica disse ao jornal A voz.

    Quando já era hora de voltar para a casa, Ambos queriam recuperar o Capitão, com a idéia de que retornar para o calor e a segurança do lar. Mas após várias frustradas tentativas de arrastá-lo para a casa, Eles aceitaram o seu desejo. Capitão permaneceu no cemitério, com Miguel.

    Ninguém nem explica como, Se Miguel morreu no hospital de Carlos Paz e seu corpo foi transferido de lá para uma casa de visualização, longe de sua casa, o cão sabia onde repousava os restos de seu proprietário. De acordo com o relato da família, o cão seguido naquele dia, ou qualquer outro até o cemitério.

    "O seguinte domingo, voltamos para visitar o túmulo de Miguel e o cão estava lá. Desta vez nós seguimos..., no caminho de volta, Porque nós tivesse andado. Ele ficou um tempo com a gente para casa, mas depois voltou ao cemitério", Veronica tem. Hoje, definitivamente, o cemitério é lar de Capitão. E assim que vários testemunhos.

    Marta vende flores lá e garante que o cão veio em janeiro de 2007. "Eu tinha uma perna da frente. Chamamos o veterinário, Demos-lhe drogas anti-inflamatórias e meninos tala você perna. Tornou-se amor e comer o que você dá", diz.

    "Você vê que ele amava seu mestre, Há muitos anos está aqui. Ele vai para sua casa, Mas mais uma vez. Muitas vezes queria que fosse mas você vem aqui", Notas.

    A Veronica relutante a presença de um animal em casa, admite que agora faz muita emoção vê-lo. "Todos dizem-me que é uma grande história. Eu acredito na fidelidade do cão. Mas agora eu vejo com muito carinho. Dá-me muita ternura. Nunca vou para comparar com o meu marido, mas Sinto que ele está com meu marido”, Express.

    Seu filho, Damian, Agora 13 anos e também era o dono do cão, Mas aceito sua vontade sem ressentimentos. "Quando trouxemos foi pequeno. Eu também era uma criança e descobri com surpresa que meu pai trouxe este presente", recorda. "Eu queria trazer para casa várias vezes, mas ele retorna ao cemitério. Se você quer estar lá, Eu gosto de ficar: Está cuidando do meu pai", garante.

    Um amanhecer, Capitão veio para a casa ao redor da 4. "Havia uma família e um deles me disse que eles tocaram a porta. Quando foi embora, Eu o vi. Ele entrou, Fiquei um tempo mas depois ele quis ir", Veronica tem.

    Hector Baccega Ele é o diretor do cemitério municipal de Villa Carlos Paz. Não só dá crédito a esta história, Mas isso também, Adiciona um elemento que torna ainda mais surpreendente: "O cachorro apareceu aqui só e deu voltas em torno do cemitério, até que ele também veio para o túmulo de seu dono. Ninguém o levou até lá. E isso não é tudo: Todos os dias, às seis da tarde, Vai e fica em frente ao túmulo”, precisos.

    Fonte: Infobae

    Crédito da foto: www.lavoz.com.ar

    Deixar uma resposta

    Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

    *

    print friendly, PDF e e-mail



    raton

    Utilização de cookies

    Este web site utiliza cookies para que você tenha a melhor experiência de usuário. Se você continuar navegando você está dando seu consentimento para a aceitação dos cookies acima mencionados e a aceitação de nosso política de cookies, Clique no link para obter mais informações.cookies de plugin

    ACEITAR
    Aviso de cookies
    lightbox WordPress