▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

Tiriba-do-pescoço-branco
Pyrrhura albipectus

Cotorra cuelliblanca

Conteúdo

Descrição:

Tiriba-do-pescoço-branco

24 - 25,5 cm. altura.

O mais notório da Tiriba-do-pescoço-branco (Pyrrhura albipectus) É o amarelado-branco ou branco que vai desde o bochechas até o peito.

Coroa listras escuras cinza pálido na parte de trás; banda frontal avermelhado fina; bochechas escalações de amarelo e verde e abrigos de fones de ouvido Orange; Colar cheia branca e peito amarelo; barriga e permanecendo partes superiores Verde. Asas Verdes com principais coberturas e vermelho área do carpo, e primário azuladas; cauda verde longo e pontudo, opaca vermelho na parte inferior.

O imaturo carece da banda frontal e tem a mais pálida abrigos de fones de ouvido.

Habitat:

Vive principalmente em floresta primária úmida, forrageio em árvores de fruto, preferencialmente ao longo dos rios, Embora ele tolera áreas abertas e interceptadas, a partir de 900 - 2000 m (geralmente entre 1400 e 1800 m).
Faça movimentos altitudinais seguindo a frutificação. Moscas em bandos de 12 - 50 indivà­duos. Ele banha em piscinas ou entre rochas cobertas de musgo.

Reprodução:

Há pouca evidência sobre sua reprodução, possivelmente a partir de Maio a julho de. Um caixeiro jovem foi visto em setembro (Snyder et ao., 2000).

Alimentos:

O dieta inclui frutas, sementes e flores Vinha, feita principalmente no dossel.

Distribuição:

Tamanho da sua gama (reprodução/residente): 19.600 km2

Confinada a três áreas no sudeste Equador e mais recentemente, também foi encontrada no norte Peru.

Em Equador É conhecido a partir da Parque Nacional Podocarpus, o Cordilheira de Cutucu e o Cordilheira do Condor. Embora seus números pareçam relativamente baixos, possivelmente com uma população total de apenas alguns milhares de indivà­duos, Aparentemente é comum em Parque Nacional Podocarpus. Há também registros confirmados até o sul de o Pangui em Zamora-Chinchipe. Também recentemente observado em partes adjacentes do Cordilheira do Condor, Peru, com um avistamento liberado Condor Mirador no Morona-Santiago (Navarrete 2003). Essas extensões de alcance sugerem que não é tão severamente ameaçado quanto se temia anteriormente. (Balchin y Toyne 1998).

Conservação:

Estado de conservação ⓘ


Violação Vulnerável (UICN)ⓘ

• Categoria atual da Lista Vermelha dos UICN: Vulnerável.

• Tendência populacional: Diminuindo.

Justificativa da categoria Lista Vermelha

Esta espécie é classificada como Vulnerável porque ele habita em alguns lugares e tem um pequeno intervalo no qual o habitat (e presumivelmente a população) Ele está a diminuir.

Justificação da população

O população total pode ser apenas alguns milhares de aves, O que é colocado na banda 2.500-9.999 indivà­duos. Isso é equivalente a 1.667-6.666 indivà­duos maduros, arredondado aqui para 1.500-7.000 indivà­duos maduros.

Justificação da tendência

Suspeita-se que a espécie é caindo lentamente, com base contà­nua destruição de habitat.

Ações de conservação em andamento

CITES Apêndice II.
• O Parque Nacional Podocarpus É um local importante para a conservação das espécies. Um plano de manejo revisado foi elaborado para a área e uma campanha de conscientização pública destaca a importância do parque (Snyder et para o. 2000).
• O Tiriba-do-pescoço-branco Encontra-se também no reserva Tapichalaca de 3.500 hectares do Fundación Jocotoco, onde eles são utilizados com êxito caixas de nidificação artificiais (Waugh 2009).
• Também encontrado no Ichigkat Muja- Condor Range National Park (F. Angulo 2012 um pouquinho.).

Ações de conservação propostas

• Realizar levantamentos para avaliar a distribuição das espécies e o tamanho total da população.
• Monitorar as taxas de perda e degradação de habitat dentro de seu alcance.
• Gerenciar o Parque Nacional Podocarpus de modo que as espécies ameaçadas estão melhor protegidos.

"Tiriba-do-pescoço-branco" em cativeiro:

Não é fácil encontrá-lo em cativeiro.

Nomes alternativos:

White-necked Parakeet, White necked Parakeet, White-breasted Conure, White-breasted Parakeet, White-necked Conure (inglês).
Conure à col blanc, Perriche à col blanc, Perruche à col blanc (Francês).
Weißhalssittich, Weisshals-Sittich (alemão).
Tiriba-do-pescoço-branco (português).
Cotorra Cuelliblanca, Perico de Pecho Blanco (espanhol).
Perico de Cuello Blanco (Peru).


Classificação científica:

Frank Chapman
Frank Chapman

Ordem: Psittaciformes
Famà­lia: Psittacidae
Gênero: Pyrrhura
Nome científico: Pyrrhura albipectus
Citação: Chapman, 1914
Protonimo: Pyrrhura albipectus


Imagens Tiriba-do-pescoço-branco:

Vídeos "Tiriba-do-pescoço-branco"

periquito de peito branco

Tiriba-do-pescoço-branco (Pyrrhura albipectus)



Espécies del género Pyrrhura

Fontes:

Avibase
– Papagaios do Mundo - Forshaw Joseph M
– Papagaios um guia para os papagaios do mundo – Tony Juniper & Mike Par
Birdlife
– Livro papagaios, Papagaios e araras Neotropical

Fotos:

(1) – Ingrid Grunwald, IBC943789. Foto de Branco-necked Periquito Pyrrhura albipectus em Zamora-Chinchipe, Equador. acessà­vel em hbw.com/ibc/943789.

Sons: (Xeno-canto)

▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

Periquito-testinha
Brotogeris sanctithomae

Periquito-testinha

Conteúdo

Descrição:


Anatomia-papagaios-pt

16,5 - 17,5 cm. altura.
O Periquito-testinha (Brotogeris sanctithomae) tem o frente e a frente do coroa, amarelo brilhante; remanescente cabeça e nuca, verde azulado.

Manto, de volta e colares verde escuro, mais pálida e mais brilhante na Grupa e no abrigos de supracaudales. Tuga azul no redes internas, verde no redes externas; principais coberturas azul esverdeado; outros coberturas Verde, o menor e médio verde azeitona ligeiramente impregnado. Penas de voo cor azul-petróleo redes externas, verde escuro redes internas, e luz azul abaixo; infra-wing coverts menor, Verde, o mais velhos, blues. Partes inferiores verde amarelado. Na parte superior, o cauda é verde; a seguir é mais amarelado.

O pico É bastante escuro laranja-acastanhado; Cere rosa pálido; o à­ris marrom; pernas osso acinzentado.

Ambos os sexos têm a plumagem semelhante.

Descrição 2 subespécie:

  • Brotogeris sanctithomae sanctithomae

    (Estácio Muller, 1776) – Nominal.


  • Brotogeris sanctithomae takatsukasae

    (Neumann, 1931) – A faixa amarela atrás (e por vezes abaixo) do olhos Estende-se ao longo do abrigos de fones de ouvido. A mancha amarela na frente à s vezes é maior.

Habitat:

Principalmente habita nas florestas do segundo-crescimento, em áreas úmidas de floresta tropical, florestas e pântanos nas margens de grandes rios e ilhas fluviais e clareiras perto de cursos de água; - 100 metros em Colômbia e 900 metros em Peru. Gregária, geralmente em pequenos bandos; por vezes, em reuniões maiores. O Periquito-testinha é muito comum em vilas e cidades ribeirinhas onde chega em grandes bandos para passar a noite. Visite palmeiras nas margens dos rios.

Reprodução:

Ninhos nas árvores, em cavidades naturais ou termiteros, grupos pequenos e ruidosos. visualizações em ninhos em Maio e Julho, com imaturo durante o mês de junho Colômbia.

Alimentos:

Poucos detalhes sobre sua dieta; tendo vistas flores Erythrina em Colômbia.

Distribuição:

Tamanho da área de distribuição (reprodução/residente): 3.870.000 km2

Esta espécie está confinada ao bacia do Amazonas sudeste Colômbia (área Leticia), Nordeste e Sudeste Peru e a oeste de Brasil, possivelmente, na margem direita Rio Preto e nas bacias hidrográficas Purus, Solimões (esta a cerca de Cojadás) e sul do Juruá, ao norte de Bolívia em Pando e Beni, Ele é capaz de ver de forma dispersa no amazônia oriental, em torno da foz dos rios negro e Madeira, para leste até ao Amapá e Pari Oriental, possivelmente até a área Belém.

Aparentemente sedentário. Locais (por exemplo, em Loreto, Peru) mas comum ou abundante em muitos lugares (por exemplo, sobre Leticia).

Talvez sua população foi reduzida devido ao comércio local (por exemplo, em Peru), mas o efeito de perda de habitat permanece dentro do intervalo inferior. Presente em muitos áreas protegidas (por exemplo, > Parque Nacional de Manu, Peru).

Distribuição 2 subespécie:

  • Brotogeris sanctithomae sanctithomae

    (Estácio Muller, 1776) – Nominal. Bacia oeste Amazona, do sudeste de Colômbia ao norte de Bolívia.


  • Brotogeris sanctithomae takatsukasae

    (Neumann, 1931) – Ambos os lados da bacia sob Amazona, a partir da junção com o Rio Preto a leste do Pari.

Conservação:

Estado de conservação ⓘ


estado Preocupação menor ⓘ (UICN)ⓘ

• Categoria atual da Lista Vermelha dos UICN: Pouco preocupante.

• Tendência populacional: Estável.

Justificação da população

O tamanho da população mundial Ele não quantificou, mas esta espécie é descrita como “comum” (Stotz et ao., 1996).

Justificação da tendência

Eles suspeitam que esta espécie tem perdido 15,9-17,4% de habitat dentro de sua distribuição mais de três gerações (15 anos) baseado em um modelo de desmatamento da Amazà´nia (Soares-Filho et ao., 2006, Pássaros, et ao., 2011). Dada a susceptibilidade das espécies de caça e / ou captura, suspeita de declà­nio da população em <25% durante tres generaciones.

"Periquito-testinha" em cativeiro:

salvo pet localmente mas incomum em cativeiro fora de seu alcance.

Nomes alternativos:

Tui Parakeet, Golden-headed Parakeet (inglês).
Toui à front d’or, Perruche toui, Perruche tui (Francês).
Tuisittich (alemão).
Periquito-testinha, estrelinha, estrelinha-do-pará, periquito-brasileiro, periquito-de-testa-amarela, periquito-estrela, tuim, tuipara-estrelinha (português).
Catita Frentigualda, Periquito Cabeciamarillo, Periquito Pálido (espanhol).
Periquito Cabeciamarillo, Periquito frentiamarillo (Colômbia).
Perico Tui (Peru).

Classificação científica:

Ordem: Psittaciformes
Famà­lia: Psittacidae
Gênero: Brotogeris
Nome científico: Brotogeris sanctithomae
Citação: (Estácio Muller, 1776)
Protonimo: Psittacus St. Thomas

Imagens “Periquito-testinha”:

Và­deos do "Periquito-testinha"



Espécies do gênero Brotogeris

Fontes:

Avibase
– Papagaios do Mundo - Forshaw Joseph M
– Papagaios um guia para os papagaios do mundo – Tony Juniper & Mike Par
– Birdlife
– Livro papagaios, Papagaios e araras Neotropical

Fotos:

(1) – Um periquito Tui na Uarini, Amazona, Brazil By Cláudio Dias Timm from Rio Grande do Sul [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons
(2) – Tui periquito em uma gaiola por Ruth Rogers (originalmente carregada no Flickr como Tui Parrot) [CC POR 2.0], via Wikimedia Commons
(3) – Brotogeris sanctithomae por Gabriel SmithFlickr
(4) – Brotogeris sanctithomae (Rio Amazonas – Brasil) por Martha de Jong-LantinkFlickr
(5) – Foto tirada do flickr.com – ©barbetboy

Sons: controles-canto.org

▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

Maitaca-de-cabeça-azul
Pionus menstruus


Maitaca-de-cabeça-azul

Conteúdo


Anatomia-papagaios-pt

Descrição “Maitaca-de-cabeça-azul”:

28 - 30 cm. altura e entre 234 e 295g. peso.

O Maitaca-de-cabeça-azul (Pionus menstruus) é distinguà­vel por ter o cabeça, pescoço e peito azul; Vermelho na alcatra e no Base ventral do cauda (muito visà­vel em tempo real), base para o pico e pescoço pontilhado com rosa.

Ombro e no final da área verde-oliva com borda amarela, cauda Verde com ponta azul.

Subespécies de descrição:

  • Pionus menstruus menstruus

    (Linnaeus, 1766) – O nominal

  • Pionus menstruus reichenowi

    (HEINE, 1884) – Cabeça azul, o pescoço e garganta mais escura; inferiores plumagem lavada com cor verde azul; infracaudales coberturas vermelhas com pontas azuis.

  • Pionus menstruus rubrigularis

    (Cabanis, 1881) – Menor, cabeça azul pálido, pescoço mais amplo e claro vermelho.

Habitat:

Espécie muito comum, vive em florestas úmidas, semi-úmido, da galeria, restolho, áreas de colheita até que o 1500 (m).

Reprodução:

Alimenta-se de várias sementes, frutas e flores.

Alimentos:

Ninhos em ocos de árvores e palmeiras no tempo seco.

distribuição de cabeça Loro:

Eles vivem em liberdade do Sul do Costa Rica, Norte da América do Sul a oeste de Equador. leste do Andes, trata de Peru, parte do Brasil ao norte de Bolívia.

Subespécies de descrição:

  • Pionus menstruus menstruus

    (Linnaeus, 1766) – O nominal

  • Pionus menstruus reichenowi

    (HEINE, 1884) – Zonas costeiras do nordeste Brasil (Alagoas até Espirito Santo)

  • Pionus menstruus rubrigularis

    (Cabanis, 1881) – Tropical do norte de Costa Rica a ocidental Colômbia e oeste do Equador.

Papagaio dirigido Conservação-:


estado


• Categoria Lista Vermelha do UICN atual: Pouco preocupante

• Tendência populacional: Diminuindo

O tamanho da população mundial do Maitaca-de-cabeça-azul Isso não foi quantificado, Mas esta espécie é descrita como “comum” (Stotz et ao., 1996).

Esta espécie é suspeito que pode perder 18,5-23% de habitat dentro de sua distribuição mais de três gerações (20 anos) baseado em um modelo de desmatamento da Amazônia (Soares-Filho et ao., 2006, Pássaros, et para o. 2011). Portanto, Suspeita-se que pode diminuir de <25% em três gerações.

Em cativeiro:

Muito comum em cativeiro. Inteligente, curiosos embora às vezes tímido. Ativo pela natureza, Eles podem se tornar com excesso de peso se você não tem um amplo espaço onde exercer seu voo. Pássaros maduros geralmente correspondem ao longo de sua vida com seu parceiro, vão defender com agressão de qualquer intruso.

Sua dieta em cativeiro é larga. frutas como: maçã, pêra, Orange, banana, granada, frutos de Cactus, Kiwi, Eles se formam em torno do 30 por cento da dieta; vegetais, tais como: cenoura, aipo, feijão verde e ervilhas em vagem; milho fresco; Verdes tais como: acelga, alface, Kale, Leão, Curandeiro, chickweed; mistura de sementes pequenas, como: painço, Alpiste, e pequenas quantidades de trigo sarraceno, aveia, açafrão e cânhamo; encharcado e germinado de girassol; feijão, leguminosas cozidas e milho cozido.

Nomes alternativos

Blue-headed Parrot, Cobalt Parrot (inglês).
Schwarzohrpapagei, Schwarzohr-Papagei (alemão).
Cotorra Cabeciazul, Loro Cabeciazul, Loro de Cabeza Azul (espanhol).
Pione à tête bleue, Pionus à tête bleue (Francês).
baitaca, curica, maitaca, maitaca-de-barriga-azulada, maitaca-de-cabeça-azul, sijá, Sôia, Suia (potugués).
Pappagallo testablu (Italiano).


Classificação científica:

Carl Linnaeus
Carl Linnaeus

Ordem: Psittaciformes
Famà­lia: Psittacidae
Gênero: Pionus
Nome científico: Pionus menstruus
Citação: (Linnaeus, 1766)
Protonimo: Menstruus psittacus

Imagens do "Maitaca-de-cabeça-azul"

Và­deos do "Maitaca-de-cabeça-azul"

“Maitaca-de-cabeça-azul” (Pionus menstruus)


▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

Cacatua-negra-de-bico-curto
Zanda latirostris

Cacatua-negra-de-bico-curto

Conteúdo

Descrição

54 - 56 cm. altura e um peso entre 520 e 790 (g).
O Cacatua-negra-de-bico-curto (Zanda latirostris) É uma grande cacatua preta..

Tem grande pico Preto, crista erétil, mancha branca na área orelha e os painéis brancos no cauda. O feminino É semelhante excepto na zona de remendo orelha grande e branco ligeiramente amarelado.
O imaturo Semelhante a fêmea adulta.
intimamente relacionado Cacatua-negra-de-bico-longo (Zanda baudinii). Anteriormente foram tratados como uma única espécie.

Habitat:

Principalmente habita em florestas nativas eucalipto e matagal ou charneca. Visite temporariamente plantações pinheiros exóticos.
Às vezes você vê-los nas cidades ou nas bordas de estradas. É também um visitante visà­vel para os jardins com plantas nativas com frutas duras ao redor Perth.

Normalmente, eles vê-los em grupos de três ou em pequenos bandos, mas ocasionalmente, reúnem-se em grandes bandos, compostos por centenas ou, excepcionalmente, milhares de aves. Às vezes, é associada com Cacatua-negra-de-bico-longo (Zanda baudinii) ou Cacatua-negra-de-cauda-vermelha (Zanda Banksia) em lugares onde a comida é abundante.

A espécie é dito ser Residentes em áreas de alta pluviosidade Eles estão mantendo muito vegetação nativa e são emigrantes das regiões mais secas e locais onde a maior parte da vegetação nativa foi removida.

Reprodução:

Eles não se reproduzem até que tenham pelo menos quatro anos de idade..
As aves adultas Eles companheiro para a vida, e permanecer juntos durante todo o ano.
A reprodução ocorre principalmente na região Wheatbelt, noroeste do Stirling Range sobre três molas, Mas ela também gravada na planà­cie costeira do sul oeste, sobre Bunbury.
O atividade reprodutiva é limitado a florestas de eucalipto. Eles fazem suas ninhos em grandes furos na parte superior do eucalipto.

O ovos Eles são brancos ou creme, e eles não têm nenhuma marca de. São incubado por somente feminino, por um período de 28 - 29 dias. Os filhotes são alimentados por ambos os pais, Embora durante o primeiro 10 - 14 dias após a eclosão são alimentados exclusivamente pela fêmea.

Adultos retornar ao mesmo área de reprodução cada ano.

Alimentos:

Alimenta-se principalmente a partir de sementes e, ocasionalmente, néctar, frutas e larvas de insetos.

Distribuição:

Tamanho da área de distribuição (reprodução/residente): 196.000 km2

sudoeste endêmica Austrália.

Conservação:

Estado de conservação ⓘ


Em perigo (UICN)ⓘ

• Categoria atual da Lista Vermelha dos UICN: Em perigo de extinção.

• Tendência populacional: Diminuindo.

Com base na distribuição de aves durante a época de reprodução, o população total do Cacatua-negra-de-bico-curto estima-se que é entre 11 000 e 60 000 aves, embora haja quem afirme que sua população poderia contar com menos de 10 000 aves.

O declà­nio desta espécie É principalmente devido à  perda e fragmentação do habitat. Isto foi causado pela clareira de vegetação nativa, principalmente para fins agrícolas, Desde o meados do século XX.

Nenhuma informação específica disponível sobre futuras mudanças no tamanho da população. Contudo, acredita-se que o alcance da espécie continuará a se contrair por algum tempo, o que leva a um concomitante diminuição no tamanho da população.

"Cacatua-negra-de-bico-curto" em cativeiro:

Um programa criação em cativeiro foi estabelecido em 1996 pelo Departamento de Conservação e Gestão da Terra (CALMA), em associação com os criadores de aves e licenciada Jardim zoológico de Perth.
A diversidade genética da população cativa é reforçada por um programa 'abandonado'’ que reabilita aves feridas na natureza e depois as incorpora à reprodução em cativeiro.

Alguns ovos e filhotes são capturados ilegalmente para venda nos mercados de aves de capoeira. Embora a demanda pela espécie tenha diminuído na última década, alta dos preços de mercado (aproximadamente 3.000 dólares por ave e 5,000 casal $) juntamente com o baixo sucesso da criação de aves em cativeiro, Eles sugerem que a captura ilegal desta cacatua continuará sendo uma ameaça contínua à sobrevivência desta espécie.

Classificação científica:

Ordem: Psittaciformes
Famà­lia: Cacatuidae
Gênero: Zanda
Nome científico: Zanda latirostris
Citação: Carnaby, 1948
Protonimo: Zanda latirostris

Nomes alternativos:

Slender-billed Black-Cockatoo, Carnaby’s Black Cockatoo, Mallee Cockatoo, Short-billed Black Cockatoo, Mallee Cockatoo, Short-billed Black Cockatoo, (inglês).
Cacatoès à rectrices blanches, Cacatoès de Carnaby (Francês).
Carnabys Weißohr-Rabenkakadu, Weißschwanz-Rußkakadu (alemão).
Cacatua-negra-de-bico-curto (português).
Cacatúa Fúnebre de Pico Corto, Cacatúa Fúnebre Piquicorta (espanhol).

Imagens Cacatua-preta-de-bico-preto:



Espécies do gênero Zanda
  • Zanda funerea
  • —- Funeral Zanda
  • —- Zanda funerea whiteae
  • —- Xanthanota funerária de Zanda
  • Zanda baudinii
  • Zanda latirostris

  • Fontes:
    Avibase
    – Papagaios do Mundo - Forshaw Joseph M
    – Papagaios um guia para os papagaios do mundo – Tony Juniper & Mike Par
    Birdlife

    Fotos: Wikipédia, lostandcold (Flickr), Rabenkakadus – Wikipedia, Gnangarra…Commons.wikimedia.org

    Sons: Nigel Jackett

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Catatua-filipina
    Cacatua haematuropygia

    Cacatúa Filipina


    Conteúdo

    Descrição

    Ele mede 31 cm e pesa em torno de 300 gramas.
    Para o Catatua-filipina (Cacatua haematuropygia) é chamado localmente Katala.
    Sua plumagem é de uma bela cor branca, exceto pela penas de crista Eles são amarelo ou rosa na sua base e a parte inferior do cauda e o asas Eles são o amarelos e vermelho.
    O pico é uma cor cinzento-branco, e o machos ter o à­ris marrom escuro, enquanto os do feminino são de cor marrom-vermelho.

    Habitat:

    É restrito à  Terra baixa Não mais do que 50 metros acima do nà­vel do mar, dentro ou adjacente a rios, e em áreas costeiras de mangue.

    fora da época de reprodução (Março a junho, e, vezes, de fevereiro a agosto), freqüenta lavouras de milho e arroz. Isso depende da estação onde alimentos são cultivados e tem os recursos disponà­veis, sendo parcialmente nà´mades.

    Estas aves podem voar de sua ilha para o adjacente se eles não são mais do que alguns 8 km. distância.

    Reprodução:

    época de reprodução entre fevereiro e junho. A partir de um a três ovos Eles são colocados em um ninho em um galho de árvore. Os ovos são escotilha para poucos 28 dias, e os filhotes permanecem no ninho por nove a dez semanas após a para incubação.

    Alimentos:

    Eles se alimentam de sementes, legumes, frutas e bagas.
    Eles são conhecidos por atacar culturas de milho em áreas agrícolas.

    Distribuição:

    Tamanho da área de distribuição (reprodução/residente): 22.700 km2

    Esta cacatua é endêmica em Filipinas, e o único representante das cacatuas que vamos encontrar lá; Isto tornou-se um tesouro destas ilhas.

    Conservação:

    Estado de conservação ⓘ


    Em perigo crítico criticamente em perigo (UICN)ⓘ

    • Categoria atual da Lista Vermelha da IUCN: Perigo Crítico.

    • Tendência populacional: Diminuindo.

    • Tamanho da população: 370-770 indivà­duos maduros.

    Em Palawan o captura das cacatuas para o comércio internacional ilegal é particularmente grave, algo que se reflecte no preço alto dessas aves ($ 160 Americanos em Manila em 1997); para ter sido saqueados todos os ninhos visà­veis cada vez que o preço é maior, porque custa mais para pegá-los.

    O desmatamento e a destruição de manguezais têm sido extensas na sua gama de ocupação e contribuíram significativamente para o seu declínio.

    Ele também é caçado e caçado para consumo como alimento.
    A libertação de aves em cativeiro pode introduzir doenças em populações selvagens.

    Ações de conservação propostas:

      • Realizar pesquisas em todas as ilhas de distribuição para avaliar o tamanho e distribuição da população de espécies.
      • Monitorar tendências populacionais.
      • Monitorar as taxas de perda e degradação de habitat.
      • Quantificar os níveis de captura, perseguição e comércio.
      • Designar mais áreas protegidas (por exemplo Tawi-Tawi e cidades em ou perto de Palawan).
      • Apoiar a proposta de ampliação do Parque Nacional do Rio Subterrâneo de Puerto Princesa.
      • Prevenir a destruição de manguezais.
      • Promover alternativas economicamente viáveis ​​para evitar a captura desta cacatua.
      • Continuar com programas de educação e programas de reprodução em cativeiro.
      • Estabelecer funcionários nos aeroportos e terminais de balsas para controlar a saída de espécimes.
      • Transloque os animais para áreas adequadas, como florestas de várzea ou manguezais..

    Loro Parque Foundation Ele alertou do risco de extinção que executa o Catatua-filipina pela construção de uma usina em Palawan, uma provà­ncia da ilha de Filipinas a região de Visayas Ocidentais.

    Esta ONG espanhola tem investido 1,3 milhões de dólares e mais do que 14 anos de trabalho no projeto de recuperação desta cacatua, e receia que, com a construção desta estação, a menos de 1.000 espécimes restantes no mundo podem ser eletrocutados por linhas de alta tensão, Além de serem bloqueados sua migração em busca de alimento.

    Veja mais em: (20minutos)

    "Catatua-filipina" em cativeiro:

    Muito raro em cativeiro, felizmente.

    Nomes alternativos:

    Philippine Cockatoo, Philippine Islands Cockatoo, Red-vented cackatoo, Red-vented Cockatoo (ingles).
    Cacatoès des Philippines (Francês).
    Rotsteißkakadu (alemão).
    Catatua-filipina (português).
    Cacatúa Filipina, Cacatúa Malaya (espanhol).

    Classificação científica:

    Ordem: Psittaciformes
    Famà­lia: Cacatuidae
    Gênero: Cacatua
    Nome científico: Cacatua haematuropygia
    Citação: (Estácio Müller, 1776)
    Protonimo: Psittacus haematuropygius

    Imagens de cacatua filipina:



    Espécies do gênero Cacatua

    Fontes:

    Avibase, BirdLife.org

    – Fotos: Kim Arveen interna, © Bento de Laender, Wikimedia.

    – Sons: Frank Lambert (Xeno-canto)

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Loris Arco Iris Deplanchii
    T. haematodus deplanchii


    Loris Arco Iris Deplanchii

    Conteúdo

    Descrição (1)

    26 cm. comprimento e um peso de 140 gr.

    O Loris Arco Iris Deplanchii (T. haematodus deplanchii) é uma variação do nominal (Trichoglossus Haematodus)

    Semelhante do nominal Haematodus, plumagem mas ligeiramente mais pálida. A cabeça tem um azul brilhante. Laranja avermelhada no peito, semelhante a Trichoglossus haematodus massena, Só que mais vivo. O abdómen é verde amarelado e estende-se a parte de trás do pescoço. As coxas e as penas sob a cauda amarela e parte superior da cauda verde-oliva.

    Distribuição:

    Nova Caledà´nia e ilhas lealdade.

    Nomes alternativos:

    Coconut Lorikeet (deplanchii) (ingles).
    Loriquet à tête bleue (deplanchii) (Francês).
    Allfarblori Deplanche (alemão).
    Loris Arco Iris Deplanchii (português).
    Lori Deplanche, Lori Arcoiris Deplanche (espanhol).

    Classificação científica:

    Ordem: Psittaciformes
    Famà­lia: Psittaculidae
    Nome científico: Trichoglossus haematodus deplanchii
    Gênero: Trichoglossus
    Citação: Verreaux,J & Des Murs, 1860
    Protonimo: Trichoglossus Deplanchii

    ————————————————————————————————

      (1) – Subespécies Lóris-arco-à­ris (Trichoglossus haematodus)

    ————————————————————————————————

    “Loris Arco Iris Deplanchii” (T. haematodus deplanchii)


    Fontes:

    Avibase

    Fotos: por Klaus Rudloff (kdrudloff@Web.de) – BioLib.cz

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Lorikeet ultramarino
    Vini ultramarina

    Lorikeet ultramarino

    Conteúdo

    Descrição

    O Lorikeet ultramarino (Vini ultramarina) tem um comprimento de 18 cm. e um peso aproximado de 35 gramas.

    Testa navy azul brilhante iridescente; coroa e nuca azul escuro Mallow com raios de luz azul; lordes e manchas na abrigos de fones de ouvido, Branco (bases de abrigos de fones de ouvido, cor roxa e azul). Manto e o ala secreta, azul marinho; alcatra e cauda coverts, luz azul escuro. O penas de voo, azul claro, negão interna. Azul fora do Abrigos underwing. Garganta azul escuro com manchas brancas; banda em peito malva com azul área subterminal penas azuis claros. Barriga branco com bases ardósia em penas, dando uma aparência mottled; coxas Malva azul escuro; coberturas, turquesa.

    O abrigos de supracaudales, azul esbranquiçada com uma marinha luz azul difusa nas margens exteriores;
    abrigos abrigos mesclado esbranquiçada com marinha e algumas marcações cinzentas irregulares.

    Pico amarelo alaranjado, mandíbula superior, castanho-escuro na base; à­ris amarelo acastanhado; a laranja pernas.

    Ambos os sexos são iguais, mas o feminino É um pouco menor.

    O imaturo adulto diferem pela ausência de no branco partes inferiores, Eles são uniformemente enegrecidos. Também pela pico Preto, à­ris Marrom escuro e pernas laranja-marrom.

    Habitat:

    Na década de 1970 em Nuku Hiva, esses papagaios foram encontrados apenas em florestas intocadas (que eles não foram tocados, e que está em sua condição original) sobre o 700 (m).

    Há um semelhante preferências de habitat em UA Pu, Onde estão localizados principalmente na Florestas Montanas entre 700 e 1.000 (m). As populações foram-se também de Lorikeet ultramarino nas plantações de banana, coco e manga (Mangifera indica), nas zonas costeiras.

    A espécie parece ter um maior leque de preferências de habitat em UA Pu., sendo encontrados em altitudes que variam da costa a cristas arborizadas.

    Alimentam-se em árvores com flores, especialmente de coqueiros e Erythrina.

    Adornos e animado; os pássaros mover-se livremente entre o dossel e pisos inferiores, permitindo a abordagem humana. Eles normalmente viajam em pares ou grupos de até uma dúzia de indivà­duos. A maioria de seus voos são feitos abaixo do nível das árvores, Mas para longas distâncias levantam-se em espiral até alturas consideráveis.

    Extremamente ativo, raramente tempo permanecem em uma árvore e se alimenta usando o suporte de pico acrobaticamente.

    Reprodução:

    O aninhando destas aves é de junho a agosto.

    Nidifica em árvores ocas, preferindo Artocarpus altilis, Pometia, Pandanus tectorius e Hibiscus tileacus. Às vezes eles usam o velho ninho de outra espécie. Eles põem dois ovos brancos.

    Um registro de reprodução em cativeiro dá ao filhote oito semanas para se tornar independente.

    Alimentos:

    Alimenta-se de uma grande variedade de árvores em flor, néctar e pólen. Dentro de suas preferências são as flores da palma de coco, a árvore nativa e banana Hibiscus tileaceus.

    Ele também se alimenta de frutas, especialmente manga e insetos.

    Distribuição:

    Tamanho da sua gama (reprodução/residente): 100 km2

    O Lorikeet ultramarino é endémica do Ilhas Marquesas, de Nuku Hiva, UA Pu e UA Huka, Embora restos fósseis mostram que anteriormente mais amplamente difundido..

    Em UA Pu a população foi estimada em 250-300 casais em 1975. Mas na 1988 tinha encolhido em torno do 60%, provavelmente devido à  propagação de ratos Rattus rattus, e um furacão em 1988, Apesar de seus efeitos sobre a população de aves são incertos.

    Em Nuku Hiva a pequena população de em torno de 70 aves que habitavam o altos vales e cumes na parte noroeste da ilha, entre 700 e 1.000 d., Você pode ser que agora estão extintos.

    A maioria da população, até hoje, permanece em UA Huka, onde a espécie foi introduzida em 1940. Esta população teria crescido a partir de 200 - 250 casais no final de 1970 e foi considerado abundante em 1990 no ambiente de altitudes para o 500 d., com uma população estimada entre 1.000 e 1.500 aves. A principal ameaça para as espécies, aqui, é a chegada do potencial de ratos, e entre 1993 e 1994, 14 Lorikeet ultramarino Eles foram movidos para Fatu Hiva na tentativa de mantê-los seguros de ratos; Contudo, deterioração do habitat por mamíferos pastando e malária aviária, também foram e são ainda potenciais fatores para aumentar a vulnerabilidade desta espécie.

    Conservação:




    • Categoria atual da Lista Vermelha da IUCN: Perigo.

    • Tendência populacional: Diminuindo.

    Cities apêndice eu. em perigo de extinção.

    Toda a população está localizada em uma ilha onde a espécie é estável, em outras ilhas recentemente foi extinto. A tendência geral é suspeito de ser um decréscimo lento e contà­nuo. Se os ratos pretos UA Huka a diminuição será rápida e severa.

    Outras ameaças incluà­das estão fazendo login em alguns setores do habitat do Lorikeet ultramarino para plantar colheitas, árvores de fruto, e use os troncos para esculturas em madeira para o turismo.

    "Lorikeet ultramarino" em cativeiro:

    Extremamente raro.

    Nomes alternativos:

    Ultramarine Lorikeet, Marquesas Lorikeet, Ultramarine Lory (ingles).
    Lori ultramarin, Lori de Goupil, Lori des Marquises (Francês).
    Ultramarinlori (alemão).
    Loris Vini Ultramarine (português).
    Lori Ultramar, Lori Ultramarino (espanhol).

    Classificação científica:

    Ordem: Psittaciformes
    Famà­lia: Psittaculidae
    Nome científico: Vini ultramarina
    Citação: (Kuhl, 1820)
    Protonimo: Psittacus ultramarinus

    Imagens “Lorikeet ultramarino”:

    Và­deos do "Lorikeet ultramarino"

    ————————————————————————————————

    “Lorikeet ultramarino” (Vini ultramarina)


    Fontes:

    Avibase
    – Papagaios do Mundo - Forshaw Joseph M
    – Papagaios um guia para os papagaios do mundo – Tony Juniper & Mike Par
    – Birdlife

    Fotos:

    1 – Milhas para a selva – link
    2 – Milhas para a selva – link
    3 – Milhas para a selva – link
    4 – Um pássaro adulto empoleirado em uma palmeira – Autor Josep del Hoyo – IBC.lynxeds.com
    5- Um pássaro juvenil, alimentando-se em uma árvore. – Autor Josep del Hoyo – IBC.lynxeds.com

    Sons: Mark Todd (Xeno-canto)

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Lorikeet de garganta vermelha
    Charmosyna amabilis

    Lorikeet de garganta vermelha

    Conteúdo

    Descrição

    18 cm. comprimento.

    O cabeça do Lorikeet de garganta vermelha (Charmosyna amabilis) É verde com lordes e Queixo Vermelho. Partes superiores Verde. Asas e termina com penas verdes internas penas de voo enegrecido. Garganta Vermelho, limitado abaixo por um colarinho estreito amarelo; o resto da partes inferiores com um verde amarelada que partes superiores, particularmente no centro da barriga; coxas Red. O cauda acima verde um pouco mais escura do que a Grupa, com pontas amarelas; passagem de roda amarelo. Pico Orange; à­ris amarelo; pernas laranja-vermelho.

    Macho e fêmea são iguais.

    Imaturo geralmente mais opaco. O coxas roxo opaco. A faixa amarela garganta muito mais fraco do que nos adultos e o vermelho facial e marcas garganta mais restrito.

    Habitat:

    Mover-se pelas florestas tropicais, principalmente sobre o 500 m. São nà´mades e voar em pares ou em pequenos bandos de 5-8 pássaros em busca de árvores floridas, unindo-se para se alimentar de flores, néctar e pólen. Eles preferem alimentar no dossel, e embora ele é ejetado aparentemente longe das áreas de poder pelo agressivo Lóris-solitário, Holyoak Ele encontrou duas espécies alimentam a mesma árvore durante suas observações em 1973.

    Reprodução:

    Reprodução e hábitos desconhecidos de nidificação.

    Alimentos:

    Alimentam-se ativamente, para muitas vezes pendurado de cabeça para baixo para flores.

    Distribuição:

    Tamanho da área de distribuição (reprodução/residente): 37.100 km2

    endêmico para o Ilhas Fiji Onde é raro e geralmente só se move acima 500 metros e abaixo 1.000 m. É distribuà­do entre em Viti Levu, oval (onde agora pode ser extinto), Vanua Levu e Taveuni. Em 1973 Holyoak encontrado em um Lorikeet de garganta vermelha em um cume arborizado em torno 250 metros em Viti Levu, espécies que você viu ou ouviu em cinco dias diferentes enquanto explorava Taveuni pensando que a espécie foi difundida nas florestas chuvosas a uma altitude entre 550 e 1,000 m. A espécie também foi gravada em florestas tropicais, entre 120 metros e 980 pés por Martyn L. Gorman (1975), Mas é dito que eles são raros. Esses registros estão entre os poucos avistamentos documentados deste século. A população mundial acredita-se ser de menos de 10.000 cópias. Apesar de sua aparente raridade, Esta espécie pode ser negligenciada devido à  sua plumagem discreta e comportamento.

    Conservação:


    Em perigo crítico


    • Categoria atual da Lista Vermelha da IUCN: Perigo Crítico

    • Tendência populacional: Diminuindo

    Ameaças para as planà­cies e colinas da floresta está lentamente sendo apagado grande parte Fiji. Contudo, a raridade e declínio assumido desta espécie é provavelmente em grande parte o resultado da predação por mamíferos introduzidos, especialmente Rato preto (Rattus rattus) , Como é o caso com o estreitamente relacionadas Lorikeet da Nova Caledônia (Charmosyna diadema).

    Aumenta, em curso na exploração madeireira e a expansão da rede rodoviária, especialmente em torno do planalto do Monasavu e Serua em Viti Levu, É provável que você causou um aumento da densidade desses ratos (Watling 2000, G. Dutson em litt. 2005). O Mangusto marrom indiano (Herpestes fuscus) introduzido, também está presente nas áreas de distribuição do Lorikeet de garganta vermelha e pode ser uma ameaça (V. Modesto em litt. 2012).

    A expansão agrícola está invadindo a floresta primária em Taveuni. Têm uma distribuição nas montanhas perto da altitude máxima dentro de sua área de distribuição, Também faz esta espécie potencialmente sensà­vel ao clima mudar (BirdLife Internacional).

    É a espécie está protegida pelas leis de Fiji. Em Viti Levu, habita a Reserva natural de Tomaniivi, Mas isso não é grande o suficiente para manter uma população residente e, Apesar da criação da extensão Wabu proposta de fazer uma reserva de tamanho adequado, isso não forneceria melhor proteção contra ratos se a reserva fosse mantida sem gerenciamento (D. Watling em litt. 2000)

    "Lorikeet de garganta vermelha" em cativeiro:

    Desconhecido em cativeiro.

    Nomes alternativos:

    Red-throated Lorikeet, Red throated Lorikeet (ingles).
    Lori à gorge rouge (Francês).
    Rothöschen (alemão).
    Lori de Garganta Roja, Lori Gorgirrojo (espanhol).

    Classificação científica:

    Ordem: Psittaciformes
    Famà­lia: Psittaculidae
    Nome científico: Charmosyna amabilis
    Citação: (Ramsay, 1875)
    Protonimo: Trichoglossus (Glossopsitta) amabilis

    ————————————————————————————————

    “Lorikeet de garganta vermelha” (Charmosyna amabilis)


    Fontes:

    Avibase
    – Papagaios do Mundo - Forshaw Joseph M
    – Papagaios um guia para os papagaios do mundo – Tony Juniper & Mike Par
    – Birdlife

    Fotos:

    1 – (Foto por Bill Beliza, 1973)
    2 – amabilis Charmosyna pelas obras de arte por John Gerard Keulemans (1842-1912). [Domínio público], via Wikimedia Commons