Braco de Saint-Germain
Francia FCI 115 . Tipo Braco

Braco de Saint-Germain

O Braco de Saint-Germain é pouco conhecido fora das fronteiras francesas.

Conteúdo

História

Um cão de caça versátil que tem sido usado não apenas para mirar, mas também para lançar e recuperar, o Braco de Saint-Germain pode trabalhar com uma variedade de caça, incluindo coelhos e faisões. Ao contrário da maioria dos cães de caça, tradicionalmente, esta raça tem sido popular em exposições e foi criada para ter uma aparência muito uniforme e específica.

Criado originalmente na França, misturando Pointer inglês com o Braco francês tipo Gasconha, Acredita-se que esta raça tenha se desenvolvido no início 1830 e afirma ter uma herança muito elegante. O rei Carlos X da França recebeu dois cães Pointer inglês que eram caçadores muito talentosos. A fêmea, ligar saudades, ela foi criada com um cachorro Braco Francês local, e o legado de Braco de Saint-Germain começado. Inicialmente, a raça foi chamada Compiegne Pointers devido à localização dos canis em que foram criados, mas este nome foi alterado posteriormente quando os canis foram transferidos para a região de Saint Germain. Muitos dos cães produzidos foram mostrados em exposições caninas em toda a França e, Nesse momento, eles eram a raça de Pointer mais exibido em seu país natal.

A corrida Braco de Saint-Germain era inicialmente muito popular e em 1913 um clube foi formado com o objetivo de aumentar sua prevalência na França, bem como melhorar a raça. Infelizmente, o tamanho da população da raça Braco de Saint-Germain foi bastante reduzido em todas as guerras mundiais. Eles nunca se recuperaram totalmente do declínio drástico no tamanho da população que ocorreu na primeira metade do século XX., mas eles ainda são uma raça que tem um seguidor leal e não está em perigo de extinção hoje.

En los últimos años, a Pointer inglês entrar no pool genético de Braco de Saint-Germain para aumentar seus números e adicionar alguma diversidade genética. Mesmo que poucos, Se houver algum, dos membros da raça foram exportados internacionalmente, o UKC concedeu total reconhecimento à raça em 2006 dentro do seu grupo de cães de caça.

Foto: Braque_saint-germain na Exposição Canina Mundial em Poznań por Pleple2000, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Características físicas

Braco Saint Germain
Braque saint-germain na Exposição Canina Mundial em Poznań por Pleple2000, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

A aparência de Braco de Saint-Germain é particularmente importante para criadores, embora seja principalmente um cão de caça. Historicamente, participaram de um grande número de exposições de cães francesas. Os membros da raça devem ser de constituição média, com bons músculos e ossos pesados. O crânio do cão deve ser redondo e do mesmo comprimento que o focinho.

Seu nariz rosa deve ter narinas bem abertas, enquanto seus grandes olhos dourados devem mostrar uma expressão plácida e relaxada. Suas orelhas são curvas na ponta e não devem ultrapassar o nível dos olhos. Os ombros do Braco de Saint-Germain eles são impressionantemente longos e seus membros devem ser robustos e pesados. Eles têm um peito largo e costas retas, embora seu traseiro se curve ligeiramente. A cauda afiada do cão é portada em um ângulo horizontal distinto quando em movimento.

O casaco curto do Braco de Saint-Germain deve ser branco desbotado com marcações laranja, e prefere-se que as orelhas sejam laranja em todos os lugares. Ao contrário da Pointer inglês, cabelo preto não é tolerado. Os machos medem entre 56 e 62 cm de altura, enquanto as fêmeas menores alcançam alturas entre 53 e 60 cm. A maioria dos membros da raça vai pesar entre 18 e 27 kg.

Caráter e habilidades

Embora seja verdade que Braco de Saint-Germain tradicionalmente se destacou no show floor, é principalmente um cão de caça e, como tal, tem o caráter esperado de um animal de trabalho. Esta raça é fácil de treinar e adora ser mantida ativa e receber uma tarefa.. Eles devem ter um “boca macia”, o que significa que eles não machucam ou prejudicam a presa que recuperam. Eles também tendem a trabalhar em pacotes, o que significa que eles normalmente se dão bem com outros cães. Embora seja inegável que eles têm um instinto natural para perseguir pequenos animais, anedoticamente, eles se dão bem com os pequenos animais de estimação em sua casa, aos quais foram apresentados desde a infância.

O Braco de Saint-Germain ele é realmente um cão de família e se dá melhor quando mantido dentro de casa com a companhia humana. Ele é particularmente afetuoso com aqueles em quem confia e terá um vínculo estreito com cada membro de sua família. Eles não são tipicamente uma raça que exibe qualquer agressão, o que significa que eles são adaptados para crianças, embora eles não fossem bons cães de guarda. Embora seja verdade que esta raça estará disposta a fazer amizade com qualquer criança que encontrar, Recomenda-se cautela com crianças muito pequenas que podem não ser capazes de resistir a cumprimentos rápidos e brincadeiras barulhentas!

Educação

Mais do que muitas outras raças de cães, o Braco de Saint-Germain pode ser um verdadeiro mimo para treinar. É um cão disposto a agradar ao dono e tem inteligência para cumprir com relativa facilidade a maioria das tarefas que lhe são confiadas.. Os treinadores terão mais sucesso quando se concentrarem nos comportamentos mais naturais da raça, como recuperação.

Costuma-se dizer que o Braco de Saint-Germain é um cão resistente e muito menos sensível do que outras raças estreitamente relacionadas. Os treinadores têm a opção de usar métodos mais firmes do que eles esperam, No entanto, continuará a obter os melhores resultados com o uso de técnicas de reforço positivo (em vez de negativos).

Exercício

Não muito atrás quando se trata de exercícios, o Braco de Saint-Germain ele é um cachorro que adora estar fora de casa. Tem grande resistência ao trabalhar e é capaz de viajar grandes distâncias por longos períodos de tempo sem parecer se cansar. Se mantido apenas como um animal de companhia, os proprietários devem ser capazes de fornecer uma ou duas horas de exercícios sólidos por dia e também devem manter o cão estimulado com vários jogos e sessões de treinamento.

Qualquer tentativa de manter esta raça em um pequeno apartamento ou casa ou exercê-la por menos tempo do que o recomendado, provavelmente levará a um cão frustrado que se tornará um animal de estimação difícil. É provável que a ansiedade se desenvolva nessas situações, hiperatividade e comportamentos destrutivos.

Saúde

Infelizmente, não há informações específicas sobre a saúde do Braco de Saint-Germain, e até o momento não houve estudos sobre a raça. Um cão trabalhador, é geralmente aceito como uma raça resistente. O proprietário prudente estaria ciente dessas possíveis condições de saúde:

Quadril Displasia.

    A pontuação do quadril deve ser realizada por criadores responsáveis ​​para garantir que a pequena população de Braco de Saint-Germain fique saudável. Um simples raio-x dos quadris permitirá ao veterinário avaliar a qualidade das articulações do quadril e informar ao criador se elas são boas o suficiente para permitir a reprodução..

Infecções de ouvido

    Quando o canal auditivo fica obstruído com um acúmulo de resíduos fedorentos, uma infecção provavelmente está presente. As orelhas também podem ser vermelhas, quente e sensível. Os cães afetados tendem a balançar a cabeça e esfregar o rosto no chão. As infecções ocorrem principalmente devido à proliferação de bactérias e leveduras, embora também possam ser devido a um corpo estranho, como uma semente de grama dentro do canal auditivo ou ácaros da orelha.

Limpeza

A pelagem curta do Braco de Saint-Germain não precisa ser escovado mais de uma ou duas vezes por semana. As unhas dos pés podem precisar ser aparadas a cada poucos meses, particularmente se você não anda em superfícies duras. As garras claras da raça facilitam o corte das garras, já que o corte é visível, tornando-o mais evitável do que em cães com garras de pigmentação escura.

O dever de cuidados mais importante que um proprietário não deve negligenciar, é a manutenção de uma boa higiene do ouvido. As orelhas devem ser limpas a cada uma a duas semanas com um limpador de orelhas de cachorro. Os proprietários também devem garantir que as orelhas estejam secas por dentro e por fora após serem expostas à água..

Classificações do “Braco de Saint-Germain”

Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão “Braco de Saint-Germain” você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercício, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nível de tolerância para com eles.

adaptação ⓘ

3.0 Avaliação
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Ⓘ cão amigável

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

A perda de cabelo ⓘ

3.0 Avaliação
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Nível de afeto ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Necessidade de exercício ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

necessidade social ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

casa ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

sanita ⓘ

1.0 Avaliação
1 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Amigável com estranhos ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

cascas ⓘ

2.0 Avaliação
2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

saúde ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

ⓘ territorial

3.0 Avaliação
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Amigável com gatos ⓘ

2.0 Avaliação
2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

inteligência ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

versatilidade ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Crianças amigável ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

vigilância ⓘ

2.0 Avaliação
2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

alegria ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Vídeos do “Braco de Saint-Germain”

Braco de Saint-Germain

Saint Germain Pointer Dog Raça – Braque Saint Germain

Tipo e reconhecimentos:

  • CLASSIFICAÇÃO FCI: 115
  • Grupo 7: – ães de Parar ou Cães Apontadores.
  • Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco. Com prova de trabalho.

Federações:

  • FCI – Grupo 7: Cães de Parar ou Cães Apontadores. – Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco
  • UKCGundog

Padrão da raça FCI “Braco de Saint-Germain”

FCI Padrão No. 115 / 21.01.2004 / E

BRACO SAINT- GERMAIN
(Braque Saint-Germain)

TRADUCCION : IRIS Carrillo (Federação de canil de Porto Rico).

ORIGEM : França.

DATA DE PUBLICAÇÃO DO PADRÃO ORIGINAL VÁLIDO : 25.03.2003.

UTILIZAÇÃO :

Cão mostra, usado principalmente para pássaros de caça, mas também pode ser usado para caçar animais com pelo.

CLASSIFICAÇÃO FCI :

Grupo 7 Cães de Parar ou Cães Apontadores.
Seção 1.1 Cães de Parar Continentais. Com prova de trabalho.

BREVE RESUMO HISTÓRICO : Este é um descendente de cães que vêm do cruzamento de um ponteiro e um ponteiro. A raça foi criada para 1830 Sobre as verdadeiras cadelas de Compiègne, e então em Saint Germain en Laye. Este cachorro teve um grande boom até o início do século 20 e foi o cão de exposição mais representado nas primeiras exposições de cães, especialmente na primeira exposição francesa em Paris, em 1863. O clube da raça criado em março 1913.

OLHAR GERAL :

De proporções médias e linhas craniofaciais paralelas ou ligeiramente divergentes e uma depressão nasofrontal moderadamente pronunciada. Os ossos são bastante sólidos e os músculos estão adaptados para trabalhos que requerem resistência. Seu pelo é fulvo e branco, sem presença de preto. É quando o cão em ação, sua busca é de largura média e seu galope é uniforme e elástico.

TEMPERAMENTO / COMPORTAMENTO : Caçador acima de tudo, ele é muito sociável, equilibrado, afetuoso, e não suporto ser maltratado durante o treinamento. Em resumo, é fácil treinar.

Caça em todos os tipos de terreno e com paixão, o faisão, a perdiz e a galinhola, quem traz seu mestre suavemente. Por ser muito carinhoso com os humanos, aprecia a vida familiar.

CABEÇA

REGIÃO CRANIANA :

Crânio : Levemente arqueado, ogival nas costas. O occipital é protuberante. O arco zigomático é pouco acentuado.
Links de depressão (Stop) : Não é muito acentuado.

REGIÃO FACIAL :

Focinho : O canal nasal é reto ou ligeiramente convexo ; tem o mesmo comprimento que o crânio.
Trufa : Ampla ; narinas estão bem abertas e rosa escuro.
Lábios : Cubra completamente o maxilar inferior. São bastante finos e não apresentam manchas pretas.
Mandíbulas / Dentes : As mandíbulas são robustas e têm o mesmo comprimento. Os dentes são fortes e bem alinhados. A articulação é em forma de tesoura.
Palato : Não há manchas pretas.
Olhos : Totalmente aberto ; eles são bem grandes e amarelos dourados. Eles estão bem inseridos nas órbitas e seu olhar é franco e doce.
Orelhas : Eles ocorrem no nível da linha dos olhos e não são muito longos. O pavilhão tem uma dobra longitudinal. Eles são redondos no membro e ligeiramente separados da cabeça.

PESCOÇO :

Muscular, bastante longo e ligeiramente arqueado. Um queixo duplo muito leve é ​​tolerado.

CORPO :

Voltar : Horizontal.
Lombo de porco : Bem curto, Largura, robusto.
Alcatra : Suavemente inclinada.
No peito : Longo, altura e largura. A ponta do esterno é ligeiramente proeminente. As costelas são longas e flexíveis.
Barriga : Levemente levantado ; progressivamente se junta ao peito, sem interrupção. Uma vez que o peito é alongado, o flanco é curto.

CAUDA :

É baixo e não ultrapassa a ponta do jarrete. É grosso na base e termina em ponta. É quando o cão em ação, apresentado horizontalmente.

MEMBROS :

Boa estrutura óssea. Durante o descanso, músculos são visíveis sob a pele.

MEMBROS ANTERIORES :
Ombro : Eles são longos, oblíqua, muscular, como deveriam ser as de um galopador.
Braços : Eles são levemente inclinados.
Antebraços : Strong, muscular, vertical.
Metacarpo : Curto, muito ligeiramente inclinado, visto de perfil.
Pés anteriores : Longo, dedos juntos, as unhas são muito claras, e ainda branco ; os rolamentos são sólidos.

MEMBROS POSTERIORES : Vistos de atrás, são perpendiculares ao solo.
Coxas : Eles são longos, y musculosos.
Pernas : Bem musculoso.
Jarretes : Eles são largos e ficam no eixo do corpo.
Metatarsos : Curto, vertical, magro.
Pés de volta : Idêntico aos anteriores.

MOVIMENTO :

O movimento normal é o galope; isso deve ser elástico, equilibrado e sustentado, extensão média. Durante todos os movimentos, cabeça deve estar ligeiramente acima da margem das costas, nunca abaixo. Braque Saint Germain cobre bem o terreno, qualquer que seja o movimento adotado.

PELE :

É bastante bom.

PELES

CABELO :

Curto e não muito fino.

COR :

Branco fosco com manchas laranja (Griffon); cor salpicada é aceita, embora não seja o mais desejável. As orelhas são castanhas; uma pequena parte do branco é aceita, mas não é o mais desejável.

TAMANHO

Altura à Cruz : Machos : 56 cm para 62 cm.
Fêmeas : 54 cm para 59 cm.
Com 2 cm extra para espécimes excepcionais.

FALHAS :

Qualquer desvio dos critérios acima é considerado faltando e a gravidade é considerada o grau de desvio do padrão e seu impacto sobre a saúde e o bem-estar do cão.
• Crânio : Muito largo.
• olhos : Pequeno, encarando, cor limão.
• Orelhas : Semelhante às orelhas dobradas dos cães cães de caça.
• Grupo : Muito íngreme.
• Tortas : Esmagado ; presença de rudimentares.

FALHAS ELIMINATÓRIAS

• Cão temeroso ou agressivo.
• Falta de tipo (qualquer espécime cujas características o separam de seus pares).
• Presença de cor preta, acima de tudo em :
• A trufa
• Os lábios
• O paladar
• Olhos (a cor marrom também é uma falta eliminatória).
• As umas.
• Falta mais de um dente, além de PM1 ; prognosticismo, dentes desalinhados.
• Tamanho que vai além dos limites.

Qualquer cão apresentando sinais claros de anormalidades físicas ou de comportamento deve ser desqualificado.

NOTA : Machos devem apresentar dois testículos de aparência normais, bem desenvolvidos e acomodados a bolsa escrotal.

Nomes alternativos:

    1. St. Germain Pointing Dog (Inglês).
    2. Braque Saint-Germain (Francês).
    3. Braque Charles bzw. Braque Compiegne (Alemão).
    4. (em francês: Braque Saint-Germain) (Português).
    5. Braco de Saint Germain (español).

Braco francês tipo Gasconha
Francia FCI 133 . Tipo Braco

Braco francês tipo Gasconha

Alguns até dizem que o Braco francês tipo Gasconha é um cachorro que nasceu treinado.

Conteúdo

História

O tipo Braco francês tipo Gasconha cresceu na região de Gasconha que leva seu nome. Ele é um descendente direto da raça mais antiga conhecida de apontando cachorros já descrito por Gaston PHEBUS, Conde de Foix. Este excelente cão apontador conseguiu preservar sua resistência. Da mesma maneira, tem mantido a eficiência dos dias em que os cães eram criados apenas para os serviços que prestavam.

Foto: Pyrenean Pointer at the World Dog Show in Poznań by Pleple2000, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Características físicas

Nariz e focinho
Tem um grande nariz castanho. Tem um focinho largo, Retangular, às vezes ligeiramente convexo.

Olhos
Tem uma aparência franca. Seus olhos castanhos ou amarelos escuros estão arregalados.

Orelhas
Os ouvidos dos bravos Braco francês tipo Gasconha eles descem bem até a ponta do seu nariz. Ligeiramente curvado, virar na ponta.

Cabelo
O cabelo dele Braco francês tipo Gasconha é muito grosso. Sua cabeça e orelhas têm cabelos mais finos.

O pelo pode ser marrom, Marrom e branco, manchado ou manchado de marrom e branco ou marrom com manchas castanhas acima dos olhos, lábios e membros.

Cola
O Braco francês tipo Gasconha tem uma cauda geralmente cortada, segue bem o prolongamento da linha convexa da garupa. Uma cauda longa não é considerada um defeito, contanto que seja bem administrado; nem a cauda curta de
nascimento

Caráter e habilidades

Inteligente, obediente e muito apegado ao seu mestre, os cães amáveis Braco francês tipo Gasconha eles são suaves e calmos. Alguns até dizem que é um cachorro que nasceu treinado.

Seu treinamento será tranquilo e precoce, já que é um cachorro muito sensível, mesmo tímido, e você tem que se acostumar com os ruídos da cidade muito rapidamente. Não vamos esquecer que você é um atleta e que você precisa “Desafogar” regularmente. Suave e calmo, adapta-se muito bem à cidade, contanto que você se acostume com isso em uma idade jovem. O Braco francês tipo Gasconha deve morar com seu cuidador e é muito carinhoso com as crianças.

Educação

A reputação de Braco francês tipo Gasconha está bem estabelecido. Como o primo dele, o Braco francês tipo Pirenéus, “nascido treinado”, dizem seus seguidores. Inteligente e muito apegado ao professor, saberá como aprender todos os truques de uma boa educação.

É um cão sensível com o qual você deve usar delicadeza. Este cachorro deve entender os mandamentos para assimilá-los. Uma das razões pelas quais os métodos coercitivos devem ser proibidos. Isso também é válido para todas as raças de cães.

O Braco francês tipo Gasconha pode ser perfeitamente adaptado para viver na cidade. No entanto, terá que ser apresentado ao barulho e às multidões em uma idade muito jovem.

Classificações do “Braco francês tipo Gasconha”

Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão “Braco francês tipo Gasconha” você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercício, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nível de tolerância para com eles.

adaptação ⓘ

3.0 Avaliação
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Ⓘ cão amigável

5.0 Avaliação
5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

A perda de cabelo ⓘ

2.0 Avaliação
2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Nível de afeto ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Necessidade de exercício ⓘ

5.0 Avaliação
5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

necessidade social ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

casa ⓘ

3.0 Avaliação
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

sanita ⓘ

1.0 Avaliação
1 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Amigável com estranhos ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

cascas ⓘ

3.0 Avaliação
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

saúde ⓘ

5.0 Avaliação
5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

ⓘ territorial

3.0 Avaliação
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Amigável com gatos ⓘ

3.0 Avaliação
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

inteligência ⓘ

5.0 Avaliação
5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

versatilidade ⓘ

5.0 Avaliação
5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Crianças amigável ⓘ

5.0 Avaliação
5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

vigilância ⓘ

3.0 Avaliação
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

alegria ⓘ

4.0 Avaliação
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Vídeos do “Braco francês tipo Gasconha”

Braque Francais-type Gascogne
Braque Francais-type Gascogne

Tipo e reconhecimentos:

  • CLASSIFICAÇÃO FCI: 133
  • Grupo 7: – ães de Parar ou Cães Apontadores.
  • Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco. Com prova de trabalho.

Federações:

  • FCI – Grupo 7: Cães de Parar ou Cães Apontadores. – Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco

Padrão da raça FCI “Braco francês tipo Gasconha”

FCI Padrão No. 133 / 07.08.1998 / E
Braque Francais, TIPO "GASCUN"(Braque Francês, tipo «Gascogne»)
TRADUCCION : Federação Mexicana de Canófila, A. C.
ORIGEM : França.
DATA DE PUBLICAÇÃO DO PADRÃO ORIGINAL VÁLIDO : 06.05.1988.

UTILIZAÇÃO :

Cão mostra.

CLASSIFICAÇÃO FCI :

  • Grupo 7 Cães de Parar ou Cães Apontadores.
  • Seção 1.1 Cães de Parar Continentais, tipo Braco. Com prova de trabalho.

Existem dois tipos diferentes : o grande, tipo «Gasconha» e o pequeno, tipo «Pyrenees». Ambos são originários do sudoeste da França e dos Pirenéus Centrais, onde foram preservados em sua forma original..

OLHAR GERAL :

O French Pointer é um ponteiro de tamanho médio, de tipo bracoide, nobre na aparência, robusto, mas não muito pesado; forte, com bons membros. Mulheres são melhores. A pele é lisa e bastante solta.

PROPORÇÕES IMPORTANTES :

O comprimento do focinho é ligeiramente menor que o do crânio.

CABEÇA :

Muito grande, mas não muito pesado. Os eixos longitudinais superiores do crânio e focinho são ligeiramente divergentes.

REGIÃO CRANIANA :

  • Crânio : Quase plano ou ligeiramente arredondado; apresenta um sulco médio não muito profundo. A protuberância occipital é pouco acentuada.
  • Links de depressão (Stop) : Nem afundado nem acentuado.

REGIÃO FACIAL :

  • Trufa : Espessura, Brown; as janelas estão abertas.
  • Focinho : Largo e retangular; às vezes um pouco convexo.
  • Lábios : Eles descem um pouco até formarem dobras no canto.
  • Mandíbulas / Dentes : A dentadura deve ser completa. Mordida em pinça é tolerada.
  • Olhos : Bem aberto e bem colocado em sua órbita. Marrom ou amarelo escuro. Frank parece.
  • Orelhas : Comprimento médio, implantado ao nível da linha dos olhos, não muito largo no ponto de inserção, enquadrando bem a cabeça, ligeiramente dobrado e arredondado em sua borda inferior. Uma ou duas rugas verticais podem aparecer no nível da bochecha e um pouco abaixo da inserção da orelha. As pontas das orelhas devem alcançar o nariz do nariz.

PESCOÇO :

Adequadamente longo, ligeiramente arqueado no topo, apresenta um pequeno queixo duplo.

CORPO :

  • Voltar : Ampla, reta, às vezes um pouco longo, mas sempre bem sustentado.
  • Lombo de porco : Curta, musculoso e ligeiramente arqueado.
  • Alcatra : Ligeiramente inclinado em relação à linha superior.
  • No peito : Visto de frente é largo; perfil é longo; atinge o nível do cotovelo; costelas arqueadas sem exagero.
  • Barriga : Flancos achatados, barriga ligeiramente retraída.

CAUDA :

Geralmente cortado, segue bem o prolongamento da linha convexa da garupa. Uma cauda longa não é considerada um defeito, contanto que seja bem administrado; nem a cauda curta de nascimento.

MEMBROS

MEMBROS ANTERIORES : Com boa postura, eles são largos e musculosos.

  • Ombro : Muito musculoso e medinamente oblíquo.
  • Braços : Forte e musculoso.
  • Cotovelos : Colocado ao nível do esterno.
  • Pés anteriores : Os dedos estão fechados e bem arqueados, Compacto, quase redonda. Unhas fortes e almofadas grossas.

MEMBROS POSTERIORES : Excelente postura.

  • Coxas : Fortemente musculoso.
  • Pernas : Muscular.
  • Articulações do tarso quente : Ângulo médio.
  • Metatarso : Bem curto.
  • Pés de volta : Compacto, quase redonda.

PELES

CABELO :

Bastante espesso e denso; mais fino na cabeça e orelhas.

COR :

• Castanho.
• Marrom e branco.
• Marrom e branco fortemente mosqueado.
• Fogo marrom e fulvo (abaixo dos olhos, no focinho e membros).

TAMANHO :

Macho : 58 a 69 cm. Female : 56 a 68 cm tamanho ideal : 61 a 63 cm.

FALHAS :

Qualquer desvio dos critérios acima é considerado faltando e a gravidade é considerada o grau de desvio do padrão e seu impacto sobre a saúde e o bem-estar do cão.

• Aparência geral muito pesada ou muito leve.
• Protuberância occipital muito pronunciada.
• Lábios muito grossos ou insuficientes.
• Olhos muito redondos devido ao exagero dos arcos zigomático e supraorbital.
• orelhas planas, muito curto ou muito apertado.

• Barriga nodosa.
• Pés esmagados.

FALHAS ELIMINATÓRIAS

• cão agressivo ou medroso.
• Divergência ou convergência acentuada dos eixos longitudinais craniofaciais.
• Nariz duplo, nariz muito despigmentado.
• Prognatismo superior o inferior.
• Entropión, ectrópio. Manchas brancas nas pálpebras.
• Ausência da cauda.
• Sindactilia, polidactilia, adactilia.

Qualquer cão apresentando sinais claros de anormalidades físicas ou de comportamento deve ser desqualificado.
OBS.. : Machos devem apresentar dois testículos de aparência normais, bem desenvolvidos e acomodados a bolsa escrotal.

Braco francês tipo Pirenéus
Francia FCI 134 . Tipo Braco

Braco francês tipo Pirenéus

O Braco francês tipo Pirenéus ele é sensível e amoroso, ele gosta de crianças e se sente confortável tanto na cidade quanto no campo.

Conteúdo

História

As origens do Braco francês tipo Pirenéus são iguais ao Braco francês tipo Gasconha. Eles são os melhores representantes das antigas linhas de Brachets e “Bracos” sulistas.

Já no século XV, o “Braco Francês” podem ser encontrados em telas que representam cenas de Vênus. Está espalhado por todo o território francês durante a Revolução Francesa, e a regionalização da criação permite o surgimento de raças como a Braco de Ariège ou o Braco de Auvérnia.

Uma raça que foi abandonada em favor dos cães britânicos, a criação de Braco Francês foi revivido entre as duas guerras, quando os dois caras ficaram diferentes. Desenvolvido nos Pirenéus, a raça desce do velho Braco espanhol e do agora extinto Sabujo do Sul.

Uma versão mais elegante do que o Braco francês tipo Gasconha, o Braco francês tipo Pirenéus tem pernas sobre 12,5 cm mais curto que a Gasconha.

Foto: Un braque francais, type pyrénées by Canárias, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Características físicas

O Braco francês tipo Pirenéus apresenta as mesmas proporções e características de gênero do tipo Braco francês tipo Gasconha, só que suas dimensões são menores e sua estrutura corporal é mais leve. As diferenças são as seguintes:

  • É um cão rústico, não pesado, mas musculoso o suficiente. Sua pele é mais esticada do que a do tipo "Gasconha".
  • Os lábios são menos caídos do que os do tipo "Gasconha" ou menos convexos.
  • Os membros anteriores são mais leves do que os do “Braco francês tipo Gasconha”
  • Cabelo mais fino e curto que o tipo da Gasconha.
  • Caráter e habilidades

    Sensível e afetuosa, Ele é carinhoso com as crianças e se sente à vontade tanto na cidade quanto no campo.

    Sua educação deve ser tranquila e precoce, porque ele Braco francês tipo Pirenéus ele é um cachorro muito sensível, mesmo tímido. Por conseguinte, deve se acostumar aos ruídos da cidade muito rapidamente.

    Possui um dom natural para a caça e uma resistência muito boa.

    Ele coabita facilmente com seus companheiros e pode ficar sozinho por um dia. Se encaixa bem com um apartamento, contanto que você se acostume com isso desde tenra idade. No entanto, você precisa se exercitar muito regularmente.

    Alguns dizem que ele nasceu treinado.

    Baixa manutenção necessária.

    Classificações do “Braco francês tipo Pirenéus”

    Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão “Braco francês tipo Pirenéus” você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercício, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nível de tolerância para com eles.

    adaptação ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Ⓘ cão amigável

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    A perda de cabelo ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Nível de afeto ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade de exercício ⓘ

    5.0 Avaliação
    5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    necessidade social ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    casa ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    sanita ⓘ

    1.0 Avaliação
    1 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com estranhos ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    cascas ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    saúde ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    ⓘ territorial

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com gatos ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    inteligência ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    versatilidade ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Crianças amigável ⓘ

    5.0 Avaliação
    5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    vigilância ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    alegria ⓘ

    5.0 Avaliação
    5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Vídeos do “Braco francês tipo Pirenéus”

    Braque Francais Type Pyrenees NAIBE MIRA MAYA
    Vidéo Braques Francais Du Milobre de Bouisse

    Tipo e reconhecimentos:

    • CLASSIFICAÇÃO FCI: 134
    • Grupo 7: – ães de Parar ou Cães Apontadores.
    • Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco. Com prova de trabalho.

    Federações:

    • FCI – Grupo 7: Cães de Parar ou Cães Apontadores. – Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco

    Padrão da raça FCI “Braco francês tipo Pirenéus”

    FCI Padrão No. 134 / 07.08.1998 / E

    Braque Francais, TIPO DE PIRINEUS
    (Braque Francês, tipo Pyrenees)

    TRADUCCION : Federação Mexicana de Canófila, A.C..

    ORIGEM : França.

    DATA DE PUBLICAÇÃO DO PADRÃO ORIGINAL VÁLIDO : 06.05.1988.

    UTILIZAÇÃO :

    Cão mostra.

    CLASSIFICAÇÃO FCI :

    Grupo 7 Cães de Parar ou Cães Apontadores.
    Seção 1.1 Cães de Parar ou Cães Apontadores
    continental, tipo Braco.
    Com prova de trabalho.
    O pequeno ponteiro francês, o tipo «Pirineus» tem as mesmas proporções e características de gênero do tipo «Gasconha», só que suas dimensões são menores e sua estrutura corporal é mais leve. As diferenças são as seguintes :

    OLHAR GERAL :

    É um cão rústico, não pesado, mas musculoso o suficiente. Sua pele é mais esticada do que a do tipo «Gasconha».

    CABEÇA :

    Trufa : Cor marron, janelas abertas.
    Lábios : Os lábios são menos caídos do que os do tipo "Gasconha" ou menos convexos.
    Orelhas : Inserido acima da linha dos olhos, muito pouco curvado. A ponta das orelhas deve atingir até dois centímetros antes que as trufas eclodam.

    PESCOÇO :

    Pouco ou nenhum queixo duplo.

    BARRIGA :

    Menos rebaixado do que no tipo Gasconha.

    CAUDA :

    Fina, pode ser cortado ou curto desde o nascimento.

    MEMBROS

    MEMBROS ANTERIORES : Eles são mais leves do que o tipo da Gasconha.
    Ombro : Muscular e moderadamente oblíquo.

    MEMBROS POSTERIORES :
    Pés : Dedos fechados.

    CABELO :

    Mais fino e mais curto que o tipo Gasconha.

    TAMANHO :

    Macho : 47 a 58 cm.
    Female : 47 a 56 cm.
    Você está procurando o tamanho de 50 a 55 cm de acordo com os usos mais numerosos.

    FALHAS :

    Qualquer desvio dos critérios acima é considerado faltando e a gravidade é considerada o grau de desvio do padrão e seu impacto sobre a saúde e o bem-estar do cão.
    • Aparência geral muito pesada ou muito leve.
    • Lábios muito pendentes ou finos.
    • Olhos muito redondos devido ao exagero dos arcos zigomático e supraorbital.
    • Orelhas inseridas na linha dos olhos, demasiado longo (exceder o nascimento da trufa).
    • Barriga nodosa.
    • Pés esmagados.

    FALTAS ELIMATÓRIAS
    • cão agressivo ou medroso.
    • Nariz duplo, nariz muito despigmentado.
    • Entropión, ectrópio, manchas brancas na base das pálpebras.
    • Anurismo.
    • Sindactilia, polidactilia, adactilia.

    Qualquer cão apresentando sinais claros de anormalidades físicas ou de comportamento deve ser desqualificado.

    OBS.. : Machos devem apresentar dois testículos de aparência normais, bem desenvolvidos e acomodados a bolsa escrotal.

    Braco de Burbônia
    Francia FCI 179 . Tipo Braco

    Braco de Burbônia

    O Braco de Burbônia no nascimento é frequentemente sem cauda, também é chamado “Braco de cola corta”.

    Conteúdo

    História

    O Braco de Burbônia já era conhecido em 1598 como um cão de caça de codornas especialista. Os autores da época o descreveram como um companheiro agradável para o caçador, aparência rústica e saudável, nascido com uma cauda curta, com um pelo branco, inteiro e finamente salpicado com truta marrom claro ou fulvo.

    Após a primeira Guerra Mundial, um grupo de criadores dedicados formou o primeiro Club du Braque du Bourbonnais em 1925 com o objetivo de reviver a raça e restaurar sua proeminência pré-guerra. O primeiro padrão da raça foi publicado no primeiro boletim do clube em 1930. Embora a organização e esses criadores tenham feito progressos consideráveis, seus esforços foram novamente quase aniquilados pela Segunda Guerra Mundial. Além disso, a adesão estrita a um cão sem cauda natural e requisitos estritos de cor resultou em um cão com base na aparência ao invés de desempenho.

    O resultado dessa seleção ao contrário leva a um descontentamento total dos criadores. De 1963 a 1973, não houve inscrições na L.O.F. (Livro das Origens Francesas) . Em 1970, sob o impulso de Michel Comte, uma equipe de criadores se propôs a missão de garantir a sobrevivência do Braco de Burbônia.

    Hoje, Criadores franceses se esforçam para produzir um Braco de Burbônia que está de acordo com o padrão da raça, mas de igual importância, o Braco de Burbônia agora deve ser proficiente no campo como ponteiros, retrievers e rastreadores. Desde o início do 1970, os criadores de Braco de Burbônia melhoraram substancialmente e rapidamente a conformação da raça e seu desempenho no campo.

    Um segundo Club du Braque du Bourbonnais foi criado em 1982 por Michel Comte, com o reconhecimento oficial da Central Canine Society (SCC), Afiliada francesa da FCI, em 1985. O objetivo de reviver a corrida foi alcançado, o padrão da raça relaxado, manchas e caudas cortadas foram consideradas aceitáveis ​​e os notáveis ​​instintos de caça da raça foram restaurados. O novo padrão da raça foi totalmente reconhecido pelo SCC e pela FCI em 1991. O padrão foi traduzido e publicado no site da FCI em 1998.

    Foto: Braque_du_bourbonnais na Exposição Canina Mundial em Poznań por Pleple2000, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

    Características físicas

    O Braco de Burbônia é um robusto, braque compacto e musculoso. Dá uma impressão de robustez e força. A mulher tem uma silhueta mais esguia e elegante. Alguns cães nascem sem cauda (anurus) ou com uma cauda naturalmente curta (braquiana). O corte da cauda é praticado em países onde é permitido.

    A cabeça é em forma de pêra, i.e., arredondado em todas as direções, com paredes laterais arredondadas, parietais e arcos zigomáticos bem desenvolvidos. A cabeça em forma de pêra é típica da raça. Os eixos do crânio e focinho são paralelos ou ligeiramente divergentes. Nem muito leve nem muito pesado, a cabeça é proporcional ao corpo. Os olhos são grandes, bastante arredondado, avelã ou âmbar escuro, de acordo com a cor da pelagem. As orelhas caídas de comprimento médio estão localizadas na linha dos olhos ou logo acima dela.

    A pelagem é fina, densa e curta. É mais fino na cabeça e nas orelhas, um pouco mais grosso e às vezes um pouco mais longo na parte de trás. Manchas brancas são muito invasivas, finamente salpicado de marrom (conhecido como “borras de vinho” o “lilás murcho”) o leonado (conhecido como “Flor de pêssego”) em todas as suas variantes. Cabelos brancos e coloridos podem se misturar em um padrão ruão. A orelha geralmente usa a cor básica mais ou menos manchada. As manchas de cor devem ser poucas em número e pequenas em tamanho: não deve exceder o tamanho da palma da mão no corpo e nunca deve envolver os dois olhos ao mesmo tempo no rosto.

    Caráter e habilidades

    O Braco de Burbônia é descrito no padrão da raça como gentil e afetuoso, mas também apaixonado e inteligente quando caça. Adapta-se facilmente aos mais variados terrenos e jogos. Naturalmente busca alta emanação e mostra habilidade de parada útil e precisa.

    O Braco de Burbônia eles são principalmente um Cães de Parar ou Cães Apontadores versátil.

    Exercício e treinamento

    Opções de exercício podem incluir brincadeiras no quintal, de preferência cercado, ou ser levado para caminhadas várias vezes ao dia. O exercício também pode ser feito na forma de atividades internas, como o esconderijo, perseguir uma bola rolando no chão ou aprender novos truques. Certas atividades ao ar livre, como natação, caminhar e recuperar bolas ou discos voadores pode fornecer uma boa saída para gastar energia. Treinamento para esportes caninos, como agilidade, obediência e rally também podem ser uma ótima maneira de dar ao seu cão algum exercício.

    Saúde

    A maioria da Braco de Burbônia eles são cachorros saudáveis. Trabalhando com um criador responsável, aqueles que desejam possuir um Braco de Burbônia eles podem obter a educação que precisam saber sobre problemas de saúde específicos dentro da raça. Bons criadores usam exames de saúde e testes genéticos de seus criadores para reduzir a probabilidade de doenças em seus filhotes.

    O Braco de Burbônia requer um manuseio relativamente suave. Tem a capacidade de perceber o humor do manipulador, buscando contato visual o tempo todo.

    Limpeza

    O Braco de Burbônia tem uma multa, casaco denso e curto. É um pouco mais grosso, e às vezes mais, nas costas. Na cabeça e orelhas, o cabelo é mais fino e mais curto.

    Além da escovação periódica, o banho ocasional manterá seu Braco de Burbônia limpo e com a melhor aparência. Cuidar pode ser uma experiência de união maravilhosa para você e seu cão.. As unhas fortes e de crescimento rápido da raça devem ser aparadas regularmente com um cortador de unhas ou esmalte para evitar o crescimento excessivo, quebra e rachaduras. As orelhas devem ser verificadas regularmente para evitar o acúmulo de cera e detritos, que pode resultar em infecção. Os dentes devem ser escovados regularmente.

    Classificações do “Braco de Burbônia”

    Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão “Braco de Burbônia” você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercício, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nível de tolerância para com eles.

    adaptação ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Ⓘ cão amigável

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    A perda de cabelo ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Nível de afeto ⓘ

    5.0 Avaliação
    5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade de exercício ⓘ

    5.0 Avaliação
    5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    necessidade social ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    casa ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    sanita ⓘ

    1.0 Avaliação
    1 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com estranhos ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    cascas ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    saúde ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    ⓘ territorial

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com gatos ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    inteligência ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    versatilidade ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Crianças amigável ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    vigilância ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    alegria ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Imagens do “Braco de Burbônia”

    Fotos:

    1 – Braque_du_bourbonnais na Exposição Canina Mundial em Poznań por Pleple2000, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons
    2 – Braque_du_bourbonnais na Exposição Canina Mundial em Poznań por Pleple2000, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons
    3 – Braque du Bourbonnais sur fond blanc by Desaix83, do trabalho das Canárias, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons
    4 – Braque du Bourbonnais – exposição mundial de cães 2010 por mjk23, CC POR 2.0, via Wikimedia Commons
    5 – Braque du Bourbonnais – exposição mundial de cães 2010 por mjk23, CC POR 2.0 , via Wikimedia Commons
    6 – Braque_du_bourbonnais por O uploader original foi Michael Comte na Wikipedia francesa., CC BY-SA 2.5, via Wikimedia Commons

    Vídeos do “Braco de Burbônia”

    Tipo e reconhecimentos:

    • CLASSIFICAÇÃO FCI: 179
    • Grupo 7: – ães de Parar ou Cães Apontadores.
    • Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco. Com prova de trabalho.

    Federações:

    • FCI – Grupo 7: Cães de Parar ou Cães Apontadores. – Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco

    Padrão da raça FCI “Braco de Burbônia”

    TRADUCCION: IRIS Carrillo (Federação de canil de Porto Rico).

    ORIGEM:

    França (Província de Bourbon).

    DATA DE PUBLICAÇÃO DA NORMA OFICIAL VÁLIDA: 21.02.2006.

    UTILIZAÇÃO:

    Cão mostra.

    CLASSIFICAÇÃO F.C.I.:

    Grupo 7 Cães de Parar ou Cães Apontadores. Seção 1 Cães de Parar Continentais. Tem prova de trabalho.

    BREVE RESUMO HISTÓRICO:

    O Bourbon Braco já é conhecido em 1598 (História Natural de Aldovrandi - Biblioteca Nacional). Os antigos o descrevem como um agradável companheiro do caçador, rústico na aparência e saúde. Sua pelagem branca é completa e finamente salpicada de marrom ou fulvo. Os criadores dos anos 30 queriam impor uma cor "púrpura desbotada" e que o cão nasce necessariamente com cauda curta. Esta seleção severa colocou em perigo a existência da raça. Ao longo dos anos 70, um grupo de criadores impôs a sobrevivência do Bourbon Braco como missão. O estado atual da raça nos permite olhar para o futuro com confiança.

    APARÊNCIA GERAL DO CÃO:

    Tipo bracoide de pêlo curto, linhas médias e membros curtos, bem proporcionado, compacto e musculoso. Médias, dá uma impressão de robustez e resistência que não exclui uma certa elegância. A fêmea tem uma silhueta menos robusta e mais elegante.

    PROPORÇÕES IMPORTANTES:

    O comprimento do tronco é igual ou ligeiramente maior que a altura na cernelha. A altura do peito é igual ou ligeiramente superior à metade da altura na cernelha. O comprimento do focinho é ligeiramente menor que o do crânio.

    TEMPERAMENTO / COMPORTAMENTO:

    Em casa ele é doce e carinhoso. Durante a caça, Sua paixão e inteligência permitem que ele se adapte facilmente aos mais variados terrenos e caça.. Naturalmente busca alta emanação e demonstra aptidão útil e precisa para amostra.

    CABEÇA:

    A principal característica racial é o que é conhecido como "formato de pêra". Não é muito leve, não muito pesado, mas em proporção ao corpo.

    REGIÃO CRANIANA:

    O crânio é arredondado em todas as suas partes. Faces laterais são arredondadas, os arcos parietais e zigomáticos são bem desenvolvidos. Os eixos do crânio e do canal nasal são paralelos ou ligeiramente divergentes para a frente.

    A depressão naso-frontal é moderadamente marcada.

    REGIÃO FACIAL:

  • Trufa: Ampla, com as janelas abertas. Supera, vezes, a verticalidade dos lábios. Sua cor está de acordo com a da pelagem, sem manchas com despigmentação.
  • Focinho: Grande e largo na base, afunila ligeiramente em direção ao membro, formando um tronco conífero. Em fêmeas, é um pouco menos largo.
  • Bico nasal: Reto ou ligeiramente arqueado.
  • Lábios: Eles não são muito grossos, o lábio superior cobre o lábio inferior sem formar um vinco perceptível nos cantos. A borda dos lábios é bem pigmentada.
  • Mandíbulas: Poderosas, de comprimento uniforme. A dentadura está completa e a junta tem forma de tesoura. É aceito em forma de clip joint.
  • Olhos: Grande, bastante redondo, avelã ou âmbar escuro, De acordo com a cor da pele. O look é expressivo, dulce e inteligente. A borda das pálpebras é bem pigmentada.
  • Orelhas: Comprimento médio, pode chegar até a garganta ou ligeiramente excedê-la. Sua base, bastante largo, está ao nível da linha dos olhos ou ligeiramente mais alto, que é valorizado. Cai naturalmente ao longo das bochechas, horizontalmente ou ligeiramente dobrado.
  • PESCOÇO:

    Não é muito longo. Ele é musculoso, solto, junta-se harmoniosamente aos ombros. Um leve queixo duplo é aceitável.

    CORPO:

  • Margem superior: Em linha reta, muito firme. A cruz esta bem marcada.
  • Voltar: Firme e bem musculoso.
  • Lombo de porco: Curta, largo e musculoso, bem preso nas costas. É um pouco mais longo nas mulheres.
  • Alcatra: Arredondado, ligeiramente oblíquo, de músculos poderosos.
  • No peito: Ampla, comprido e alto. Alcança a ponta do cotovelo ou excede-o ligeiramente. O esterno se estende o mais para trás possível. Costelas bem arqueadas. A elevação do abdômen é progressiva. O flanco plano é baixo.
  • CAUDA:

    Alguns cães nascem sem cauda. Caso contrário, a cauda é cortada na base. Sua inserção é um pouco baixa. Em países onde a caudectomia é proibida por lei, cauda longa deve ser enviada, em estático, abaixo da margem superior.

    MEMBROS

    MEMBROS ANTERIORES:

  • Em geral: Bem musculoso. Frente, peso bem.
  • Ombro: Omoplatas oblíquas, bem preso à parede torácica. Os músculos são firmes e aparentes.
  • Braço: Bastante longo e musculoso.
  • Cotovelos: Bem apegado ao corpo, mas não juntos. Eles não se desviam ou interiormente, nem fora
  • Antebraço: Em linha reta, muscular, com ossos grandes, embora não seja áspero.
  • Carpi: Sólido.
  • Metacarpo: Muito pouco inclinado, em relação ao antebraço.
  • Pés anteriores: No eixo do corpo. Redondo ou em forma de colher. Os rolamentos são sólidos e resistentes, dedos juntos e arqueados, unhas fortes.
  • MEMBROS POSTERIORES:

  • Em geral: Ossos robustos, com uma massa muscular muito aparente. Vistas de trás, bem aprumado e paralelo.
  • Coxas: Longo, bem formado e bem inclinado.
  • Babillas: Strong, com boa angulação entre coxa e perna.
  • Pernas: Muscular, visivelmente igual ao comprimento da coxa.
  • Hock: Bem inclinado, sólido e bem dobrado.
  • Metatarsos: Vertical e sólido, sem desvio.
  • Pés de volta: Idêntico aos anteriores.
  • MOVIMENTO:

    Passadas de largura média. Durante a caça, o ritmo é um galope sustentado, equilibrada e ágil.

    PELE:

    Elástico, sem estar muito bem; sem pregas.

    MANTO:

  • Cabelo: Acima, densa e curta. Um pouco mais grosso, e as vezes , um pouco mais nas costas. Na cabeça e orelhas deve ser mais fino e mais curto.
  • Cor: Manchas brancas estão bem espalhadas, marrom finamente manchado (denominação antiga: borras) ou polvilhado com uma cor leonina (denominação antiga: Flor de pêssego) em todas as suas variantes. As orelhas geralmente têm a cor base, manchado em maior ou menor grau. A mistura intrínseca de cabelos brancos e coloridos também é aceita, o que um conjunto ruão transmite. Tanto na cabeça, como no resto do corpo, apenas zonas de cores infrequentes e esparsas são permitidas.
  • TAMANHO E PESO:

    Altura à Cruz:
    Machos: 51 a 57 centímetros
    Fêmeas: 48 a 55 centímetros
    Uma tolerância de + de - 1 centímetro

    FALHAS:

    Qualquer desvio dos critérios acima é considerado faltando e a gravidade é considerada o grau de desvio do padrão e seu impacto sobre a saúde e o bem-estar do cão.

    Nomes alternativos:

      1. Bourbonnais Pointer, Braque du Bourbonnais (Inglês).
      2. Braque du Bourbonnais (Francês).
      3. Braque du Bourbonnais (Alemão).
      4. (em francês: Braque du Bourbonnais) (Português).
      5. Braco de Borbón, Braco de Bourbonnais (español).

    Braco de Auvérnia
    Francia FCI 180 . Tipo Braco

    Braco de Auvérnia

    Ainda hoje, o Braco de Auvérnia é mais frequentemente criado para se tornar um cão de caça.

    Conteúdo

    História

    As origens precisas de Braco de Auvérnia não são claramente determinados. Este cão existe há muitos anos e foi provavelmente desenvolvido em Auvergne, mais precisamente na região do Cantal, no centro da França.

    Já no século XVII, para satisfazer suas necessidades, Os caçadores franceses tentaram cruzar e desenvolver raças Pointer curtas e de pêlo liso, comumente conhecido como “pointers” (o termo “pointer” vem do vocabulário de caça e significa “apontar”).

    O Braco Francês é considerado seu ancestral, mas suas próprias origens são incertas. Em qualquer caso., Está provado que foi a origem do desenvolvimento de diferentes raças de Bracos desenvolvido em todas as regiões do país, alguns dos quais ganharam popularidade, como o Braco francês tipo Gasconha ou o Braco francês tipo Pirenéus. Em Cantal, reprodução seletiva resultou em Braco de Auvérnia.

    De acordo com alguns historiadores, o Braco de Auvérnia é um dos mais antigos, com exceção do seu próprio Braco Francês. No entanto, suposições contraditórias foram feitas sobre isso.

    De acordo com Jean Servier, ex-presidente do Clube de Bracos francesas e autor da World Dog Encyclopedia 1971, é um cruzamento entre o Braco Francês, o Ponteiro do tipo Gasconha francesa e o Ponteiro Francês dos Pirenéus.

    Por outro lado, de acordo com David Hancock, historiador de raças caninas e autor do livro The Heritage of the Dog, publicado em 1990, dizem que vem de uma raça importada quando os Cavaleiros da Ordem de Malta passaram por Auvergne no século 16. Os soldados desenvolveram um cachorro perto do Braco de Auvérnia, que dizem descer. Não há consenso sobre esta hipótese, mas, no entanto, é aceito por certas organizações, como a Réunion des Amateurs du Braque d’Auvergne (RABA), o clube oficial da raça criado em 1913.

    Embora as origens de Braco de Auvérnia permanecem relativamente obscuros, em todo caso, a maioria dos especialistas concorda que seu desenvolvimento remonta ao início do século XVIII..

    No início do século XX, quase todos, Se nem todos os, o Braco de Auvérnia eles estavam na frança. A raça era relativamente rara, embora entre seus proprietários eles fossem muito apreciados por suas qualidades de caça, especialmente para aves de caça. Na verdade, o trabalho de criação que levou ao seu desenvolvimento conferiu-lhe excelente estilo e grande resistência, permitindo que você siga longas trilhas em florestas ou terreno com vegetação densa. Eles também são versáteis: são capazes de obter, rastrear, mire e traga a caça de volta ao seu mestre. Por conseguinte, pode servir para vários cães especializados em uma área particular. Talvez sua principal falha seja o ritmo lento, o que significa que trabalha em estreita colaboração com seu proprietário em vez de independentemente, correndo de um lado para o outro. Isso não diminui as qualidades de caça que o tornaram popular na França ao longo do século XIX., bem como nas décadas que antecederam a Segunda Guerra Mundial.

    Durante a II Guerra Mundial, como muitas raças francesas, o Braco de Auvérnia foi ameaçado de extinção. Em vigor, os conflitos e a ocupação de parte do território francês pela Alemanha devastaram a população canina: muitos de seus representantes foram mortos ou abandonados quando seus proprietários não tinham mais os recursos para cuidar deles.

    No entanto, no final das hostilidades, um entusiasta, André de Tournay, conseguiu localizar um pouco mais do que 20 espécimes em diferentes partes do país. Eles estiveram na origem de várias linhagens e, portanto, desempenharam um papel essencial na renovação da raça..

    O renascimento pós-guerra da raça pelo Sr.. de Tournay levou ao seu reconhecimento em 1955 pela Fédération Cynologique Internationale (FCI), que coordena os órgãos oficiais de mais de cem países – entre eles o Société Royale Saint-Hubert (SRSH) Belga, o Swiss Kennel Club (SCS) e a Société Centrale Canine (SCC) francês. No entanto, este último tomou a iniciativa de reconhecer o Braque d'Auvergne já em 1913.

    O prestigioso e influente British Kennel Club demorou muito mais para fazer o mesmo, já que ele teve que esperar até 2016.

    Em 1987, um primeiro artigo sobre esta raça de cão foi publicado na North American Gun Dog Magazine. No entanto, não sabemos exatamente quando os primeiros foram importados Braco de Auvérnia para os Estados Unidos. Em qualquer caso., eles provavelmente estavam atrasados ​​e limitados em número. Em 2016, um novo artigo foi publicado na mesma revista sobre a investigação das origens do estabelecimento deste cão no país, depois que fãs pesquisaram Nelson Hooe, um dos primeiros proprietários comprovados no país.

    Em qualquer caso., o reconhecimento de Braco de Auvérnia na América do Norte ainda está incompleto. Foi reconhecido pelo United Kennel Club (UKC) De 2006, bem como pelo Canadian Kennel Club (CKC), mas não é o caso da outra organização de referência nos Estados Unidos, o American Kennel Club (AKC).

    Foto: Braque_d’auvergne na Exposição Canina Mundial em Poznań por Pleple2000, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

    Popularidade

    Em França, a popularidade de Braco de Auvérnia é relativamente estável no longo prazo, e tem sido pelo menos desde o início de 1990. 1970: há cerca de 350 entradas por ano no Livro das Origens da França (LOF). Este número às vezes atinge um máximo de cerca 500 nascimentos por ano, como foi o caso, por exemplo, no meados 70. Por outro lado, nunca duramente caiu abaixo 250.

    Embora o Braco de Auvérnia é relativamente popular em seu país, só foi exportado e distribuído até certo ponto fora da França, mesmo em países que fazem fronteira com a França.

    Na Suíça, por exemplo, as estatísticas da base de dados Amicus mostram que a sua população está limitada a cerca de trinta indivíduos.

    Na Bélgica, é tão discreto, como evidenciado pela ausência de reprodução em solo nacional.

    A mesma observação pode ser feita, por exemplo, Itália, de onde las estadísticas do National Ente della Cinofilia Italiana (ENCI) mostram uma média de cerca de dez registros por ano durante 2010, ou novamente na Espanha, onde a Royal Canine Society of Spain (RSCE) apenas conte um nascimento entre 2014 e 2019.

    Existem algumas fazendas no Canadá e nos Estados Unidos, Mas o Braco de Auvérnia também ainda é difícil de encontrar nesses países.

    Características físicas

    O Braco de Auvérnia tem uma aparência robusta e nobre. Seu corpo bem torneado está bem alinhado, com uma constituição reta – suas costas, da ponta do ombro à ponta da nádega, tem o mesmo comprimento das patas dianteiras – e um peito longo que desce ao nível do cotovelo, a meio caminho entre a cernelha e a parte inferior das pernas dianteiras. Ele é robusto, forte mas sem peso, o que dá uma aparência elegante. Sua constituição sólida lhes dá o passo e a resistência pelos quais são altamente valorizados na caça..

    As pernas dianteiras e traseiras são retas, bem alinhado com o corpo, e as coxas e antebraços são bem musculosos.

    A cauda é bastante alta, portado horizontalmente e atinge a ponta do jarrete. Também pode ser reduzido no nascimento, e então mal excede 15 a 20 cm. No entanto, esta prática, chamada “cauda cortada”, é proibido em muitos países, incluindo França, Bélgica, Suíça e Quebec.

    A cabeça da Braco de Auvérnia é bem equilibrado. Visto de frente, o focinho é quadrado e seu comprimento é igual ou ligeiramente menor que o do crânio. Termine com um nariz preto bem forte, dominando mandíbulas sólidas de igual comprimento. Além disso, o lábio superior cobre o inferior.

    Posicionado ligeiramente em direção à parte de trás do crânio, orelhas estão caídas, flexível e com uma textura levemente acetinada.

    Os olhos são castanhos escuros, oval e bastante grande. Eles dão a este cachorro um olhar expressivo, franco e gentil.

    O pelo de Braco de Auvérnia consiste em um subpelo esparso e um acabamento curto e liso com uma aparência brilhante que é mais macia do que outros Braques. É manchado de preto ou branco acinzentado, mais ou menos presente. A cabeça é preta, mas o focinho pode ter as mesmas marcas brancas do corpo – uma borda branca também pode estar presente na parte superior do crânio, prolongando a cor do focinho. O pelo preto também pode tender a ser azul, razão pela qual esses cães raramente são chamados Braco de Auvérnia Blue.

    Existem também cães cor de carvão. No entanto, esta variedade é rara e não é reconhecida pelo padrão da raça.

    O dimorfismo sexual não é muito pronunciado nestes cães: o homem certamente é em média alguns centímetros mais alto que a mulher, mas não é particularmente massivo.

    Caráter e habilidades

    Ainda hoje, o Braco de Auvérnia é mais frequentemente criado para se tornar um cão de caça. No entanto, seu caráter afetuoso, Gentile, paciente e inteligente também os torna ótimos animais de estimação, e estão se tornando cada vez mais populares como tal. Na verdade, se encaixam perfeitamente na vida familiar, eles geralmente tentam agradar seus humanos e são muito leais a eles.

    Eles gostam especialmente de crianças de todas as idades e são afetuosos e brincalhões, desde que não sejam excessivamente turbulentos.. No entanto, nunca se deve esquecer que um cão de qualquer raça nunca deve ser deixado sozinho com uma criança pequena sem a supervisão de um adulto.

    A desvantagem de estar tão perto de sua família é que ele não pode tolerar a solidão e precisa estar na companhia de humanos sempre que possível.. Se deixado sozinho por muito tempo, pode se tornar um lembrete destrutivo ou particularmente alto de sua presença. Não precisa dizer, Por conseguinte, isso não é adequado para pessoas que estão ausentes por dias ou mais. O vínculo estreito que mantém com seus professores também o torna muito sensível a repreensões e é facilmente afetado por possíveis punições..

    Não são apenas os humanos em sua família que ele Braco de Auvérnia se inclina a apreciar. Em vigor, embora à primeira vista eu seja tímido com estranhos, rapidamente os trata como novos amigos, especialmente porque é totalmente desprovido de agressão. Pronto para saudar os recém-chegados com carinho, pode até tender a seguir um intruso em vez de defender sua casa ou território, o que o torna um pobre zelador. No entanto, é muito capaz de soar o alarme quando ouve algo incomum.

    Em qualquer caso., Ele não é daqueles que late de manhã à noite, expressar-se apenas quando tiver um bom motivo para fazê-lo: para aumentar o alarme, para expressar tédio, para buscar atenção, ou para expressar qualquer ansiedade.

    Compartilhar sua casa com um parceiro é uma ótima maneira de reduzir o risco de sofrer com a ausência de seus mestres. Na verdade, essa coabitação geralmente vai muito bem, e ele aprecia não viver sozinho.
    Por outro lado, seu instinto de caça está muito enraizado nele para considerar a possibilidade de coexistir pacificamente com outro animal de estimação menor que ele, como um pássaro, um roedor ou mesmo um gato: a menos que você tenha sido criado com ele desde jovem, as chances são altas de que um dia ou outro ele acabe atacando. Este traço de caráter também significa que é melhor mantê-lo na coleira ao sair para lugares onde é muito provável que encontre pequenos animais., e onde seria perigoso para ele persegui-los.

    Isso é ainda mais verdadeiro porque você não tem falta de energia, a ponto de você precisar passar pelo menos uma hora por dia para ficar bem de pernas e cabeça. Sua resistência, No entanto, permite que você vá muito mais longe, uma vez que é capaz de perseguir uma presa por quilômetros. Por conseguinte, é ideal para planejar longas caminhadas que incluem momentos em que você pode correr livremente e com segurança, especialmente se você não tem a chance de caçar. Em qualquer caso., este cão é perfeitamente adequado para um dono ativo que gosta de correr, andar de bicicleta ou caminhadas, e ele gostaria de nada mais do que levar seu animal de estimação com ele – desde que seja mantido na coleira quando necessário.

    Outra ótima maneira de permitir que ele gaste sua energia é treiná-lo para um ou mais esportes caninos.. Sua inteligência e vontade de cooperar são particularmente bem expressas em testes de agilidade e obediência.. Mais amplamente, implica que é muito fácil treiná-lo para todos os tipos de atividades e ensinar-lhe diferentes tarefas.

    Por certo, se suas peregrinações o levarem a passar perto de um espaço aquático onde você pode nadar com segurança, Ela adora água – ele é até um bom nadador – e geralmente aprecia dar um mergulho assim que você tiver a chance de fazê-lo.

    Em qualquer caso., seu alto nível de atividade torna a vida em apartamento inadequada para o Braco de Auvérnia. Mesmo uma casa com um pequeno quintal provavelmente não seria suficiente para te fazer feliz.: o ambiente ideal para ele é claramente uma casa com um grande jardim cercado, embora isso não possa substituir as longas caminhadas diárias para satisfazer sua necessidade de exercício.

    Educação

    O Braco de Auvérnia é conhecido por sua inteligência e a doçura de seu temperamento. Ele também está ansioso para agradar seus donos, então ele reage positivamente ao treinamento: aprende rapidamente e geralmente é um cão fácil de treinar.

    No entanto, é importante usar os métodos certos. Na verdade, sua sensibilidade significa que o uso de coerção ou mesmo punição é fortemente desencorajado: teria todas as chances de minar a confiança que ele normalmente dá a seu amado mestre. Por outro lado, métodos positivos de treinamento de cães, baseado na repetição, a gratificação e recompensas, são muito eficazes para aproveitar ao máximo o grande potencial deste animal.

    Na verdade, sua natureza obediente e cooperativa torna não difícil treiná-lo para a caça, esportes com cães ou qualquer outra tarefa. Isso é ainda mais verdadeiro porque ele está sempre feliz em compartilhar atividades com seu mestre: ao contrário de muitas raças, prefere trabalhar em cumplicidade com seu mestre em vez de independentemente. Por conseguinte, É uma opção ideal para quem gosta de passar o tempo educando seu parceiro e trabalhando ao lado dele, seja para caça ou esportes caninos. Por exemplo, é um excelente candidato para competições de agilidade e obediência. Seu olfato também pode ser usado para rastrear eventos, mas sua velocidade relativamente lenta limita seu potencial nesta área.

    Para que tudo corra bem, é importante estabelecer regras desde cedo sobre o que você é ou não tem permissão para fazer. Eles não são particularmente teimosos por natureza, e na verdade eles são bastante obedientes, mas também podem fazer isso quando são mais flexíveis e responsivos: isso tornará mais fácil e rápido para eles assimilar as regras. Além disso, ele os assimila mais facilmente porque são os mesmos de um dia para o outro e entre as diferentes pessoas da casa: Não se trata de o senhor autorizar hoje o que a senhora proibiu na véspera.

    Além disso, ensinar seu cão a ficar sozinho deve ser uma das prioridades na educação de um Braco de Auvérnia. Em vigor, como você gosta de companhia e está sujeito à ansiedade de separação, deve se acostumar a suportar ausências de sua família sem atingir um estado de desconforto.

    Também é benéfico começar a aprender a ligar de volta em breve, para que possa ser liberado quando as condições permitirem, limitando o risco de ele ficar surdo aos comandos de seu mestre quando ele vê ou cheira um pequeno animal passando.

    Você também deve ter o cuidado de canalizar rapidamente sua tendência de mastigar o que está ao seu alcance., direcionando-o para os brinquedos certos. Isso evita o risco de danos e ferimentos ao animal.

    Enfim, como qualquer cão, não devemos esperar para lhe oferecer uma socialização de qualidade desde seus primeiros meses. Permitindo que você conheça todos os tipos de humanos, congêneres e representantes de outras espécies, mas também enfrentam uma infinidade de situações diferentes em vários lugares, nós o tornamos um companheiro confortável em todas as circunstâncias, realizada em seu ambiente e entre os humanos.

    Saúde

    O Braco de Auvérnia geralmente é um cão robusto com poucos problemas de saúde. Sua expectativa de vida de 12 a 15 anos é bastante honroso dado seu tamanho.

    Além disso, eles são bastante flexíveis em termos de clima, capaz de lidar com o calor do verão e o frio do inverno em climas temperados ou mediterrâneos. Se você for obrigado a dormir ao ar livre quando as temperaturas estiverem baixas, um nicho é necessário para fornecer abrigo. Em qualquer caso., a pele deles não é adaptada às temperaturas polares.

    No entanto, como qualquer cão, são mais propensos a certas doenças, que neste caso são :

  • displasia do quadril, cuja aparência pode ser favorecida por uma predisposição hereditária, e isso corresponde a uma malformação desta articulação. Leva a dor, claudicação e osteoartrite quando o animal envelhece;
  • luxação da rótula, que é uma malformação da articulação do joelho que faz com que a rótula saia da posição. Provavelmente hereditário, causa uma claudicação mais ou menos severa. Pode requerer cirurgia nos casos mais graves, embora o sucesso não seja garantido;
  • estenose aortica, um defeito cardíaco potencialmente hereditário manifestado por fluxo sanguíneo reduzido. Leva a insuficiência cardíaca, que pode se manifestar, por exemplo, em um estado de fraqueza geral, e também aumenta o risco de ataque cardíaco. Não curável, mas os medicamentos podem reduzir os efeitos da insuficiência cardíaca;
  • atrofia progressiva da retina, que corresponde a uma degeneração da retina e é de origem hereditária. Afeta ambos os olhos e causa uma perda progressiva de visão no cão;
  • Dilatação-torção do estômago, que afeta principalmente raças com peito largo e ocorre quando o estômago se dobra sobre si mesmo, bloqueando a evacuação de gases e interrompendo a circulação sanguínea. É fatal se um veterinário não intervir rapidamente;
  • otite, uma infecção de ouvido favorecida pelo formato pendente das orelhas.
  • Uma vez que um certo número de condições às quais a raça está predisposta são ou podem ser de origem hereditária, adotando um criador de qualidade de Braco de Auvérnia pode ser um fator determinante na obtenção de um filhote saudável, e um que continua a ser, além de ter sido bem socializado desde as primeiras semanas. Em vigor, Um profissional digno desse nome cuida para que os testes genéticos sejam realizados rotineiramente em seu plantel, para descartar aqueles que correm o risco de transmitir esta ou aquela condição hereditária para seus filhos. Por conseguinte, deve ser capaz de apresentar os resultados desses testes, bem como o histórico de saúde do cão, testemunhar as vacinações administradas e ser útil no planejamento das próximas a serem realizadas, bem como retiradas. Ao mesmo tempo, um certificado elaborado por um veterinário atesta a boa saúde do animal no momento da adoção.

    Assim que a adoção for concluída, é importante que o novo proprietário respeite o crescimento de seu pupilo: até atingir o tamanho adulto, o que acontece por volta dos dois anos de idade, evite esforço físico extenuante ou exercícios excessivamente extenuantes e prolongados. Isso reduz o risco de lesões de curto prazo e de sequelas ou deformação dos ossos ou articulações., que são particularmente frágeis ao longo deste período.

    Último mas não menos importante, uma maneira de manter seu cão com boa saúde é levá-lo regularmente ao veterinário para um checkup completo – Pelo menos uma vez por ano, e ainda mais quando ele fica mais velho. Isso ajudará a prevenir ou detectar possíveis problemas de saúde o mais rápido possível., além de oferecer a oportunidade de reforçar as vacinações do seu cão.

    Também é importante não negligenciar a proteção contra pulgas, vermes, carrapatos e outras pragas indesejáveis, renovar os tratamentos antiparasitários do seu filho ao longo do ano, quando necessário. Isso é especialmente importante para um indivíduo que passa muito tempo, tanto na caça quanto em outras atividades.

    Limpeza

    Como seu subpêlo não é muito grosso e seu pêlo superior é curto, a pele do Braco de Auvérnia requer pouca manutenção: uma curta sessão de escovação com uma escova de cerdas macias uma vez por semana é o suficiente para mantê-lo saudável, brilhante e macio ao toque, especialmente porque sua queda de cabelo não é muito pronunciada.

    Durante os períodos de queda, na primavera e no outono, é muito mais pronunciado, então escovação mais frequente é necessária. No entanto, 2 o 3 vezes por semana deve ser o suficiente. Depois de escová-lo, o casaco pode ser polido com um pano macio e limpo para torná-lo ainda mais brilhante.

    Não é necessário nem aconselhável dar banho em seu cão com muita freqüência: 3 o 4 vezes por ano geralmente é mais do que suficiente, a menos, claro está, isso ficou muito sujo. Em qualquer caso., você deve sempre usar um shampoo destinado a cães.

    Orelhas pendentes requerem mais atenção, já que sua forma os torna propensos a infecções de ouvido. Por conseguinte, é importante examiná-los semanalmente e limpá-los com um pano limpo e ligeiramente úmido para evitar o risco de infecção.

    Seus olhos também precisam de atenção. A sessão de manutenção semanal deve ser uma oportunidade para examiná-los, e limpe-os suavemente com um pano úmido se houver sujeira.

    Olhando para suas garras, atividade física regular que satisfaça sua necessidade de níveis bastante elevados de atividade normalmente permitirá que você os arquive naturalmente. No entanto, isso não significa que você não deve verificar de vez em quando se este é o caso. Por outro lado, se a sua idade ou um problema de saúde o impede de ser ativo o suficiente, eles geralmente precisam ser aparados a cada 6 u 8 semanas para evitar ser muito longo e incomodar você, ou mesmo quebrando e ferindo você.

    A primeira vez, uma visita a um tratador profissional pode ser uma boa maneira de aprender como cuidar de um Braco de Auvérnia, a fim de operar com eficiência e segurança, enquanto limita os riscos de machucar você. Por seu lado, você ficará mais calmo e cooperativo durante os cuidados se fizerem parte da sua rotina diária desde muito jovem: Por conseguinte, recomenda-se expô-lo a manuseio delicado desde tenra idade.

    Isso é ainda mais verdadeiro porque também é aconselhável se acostumar a examiná-lo após cada longo tempo passado ao ar livre. (especialmente depois de uma viagem de caça, por exemplo), para detectar possíveis lesões, espinhos, parasitas, espigões…

    Compre um “Braco de Auvérnia”

    Homem ou mulher, o preço de um cachorro Braco de Auvérnia é geralmente entre 650 e 1100 EUR. A média é sobre 800 EUR, sem diferenças significativas entre homens e mulheres.

    No entanto, é difícil encontrá-lo fora de seu país de origem, França, mesmo em países vizinhos com o último.
    O mesmo é verdade na América do Norte, embora haja um punhado de criadores no Canadá e nos Estados Unidos.

    A importação da França é, Por conseguinte, às vezes a solução mais adequada para evitar possíveis tempos de espera e ter o máximo de escolha. No entanto, Deve-se ter em mente que várias despesas são adicionadas ao preço de compra do filhote: custos de transporte, gastos administrativos, etc. Além disso, é necessário, É claro, certifique-se de conhecer e respeitar os regulamentos relativos à importação de um cão do exterior.

    Em qualquer caso., qualquer que seja o lugar, o preço cobrado varia de acordo com o prestígio da criação, a linhagem de onde o animal veio, mas também e acima de tudo suas características intrínsecas, em particular sua maior ou menor conformidade com a norma. Este último ponto também explica por que às vezes há diferenças significativas dentro da mesma ninhada..

    Classificações do “Braco de Auvérnia”

    Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão “Braco de Auvérnia” você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercício, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nível de tolerância para com eles.

    adaptação ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Ⓘ cão amigável

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    A perda de cabelo ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Nível de afeto ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade de exercício ⓘ

    5.0 Avaliação
    5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    necessidade social ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    casa ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    sanita ⓘ

    1.0 Avaliação
    1 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com estranhos ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    cascas ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    saúde ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    ⓘ territorial

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com gatos ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    inteligência ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    versatilidade ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Crianças amigável ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    vigilância ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    alegria ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Imagens do “Braco de Auvérnia”

    Fotos:

    1 – Braque d’Auvergne sur fond blanc by Desaix83, do trabalho de Pleple2000, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons
    2 – Riga, Baltic Winner 2013, 9-10 Nov by Tomasyna, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons
    3 – Braque d’Auvergne durante a Exposição Internacional Rzeszów, Polônia. Marian Surma é a criadora e proprietária da Polônia por Pleple2000, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons
    4 – Braque d’Auvergne durante a Exposição Internacional Rzeszów, Polônia. Marian Surma é a criadora e proprietária da Polônia por Wikimedia
    5 – Braque d’Auvergne durante a Exposição Internacional Rzeszów, Polônia. Marian Surma é a criadora e proprietária da Polônia por Pleple2000, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons
    6 – Braque_d’auvergne na Exposição Universal de Poznań por Pleple2000, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

    Vídeos do “Braco de Auvérnia”

    Tipo e reconhecimentos:

    • CLASSIFICAÇÃO FCI: 180
    • Grupo 7: – ães de Parar ou Cães Apontadores.
    • Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco. Com prova de trabalho.

    Federações:

    • FCI – Grupo 7: Cães de Parar ou Cães Apontadores. – Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco
    • UKCGun Dog

    Padrão da raça FCI “Braco de Auvérnia”

    FCI Padrão No. 180 / 03.11.2004 / E

    BRACO DE AUVERNIA
    (Braque d´Auvergne)

    TRADUCCION : IRIS Carrillo (Federação de canil de Porto Rico).

    ORIGEM : França.

    DATA DE PUBLICAÇÃO DO PADRÃO ORIGINAL VÁLIDO : 24.03.2004.

    UTILIZAÇÃO :

    Cão mostra.

    CLASSIFICAÇÃO FCI :

    Grupo 7 Cães de Parar ou Cães Apontadores.
    Seção 1.1 Cães de Parar ou Cães Apontadores
    "Braco" continental.
    Com prova de trabalho.

    BREVE RESUMO HISTÓRICO : A Auvergne Braque é uma raça muito antiga, encontrado há mais de dois séculos na região do Cantal. Descendente da cepa comum a todos os bracos, é o produto de uma seleção da qual os Cavaleiros de Malta teriam participado. Criado por e para caçadores, tem uma identidade forte, que sua pele ajudou a preservar.

    OLHAR GERAL :

    Retilíneo, mediolíneo. É um cão robusto, fortemente constituído, sem aparência de peso, com as características típicas de um braco. Possui um andar leve e uma elegância acentuada pela pelagem e pela harmonia de suas proporções. Sua constituição o predispõe a realizar um trabalho de forma completa e com agilidade, e permite que você aguente um dia inteiro, no terreno mais difícil.

    PROPORÇÕES IMPORTANTES :

    Corpo : O comprimento do corpo (da ponta do ombro até a ponta da nádega) É aproximadamente igual à altura na cernelha.
    Altura do peito = altura na cernelha x ½.

    Cabeça : O comprimento do focinho é ligeiramente menor ou igual ao do crânio.

    TEMPERAMENTO / COMPORTAMENTO : É um cachorro manso, Muito carinhoso, Inteligente, dócil. A sua formação consiste sobretudo em desenvolver as suas qualidades naturais. Seu olfato é poderoso. Adapta-se bem à vida familiar.

    CABEÇA

    REGIÃO CRANIANA :
    Crânio e linhas do focinho : Divergindo ligeiramente para a frente (característica do braco). A cabeça é longa, em proporção ao tamanho, um pouco mais leve nas mulheres. Visto de cima, o crânio é oval. A protrusão occipital é um pouco saliente. A amplitude, ao nível dos arcos zigomáticos é igual ao comprimento do crânio.
    Arco superciliar : Bem pronunciado.
    Links de depressão (Stop) : Moderadamente marcado.

    REGIÃO FACIAL :

    Trufa : É sempre preto, grande o suficiente, brilhante, com as janelas abertas. Seu perfil superior está no prolongamento do canal nasal.
    Focinho : Seu comprimento é semelhante ao do crânio. O bico nasal é reto.
    Lábios : Bem grosso. O lábio superior cobre o inferior. Comissuras marcadas, nenhum vinco perceptível. Visto de frente, os lábios dão uma forma quadrada à ponta do focinho.
    Mandíbulas / Dentes : Sólido, de igual comprimento. Dentes são fortes. A articulação é em forma de tesoura ou ponta do pé.
    Olhos : Bastante grande, oval, avelã escura, bem afundado nas órbitas, olhar expressivo, franco e doce. As pálpebras são bem pigmentadas e não mostram a conjuntiva.
    Orelhas : Inserido de volta. Durante o descanso, o ligamento está localizado abaixo de uma linha reta que encontra o perfil superior do nariz e do olho. Quando é o cão atencioso, o ligamento da orelha pode ir até esta linha.
    Ligeiramente dobrado para dentro, mas nem enrolado nem achatado, a orelha é flexível e ligeiramente acetinada na textura. Sua ponta é moderadamente arredondada. Se você esticar para a frente, deve chegar ao nascimento da trufa, sem exceder o membro.

    PESCOÇO :

    Bastante longo, bem inserido nos ombros, ligeiramente arqueado. Tem um queixo duplo ligeiro. O comprimento do pescoço é visivelmente igual ao comprimento da cabeça.

    CORPO

    Margem superior : Bem tenso, reta.
    Cruz : Marcado.
    Voltar : Limitar, plano e curto. A coluna vertebral não está saliente.
    Lombo de porco : Bem aderido, ampla (especialmente em mulheres), muito ligeiramente convexo.
    Alcatra : Oblíquo (35° em relação à margem superior), a ponta das ancas é visível.
    No peito : Longa e bem inclinada até o nível do cotovelo. Em seção transversal para uma forma ovóide, regularmente flexível, sem pausa no fundo.
    Margem inferior : Sobe suavemente para a barriga, isso não é agalgado. O flanco é largo, pouco afundado, junta-se harmoniosamente às ancas.

    CAUDA :

    Inserção muito alta. Deve ser apresentado horizontalmente. Cilíndrico e não muito fino. Se for cortado, tem um comprimento de 15 a 20 cm, se não, atinge a ponta do jarrete sem ultrapassá-la.

    MEMBROS :

    Eles se encontram no eixo do corpo.

    MEMBROS ANTERIORES : Eles são de chumbo.
    Ombro : Strong, bem musculado, bem destacado quando o cachorro está em ação. Oblíquo 45 ° acima da horizontal.
    Cotovelos : Completamente no eixo do corpo.
    Antebraços : Forte e longo, musculoso e reto.

    bonecos (carpos) : Forte sem ser nodoso.
    Metacarpo : Curto ; vistos de perfil, eles são ligeiramente inclinados.

    MEMBROS POSTERIORES : Bem angulado, trabalhar em planos paralelos.
    Coxas : Bem musculoso.
    Jarretes : Fino e bem delineado.
    Metatarsos : Curto e nunca magro.

    PÉS : Um pouco mais longo que o chamado "pé de gato", ligeiramente menos longo que o chamado pé de "lebre". Eles não se desviam ou interiormente, nem fora. As unhas são fortes e curtas ; as almofadas plantares são duras e resistentes ; dedos estão juntos.

    MOVIMENTO :

    Passadas de largura média, mas com um ritmo sustentado que dá ao cão sua notável resistência. Seu movimento de caça usual é um galope médio, uniforme e com um leve balanço.

    PELE :

    Muito bem, bastante preguiçoso, mas sem exagero.

    PELES

    CABELO :

    Curta, não muito bem. Nunca durou, brilhante.

    COR :

    Black, com manchas brancas de comprimento variável. Devido à particularidade dos patches, dois tipos são observados : manchado ou cinza. Essa diferença não pode levar à escolha entre dois espécimes com a mesma qualidade.
    A cabeça deve ser preta, de preferência com uma lista de permissões que se estenda ao mesmo. A cor branca nesta lista pode se estender pelas partes laterais do focinho. Uma orelha branca manchada ou um lado branco manchado da cabeça não pode ser considerado uma falha..

    TAMANHO

    Altura à Cruz : (com uma tolerância de + 2 cm e - 1 cm para ambos os sexos).
    Machos : 57 a 63 cm (altura ideal : 60 cm).
    Fêmeas : 53 a 59 cm (altura ideal : 56 cm).

    FALHAS :

    Qualquer desvio dos critérios acima é considerado faltando e a gravidade é considerada o grau de desvio do padrão e seu impacto sobre a saúde e o bem-estar do cão.
    • Canal nasal paralelo e linhas do crânio.
    • Cabeça muito volumosa sob os olhos.
    • Conjuntiva aparente.

    FALTAS GRAVES
    • Canal nasal convergente e linhas do crânio (frente).
    • Narina côncava ou convexa.
    • Orelha de inserção muito alta. Curto demais, Flat, formato de saca-rolhas exagerado.
    • Lábios pendentes e flutuantes, curto demais, focinho que fica mais fino na ponta.
    • Região do esterno muito estreita.

    FALHAS ELIMINATÓRIAS
    Personagem :
    • cão agressivo ou medroso.
    Cabeça :
    • Ausência do tipo braco.
    • Prognatismo superior ou inferior com uma diferença de mais de 1 mm entre las arcadas incisivas.
    • A ausência de PM1 é aceita.
    • A ausência de outros dois pré-molares é eliminatória (PM2 - PM3) ou qualquer outro dente, incluindo PM4.
    • Entropia ou ectrópio ou traços de intervenção corretiva.
    Membros
    • Presença de ergôs ou traços de sua amputação.
    Peles
    • Totalmente preto ou totalmente branco.
    • Ausência de manchas.
    • Marcações de cor de fogo ou reflexos de "pão queimado" (Griffon).
    • Nariz com muitas manchas despigmentadas.
    • Pálpebras despigmentadas.
    • olho amarelo (Ave de rapina). Olhos heterocromos.
    Tamanho
    • Fora dos limites do padrão (tolerância regulatória : + 2cm y - 1cm).

    Qualquer cão mostrando sinais comportamentais ou anormalidades físicas claras será desclassificado.

    OBS.. : Machos devem apresentar dois testículos de aparência normais, bem desenvolvidos e acomodados a bolsa escrotal.

    Nomes alternativos:

      1. Braque d’Auvergne (Inglês).
      2. Bleu d’Auvergne (Francês).
      3. Braque d’Auvergne (Alemão).
      4. (em francês: Braque d’Auvergne) (Português).
      5. Azul de Auvernia (español).

    Braco de Ariège
    Francia FCI 177 . Tipo Braco

    Braco de Ariège

    O Braco de Ariège é uma raça de cachorro quieta, embora às vezes teimoso, o que é comum entre cães de caça.

    Conteúdo

    História

    O Ariège Braco é uma raça de cão francês que vem de, como seu nome implica, do departamento de Ariège, localizado na fronteira franco-espanhola.

    Existem diferentes teorias sobre suas origens. No entanto, a teoria mais comum é que ele descende do antigo French Pointer, que foi cruzado no século 19 com Bracos de origem sul, com casacos brancos e laranja para dar mais leveza e atividade.

    Além disso, se parece muito com os cachorros brancos e laranja pintados nas pinturas de Jean-Baptiste Oudry (1686-1755), famoso por suas pinturas de cenas de caça. Por conseguinte, Não parece ilógico que os cinologistas tenham atribuído este cão a ele como um ancestral.

    Apesar de seu reconhecimento oficial pelo F.C.I. (Fédération Cynologique Internationale) em 1955, a segunda metade do século XX foi quase fatal para o Braco de Ariège. No entanto, alguns caçadores de Ariège continuaram a usá-lo, o que impediu a raça de desaparecer completamente.

    Em 1989, uma equipe de fãs da raça resolveu se dedicar à sua sobrevivência, tendo notado que não havia mais Braco de Ariège registrado no LOF (Livro de origens francesas) De 1964.

    O Club du Braque de l’Ariège foi então criado no ano seguinte, com a missão de contribuir para a salvaguarda e promoção desta raça., mas também para centralizar toda a informação que permita identificar os exemplares que seriam encontrados na França nos criadores., caçadores ou outros fãs deste cachorro.

    A operação foi geralmente um sucesso. Assim, o aumento de nascimentos significou que em 1999, menos de 10 anos mais tarde, o marco simbólico do 50 Braco de Ariège listado no TFO. A tendência continuou, já que hoje há mais de 350 espécimes em TFO, muitos dos quais ganharam prêmios em concursos de beleza ou de caça.

    No entanto, a raça se espalhou relativamente pouco fora de sua terra natal, já que a maioria dos criadores e proprietários do Braco de Ariège estão localizados no sudoeste da França, embora também haja alguns espalhados pelo resto do país.

    A nível internacional, o Braco de Ariège foi oficialmente reconhecido em 2006 pelo UKC (United Kennel Club), uma das organizações caninas líderes nos Estados Unidos. No entanto, o UKC é uma exceção, uma vez que as outras grandes organizações caninas nacionais ainda não reconhecem a raça. Ainda é muito dificil, sim não impossível, adquirir um Braco de Ariège fora da frança.

    Foto: Ariege Pointer, male. Colour: orange & white by Canárias, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

    Características físicas

    Vigoroso e poderoso, o Braco de Ariège tem uma certa elegância. Sua musculatura é proeminente e harmoniosa, e suas linhas bem desenhadas.

    Geralmente laranja pálido ou marrom fulvo na cor, também há manchas brancas e trutas. Sua grande característica é que a cor de seu nariz está mais freqüentemente em harmonia com a de seu pelo.

    Seu cabelo é curto e brilhante e sua cabeça é longa, angulosa, sem uma parada muito pronunciada.

    Sua cauda é baixa e longa, em contraste com suas orelhas, que são finos e bem posicionados acima da linha dos olhos.

    Enfim, os olhos do Braco de Ariège eles são em forma de oval, âmbar escuro ou marrom. Seus olhos francos e gentis irão facilmente seduzir os humanos que cruzam seu caminho.

    Caráter e habilidades

    O Braco de Ariège é uma raça de cachorro quieta, embora às vezes teimoso, o que é comum entre cães de caça. Ele também é um cachorro muito inteligente.

    Adaptado a todos os tipos de caça e considerado um dos melhores cães de caça que existem., graças em particular ao seu excelente olfato, sua grande resistência e determinação infalível, é eficaz em todos os tipos de caça e em todos os terrenos.

    O Braco de Ariège também é muito resistente e se adapta facilmente a todas as situações climáticas, embora ainda seja mais confortável no frio do que nos trópicos.

    Muito sensível e afetuoso com seu mestre e seus parentes, é dócil, Gentile, fácil de treinar, e, portanto, é um excelente animal de estimação.

    Pode estar em contato com outros animais, em qualquer caso, congêneres ou outras espécies do mesmo tamanho, especialmente se você se acostumou com eles desde muito jovem, como parte da socialização do filhote. Por outro lado, seu instinto de caça inato pode levá-lo a atacar pequenas presas em potencial. Por conseguinte, é melhor evitar compartilhar sua vida diária com um coelho, um rato ou outro jogo que desperta sua natureza perseguidora.

    É também por este motivo que se recomenda mantê-lo na coleira quando estiver na cidade. Por outro lado, se sua educação não está faltando, é concebível – e até desejável – deixe ir quando estiver no campo, então pode ser gasto, pois isso é necessário para o seu bem-estar físico e psicológico.

    Em vigor, o Braco de Ariège ainda um cão animado e independente que precisa de exercícios diários e fica feliz em participar de longas caminhadas ou passeios de bicicleta. É uma raça de cão recomendada para um proprietário atlético, já que você não pode se contentar com algumas saídas relativamente curtas para se aliviar.

    Eles podem morar na cidade, mas só se eles tiverem um jardim. Este último não torna menos necessário oferecer longas caminhadas, Todos os dias, idealmente no meio da natureza. Além disso, se você mora na cidade, é aconselhável acostumá-lo desde tenra idade às multidões e ao trânsito, por exemplo, para evitar encontrar um cão que corre atrás de carros.

    Educação

    O Braco de Ariège tem uma aptidão inata para a caça, mas ele ainda merece ser educado o mais rápido possível para consolidar seus conhecimentos e ensinar-lhe os comandos fundamentais da caça (Pare, Levante-se, relatório…).

    Quer seja para ser usado como cão de trabalho ou simplesmente como cão de companhia, recomenda-se treiná-lo com paciência e delicadeza, uma vez que é dotado de grande sensibilidade. Se você não, você corre o risco de ficar chateado e desanimado, e restaurar a confiança entre o dono e seu animal é então uma tarefa longa e árdua.

    Em qualquer caso., durante sua educação ou a qualquer momento depois, o dono deve estar calmo, atento e equilibrado para conter a queima muito dinâmica de seu parceiro.

    Saúde

    O Braco de Ariège é um cão robusto com constituição de ferro e sem patologia particular.

    Limpeza

    Uma escovação semanal do pelo do cão é suficiente, ja que ele Braco de Ariège não precisa de muita manutenção.

    Dito isto, como qualquer cão de caça, as orelhas do cachorro devem ser sistematicamente limpas quando ele voltar para casa, a fim de remover quaisquer folhas ou sujeira que possam ter se alojado lá.

    Esta atenção especial às orelhas também é válida se for utilizado apenas como cão de companhia, como raças de cães com orelhas caídas estão em maior risco de problemas de ouvido.

    Compre um “Braco de Ariège”

    O preço de um cachorro Braco de Ariège em um incubatório está entre 600 e 800 EUR. Geralmente não há diferença de preço entre um homem e uma mulher.

    Classificações do “Braco de Ariège”

    Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão “Braco de Ariège” você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercício, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nível de tolerância para com eles.

    adaptação ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Ⓘ cão amigável

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    A perda de cabelo ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Nível de afeto ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade de exercício ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    necessidade social ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    casa ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    sanita ⓘ

    1.0 Avaliação
    1 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com estranhos ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    cascas ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    saúde ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    ⓘ territorial

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com gatos ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    inteligência ⓘ

    5.0 Avaliação
    5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    versatilidade ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Crianças amigável ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    vigilância ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    alegria ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Vídeos do “Braco de Ariège”

    Braque de l’Ariège
    Braque de l’Ariège

    Tipo e reconhecimentos:

    • CLASSIFICAÇÃO FCI: 177
    • Grupo 7: – ães de Parar ou Cães Apontadores.
    • Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco. Com prova de trabalho.

    Federações:

    • FCI – Grupo 7: Cães de Parar ou Cães Apontadores. – Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco
    • UKCGun Dog

    Padrão da raça FCI “Braco de Ariège”

    FCI Padrão No. 177 / 07.08.1998 / E

    BRACO DEL ARIEGE
    (Braque de l'Ariège)

    TRADUCCION : IRIS Carrillo (Federação de canil de Porto Rico).

    ORIGEM : França.

    DATA DE PUBLICAÇÃO DO PADRÃO ORIGINAL VÁLIDO : 24.01.1996.

    UTILIZAÇÃO :

    Cão mostra.

    CLASSIFICAÇÃO FCI :

    Grupo 7 Cães de Parar ou Cães Apontadores.
    Seção 1.1 Cães de Parar ou Cães Apontadores
    continental, tipo braco.
    Com prova de trabalho.

    BREVE RESUMO HISTÓRICO : O Ariège Braco descende do antigo francês Braco que foi cruzado no século 19 com braços de origem sulista com pelo branco e laranja, para lhe dar mais agilidade e atividade. Alguns caçadores do Ariège continuaram a usá-lo, o que impediu a raça de desaparecer completamente. Em 1990 um grupo de criadores resolveu se dedicar à sua preservação.

    OLHAR GERAL :

    De tipo « Braco », é robusto e de constituição poderosa, embora sem a aparência de peso excessivo. Sua aparência é vigorosa. Os espécimes mais apreciados são aqueles com membros finos, músculos proeminentes e linhas bem definidas. Seu pelo branco, de preferência polvilhado com laranja claro ou às vezes salpicado de castanha, junto com seu tamanho o tornam um cão elegante e distinto.

    PROPORÇÕES IMPORTANTES :

    De proporções médias; o comprimento do corpo é ligeiramente maior que a altura na cernelha. O crânio é ligeiramente mais longo que o focinho.

    TEMPERAMENTO / COMPORTAMENTO :

    Adapta-se a todos os tipos de caça; é resistente, dócil e fácil de educar.

    CABEÇA :

    Deve ser longo, angular e estreito na região de
    arcos zigomáticos.

    REGIÃO CRANIANA :
    Crânio : É ligeiramente abobadado; o sulco frontal não é muito acentuado. Linhas superiores do crânio e focinho divergem ligeiramente para a frente. Os arcos superciliares são moderadamente acentuados. A protrusão occipital é bastante pronunciada.
    Links de depressão (stop) : áPoco acentuada.

    REGIÃO FACIAL :

    Trufa : É rosa, carne ou cor marrom mais ou menos pálida, De acordo com a cor da pele; nunca preto. As janelas estão abertas.
    Focinho : Focinho longo e reto, às vezes ligeiramente convexo. Vistas frontais, as faces laterais do focinho convergem ligeiramente para a frente.
    Lábios : Eles são muito bons e bem descidos; a comissura é bastante dobrada sem cair.
    Mandíbulas / Dentes : As arcadas dentárias são bem adaptadas. A articulação dos incisivos é em forma de tesoura; dente é aceito- em forma de pinça dura (os incisivos um no outro).
    Olhos : O visual é fofo, franca e inteligente. Totalmente aberto, os olhos são ligeiramente ovais e bem inseridos nas órbitas. A íris é âmbar escuro ou marrom, De acordo com a cor da pele.

    Orelhas : Eles são muito magros, longo e torto. Eles são inseridos na linha do olho ou abaixo dela; eles não estão colados na cabeça. Seu comprimento permite que alcancem o nariz sem ter que esticá-los.

    PESCOÇO :

    Não é muito longo, mas bastante grosso e tem uma ligeira barbela.

    CORPO :

    Top de linha : A parte anterior é quase retilínea e desce da cernelha até a décima primeira vértebra dorsal. A segunda parte, ligeiramente convexo, um na grupa.
    Cruz : É bem marcado sem ser extrovertido.
    Voltar : Um pouco longo, muscular, sólido e direto.
    Lombo de porco : Ligeiramente convexo.
    Alcatra : Ligeiramente oblíquo em relação à linha superior.
    No peito : É amplo, alto e profundo até os cotovelos. As costelas são arredondadas, mas sem exagero.
    Linha inferior : Ligeiramente oblíquo e um pouco elevado na parte abdominal.

    CAUDA :

    Sua inserção localiza-se no prolongamento da linha da garupa. É espesso na base e diminui gradualmente. Eles geralmente são aparados 4/10. Cauda longa aceita. Ao subir, não deve ultrapassar a linha superior.

    MEMBROS

    MEMBROS ANTERIORES : Eles são heterossexuais, para ossos fortes, largo e musculoso.
    Ombro : Muscular, robusto e moderadamente oblíquo.
    Braços : Strong, bem musculoso e perto do tórax.
    Cotovelos : Eles estão localizados no plano do esterno.
    Antebraços : Vigoroso e bem posicionado.
    Metacarpo : Visto de perfil, são ligeiramente inclinados.
    Pés dianteiros : Juntos, bem arqueado, formando um conjunto compacto, quase rodada. As unhas são fortes e as almofadas são muito carnudas.

    MEMBROS POSTERIORES : Eles estão bem posicionados.
    Coxas : Bem musculoso e baixo.
    Joelho : Bem paralelo ao plano mediano do corpo.
    Perna : Robusto.
    Hock : Bem angulado.
    Metatarso : Bem curto, quase verticais.
    Pés traseiros : Eles têm as mesmas características dos pés dianteiros.

    MOVIMENTO :

    Trote incansável e ágil, interrompido por períodos de galope. Os movimentos são soltos e leves.

    PELE :

    Não é muito grosso e é bastante elástico. É mais fino na cabeça. As membranas mucosas externas devem ser de uma cor que corresponda à cor da pelagem; eles nunca deveriam ter manchas pretas.

    PELES

    CABELO : É apertado, brilhante, curto, mais fino e cetim na cabeça e orelhas.

    COR :

    Leão laranja pálido, ou às vezes marrom. Apresenta muitas manchas brancas manchadas ou salpicadas. Alguns cães ainda são brancos com manchas.

    TAMANHO :

    Altura à Cruz : Nos machos é 60 a 67 cm, e no sexo feminino é de 56 a 65 cm.

    FALHAS :

    Qualquer desvio dos critérios acima é considerado faltando e a gravidade é considerada o grau de desvio do padrão e seu impacto sobre a saúde e o bem-estar do cão.

    FALHAS ELIMINATÓRIAS : Tendo em conta o pequeno património desta raça, o objetivo não é mostrar muita severidade, mas descartar da reprodução os exemplares que não correspondam ao tipo e os que apresentem falhas graves.
    • Cães agressivos, mordendo ou excessivamente medroso.
    • Ausência total das características típicas da raça.
    • Nariz duplo (cães cujas janelas são separadas por um sulco profundo).
    • Nariz de cor que não corresponde ao estabelecido pela norma.
    • Nariz preto.
    • Prognatismo inferior o superior.
    • olhos : excessivamente claro ou de cor diferente.
    • Entropia ou ectrópio, ou qualquer vestígio de intervenção cirúrgica para corrigir este defeito.
    • Excesso de despigmentação nas pálpebras.
    • unhas pretas.
    • Ram.
    • Membros posteriores: dificuldade claramente observável nos movimentos.
    • Cor que não corresponde ao que é estabelecido pela norma.
    • Tamanho fora dos limites do padrão, com uma tolerância de 1 cm mais ou menos.
    • Anormalidades morfológicas graves.
    • Defeitos que causam invalidez.

    Qualquer cão mostrando sinais comportamentais ou anormalidades físicas claras será desclassificado.

    OBS.. : Machos devem apresentar dois testículos de aparência normais, bem desenvolvidos e acomodados a bolsa escrotal.

    Nomes alternativos:

      1. Ariege Pointing Dog (Inglês).
      2. braque de Toulouse, braque du Midi (Francês).
      3. Braque de l’Ariège (Alemão).
      4. (em francês: Braque de l’Ariège) (Português).
      5. Braco de Ariège (español).

    Cão de montanha dos Pirenéus
    Francia España FCI 137 - Molossóides . Montanha

    Cão de montanha dos Pirenéus

    O Cão de montanha dos Pirenéus é um guardião e protetor com reivindicações territoriais.

    Conteúdo

    História

    O Cão de montanha dos Pirenéus é um cão de guarda antigo do mundo montanhoso dos Pirinéus. Lá é oficialmente chamado Chien de Montagne des Pyrénées. O povo dos Pirinéus o chama de bonitinho Patou. Os Pirineus, como um vasto, deserto e acidentado, Cordilheira anteriormente inacessível, formam a fronteira natural entre a França e a Espanha. Aqui havia e há lobos e ursos, com o consequente problema para os fazendeiros. Além disso, ovelhas costumava ser um dos poucos meios de subsistência das pessoas aqui. Enquanto na Alemanha e em outros países da Europa Central, as pessoas lamentam o retorno do lobo e reclamam dos danos causados ​​à caça e rebanhos de ovelhas, nos cães dos Pirinéus, como o Patou desde tempos imemoriais. E não há queixas. Cães de guarda são parte integrante de todo rebanho de ovelhas nas montanhas dos Pirinéus.

    No lado francês, eles são chamados oficialmente Chien de Montagne des Pyrénées o Pyrenäenberghund, no lado espanhol Perro de montaña de los Pirineos o Gran Pirineo. Além de proteger os rebanhos contra ladrões, lobos e ursos, também protegeu as ótimas propriedades. Sua figura poderosa, sua determinação e capacidade de atacar em uma emergência não foram sem efeito. A impressão deve ter sido tão duradoura que seu trabalho já foi documentado em escritos da antiguidade e da Idade Média.. Cães teriam reconhecido pessoas de longe por suas roupas. Em 1391 diz-se que o Conde de Foix fez um teste. Se ele viesse vestido como um vagabundo, os cães o atacaram de longe sem hesitar. Se ele veio vestido como um conde, ele não estava incomodado.

    O Patou não era uma corrida uniforme no passado. Nos vales muito remotos, muitas vezes havia corridas locais, isolado geneticamente, otimizado para sua tarefa de trabalho naturalmente, mas no final os mesmos cães apareceram com uma aparência e caráter muito semelhantes, embora eles possam ter sido geneticamente separados por gerações. Condições de vida extremamente severas superam obviamente as desvantagens da consanguinidade. A criação moderna de cães de raça começou a se interessar por esses cães impressionantes muito em breve. Já na primeira exposição de cães na França, em 1863, uma classe separada foi estabelecida para o Cão de montanha dos Pirenéus.

    Foi feita uma tentativa de estabelecer o Patou também fora dos Pirinéus como cão de guarda e proteção. Em 1907 o primeiro padrão foi estabelecido na França. No entanto, devido às duas guerras mundiais e a fome associada, a população de Patou fora das montanhas sofreu sérios contratempos. Em 1955 obteve o reconhecimento oficial da FCI – Fédération Cynologique Internationale.

    Características físicas

    O Cão de montanha dos Pirenéus é um cão grande, impor, poderoso e ao mesmo tempo atlético e ágil. Não parece desajeitado ou maciço, mas peça bastante elegante. Tem um casaco de comprimento médio, muito denso e flexível, que pode ser um pouco ondulado. A camada inferior também é muito densa. Para as cores que o padrão oficial diz:

    Branco ou branco com manchas cinza (cinza texugo ou cinza lobo), amarelo pálido ou laranja (oxidado) na cabeça, orelhas e base da cauda, às vezes também no corpo.

    O Cão de montanha dos Pirenéus tem uma altura majestosa na cernelha 70 e 80 centímetros em machos e de 65 a 75 nas fêmeas. O peso deve ser entre 60 e 70 kg. As medições são bastante semelhantes às realizadas pelo Conde de Bylandt quando ele descreveu a raça pela primeira vez 1897, quando ele acabou de chamar os cachorros “Chien des Pyréneés“. A cabeça da Patou lembre-se dos contornos de um molosser. Mostra uma expressão facial muito alerta e atenta. É um cachorro que repousa sobre si mesmo, quem antes de tudo observa tudo, aparentemente apático. Isso é sublinhado por seus olhos, eles deveriam ser doces e sonhadores, com sua cor âmbar escuro.

    Caráter e habilidades

    O Cão de montanha dos Pirenéus é um guardião e protetor com reivindicações territoriais. Ele parece bonito e calmo, sublime e imponente quase como um ursinho de pelúcia em branco, mas você não deve estar errado. Tem um caráter forte combinado com uma idéia muito própria, mas clara, de como deve se comportar – e os outros em seu domínio. Essa idéia é moldada naturalmente pelo seu uso ao longo dos séculos, onde ele teve que defender seu rebanho para a vida ou a morte como guarda sem a presença do pastor e, por consequência, teve que tomar decisões de forma independente. O padrão oficial classifica as qualidades de seu personagem da seguinte maneira:

    Como o cão foi usado exclusivamente para proteger os rebanhos contra ataques de predadores, sua seleção para criação foi baseada em sua aptidão como detentor, sua aparência respeitável e também sua relação com o rebanho. As características resultantes são força e agilidade, bem como a doçura e apego aos seus protegidos. Esse cão de guarda tem tendência à independência e iniciativa, o que requer alguma autoridade de seu mestre.

    A Cão de montanha dos Pirenéus só deve ser realizada por uma pessoa experiente e mentalmente forte. Em primeiro lugar, não é um cachorro da família. No entanto, pode ser assim se você tiver orientação extremamente competente do seu mestre ou zelador e se as condições externas estiverem corretas. Só então ele pode ser um bom cão de família e proteger com amor todos os membros da família., incluindo outros amigos de quatro patas. Além disso, é um bom guardião e protetor extremamente confiável da casa e de todos aqueles que, na sua opinião - que deve ser esclarecido -, pertencer a ele. Para com estranhos ele desconfia.

    Atitude

    O Cão de montanha dos Pirenéus é extremamente exigente em sua manutenção – se alguém ignorar as restrições acima mencionadas devido à sua natureza como cão de guarda. É pouco exigente em sua nutrição e em sua acomodação. Você pode passar o ano inteiro fora sem problemas – contanto que você tenha um esconderijo adequado e “adequado” não significa nem canil nem cadeia, porque ele deve poder se mudar em seu território. Este cão grande e autoconfiante é bastante sensível e atribui grande importância a um estreito vínculo emocional com sua família humana.. Você precisa de um relacionamento de confiança com seu mestre ou cuidador.

    Graças à criação moderna de cães com pedigree, o Patou está melhor preparado para uma vida na cidade grande do que outras raças de cães de proteção de rebanhos, como o Kangal ou o Pastor-da-ásia-central. Então, se você tem uma propriedade grande e bem vedada no país, se você tem alegria, Diversão, experiência e a possibilidade de se envolver com esses cães, você pode experimentar uma faceta particularmente impressionante e bonita da associação homem-cão.

    Cão de montanha dos Pirenéus Educação

    A educação de Cão de montanha dos Pirenéus pertence às mãos de um professor ou amante com profunda experiência e conhecimento canino. Como qualquer outra raça, Os cães das montanhas dos Pirinéus devem ser bem socializados e educados, pois são filhotes. Seria irresponsável querer manter um cachorro e um iniciante.

    Cuidados e saúde do Cão de montanha dos Pirenéus

    Absolutamente fácil de cuidar e pouco exigente. O cão de montanha dos Pirinéus geralmente goza de saúde muito robusta. Alguns problemas de saúde podem incluir displasia da anca; problemas cardíacos como la displasia de la válvula tricúspide; cancros como osteossarcoma (câncer nos ossos); problemas oculares, como membranas persistentes da pupila, atrofia progressiva da retina e catarata; osteocondrite dissecante (um problema ortopédico), luxação patelar (luxação da rótula) e inchaço.

    Nutrição / Alimentação

    O Cão de montanha dos Pirenéus ele não tem nenhum problema com sua dieta.

    Expectativa de vida do Cão de montanha dos Pirenéus

    O cães de montanha dos Pirinéus tem uma expectativa de vida muito alta 12 e às vezes mais anos em relação ao seu tamanho.

    Avaliações do Cão de montanha dos Pirenéus

    Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão“Cão de montanha dos Pirenéus” você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercício, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nível de tolerância para com eles.

    adaptação ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Ⓘ cão amigável

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    A perda de cabelo ⓘ

    5.0 Avaliação
    5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Nível de afeto ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade de exercício ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    necessidade social ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    casa ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    sanita ⓘ

    3.0 Avaliação
    3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com estranhos ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    cascas ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    saúde ⓘ

    5.0 Avaliação
    5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    ⓘ territorial

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com gatos ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    inteligência ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    versatilidade ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Crianças amigável ⓘ

    4.0 Avaliação
    4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    vigilância ⓘ

    2.0 Avaliação
    2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    alegria ⓘ

    5.0 Avaliação
    5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Imagens do Cão de montanha dos Pirenéus

    Fotos:

    1 – Cão de montanha dos Pirinéus por https://pxhere.com/es/photo/774692
    2 – Cão de montanha dos Pirenéus, XI Exposição Canina Internacional em Cracóvia por I, Lilly M / CC BY-SA
    3 – Cão de montanha dos grandes Pirenéus por Colher de coração / CC BY-SA
    4 – Cão de montanha dos Pirenéus por Arnaud 25 / CC BY-SA
    5 – Pastagem de Anterne, Sixt-Fer-à-Cheval, Cão de montanha dos Pirinéus entre as ovelhas por Jérôme Bon de Paris, França / CC POR
    6 – Cão de montanha dos Pirinéus por Emma.Martinet / CC0
    7 – Cão de montanha dos Pirenéus por I, Beninho / CC BY-SA

    Vídeos do Cão de montanha dos Pirenéus

    Tipo e reconhecimentos:

    • CLASSIFICAÇÃO FCI: 137
    • Grupo 2: – Cães de tipo Pinscher e Schnauzer, Molossóides e Cães de Montanha, e Boieiros Suiços.
    • Seção 2.2: – Molossóides, Tipo de montanha.
    • Federações:
    • FCI – Cães do tipo Pinscher e Schnauzer-Molossoide – Cães de Montanha e Boieiros Suiços. Seção 2.2 Molossóides, tipo de montanha.
    • AKC – cães de trabalho
    • ANKC – Grupo 6 (cães utilitários)
    • CKC – Grupo 3 – cães de trabalho
    • KC – Cães Pastores
    • NZKC – Cão utilitário
    • UKC – Cão de guarda

    Padrão FCI da raça Cão de montanha dos Pirenéus

    APARSEGURO GERAL: Este é um cachorro grande, imponente e muito bem proporcionado, embora sem falta de uma certa elegância.

    PROPORÇÕES IMPORTANTES:

    • A largura máxima do crânio é igual ao seu comprimento.
    • O focinho é um pouco mais curto que o crânio.
    • O comprimento do corpo, da ponta do ombro, até a ponta das nádegas, é ligeiramente superior à altura da cernelha.
    • A altura do peito é igual à metade da altura na cernelha ou um pouco menos

    TOMPERAMENTO / COMPORTAMENTO: Usado para proteger bandos sozinho contra ataques de predadores, sua seleção foi baseada em suas habilidades de vigilância e dissuasão, como em seu apego ao rebanho. Como resultado disso, suas principais qualidades são força e agilidade, bem como a doçura e devoção para com aqueles que o protegem. Esse cão de guarda tem uma propensão à independência e um senso de iniciativa que exige alguma autoridade de seu mestre..

    CABEZA: Não é muito grande, comparado com o tamanho do cachorro. As faces laterais são bastante planas.

    GIOhN CRANIANA:

    Cenfurecido: A largura máxima do crânio é igual ao seu comprimento. Está ligeiramente arqueado, porque a crista sagital é perceptível ao toque. Como a protuberância occipital é aparente, o crânio, nas costas, Tem uma forma ogival. Arcos superciliares não estão marcados, o sulco do meio é quase imperceptível ao toque entre os olhos.

    Ddepressão naso-frontal (Stop): Tem uma ligeira inclinação.

    GIOhN FACIAL:

    Trufa: É completamente preto.

    Hocico: É grande; um pouco mais curto que o crânio e diminui progressivamente em direção à sua extremidade. Visto de cima, é em forma de V com uma ponta truncada. É muito sólido sob os olhos.

    Labios: Eles estão levemente pendurados e apenas cobrem a mandíbula inferior. São pretos ou pretos bem marcados, bem como o paladar.

    Mandíbulas / Dentes: A dentadura deve estar completa e os dentes devem estar brancos e saudáveis. A articulação é em forma de tesoura (os incisivos superiores cobrem os inferiores sem perda de contato). A articulação em forma de alicate é suportada, bem como os dois grampos inferiores que caem para a frente.

    Ojos: Eles são pequenos, formulário de almendrada, ligeiramente oblíqua, de expressão inteligente e contemplativa. Sua cor é marrom âmbar. As pálpebras nunca se soltam e são revestidas de preto. O olhar é doce e sonhador.

    Obares: Presente ao nível dos olhos. Eles são bem pequenos, de forma triangular e arredondado na extremidade. Eles caem perto da cabeça e parecem um pouco mais altos quando o cão está em ação.

    COMELLO: É forte, bem curto; o queixo duplo é pouco desenvolvido.

    COMERPO: O comprimento do corpo, da ponta do ombro, até a ponta das nádegas, é ligeiramente superior à altura da cernelha. A altura do esterno em relação ao solo é quase igual à metade da altura na cernelha, mas nunca inferior.

    Línea superior: É muito firme.

    Cruz: É largo.

    Espalda: Bom comprimento, sólido.

    Ele(m)o: Comprimento médio.

    Gsemelhança: Ligeiramente oblíquo; os quadris são bastante extrovertidos.

    FlDa mesma forma: É pouco inclinado.

    Peco: Não é muito inclinado, mas largo e profundo. Desce até o nível do cotovelo, não mais abaixo. Sua altitude é igual ou ligeiramente menor que a altura na cernelha. Costelas são ligeiramente arredondadas.

    COLA: Desça pelo menos até a ponta do jarrete. É espessa e forma um pompadour. Baixo, durante o descanso, de preferência com a extremidade em gancho. É quando o cão em ação, sobe nas costas assumindo uma forma bem arredondada e apenas o membro toca nas costas (os alpinistas chamam de roda da arroundera).

    EXTREMIDADES

    MEMBROS ANTERIORES: Eles são fortes e sérios. Ombro: Eles são bastante oblíquos.

    Brazos: Muscular, comprimento médio.

    Antbraços: Em linha reta, forte e bem coberto de pelos de franja.

    CArpos: O pulso está na extensão do antebraço.

    Metacarpo: Ligeiramente oblíqua.

    Pemé anterior: Eles não são muito longos e compactos, com dedos levemente arqueados.

    MEMBROS POSTERIORES: Eles têm cabelos que formam franjas mais longas e mais ocupadas do que os membros anteriores. Vistos de atrás, são perpendiculares ao chão.

    Coxas: Eles são bem musculosos, não muito longo e bastante oblíquo; "Bem formado".

    Cajadoemllcomo: Eles são moderadamente angulados e ficam no eixo do corpo.

    PemErna: Strong, comprimento médio.

    Corvejón: Largura, em camadas finas e médias.

    Pemisto é : Eles são pouco alongados, Compacto, com dedos levemente arqueados.

    Espolones: Os quartos traseiros têm esporas duplas e bem formadas. Os membros anteriores às vezes têm garras de orvalho simples ou duplas.

    MOVIMENTO: O movimento do cão das montanhas dos Pirinéus é poderoso e solto, nunca pesado; é mais largo que rápido e não falta uma certa elasticidade e elegância. As angulações deste cão permitem uma marcha constante.

    PIEL: Grosso e flexível. Muitas vezes mostra manchas de pigmentação em todo o corpo.

    MANTO

    Pelo: É muito espesso, suave, bastante longo e solto, bastante áspero nos ombros e nas costas. Mais na cauda e no pescoço, onde pode ser um pouco ondulado. Cabelo para calças, mais fino e lanoso, é muito espesso. A face interna dos cabelos também é grossa.

    Color: Branco ou branco com manchas cinzentas (cabelo de texugo ou baía escura), amarelo pálido ou laranja, na cabeça, as orelhas e a cauda. As manchas de cabelo de texugo são as mais apreciadas.

    TAMÃO E PESO:

    Alturpara a cruz:

    Machos: 70 a 80 cm,

    Fêmeas: 65 a 75 cm.

    Uma tolerância de 2 cm do tamanho definido, em cópias que correspondem perfeitamente ao tipo.

    FALTAS: Qualquer desvio dos critérios acima é considerado faltando e a gravidade é considerada o grau de desvio do padrão e seu impacto sobre a saúde e o bem-estar do cão.

    AObservação geral:

    • Aparência geral que dá a impressão de peso, aspecto sem distinção. Cão grosso, não muito enérgico, linfático.

    Celes não estão vindo:

    • Muito pesado, retangulares
    • Crânio muito largo, protuberância na testa
    • Depressão naso-frontal muito acentuada ou inexistente
    • Lábios muito caídos que formam o belfo
    • Pigmentação insuficiente das trufas, a borda das pálpebras e lábios

    Ojos: Rodada, afundado ou abaulado. Muito grande ou muito pequeno, juntos ou distantes. Terceira pálpebra visível. Expressão difícil.

    Obares: Ampla, longo, dobrado, formando dobras. Eles voltaram; alto.

    Comisto: Delgado, um pouco longo ou muito curto, dando a impressão de que a cabeça está enterrada nos ombros. Queixo muito pronunciado.

    Comerpo: Linha superior afundada ou convexa, inclinado, barriga abaulada ou flácida.

    Peco: Parte frontal muito larga ou estreita do peito. Costelas planas, ou pelo contrário, forma de barril.

    Cola: Com pouco cabelo ou implantação incorreta. Muito curto ou muito longo, sem pompadour, não assume a forma de roda quando está em ação ou o faz continuamente, mesmo durante o descanso.

    Membros anteriores:

    • Eles entram ou saem.
    • Ângulo escápulo-umeral muito aberto.

    Membros posteriores:

    • Eles se desviam para dentro ou para fora
    • Jarretes retos ou excessivamente angulados.

    Pemisto é: Longo, planos

    Cabelo: Curto ou enrolado, seda, Soft. Ausência de uma camada interna de cabelos.

    FALTAS DESQUALIFICANDO:

    • Agressividade ou extrema timidez.
    • Qualquer cão mostrando sinais comportamentais ou anormalidades físicas claras será desclassificado.

    Color: Cores diferentes das indicadas na norma.

    Trufa: Em outra cor que não é absolutamente preta.

    Mandíbulas: Prognatismo superior ou inferior, ou qualquer malformação das mandíbulas.

    Ojos: Diferentes manchas coloridas nas pálpebras, olhos de raptor.

    Esporas: Ausência de ergôs, atrofia de esporão único ou duplo nos quartos traseiros.

    Ta mão: Fora dos limites do padrão.

    N.B.:

    • Machos devem apresentar dois testículos de aparência normais, bem desenvolvidos e acomodados a bolsa escrotal.
    • Apenas cães funcional e clinicamente saudáveis, com a conformação típica da raça, deve ser usado para criação

    TRADUCCION: IRIS Carrillo, (Federação de canil de Porto Rico).

    Nomes alternativos:

      1. Great Pyrenees, Patou, Montañés del Pirineo, Perro de Montaña de los Pirineos, Can de Montaña de os Perinés, Chien des Pyrénées, Chien de Montagne des Pyrénées, Pyr, GP, PMD, Gentle Giant (Inglês).
      2. montagne des Pyrénées, pastou, patou (Francês).
      3. Chien de Montagne des Pyrénées, Patou (Alemão).
      4. Chien de Montagne des Pirénées (Português).
      5. Gran Pirineo, Chien des Pyrénées, Chien de Montagne des Pyrénées, Gigante de los Pirineos, Gran Pirineu, Muntanya dels Pirineus, Patou (español).

    Spaniel ponte-Audemère

    Spaniel de Pont-Audemère

    O Spaniel ponte-Audemère É uma raça de cães do tipo Spaniel enquadrado de acordo com o Federation Cynologique Internationale no exemplo da seção de cães do tipo continental.

    Pensa-se que esta Spaniel vem de cruzamentos entre a Cão de água irlandês, o Caniche (Poodle), o Barbet e diferentes tipos de Spaniel francês que teve lugar na região de Pont-Audèmer, na Normandia durante os séculos XVII e XIX. Esta corrida viu muito diminuta sua população após a II Guerra Mundial e os amantes da raça foram obrigados a usar para o Cão de água irlandês para recuperá-lo e continuar a. Hoje é uma raça muito difícil de ver até mesmo em seu local de origem.

    Ler maisSpaniel ponte-Audemère