Perdigueiro português
Portugal FCI 187 . Tipo Braco

Perdigueiro português

O Perdigueiro português Ele é extremamente carinhoso e muito apegado às crianças, também é um cão muito submisso.

Conteúdo

História

O Perdigueiro português surgiu Perdigueiro Peninsular, uma raça ancestral de cães ibéricos, sua presença está documentada desde o século 10, Sua primeira aparição na arte foi em uma lápide visigótica-árabe do Igreja de San Juan Bautista de Tomar. Sua evolução foi resultado de diversos fatores como a adaptação ao clima, o tipo de caça, o terreno e a selecção introduzida pela especificidade cultural portuguesa.

No século quatorze, Foi criado nos canis reais e usado para caça em Altaria., sendo conhecido como “Podengo de mostra”, mostrando já a possibilidade de parar antes da caçada. No século XVI (reinado de D. Sebastião) seu uso pelas classes populares era comum (embora proibido). O sangramento constante nos braços de trabalho causado pelas descobertas, o abandono dos campos, fome e mudança de hábitos, levou a população a recorrer mais à caça para obter alimentos e, como um resultado, para o uso de Cães de Parar ou Cães Apontadores, que eles eram “Entrada” por causar, graças às suas excelentes qualidades, sérios danos aos interesses da casa real e da nobreza.

No século XVIII, numerosas famílias inglesas marcaram presença na região do Porto no ramo da produção de vinho e tiveram contacto com a raça trazida para Inglaterra onde desempenhou um papel importante na origem da cultura. Pointer inglês.

No final do século 19 sofreu um certo declínio, devido a graves convulsões sociais e novos gostos e contatos com o mundo exterior, que deu projeção às raças estrangeiras que então estavam na moda. Mas ainda é representado em objetos de arte (tinaja pintada por D. Fernando II de Saxe-Coburg, Pena-Sintra), quadro do rei Luís e dos príncipes com roupa de caça no Palácio da Ajuda, Lisboa), foto de uma viagem de caça de um inglês no Douro (Quinta de Gatão, Duero) ou na cerâmica artística da Real Fábrica do Rato (Palácio Pimenta, Lisboa).

Só em 1920 alguns criadores se esforçaram para salvar a raça, localizando alguns dos cães no inacessível norte de Portugal. O livro genealógico português foi então estabelecido em 1932 e o padrão da raça em 1938. Por pelo menos mil anos, este cachorro sempre teve a mesma cabeça quadrada, orelhas triangulares e aparência compacta.

Foto: “Perdigueiro português” durante o Dog World Show em Poznań. por Pleple2000, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Características físicas

O Perdigueiro português vem em proporções médias, reta, cara bom, robusto mas com uma conformação harmônica aliada à elasticidade manifesta dos movimentos.

A cabeça é proporcional em relação ao corpo, bem formado e harmonioso; parece ser grande no set. Um pouco grosso, No entanto, não é óssea nem grossa e tem pele solta e fina.

A pelagem é curta e grossa na maioria dos cães, com textura aveludada nas orelhas e rosto .

Amarelo em variedades claras, comum e escuro, sólido ou manchado de branco na cabeça, o pescoço, peito e calçado.

Nos machos, a altura na cernelha é 52 - 60 centímetros, o peso é 20 - 27 kg. Nas mulheres, a altura é 48 - 56 centímetros e o peso é 16 - 22 kg.

Caráter e habilidades

Perdigueiro português
Uma imagem de um “Perdigueiro português”, uma raça de cão de caça português. O animal na foto tinha 11 anos quando foi fotografado.

O Perdigueiro português ele é um cão extremamente gentil e afetuoso, com grande capacidade de entrega e muito resistente. É silencioso, muito sociável e um pouco petulante em relação a outros cães. Trabalha com vivacidade e persistência e é curioso por natureza. Ele sempre mantém contato com seu caçador.

Ele se move com um passo fácil e é gracioso. É versátil em sua função e muito adaptável a vários terrenos, climas e tipos de caça.

Extremamente carinhoso e muito apegado às crianças, também é um cão muito submisso. lata, por falta de educação, não obedeça gestos ou ordens. No entanto, é fácil treinar.

Saúde

O Perdigueiro português tem uma expectativa média de vida de 14 anos. É considerada uma raça resistente, sem problemas de saúde específicos. No entanto, displasia do quadril, lunação da patela, câncer e doenças autoimunes são potenciais problemas de saúde para cães deste tamanho.

Classificações do “Perdigueiro português”

Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão “Perdigueiro português” você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercício, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nível de tolerância para com eles.

adaptação ⓘ

Avaliado 4 fora de 5
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Ⓘ cão amigável

Avaliado 2 fora de 5
2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

A perda de cabelo ⓘ

Avaliado 2 fora de 5
2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Nível de afeto ⓘ

Avaliado 5 fora de 5
5 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Necessidade de exercício ⓘ

Avaliado 4 fora de 5
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

necessidade social ⓘ

Avaliado 3 fora de 5
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

casa ⓘ

Avaliado 4 fora de 5
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

sanita ⓘ

Avaliado 1 fora de 5
1 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Amigável com estranhos ⓘ

Avaliado 2 fora de 5
2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

cascas ⓘ

Avaliado 2 fora de 5
2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

saúde ⓘ

Avaliado 2 fora de 5
2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

ⓘ territorial

Avaliado 4 fora de 5
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Amigável com gatos ⓘ

Avaliado 2 fora de 5
2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

inteligência ⓘ

Avaliado 3 fora de 5
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

versatilidade ⓘ

Avaliado 4 fora de 5
4 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Crianças amigável ⓘ

Avaliado 3 fora de 5
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

vigilância ⓘ

Avaliado 3 fora de 5
3 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

alegria ⓘ

Avaliado 2 fora de 5
2 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Vídeos do “Perdigueiro português”

O Perdigueiro português, um cão polivalente
Principais características do “Perdigueiro português”

Tipo e reconhecimentos:

  • CLASSIFICAÇÃO FCI: 187
  • Grupo 7: – ães de Parar ou Cães Apontadores.
  • Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco. Com prova de trabalho.

Federações:

  • FCI – Grupo 7: Cães de Parar ou Cães Apontadores. – Seção 1: Cães de Parar Continentais. 1.1: Tipo Braco
  • AKC – Braco

Padrão da raça FCI “Perdigueiro português”

Padrão FCI da raça Perdiguero Portuguesa
FCI Padrão No. 187 / 16.04.2009 / E

PERDIGUERO PORTUGUÊS
(Perdigueiro Português)

TRADUCCION : IRIS Carrillo (Federação de canil de Porto Rico).
Revisão técnica : Miguel Angel Martinez (Federação Cinológica Argentina).

ORIGEM : Portugal.

DATA DE PUBLICAÇÃO DO PADRÃO ORIGINAL VÁLIDO : 04.11.2008.

CLASSIFICAÇÃO FCI : Grupo 7 Cães de Parar ou Cães Apontadores.
Seção 1.1 Cães de Parar Continentais. Tipo Braco.
Com prova de trabalho.

BREVE RESUMO HISTÓRICO
O Perdiguero português tem as suas origens na Península Ibérica, descendente do antigo Peninsular Perdiguero, um predecessor de outros retrievers. Evoluiu adaptando-se ao clima, terreno e desporto e pela selecção imposta socioculturalmente pelos portugueses que a criaram durante séculos para fins de caça. A raça preserva os traços morfológicos e funcionais.
A sua existência em Portugal remonta, pelo menos, ao século XII. No século XIV era conhecido como "Podenco de show" por mostrar sua habilidade no esporte da caça.. Foi criado em criadouros da nobreza e da realeza e usado na falcoaria. No século XVI, nombrado “perdigueiro” (derivado de perdiz) foi freqüentemente usado por plebeus.
A definição dos traços atuais e a disseminação por um grupo de caçadores e criadores teve início no primeiro quartel do século. 20.

OLHAR GERAL : Cachorro de tamanho médio, retilíneo, tipo bracoide, forte, mas de uma estrutura harmoniosa combinada com grande elasticidade nos movimentos. No perfil, as linhas superior e inferior formam uma silhueta elegante.

Cão tipo Pointer de proporções médias e aparência geral harmoniosa. Sua configuração e altura revelam uma estrutura sólida e grande flexibilidade de movimento.

PROPORÇÕES IMPORTANTES :
Couro quadrado ou quase quadrado.
Proporção do crânio / focinho: 6:4
Altura à Cruz / profundidade do peito: 2:1

TEMPERAMENTO / COMPORTAMENTO :
Extremamente gentil e atencioso, forte, de grande resistência e devoção. Calmo e muito sociável, mas um tanto arrogante com outros cães. Curioso por natureza, trabalha com persistência e vivacidade. Sempre um cão de caça entusiasta mantendo contato próximo com o caçador.

CABEÇA :
Proporcional ao tamanho do corpo, bem construído e harmonioso em suas dimensões. Dá a impressão de ser maior do que é. Algo grande, nunca ossudo ou carnudo. Coberto com pele solta e fina sem formar rugas. De perfil reto e quadrado visto de frente. Eixos de crânio longitudinais superiores convergentes.

REGIÃO CRANIANA :
Crânio : Quadrado, quase plano em sua linha superior, visto de frente e ligeiramente arqueado de perfil. Com um comprimento que não deve exceder 6 / 10 do comprimento total da cabeça, portanto, nos dá um 60 % índice cefálico.
Visto de frente, a testa é plana, alta, amplo e simétrico, ligeiramente arqueado de perfil. Arcos superciliares bem desenvolvidos. Dobra frontal ampla, mas não profunda. Protuberância occipital pouco visível.
Links de depressão (Stop) : Bem definido (90 - 100º).

REGIÃO FACIAL :
Trufa : O ângulo entre a ponte nasal e o lábio superior é de 90º. Nariz de boa conformação, bem desenvolvido com narinas grandes, úmido e aberto. Preto.
Focinho : Retilíneo e horizontal, adequadamente largo com a mesma largura em todo o seu comprimento, que é 4 / 10 o comprimento da cabeça.
Lábios : Lábio superior pendular, quadrados em seu perfil formando um ângulo reto com a ponte nasal, semicircular na borda vista de perfil; visto de frente, forma um ângulo agudo na borda inferior. A junção do lábio superior está solta, cantos dobrados com bordas caídas. Abertura moderada da boca com pigmentação irregular das membranas (Oris), oclusão normal permitindo a sobreposição natural do lábio superior.
Mandíbulas / Dentes : Saudável, corrigir, dentição completa, mordedura em tesoura.
Bochechas : Paralelo. Dobra retro-comissural pouco perceptível com área parótida completa (Não.: Bem acolchoado sob as orelhas).
Olhos : Expressivo, conversa feliz, Brown, de uma cor mais escura que o cabelo, forma oval tendendo a ser redonda, grande, mas muito, inserção de nível ocupando completamente a órbita. Pálpebras finas e bem abertas com pigmentação preta.
Orelhas : Inserido acima do nível dos olhos na parte de trás da cabeça, pingentes, superfície quase plana com uma ou duas dobras longitudinais quando em atenção. Triangular, mais largo na base do que nas pontas em uma proporção de 2.5 - 1 e com pontas arredondadas. O comprimento das orelhas deve ser ligeiramente maior que o comprimento do crânio. Bem, Soft, coberto com cabelo fino, grosso e muito curto.

PESCOÇO : É em linha reta, parte superior ligeiramente arqueada, não muito grosso, bastante alongado e tem uma barbela curta ao longo da parte inferior. Deve se juntar à cabeça de uma forma elegante, seguindo uma inclinação de aproximadamente 90 °; seu apego ao tórax deve ser sem transição apreciável, de modo que constitui um todo harmonioso e perfeito.

CORPO :
Top de linha : Em linha reta, subindo ligeiramente da garupa para a cernelha.
Cruz : Ela não é muito alta.
Voltar : Curto, ampla, retilíneo e ligeiramente inclinado em direção à região lombar, ao qual deve se juntar sem transição apreciável.
Lombo de porco : Curta, muito largo, muito musculoso e ligeiramente arqueado, em perfeita união com o traseiro.
Alcatra : Sua largura é proporcional à região lombar. Possui uma conformação harmoniosa e um eixo ligeiramente oblíquo, portanto, está ligeiramente inclinado
No peito : É alto e largo; a ampla cavidade torácica deve ser mais desenvolvida em profundidade e comprimento do que em largura. Desce até o cotovelo. É delimitado por nervuras muito largas e bem ajustadas que desenham uma curva bem pronunciada no topo, transmitindo à cavidade torácica a forma e a seção transversal de uma ferradura frontal, cujas faces laterais se encontram abaixo.
Linha inferior e barriga : Ligeiramente elevado do esterno à virilha. A barriga fina encontra os quadris formando uma circunferência; a distância entre o quadril e a última costela dá aos flancos uma aparência curta e unida.

CAUDA : Natural: de comprimento médio excedendo abaixo do jarrete. Derecha, inserção do meio, grosso na base afinando ligeiramente em direção à ponta. Bem inserido em perfeita continuidade com a linha da garupa. Em repouso, fica pendurado naturalmente, mas nunca entre as coxas. Em movimento, ele sobe horizontalmente ou ligeiramente acima da linha superior, mas nunca verticalmente ou em forma de foice. Movimento de lado a lado.
Amputada: Para cobrir os órgãos genitais sem excedê-los.

MEMBROS :
MEMBROS ANTERIORES : Direitos vistos de frente e perfeitamente paralelos à linha do corpo. Ver Perfil, prumo e dando uma aparência geral de grande estabilidade, apoio e movimento fácil e natural.

Ombro : Eles são longos, inclinação média. Bem posicionado e com músculos fortes. Ângulo da escápula - úmero 120º.
Braços : Eles aparecem presos ao tórax. Seu comprimento deve estar relacionado com a escápula e a angulação é proporcional.
Cotovelos : Separado do tórax pela axila, cotovelos devem ser bem abaixados e claramente delineados, mas sem convergência, sem divergência do peito. Ângulo do raio - úmero 150º.
Antebraços : Eles são separados do tronco; São longos, direto e, do ponto de vista estático, eles são claramente perpendiculares ao solo, ambos vistos de frente, como no perfil.
Carpi : Em perfeita continuidade com o antebraço.
Metacarpo : Larguras, ligeiramente oblíquo e de comprimento adequado.
Pés anteriores : Proporcional ao tamanho dos membros, tendendo a ser mais redondo do que comprido, mas sem lembrar sapatos de escalada. Dedos bem formados, apertado, uniforme e robusto para um bom suporte. Almofadas fortes e bem desenvolvidas com pele preta, espessura, duro e resistente. Unhas fortes, Difícil, de preferência preto.

MEMBROS POSTERIORES : Equilibrado visto de trás e perfeitamente paralelo à linha do corpo, postura normal vista no perfil.
Coxas: De preferência longo, larguras, muscular. O glúteo forma uma curva, mas o menos acentuada, longo e com uma musculatura um tanto elástica. Ângulo do quadril - fêmur: 95º.
Joelho : Ele está localizado um pouco abaixo do abdômen, mas não muito separado disso. É ligeiramente protuberante e um pouco desviado para fora.
Ângulo do fêmur - tíbia: 120º.
Perna : Bem alinhado; seu comprimento é proporcional ao comprimento da coxa. Sua obliquidade deve ser proporcional à inclinação da garupa.
Hock : Apresenta normalmente em ângulo e na posição adequada. Deve ser bem construído, Largura, e forte. Ângulo tíbia - tarso 145º.
Metatarsos : Eles são pequenos, vertical, quase cilíndrico, tamanho regular e fino.
Pé de trás : Idêntico ao anterior, mas um pouco mais longo.

MOVIMENTO : Com passos normais, fácil e elegante. Versátil em seu trabalho e adaptável a diferentes terrenos, tempo ou esporte. O movimento pode ser alterado entre um simples galope suspenso e um trote rítmico prolongado.

PELES

CABELO : Deve ser curto, forte, colado e denso. Não muito bom.
É bem distribuído por todo o corpo e é quase uniforme, exceto na axila, na região do ânus e perto das partes genitais, onde é fino e mais liso. É bom e achatado na cabeça, especialmente nas orelhas, onde é muito macio ao toque, como se fosse veludo. Não há nenhuma presença de uma camada interna de pêlos.

COR : Amarelo em tons de luz, médio a escuro, sólido ou com manchas brancas na cabeça, pescoço, peito, extremidades inferiores dos membros, abaixo dos cotovelos e jarretes e na ponta da cauda se não estiver cortada.

TAMANHO E PESO :
Altura à Cruz : Machos 56 cm.
Fêmeas 52 cm.
Com uma tolerância de 4 cm mais ou menos.

Peso : Machos : 20-27 Kg.
Fêmeas : 16-22 Kg.

FALHAS : Qualquer desvio dos critérios acima é considerado faltando e a gravidade é considerada como a medida do desvio padrão e seu efeito sobre a saúde e o bem-estar do cão.
• Comportamento : Timidez

• Chefe : Proporção do crânio / focinho ligeiramente diferente de 6/4. Estreito. Pronuncia-se protuberância occipital. Seio frontal altamente desenvolvido. Vinco frontal pronunciado. Presença de rugas.
• Nariz: Qualquer outra cor que não é preto.
• focinho: Curto ou longo.
• lábios: Lábio superior não quadrado. Comissura não perceptível. Pigmentação incorreta das membranas mucosas.
• Mandíbulas / Dentes: Bite em clipe.
• olhos: Pequeno, claro, inexpressivo, muito redondo.
• Orelhas: Inserção do meio, muito grande ou muito pequeno, bordas pontiagudas.
• Pescoço: Demasiado curto. Sem queixo duplo ou muito queixo duplo.
• Corpo: Desenvolvimento insuficiente da mama.
• Cola: Muito curto se for natural, definido muito baixo ou com um rolamento incomum. (vertical ou em forma de foice)-
• Membros e pés: Inclinado para dentro ou para fora, pé aberto.
• Pelo: Macio.

FALHAS GRAVES
• Comportamento : Tímido demais.
• Chefe: Proporção do crânio / focinho muito diferente de 6 / 4. Pare apenas visível, Eixos craniofaciais superiores paralelos.
• focinho: Inclinado.
• olhos: Inclinado. Estrabismo. (Veja isso / Oeste, cruzado)
• Orelhas: Carnudo, baixa inserção dobras excessivas.
• Corpo: Sela ou linha superior carnuda. Garupa muito inclinada. Couro muito longo, tórax redondo. Crestfallen.
• Pelo: Pontos brancos fora dos limites descritos pela norma.
• Tamanho: Abaixo ou acima dos limites estabelecidos.

FALHAS ELIMINATÓRIAS
• Comportamento : Cão agressivo ou medroso.
• Chefe : Cabeça atípica com focinho convexo, muito longo ou muito curto, crânio muito estreito. Eixos longitudinais faciais do crânio superior divergente.
• Nariz : Ausência total de pigmentação.
• Mandíbulas : Prognatismo superior ou inferior.
• olhos : Olhos irregulares, ambos no caminho, como em tamanho. Olhos gazeos, cegueira congênita…
• surdez : Congênito ou adquirido.
• Corpo : Completamente atípico mostrando sinais de cruzamento com outra raça.
• Pelo : Diferente da característica da raça.
• Cor : Albinismo, qualquer outra cor além da descrita acima.

Qualquer cão mostrando sinais comportamentais ou anormalidades físicas claras será desclassificado.

OBS.. : Machos devem apresentar dois testículos de aparência normais, bem desenvolvidos e acomodados a bolsa escrotal.

Nomes alternativos:

    1. Perdigueiro Português, Portuguese Pointer Dog (Inglês).
    2. (Francês).
    3. (Alemão).
    4. (Português).
    5. (español).

Cão d'Água Português
Portugal FCI 37

Perro de Agua Portugués

O Cão d'Água Português É pouco conhecido, Espanha e no resto da Europa.

O Cão d'Água Português (Cão de Água Português) É uma raça de cão do Algarve, Portugal. Eles foram usados como cães de trabalho por pescadores de tempos imemoriais, mas no século XX tornaram-se uma raça rara.

Leia tudo sobre a corrida, clicando em: Cão de Água Português.

  • Outros nomes: Cão de água português / Portie / PWD / Water Dog / Portuguese Water Dog / Portugiesischer Wasserhund / Chien d’eau portugais.
  • Grupo 8 / Seção 3 – Cães de Água.

Raças de cães: Cão d'Água Português


Cão de Água Português
Portugal FCI 37 - Cão d'Água Português

Cão de Água Português

O Cão d'Água Português É uma espécie e raça do paciente.

Conteúdo

O Cão de Água Português (Cão d'Água Português) É uma raça de cão do Algarve, Portugal. Eles foram usados como cães de trabalho por pescadores de tempos imemoriais, mas no século XX tornaram-se uma raça rara.

Enquanto, as origens da raça são um tanto obscuras, E se uma certeza é que a história destes cães é muito antiga.
Uma provável referência à água Português Cão é encontrada no texto de um monge, que em 1297 Ele descreveu o resgate de um marinheiro por um cão com características semelhantes do que a corrida hablamos… “cabelo longo, preto, cortar até a primeira costela, e com um tufo na ponta da cauda“.

Ler mais

Razas de Podenco
Italia España Portugal Grecia Francia Túnez Malta

Razas de Podenco

Podenco raças diferentes caracterizam-se por pequenas ladradoras, extremamente rápido e inteligente para a caça.

Conteúdo

Ele é chamado Sabujo um tipo de cão de origens antigas. Existem várias corridas hoje ao longo de todo o Mediterrâneo: a origem destas corridas modernas é acreditada para ser no antigo Egito (especificamente na corrida de Tesem) e que os cães foram transmitidos pela costa do mar Mediterrâneo pelos fenícios. Sua aparência lembra um pouco um chacal ou a imagem de Dios egípcio Anúbis.

Ler mais

Podengo-português
Portugal FCI 94 . Tipo primitivo - cães de caça

Podenco Portugués

O Podengo-português é uma raça de cão que está em perigo de extinção.

Conteúdo

História

O Podengo-português É considerada uma das mais antigas raças de cães, que tem suas origens Fenícios, matriz cultural da qual descendem os portugueses. É uma raça nativa de Portugal, com grandes habilidades para a caça, mas também de vigilância, É comumente usado em fazendas para alerta da presença de intrusos.

A grande família da raça de cão, especialistas no tópico levantado ela foi em Portugal onde a maioria submetida a atravessar e, como resultado, linhagem ramificada. Dentro de seus antepassados argumentam que talvez o mais próximo do Podengo ibicenco, e viveram vários tipos de cães de vestígios de (e eles habitam) toda a área mediterrânica. Como todos os cães hound, A história mostra que eles são representados nas pinturas egípcias de milhares de anos atrás.

De acordo com o tamanho, Existem três variedades do Podengo-português, Grande, Pequenas e médias, sendo cada variedade, produtos da travessia diferente, ao longo do tempo.

Acredita-se que a grande variedade surgiu a variedade de Podengo Português pequeno e médio, o ancestral da variedade Grande é o Pharaoh hound Se estendia do Norte de África a Península Ibérica. Embora outros autores levantar que é possível que o cão descende de Lobos ibéricos pequenos. Ainda controversia…

Enquanto uma teoria Estados que emerge do Podengo Português Médio, nativos de cão cachorro diferente do Norte da África, a mais amplamente aceita teoria é que essa variedade, descende diretamente do Podengo Português Grande.

O pequeno cão Português, por vezes descrita como um Chihuahua mais pesado (Não há nenhum parentesco entre essas duas raças), muitas vezes colaborar nas tarefas de caça com seus pares maiores, Este cão é colocado na toca dos coelhos e assustá-los assim que eles saem e eles são caçados por seu colega Pack.

No norte de Portugal ainda hoje é usado para caça coelhos e pequenos patifes. Matilha de caça ou apenas. Enquanto o resto do país, você pode ver este cão, sua popularidade se encontra no norte do mesmo.

Características físicas

Conforme especificado acima, De acordo com o tamanho, Existem três variedades do Podengo-português, Grande, Médio- e Pequeno:

  • Podengo Português Grande: É uma variedade muito rara e está em perigo de extinção, especialmente a variedade suave. Frequentemente utilizados em embalagens para caçar presas grandes tais como veado ou javali. É a raça apenas Português usada para caça javali. Seu manto pode ser curto e liso (menos comum, à beira da extinção) ou áspero e long.
  • Podengo Português Médio: É o mais rápido das três variedades, excelente caçador de coelhos e lebres. Você pode caçar no Pack ou solo. Como o cão de caça grande do português, seus revestimentos podem ser lisas ou ásperas e curto e longo. Esta é a mais comum das três variedades, e a maior concentração destes cães está localizada no norte de Portugal.
  • Podengo Português Pequeno: Assim como seu irmão médio é um excelente caçador de coelhos e lebres. Responsável por metendo os Burrows (Graças ao seu tamanho e agilidade) para assustar a mãe e o seu Pack companheiros dar caça. O brasão Português Podengo pequeno é curto e liso, apenas.

As variedades as peles de estão relacionados com o mau tempo e adaptação ao mesmo, a variedade suave é mais comum no norte de Portugal, caracterizada por ser uma área molhada, Este brasão e macia é necessário porque ele é seca mais facilmente depois de molhado.

A variedade de cerdas de cabelo encontrados nas áreas mais secas, onde a camada de cabelo tem a função de proteger o cão contra os raios do sol e o clima frio no Inverno. A natureza é sabia…

O pelo curto ou longo, espessura média e brilhante. Em cães com cabelo longo e áspero, os pêlos do focinho são longos (Barba). As cores predominantes são o amarelo e o castanho (com suas variedades de cor clara, a muito escuro), e diluído ou fosco preto; unicolores com ou sem manchas brancas ou manchas brancas.

Sua expectativa de vida é em torno do 12 o 14 anos, e é uma raça que é raramente vista fora de Portugal.

Em geral, é um cão de porte médio, bem proporcionado, muscular com estrutura óssea boa. Há muito tempo, tem cabeça estreita, com crânio moderadamente largo e o focinho pontudo.

O orelhas, grande e triangular, são levados a ereto. Ele tem olhos expressiva e pequeno abaulamento em órbitas, cor mel ou marrom, De acordo com a cor da pele.

A pigmentação das pálpebras é mais escura que do peles. O corpo é bastante longo, com costelas moderadamente arqueada.

O cauda, é forte e pontiagudo, comprimento longo e médio, Realiza-se horizontal ou ligeiramente arqueado na atividade.

Caráter e habilidades

Podengo-português, É seus três variedades tem um caráter Alegre, inteligente e muito sociável com outros cães. Eles são extremamente afetuosos com seus donos, especialmente com as crianças.

Eles são muito tímidos com estranhos, sempre alerta e constante vigilância de seu território, Isso torna-os cães de guarda bons, Embora, Falta-lhe a agressividade que pode mostrar um cão de guarda ou defesa.

Observações

Infelizmente, o Podengo-português É uma das raças caninas encontradas hoje em perigo de extinção, mesmo em Portugal. Não é fácil vê-los para fora de Portugal.

Imagens do Podengo-português

Videos Podengo-português

Tipo e reconhecimentos:

  • CLASSIFICAÇÃO FCI: 94
  • Grupo 4: – Cães de tipo spitz e de tipo primitivo.
  • Seção 7: – Tipo primitivo – cães de caça. Sem prova de trabalho.

Federações:

  • FCI – Grupo 5: Cães tipo Spitz e tipo primitivo – Seção 7: Tipo primitivo - cães de caça.

Padrão FCI da raça Podenco Portuguesa

Padrão FCI da raça Podenco Portuguesa
CABEÇA: Fina, sob a forma de um tronco de pirâmide quadrangular. Sua base é grande e sua ponta bastante afiada. O crânio de eixos longitudinal superior facial diferem.

REGIÃO CRANIANA

  • Crânio: Chato. O perfil é quase em linha reta. As sobrancelhas são proeminentes. O sulco frontal pouco é pronunciado. O aparelho inter espaço é horizontal e a parte de trás da cabeça é proeminente.
  • Depressão frontal naso (Stop): Pouco pronunciado.

REGIÃO FACIAL

  • Nariz: Fina. Ele é fino e oblíquo é truncado; é proeminente em sua extremidade. Sua cor é mais escura do que o revestimento.
  • Cana do nariz: Secção arredondada; perfil reto. É menor que o comprimento do crânio e mais largo na base do que na sua ponta.
  • Lábios: São também aplicados uns aos outros. Eles estão bem, forte e bem reta.
  • MANDÍBULAS/dentes: Normal, mordedura em tesoura, com dentes brancos e sólidos. As duas garras são uma oposição regular. Dentição completa na grande variedade.
  • Bochechas: Finas ou colocadas oblíquas vistas de frente.
  • Olhos: Eles são pouco salientes em órbitas e expressiva. Sua cor vai desde o Mel Brown, De acordo com a cor da pele. Eles são pequenos e oblíquos. A pigmentação das pálpebras é mais escura que a pelagem.
  • Orelhas: Inserção oblíqua e média. Estão em linha reta e alta mobilidade. São verticais para a frente quando o cão está em alerta. São afiados, e largura na base. Forma triangular, fina; uma altura considerável e maior do que a base.

PESCOÇO: Juntou-se harmoniosamente com a cabeça e o tronco. É em linha reta, longo, desde, forte e bem musculado. Apresenta-se sem queixo.

CORPO

  • Top de linha: É em linha reta, nível.
  • Cruz: Apenas ligeiramente visível em relação ao pescoço e costas.
  • Voltar: Em linha reta. É muito tempo.
  • Lombo de porco: Em linha reta. É grande e musculado.
  • Alcatra: Comprimento médio. É grande e musculado; reta, ou pequena gota.
  • No peito: Peitoril musculado e pouca saída. Não é muito amplo. Peito profundo, média amplitude até ao nível dos cotovelos. É muito tempo, com esterno inclinado para trás e para cima. Costelas bem arqueadas e dobrado.
  • Ventre e flancos: Fina; ligeiramente agalgados.
  • Linha inferior: É um pouco alto.

CAUDA: Natural. Conjunto bastante elevado. É forte, grossa e pontiaguda; comprimento médio. Durante o resto cai entre as nádegas, até a altura do jarrete e é ligeiramente arqueado.
Quando o cão está se movendo levanta-se horizontalmente, ligeiramente arqueado, ou dobrada verticalmente em forma de foice, Embora nunca parafusado.

MEMBROS

MEMBROS ANTERIORES: Visto de frente e perfil são apropriados membros. Eles são musculosos e fina.

  • Ombro: Longo, inclinado, bem forte e musculoso, ângulo da escápula - úmero de cerca de 100 °.
  • Cotovelos: Paralelo à linha principal do corpo.
  • Antebraço: Vertical; longo e musculado.
  • Carpo: Delgado, não é importante.
  • Metacarpo: Strong; curto, pequeno oblíquo.
  • Pés dianteiros: Arredondado. Dedos longos, forte, juntos, e bem arqueadas. As unhas são curtas e fortes, de preferência escuro. As almofadas são duráveis e difícil.

MEMBROS POSTERIORES: Visto de traseira e lateral são bem aprumado. Eles são musculosos e fina.

  • Coxa: Longo; bem musculado e de média amplitude.
  • Articulação do joelho: fêmur de ângulo - tíbia aproximadamente 135 °.
  • Perna: É oblíqua, longo, fina, forte e musculado.
  • Hock: Médio alto. É fina e forte. O ângulo do jarrete é abrir cerca de 135 °.
  • Metatarso: É forte, curto, Esporas e oblíquo.
  • Pés traseiros: Eles são arredondados, com dedos longos, forte, juntos, e bem arqueadas. As unhas são curtas e fortes, de preferência escuro. As almofadas são duráveis e difícil.

MOVIMENTO: Rápido e ágil. Trote leve.

PELE: As mucosas são preferencialmente pretas, ou sempre mais escuras que a pelagem. A pele é fina e esticada.

PELES

CABELO: Duas variedades. O cabelo é curto ou longo, médio de espessura. O cabelo é liso, quando é curto, ou áspero ao longo. Cabelo curto é mais abundante do que o cabelo longo.
Em cães com cabelo longo e áspero, os pêlos do focinho são longos (Barba). Não há nenhuma presença de uma camada interna de pêlos.

COR: As cores predominantes são o amarelo e o castanho (com suas variedades de cor clara, a muito escuro), e diluído ou fosco preto); unicolores com ou sem manchas brancas ou manchada de branco.
No cão pequeno as seguintes cores são aceitas, mas não são os preferidos: Black, Marrom com ou sem marcas brancas, ou branco com manchas dessas cores.

TAMANHO E PESO:

Altura à Cruz:

  • Pequeno: 20 – 30 cm.
  • Médio: 40 – 54 cm.
  • Grande: 55 – 70 cm.

Peso:

  • Pequeno: 4 – 6 Kg.
  • Médio: 16 – 20 Kg.
  • Grande: 20 – 30 Kg.

FALHAS: Qualquer desvio dos critérios acima deve ser considerado como falta e a gravidade deste é considerada proporcionalmente o grau de desvio da norma e seus efeitos sobre a saúde e o bem-estar do cão.

  • Comportamento: Sinais de timidez.
  • Focinho / Crânio: Facial de paralelo de eixos longitudinais superiores crânio.
  • Mandíbulas: Oclusão incorrecta ou dentes mal implantados, braçadeira de mordida, dentição incompleta na grande variedade.
  • Trufa: Ausência parcial de pigmentação.
  • Pescoço: Arqueado.
  • Corpo: Linha superior arqueada.
  • Alcatra: Muito íngreme.
  • Esporas: Sua existência não é apreciada.
  • Cabelo: Sedoso e / ou subpêlo.

FALHAS GRAVES:

  • Focinho / Crânio: Crânio facial convergente de eixos longitudinal superior.
  • Trufa: Ausência total de pigmentação.
  • Orelhas: Arredondado.
  • Barriga: Agalgado muito.
  • Cola: Fila de rosca.

FALHAS ELIMINATÓRIAS:

  • Comportamento: Agressividade ou timidez excessiva.
  • Aspecto geral: Sinais de cruzamento com um galgo (Sabujo espanhol) ou um Perdiguero (Braco Português).
  • Mandíbulas: Oposição inadequada dos maxilares.
  • Olhos: Olhos de cores diferentes (Heterocromia).
  • Orelhas: Curvado ou dobrado.
  • Cor: Distribuídos, English Toy Terrier, Tri-color ou totalmente branco.
  • Qualquer cão apresentando sinais claros de anormalidades físicas ou de comportamento deve ser desqualificado.

NOTA: Machos devem apresentar dois testículos de aparência normais, bem desenvolvidos e acomodados a bolsa escrotal.

TRADUCCION: Rafael Santiago (Porto Rico).
Revisão técnica: Miguel Angel Martinez (Federação Cinológica Argentina).

Nomes alternativos:

    1. Portuguese Warren Hound (Inglês).
    2. Podengo portugais, Lévrier portugais (Francês).
    3. Podengo Português (Alemão).
    4. Cão-coelheiro (Português).
    5. Podengo português (español).

Cão-da-serra-de-aires (Serra-d'aires)
Portugal FCI 93 . Cães Pastores

Perro de pastor portugués

O Cão-da-serra-de-aires tem um instinto de rebanho excelente, sempre pronto para cuidar dos bodes

Conteúdo

História

O Cão-da-serra-de-aires tem quase 100 anos.

Este peludo, utilização pecuária e guardião das planícies do Sul de Portugal podem descer a Briard, importado pelo conde de Castro Guimarães e que rode em criados com cães locais de montanha.

Apesar das semelhanças com o Briard e o Pastor-catalão, Não há nenhuma evidência confiável para sugerir uma linha direta de descendência.

Durante a maior parte do século passado, o Cão-da-serra-de-aires foi o companheiro dos pastores no sul de Portugal, mas na década de 1970 foi quase extinto.

Felizmente, o beleza da sua pele e seu predisposição dócil chegou ao conhecimento dos reprodutores. Para este dia, muitos proprietários em Portugal são os proprietários da raça e seu futuro é garantido.

Embora seja praticamente desconhecido fora de seu país de origem, Este cão de aparência lanosa é um cão de classe, digno de maior reconhecimento internacional.
Os proprietários dizem que estes cães pequenos “Macaco”, assim apelidado por sua aparência peculiar e pitoresca expressão, eles foram parte da actividade agrícola e da vida familiar para um tempo muito longo. Tal como acontece com muitas raças de trabalho, a capacidade de trabalho era mais importante que a aparência, e o padrão não foi criado para 1930.

Reconhecimento: CKC, FCI, NKC, APRI, ACR, DRA

Características físicas

O peles do < é longo e liso, com uma leve ondulação. Não têm uma camada de plano de fundo.

O cores Aceitamos amarelo, Brown, castanho vermelho e mais ou menos manchada de cinza com vermelho fogo. Pode haver maior ou menor quantidade de cabelos brancos espalhados ao redor do manto, mas nunca formando manchas, exceto no peito.

O Dicas anteriores eles são simetricamente cobertos com cabelo comprido.
Ele tem uma barba que dá um olhar maduro. O olhos eles são redondos e escuros, com uma expressão amigável. O orelhas tamanho moderado geralmente pendurar nas laterais das bochechas, Embora por vezes cortado. Aparar é proibido em alguns países europeus. Seus pés eles são particularmente adaptávelas para terrenos acidentados. Seus pernas eles são fortes e as suas peito profundidade.

Os machos podem medir de 45 - 55 cm, enquanto medida de fêmeas de 42 - 52 cm. O peso deve ser entre 12 e 18 kg.

O cabelo é mais longo na cabeça dando estes cães um bangs curiosos e confusas.
Ele tem um cabeça grande e robusto, com um nariz proeminente e uma mandíbula forte. O cauda, muito perto da base, bota alta, ela atinge o jarrete e afilado.

Sua expectativa de vida é de 12-13 anos.

Caráter e habilidades

O Cão-da-serra-de-aires É um dos pastores a mais inteligentes. Este é um cão grande, alegre, feliz e sempre pronto para trabalhar. Muito leal e emparelhado com sua própria cidade.

O Cão-da-serra-de-aires precisa de um treinamento bem equilibrado. Ele tem um acima da inteligência média e aprende rapidamente e facilmente, mas ele pode ser teimoso e dominante se eles sentem que seus proprietários não têm a mesma mentalidade. Por conseguinte, Ele sempre foi um desafio para os pastores. Uma vez treinados, Este é o cão mais confiável um proprietário pode ter. Requer educadores seguros e fortes. Estes cães podem viver com outros animais, Embora alguns homens podem tentar dominar outros machos. Eles podem viver feliz com outros animais de estimação, desde que tenham sido devidamente socializados.

O Cão-da-serra-de-aires geralmente é paciente com crianças, mas os machos, em particular, eles podem ser muito possessivos no seu território. Esta raça é reservada com estranhos, e eles fazem um bom trabalho como um cão de guarda.

É muito Bom pastor com gado, que vai defender incansavelmente. Estes cães são conhecidos por sua atitude rápida, inteligente e são particularmente bons para trazer de volta os cães vadios. Eles amam seu proprietário acima de tudo na terra. Não costumam morder a menos causar-lhe.

Imagens “Cão-da-serra-de-aires”

Vídeos “Cão-da-serra-de-aires”

Tipo e reconhecimentos:

  • CLASSIFICAÇÃO FCI:Grupo 1 –> Cães de Pastor e Boiadeiros, exceto Boiadeiros Suíço. / Seção 1 –> de pastor. Sem prova de trabalho.
  • FCI 93
  • Federações: FCI , AKC , ANKC , UKC
  • Padrão FCI da raça Cão-da-serra-de-aires (Serra-d'aires)

Nomes alternativos:

    1. Monkey dog, Cão da Serra de Aires (Inglês).
    2. Berger de la Serra de Aires, CHIEN DE BERGER DE LA SERRA DE AIRES (Francês).
    3. PORTUGIESISCHER SCHÄFERHUND (Alemão).
    4. Serra-d’aires (Português).
    5. Perro de pastor portugués (español).

Cão da Serra da Estrela
Portugal FCI 173 - Molossóides . Montanha

Cão da Serra da Estrela

O Cão da Serra da Estrela é um cão grande, as linhas ásperas e aparência poderosa

Conteúdo

História

O cão da Serra da Estrela (Cão da Serra da Estrela) É uma raça de cão nativo de Portugal, na região montanhosa que leva o mesmo nome. Ele tem todas as qualidades necessárias nesta região selvagem, é inteligente, leal e corajoso.

Alguns defendem a teoria de que foram introduzidas em Portugal pelos visigodos e, lentamente, a várias partes da Europa. O Cão da Serra da Estrela foi usado - principalmente- nas áreas montanhosas para acompanhar os pastores e rebanhos em suas migrações anuais, defesa dos Lobos e ladrões.

Acredita-se que as duas variedades de pêlos existentes: cabelo curto e pelo longo, eles são devido a variações regionais. Ao contrário do que seria esperado, a região mais quente, a região de Manteigas, Isto é onde você pode encontrar cães de cabelos longos, Enquanto o cabelo curto variedades foram mais frequentes no norte, em Gouveia e Seia. Cruzamentos entre estas duas variedades foram freqüentes.

Em 1934 o padrão da raça foi redigido, Foi estabelecido de acordo com suas duas variedades de pelagem. A partir deste ponto, o cruzamento entre duas variedades tornou-se indesejável. A publicação da regra em 1966 e o reconhecimento da raça pela FCI, eles não trouxeram mais popularidade para a corrida. Ao longo dos anos 60 e 70, Portugueses emigraram à procura de fuga do regime da pobreza. A população de cães da Serra da Estrela diminuiu drasticamente nesse período, mas a dedicação de alguns criadores permitiu a continuidade da raça.

Hoje, o Cão da Serra da Estrela é altamente solicitado, especialmente a variedade de cabelos longos. Enquanto a variedade de cabelo curto era mais numerosos no início do século passado, é a variedade de cabelos longos que se destaca, especialmente por ser mais atraente e elegante, com um maior. Isso fez os criadores incidirá principalmente sobre a variedade de cabelos longos. Hoje a variedade de cabelo curto é particularmente vulneráveis e raras.

Características físicas

O cão da Serra da Estrela é uma cachorro grande, as linhas ásperas e aparência poderosa. O cabeça é enorme, arredondados e com uma caveira deslumbrante. Ele tem olhos ovais, muito expressivo, Inteligente e sereno.
O orelhas eles são pequenos e pingentes, coberto com uma pele macia.

Trote tipo Mastiff, Cão da Serra da estrela tem um peito largo e uma garupa ligeiramente caindo. Os membros são fortes e musculosos. A cauda é longa, grossa e um pouco de queda.

Existem duas variedades do cão da Serra da Estrela: cabelo comprido e cabelo curto. O cabelo é forte, espessura, mas não demasiado áspero. Em algumas regiões é mais do que outros, especialmente na fila, em torno do pescoço e costas.

Só é permitido as cores tawny, Tremoço e amarelo, monocromática ou em mármore.

Observações

Cão da Serra da Estrela é uma cão saudável, devido a forte seleção natural que foi exposto. No entanto, Existem algumas doenças de animais de grandes porte com maior incidência na raça. O Displasia um deles é, especialmente a do quadril. Devido a esta tendência, os proprietários devem usar dietas de qualidade, não exercer também seu cão quando ele é jovem, evitar as escadas íngremes, quebras e Pisos escorregadios.

O variedade de cabelos longos eles requerem mais manutenção: escovado diariamente para desembaraçar o cabelo.
O variedade de cabelo curto apenas necessita de escovagens semanais. Banho só deve ser administrado, apenas, Quando não pode ser evitado,Uma vez que a oleosidade protetora da pele pode ser danificada por produtos de limpeza.

Caráter e habilidades

O Cão da Serra da Estrela sempre foi mantido com as ovelhas, Enquanto pastor foi afastado de seu rebanho o cão desenvolveu uma organização independente e isso levou a seu caráter de cão de guarda excelente.

Ele também é usado para defesa pessoal e como um tiro de cão.

A Serra da Estrela, devido ao seu isolamento e de difícil acesso, Tornou-se a casa desta raça de cão. Seu cabelo duro ajuda você a sobreviver os invernos da região. Cada raça tem sua especificidade desenvolvida ao longo de sua existência, de sua própria história.

Isto faz de natureza independente mais ou menos que esta raça se adapta bem aos tempos modernos, onde em vez de cuidar de won, à espera de seus proprietários retornar do trabalho no final do dia. Eles têm paciência de lote.

A beleza deste cão, sua inteligência e força, eles são os recursos que permitem que você seja além de uma excelente guarda, uma boa família cão e muito tolerante com crianças.

Habitat do Cão da Serra da Estrela

O Cão da Serra da Estrela é um cachorro grande com um grande impulso. Por conseguinte, um apartamento na cidade não é ideal para ele. Flutuações de tempo e temperatura não o incomodam muito, então você prefere passar o dia ao ar livre. Por conseguinte, o ideal é uma casa com um grande pátio ou jardim onde você pode se mover livremente. Além disso, não quer prescindir de suas longas caminhadas. Para muitos outros esportes caninos, exigindo obediência confiável, é, no entanto, pouco adequado devido à sua obstinação.

Nutrição do Cão da Serra da Estrela

O Cão da Serra da Estrela requer uma porção correspondentemente grande de alimentos, que também deve ser considerado ao comprá-lo. A alimentação adequada do cão ajuda a mantê-lo saudável por um longo tempo. Se alguém deseja usar alimentos secos ou molhados é uma questão de preferência pessoal. Em especial, nutrição durante o crescimento, especialmente em cães grandes, define o curso para mais tarde na vida.

Enquanto filhotes e cães adultos precisam de energia suficiente, cães jovens precisam de uma dieta adaptada, rico em proteínas, para garantir que seus músculos e esqueleto cresçam uniformemente. Se o cão jovem cresce muito rápido com alimentos muito ricos em energia, existe o risco de problemas permanentes nas articulações e má posição. Além disso, Note-se que todas as raças grandes de cães correm o risco de perturbar o estômago se a ração diária for administrada de uma só vez.. Por conseguinte, é melhor e mais saudável dividir os alimentos em pelo menos duas porções de manhã e à noite e depois dar ao animal uma pausa para digestão.

Educação e cuidados

Devido à estreita conexão do Cão da Serra da Estrela com seres humanos e sua boa compreensão, boas condições são criadas para uma educação intencional. No entanto, a própria cabeça da corrida não deve ser subestimada. O cão do Cão da Serra da Estrela reage teimosamente a muita dureza no treinamento e às ordens que ele considera sem sentido. Como um resultado., a chave certa para um treino bem sucedido é a paciência, empatia e uma mão consistente. Durante o treinamento, atenção especial deve ser dada à tendência de dominar, especialmente em homens.

Embora isso raramente seja dirigido contra seres humanos, mas principalmente contra outros cães grandes, pode perturbar a interação harmoniosa e, acima de tudo, O caminhante. Idealmente, grande importância deve ser dada à socialização já existente no criador. Você também deve praticar conhecer outros cães o mais rápido possível após a mudança.. Você pode aprender que outros cães são um enriquecimento e não um perigo e que o comportamento dominante não é tolerado. Em uma boa escola de cães, você receberá muitas dicas quando estiver em dúvida, o que facilitará a gestão do seu cão da Serra da Estrela.

Muito escovado na troca de casaco

O Cão da Serra da Estrela tem uma pelagem densa com muito subpêlo, que se adapta às condições climáticas. A mudança de pelagem é, portanto, forte nesta raça. Facilitar esse processo para o animal e reduzir a quantidade de pêlos de cachorro em casa, deve ser escovado suficiente e corretamente, especialmente durante o período. Ideal para esse fim são as escovas especiais, eles podem pentear a camada inferior. Fora da mudança de fase do pêlo, escove uma vez por semana.. O restante da preparação é limitado a um mínimo. Especialmente se o cachorro estiver do lado de fora e muito nos prados e florestas, deve ser verificado regularmente quanto a parasitas. Sim é necessário, garras devem ser encurtadas com um alicate.

Saúde e doenças típicas

O Cão da Serra da Estrela É um animal muito robusto que não precisa lutar contra as doenças típicas da raça. No entanto, sendo uma raça muito grande, você pode sofrer de displasia da articulação do quadril. Os criadores reconhecidos pela FCI usam apenas os pais que não são afetados por esta doença para fins de reprodução., o que também reduz bastante o risco de a prole.

A expectativa de vida de um Cão da Serra da Estrela

Como uma raça saudável, o Cão da Serra da Estrela atinge uma idade de 10 - 12 anos sem dificuldade e geralmente sem muitas visitas ao veterinário. Nutrição e paternidade adequadas são os pré-requisitos para uma vida longa e saudável.

Fotos Cão da Serra da Estrela

Vídeos Cão da Serra da Estrela

Tipo e reconhecimentos:

  • CLASSIFICAÇÃO FCI:Grupo 2 –> Cães do tipo Pinscher e Schnauzer – Molossóides- Cães Swiss Mountain e Pecuária. / Seção 2.2 –> Molossos, tipo de montanha. Sem prova de trabalho.
  • FCI 173
  • Federações: FCI , AKC , ANKC , KC , NZKC , UKC – Será que a AKC não tem seu próprio padrão e, em vez está ligada à FCI
  • FCI padrão da raça Cão da Serra da Estrela

    OLHAR GERAL : O cão da Serra da Estrela é um tipo de mastim. Existem duas variedades de cabelo: longo e curto. Rústico, de muita substância com um forte movimento e atitudes impressionantes.

    A raça tem um olhar alegre, calmo e expressivo. Bem proporcionado, morfologicamente perfeito, Compacto e rústico ; a harmonia do conjunto é notável e mostra uma pureza étnica das antigas corridas do passado.

    PROPORÇÕES IMPORTANTES :

    Médio longo (Sub longuilineo) para lineo médio. Profundidade do peito é menos da metade de sua altura na cernelha. O focinho e crânio devem ser aproximadamente o mesmo comprimento, Se não é assim, o crânio deve ser ligeiramente mais longo.

    TEMPERAMENTO E COMPORTAMENTO :

    Inseparável companheiro do pastor e guarda fiel do rebanho protegem contra predadores e ladrões. Famílias e fazendas de guarda excelente cão, desconfiado com estranhos e normalmente dócil para com seu mestre.

    CABEÇA : Strong, volumoso. Ele é alongado e perfil ligeiramente convexo Ver. Bem posicionado e fornecido para o corpo, o mesmo que o relacionamento que mantêm o crânio e facial, acentuar a harmonia do conjunto. Pele lisa sobre o crânio e bochechas.

    REGIÃO CRANIANA:

    Crânio : Bem desenvolvido, arredondado crânio facial longitudinal superior eixos ligeiramente divergentes. Perfil convexo, arcos superciliares pouco desenvolveram com uma prega frontal pouco aparente. Nenhuma protuberância occipital proeminente.

    Links de depressão (Stop) : Pronuncia-se ligeiramente, localizado a uma distância de mais ou menos igual entre a extremidade do nariz e a protuberância occipital.

    REGIÃO FACIAL :

    Trufa : Em linha reta e alinhada com a ponte nasal, Janelas bem abertas, grande e preto.

    Focinho : Alongada, emagrecimento progressivamente em direcção à ponta do nariz, mas não ser afiada. Cana-de-nariz quase em linha reta, Embora um pouco viciado no final.

    Lábios : Bem desenvolvidos mas não grossa, bem ligado sem inclinação. As mucosas da boca e palato, assim como a borda dos lábios muito pigmentados de pretos.

    Mandíbulas / Dentes : Boca bem definida com maxilas bem desenvolvidas, dentição completa com dentes fortes, Branco e bem implementada e boa oclusão. Preferência mordida em tesoura, aceitando a mordida no grampo.

    Olhos : Horizontal, forma oval, a nível da cabeça ; são médias, destinado a pequenas, simétrico e aberto, com uma expressão calma e alerta ; Âmbar escuro, de preferência de cor. As pálpebras estão bem ligadas e pigmentadas bordas pretas. Sobrancelhas uma pouco marcadas.

    Orelhas : Pequeno em relação ao restante do crânio, forma triangular, fina, arredondada em sua extremidade inferior, pingentes ; inserido em uma altura média, se inclina ligeiramente para trás e pendure-se para os lados da cabeça perto de bochechas, revelando uma parte do seu lado interno da base (chamado orelha-de-rosa).

    PESCOÇO : Em linha reta, curto e grosso, correctamente colocadas sobre os ombros e com uma ligeira barbela, mas não exagerado.

    CORPO :

    Top de linha : Em linha reta. Nível.

    Voltar : Curto de preferência, bem musculado.

    Lombo de porco : Região lombar ampla, curto, muscular e inserido corretamente para a garupa.

    Alcatra : Ligeiramente inclinado, curto, largo e musculado. A altura na garupa deve ser igual ou ligeiramente maior que a altura na cernelha.

    No peito : Arredondado, sem ser cilíndrico, ampla, longo e bem desceu.

    Linha inferior : A linha inferior deve elevar gradualmente e suavemente do esterno às virilhas, barriga não muito grande, proporcionalmente a substância do animal e harmoniosamente ligado com o corpo.

    CAUDA : Robusto, longo, cuja ponta atinge a junção quente – Quando o cão está em pé ou no resto do pé. É grosso em forma de "Cimitarra", inserido em uma altura média, bem cobertos com listras na variedade de longos cabelos e pêlos ; é um gancho no final.

    A cauda é feita abaixo da linha horizontal e cai naturalmente entre as coxas quando o cão está em repouso ; Quando ele é estimulado ou ação demora superior linha horizontal formando um encurvamento para cima, Vá em frente, para os lados ou para baixo.

    MEMBROS

    MEMBROS ANTERIORES : Prumo, com ossos e articulações fortes, bastante aberto com ângulos de movimento irrestrito.

    Antebraço : Em linha reta, paralelo, longo, com osso forte e sempre de forma cilíndrica.

    Pé anterior : Desde, nunca demasiado redondo ou muito longo, Eu entre o pé de Jack e um pé de lebre (não abra), espessura, dedos apertaram com abundante cabelo entre os dedos, Unhas escuras, preferencialmente preto, bem desenvolvido, almofadas grossas e duras.

    MEMBROS POSTERIORES :

    Prumo, com ossos e articulações fortes, bastante aberto com ângulos de movimento irrestrito.

    Hock : Um pouco baixo, abertura média, nunca inclinada ou.

    Metatarso : Vertical, sempre de forma cilíndrica. Possível presença de esporão simples ou dupla.

    Pé traseiro : Idêntico do pé anterior.

    MOVIMENTO : Normal e light.

    PELES

    CABELO : Cabelo: Strong, muito abundante, um pouco espessa, sem dureza excessiva com textura semelhante do cabelo da cabra. O subhair é composto de um cabelo fino, curto, abundantes e emaranhados. Geralmente mais leve do que a cor do cabelo de exterior.

    Variedade de cabelos longos : Cabelo liso ou ligeiramente ondulado exterior, Eu desigual e algumas áreas. No membro, abaixo dos cotovelos e pata é mais curta e mais densa, bem como sobre a cabeça, orelhas é gradualmente mais curtos da base até a ponta, ser mais fino e mais macio. É mais longa na fila, onde é bem grosso, cabelos grossos e longos. Em torno do pescoço e garganta e coxas abundantes cabelos longos, bem como sobre os lados do antebraço.

    Cabelo curto de variedade : Cabelo curto, distribuídos uniformemente sobre o corpo, um pouco mais curto na cabeça e membros, sem ter o cabelo mais.

    COR

    As seguintes cores são aceites e consideradas típicas:

    – Sólido: Amarelo, Fulvo e cinza em todas as escalas de intensidade da cor;

    – Lobo cinzento: Griffon, tons de amarelos e cinza, geralmente com shaders mais claras e escuras.

    – Distribuídos: Griffon, amarelo ou cinza como base com uma cor preta tigrada.

    Uma máscara escura é típica na área crânio facial.

    Manchas brancas são permitidas somente em Membros ou pés antes e depois e uma extensão muito pequena na região inferior do pescoço e peito.

    TAMANHO :

    Machos : 65 - 73 cm.

    Fêmeas : 62 - 69 cm.

    Tolerância + 2 cm.

    PESO :

    Machos: 45 – 60 Kg.

    Fêmeas: 35 – 45 Kg.

    FALHAS : Qualquer desvio dos critérios acima é considerado faltando e a gravidade é considerada o grau de desvio do padrão e seu impacto sobre a saúde e o bem-estar do cão.

    • Aparência : Má aparência geral, magreza ou obesidade.
    • Altura: Fora dos limites da norma, mas com uma tolerância de 2 cm. o limite superior.
    • Cabeça muito estreito, longo e pontudo.
    • Olhos: cor clara.
    • Orelhas : inserido incorretamente, muito carnuda ou redondas. Suspensão totalmente plana.
    • Cola : Porta na parte traseira. Ausência de gancho.
    • Cor : Ausência de máscara escura.

    FALHAS GRAVES

    • Comportamento : Animais que apresentam sinais de timidez ou nervosismo.
    • Cola : Amputados ou rudimentar.
    • Trufa : Narinas pálidas, Trufa parcialmente nonpigmented.
    • Orelhas : Amputada.
    • Cabelo : Diferente do descrito acima.
    • Altura:

    Machos : Abaixo o 65 cm. ou acima 75 cm.

    Fêmeas: Abaixo o 62 cm. ou acima 71 cm.

    FALHAS ELIMINATÓRIAS

    • Comportamento : Agressivo ou muito tímido.
    • Tipicidade : Atípica.
    • Cabeça : Demasiado estreitas, por muito tempo e muito afiado, total ausência de tipo molossoide.
    • Mandíbulas : Prognatismo ou enognatismo.
    • Olhos : Olhos de diferentes cores ou tamanho diferente.
    • Cola : Anurismo.
    • Cabelo : Completamente diferente para o típico cabelo.
    • Cor : Qualquer outra cor que não é mencionado na norma. Albinismo.

    Qualquer cão mostrando sinais comportamentais ou anormalidades físicas claras será desclassificado

    OBS.. : Machos devem apresentar dois testículos de aparência normais, bem desenvolvidos e acomodados a bolsa escrotal.

    TRADUCCION : Federação Mexicana de Canófila, A.C..

    Revisão técnica : Miguel Angel Martinez (Federação Cinológica Argentina).

Nomes alternativos:

    1. Portuguese Shepherd (Inglês).
    2. Chien de montagne portugais (Francês).
    3. Serra da Estrela Berghund (Alemão).
    4. Perro de la sierra de la Estrela (Português).
    5. Perro de la Sierra de la Estrela (español).

Cão de Castro Laboreiro
Portugal FCI 170 - Molossóides . Montanha

Perro de Castro Laboreiro

O Cão de Castro Laboreiro É um cão de excelente guarda e companheiro

Conteúdo

História

O Cão de Castro Laboreiro (Cão de Castro Laboreiro) É uma raça de cão portuguesa de tamanho grande. Originários da freguesia de Castro Laboreiro, Melgaço, é que um tipo de cão lupóide amastinado é mais leve do que outras raças de cães de gado.

O Cão de Castro Laboreiro tem sua origem na região que lhe deu o nome, o povo de Castro Laboreiro, no concelho de Melgaço. É uma região montanhosa acidentada que se estende desde o Rio Minho Peneda e montanhas de Soajo entre os rios Trancoso, Laboreiro e moro, até que em torno de 1400 m acima do nível do mar.

Como o cão., Castro Laboreiro é uma das regiões mais antigas da terra portuguesa. Os vestígios pré-históricos como Antas e pinturas rupestres, Eles demonstram a presença do homem na região há milhares de anos. Os pontos fortes são a prova da forte presença da cultura celta na região. Também os celtas e romanos veio aqui, Estradas romanas e construindo pontes com suas metas.. As comunidades castrejas sempre viveram de caça, pesca, pastagem e agricultura.

Ler mais