Cão d'Água Português
Portugal FCI 37

Perro de Agua Portugués

O Cão d'Água Português É pouco conhecido, Espanha e no resto da Europa.

O Cão d'Água Português (Cão de Água Português) É uma raça de cão do Algarve, Portugal. Eles foram usados como cães de trabalho por pescadores de tempos imemoriais, mas no século XX tornaram-se uma raça rara.

Leia tudo sobre a corrida, clicando em: Cão de Água Português.

  • Outros nomes: Cão de água português / Portie / PWD / Water Dog / Portuguese Water Dog / Portugiesischer Wasserhund / Chien d’eau portugais.
  • Grupo 8 / Seção 3 – Cães de Água.

Raças de cães: Cão d'Água Português


Cão de Água Português
Portugal FCI 37 - Cão d'Água Português

Cão de Água Português

O Cão d'Água Português É uma espécie e raça do paciente.

conteúdo

O Cão de Água Português (Cão d'Água Português) É uma raça de cão do Algarve, Portugal. Eles foram usados como cães de trabalho por pescadores de tempos imemoriais, mas no século XX tornaram-se uma raça rara.

Enquanto, as origens da raça são um tanto obscuras, E se uma certeza é que a história destes cães é muito antiga.
Uma provável referência à água Português Cão é encontrada no texto de um monge, que em 1297 Ele descreveu o resgate de um marinheiro por um cão com características semelhantes do que a corrida hablamos… “cabelo longo, preto, cortar até a primeira costela, e com um tufo na ponta da cauda“.

Ler maisCão de Água Português

Razas de Podenco
Italia España Portugal Grecia Francia Túnez Malta

Razas de Podenco

Podenco raças diferentes caracterizam-se por pequenas ladradoras, extremamente rápido e inteligente para a caça.

conteúdo

Ele é chamado Sabujo um tipo de cão de origens antigas. Existem várias corridas hoje ao longo de todo o Mediterrâneo: a origem destas corridas modernas é acreditada para ser no antigo Egito (especificamente na corrida de Tesem) e que os cães foram transmitidos pela costa do mar Mediterrâneo pelos fenícios. Sua aparência lembra um pouco um chacal ou a imagem de Dios egípcio Anúbis.

Ler maisRazas de Podenco

Podengo-português
Portugal FCI 94 . Tipo primitivo - cães de caça

Podenco Portugués

O Podengo-português é uma raça de cão que está em perigo de extinção.

conteúdo

História

O Podengo-português É considerada uma das mais antigas raças de cães, que tem suas origens Fenícios, matriz cultural da qual descendem os portugueses. É uma raça nativa de Portugal, com grandes habilidades para a caça, mas também de vigilância, É comumente usado em fazendas para alerta da presença de intrusos.

A grande família da raça de cão, especialistas no tópico levantado ela foi em Portugal onde a maioria submetida a atravessar e, como resultado, linhagem ramificada. Dentro de seus antepassados argumentam que talvez o mais próximo do Podengo ibicenco, e viveram vários tipos de cães de vestígios de (e eles habitam) toda a área mediterrânica. Como todos os cães hound, A história mostra que eles são representados nas pinturas egípcias de milhares de anos atrás.

De acordo com o tamanho, Existem três variedades do Podengo-português, Grande, Pequenas e médias, sendo cada variedade, produtos da travessia diferente, ao longo do tempo.

Acredita-se que a grande variedade surgiu a variedade de Podengo Português pequeno e médio, o ancestral da variedade Grande é o Pharaoh hound Se estendia do Norte de África a Península Ibérica. Embora outros autores levantar que é possível que o cão descende de Lobos ibéricos pequenos. Ainda controversia…

Enquanto uma teoria Estados que emerge do Podengo Português Médio, nativos de cão cachorro diferente do Norte da África, a mais amplamente aceita teoria é que essa variedade, descende diretamente do Podengo Português Grande.

O pequeno cão Português, por vezes descrita como um Chihuahua mais pesado (Não há nenhum parentesco entre essas duas raças), muitas vezes colaborar nas tarefas de caça com seus pares maiores, Este cão é colocado na toca dos coelhos e assustá-los assim que eles saem e eles são caçados por seu colega Pack.

No norte de Portugal ainda hoje é usado para caça coelhos e pequenos patifes. Matilha de caça ou apenas. Enquanto o resto do país, você pode ver este cão, sua popularidade se encontra no norte do mesmo.

Características físicas

Conforme especificado acima, De acordo com o tamanho, Existem três variedades do Podengo-português, Grande, Médio- e Pequeno:

  • Podengo Português Grande: É uma variedade muito rara e está em perigo de extinção, especialmente a variedade suave. Frequentemente utilizados em embalagens para caçar presas grandes tais como veado ou javali. É a raça apenas Português usada para caça javali. Seu manto pode ser curto e liso (menos comum, à beira da extinção) ou áspero e long.
  • Podengo Português Médio: É o mais rápido das três variedades, excelente caçador de coelhos e lebres. Você pode caçar no Pack ou solo. Como o cão de caça grande do português, seus revestimentos podem ser lisas ou ásperas e curto e longo. Esta é a mais comum das três variedades, e a maior concentração destes cães está localizada no norte de Portugal.
  • Podengo Português Pequeno: Assim como seu irmão médio é um excelente caçador de coelhos e lebres. Responsável por metendo os Burrows (Graças ao seu tamanho e agilidade) para assustar a mãe e o seu Pack companheiros dar caça. O brasão Português Podengo pequeno é curto e liso, apenas.

As variedades as peles de estão relacionados com o mau tempo e adaptação ao mesmo, a variedade suave é mais comum no norte de Portugal, caracterizada por ser uma área molhada, Este brasão e macia é necessário porque ele é seca mais facilmente depois de molhado.

A variedade de cerdas de cabelo encontrados nas áreas mais secas, onde a camada de cabelo tem a função de proteger o cão contra os raios do sol e o clima frio no Inverno. A natureza é sabia…

O cabelo curto ou longo, espessura média e brilhante. Em cães com cabelo longo e áspero, os pêlos do focinho são longos (Barba). As cores predominantes são o amarelo e o castanho (com suas variedades de cor clara, a muito escuro), e diluído ou fosco preto; unicolores com ou sem manchas brancas ou manchas brancas.

Sua expectativa de vida é em torno do 12 o 14 anos, e é uma raça que é raramente vista fora de Portugal.

Em geral, é um cão de porte médio, bem proporcionado, muscular com estrutura óssea boa. Há muito tempo, tem cabeça estreita, com crânio moderadamente largo e o focinho pontudo.

O orelhas, grande e triangular, são levados a ereto. Ele tem olhos expressiva e pequeno abaulamento em órbitas, cor mel ou marrom, De acordo com a cor da pele.

A pigmentação das pálpebras é mais escura que do peles. O corpo é bastante longo, com costelas moderadamente arqueada.

O cauda, é forte e pontiagudo, comprimento longo e médio, Realiza-se horizontal ou ligeiramente arqueado na atividade.

Caráter e habilidades

Podengo-português, É seus três variedades tem um caráter Alegre, inteligente e muito sociável com outros cães. Eles são extremamente afetuosos com seus donos, especialmente com as crianças.

Eles são muito tímidos com estranhos, sempre alerta e constante vigilância de seu território, Isso torna-os cães de guarda bons, Embora, Falta-lhe a agressividade que pode mostrar um cão de guarda ou defesa.

Observações

Infelizmente, o Podengo-português É uma das raças caninas encontradas hoje em perigo de extinção, mesmo em Portugal. Não é fácil vê-los para fora de Portugal.

Imagens do Podengo-português

Videos Podengo-português

Tipo e reconhecimentos:

  • CLASSIFICAÇÃO FCI: 94
  • Grupo 4: – Cães de tipo spitz e de tipo primitivo.
  • Seção 7: – Tipo primitivo – cães de caça. Sem prova de trabalho.

Federações:

  • FCI – Grupo 5: Cães tipo Spitz e tipo primitivo – Seção 7: Tipo primitivo - cães de caça.

Padrão FCI da raça Podenco Portuguesa

Padrão FCI da raça Podenco Portuguesa
CABEÇA: Fina, sob a forma de um tronco de pirâmide quadrangular. Sua base é grande e sua ponta bastante afiada. O crânio de eixos longitudinal superior facial diferem.

REGIÃO CRANIANA

  • Crânio: Chato. O perfil é quase em linha reta. As sobrancelhas são proeminentes. O sulco frontal pouco é pronunciado. O aparelho inter espaço é horizontal e a parte de trás da cabeça é proeminente.
  • Depressão frontal naso (Stop): Pouco pronunciado.

REGIÃO FACIAL

  • Nariz: Fina. Ele é fino e oblíquo é truncado; é proeminente em sua extremidade. Sua cor é mais escura do que o revestimento.
  • Cana do nariz: Secção arredondada; perfil reto. É menor que o comprimento do crânio e mais largo na base do que na sua ponta.
  • Lábios: São também aplicados uns aos outros. Eles estão bem, forte e bem reta.
  • MANDÍBULAS/dentes: Normal, mordedura em tesoura, com dentes brancos e sólidos. As duas garras são uma oposição regular. Dentição completa na grande variedade.
  • Bochechas: Finas ou colocadas oblíquas vistas de frente.
  • Olhos: Eles são pouco salientes em órbitas e expressiva. Sua cor vai desde o Mel Brown, De acordo com a cor da pele. Eles são pequenos e oblíquos. A pigmentação das pálpebras é mais escura que a pelagem.
  • Orelhas: Inserção oblíqua e média. Estão em linha reta e alta mobilidade. São verticais para a frente quando o cão está em alerta. São afiados, e largura na base. Forma triangular, fina; uma altura considerável e maior do que a base.

PESCOÇO: Juntou-se harmoniosamente com a cabeça e o tronco. É em linha reta, longo, desde, forte e bem musculado. Apresenta-se sem queixo.

CORPO

  • Top de linha: É em linha reta, nível.
  • Cruz: Apenas ligeiramente visível em relação ao pescoço e costas.
  • Voltar: Em linha reta. É muito tempo.
  • Lombo de porco: Em linha reta. É grande e musculado.
  • Alcatra: Comprimento médio. É grande e musculado; reta, ou pequena gota.
  • No peito: Peitoril musculado e pouca saída. Não é muito amplo. Peito profundo, média amplitude até ao nível dos cotovelos. É muito tempo, com esterno inclinado para trás e para cima. Costelas bem arqueadas e dobrado.
  • Ventre e flancos: Fina; ligeiramente agalgados.
  • Linha inferior: É um pouco alto.

CAUDA: Natural. Conjunto bastante elevado. É forte, grossa e pontiaguda; comprimento médio. Durante o resto cai entre as nádegas, até a altura do jarrete e é ligeiramente arqueado.
Quando o cão está se movendo levanta-se horizontalmente, ligeiramente arqueado, ou dobrada verticalmente em forma de foice, Embora nunca parafusado.

MEMBROS

MEMBROS ANTERIORES: Visto de frente e perfil são apropriados membros. Eles são musculosos e fina.

  • Ombro: Longo, inclinado, bem forte e musculoso, ângulo da escápula - úmero de cerca de 100 °.
  • Cotovelos: Paralelo à linha principal do corpo.
  • Antebraço: Vertical; longo e musculado.
  • Carpo: Delgado, não é importante.
  • Metacarpo: Strong; curto, pequeno oblíquo.
  • Pés dianteiros: Arredondado. Dedos longos, forte, juntos, e bem arqueadas. As unhas são curtas e fortes, de preferência escuro. As almofadas são duráveis e difícil.

MEMBROS POSTERIORES: Visto de traseira e lateral são bem aprumado. Eles são musculosos e fina.

  • Coxa: Longo; bem musculado e de média amplitude.
  • Articulação do joelho: fêmur de ângulo - tíbia aproximadamente 135 °.
  • Perna: É oblíqua, longo, fina, forte e musculado.
  • Hock: Médio alto. É fina e forte. O ângulo do jarrete é abrir cerca de 135 °.
  • Metatarso: É forte, curto, Esporas e oblíquo.
  • Pés traseiros: Eles são arredondados, com dedos longos, forte, juntos, e bem arqueadas. As unhas são curtas e fortes, de preferência escuro. As almofadas são duráveis e difícil.

MOVIMENTO: Rápido e ágil. Trote leve.

PELE: As mucosas são preferencialmente pretas, ou sempre mais escuras que a pelagem. A pele é fina e esticada.

PELES

CABELO: Duas variedades. O cabelo é curto ou longo, médio de espessura. O cabelo é liso, quando é curto, ou áspero ao longo. Cabelo curto é mais abundante do que o cabelo longo.
Em cães com cabelo longo e áspero, os pêlos do focinho são longos (Barba). Não há nenhuma presença de uma camada interna de pêlos.

COR: As cores predominantes são o amarelo e o castanho (com suas variedades de cor clara, a muito escuro), e diluído ou fosco preto); unicolores com ou sem manchas brancas ou manchada de branco.
No cão pequeno as seguintes cores são aceitas, mas não são os preferidos: Black, Marrom com ou sem marcas brancas, ou branco com manchas dessas cores.

TAMANHO E PESO:

Altura à Cruz:

  • Pequeno: 20 – 30 cm.
  • Médio: 40 – 54 cm.
  • Grande: 55 – 70 cm.

Peso:

  • Pequeno: 4 – 6 Kg.
  • Médio: 16 – 20 Kg.
  • Grande: 20 – 30 Kg.

FALHAS: Qualquer desvio dos critérios acima deve ser considerado como falta e a gravidade deste é considerada proporcionalmente o grau de desvio da norma e seus efeitos sobre a saúde e o bem-estar do cão.

  • Comportamento: Sinais de timidez.
  • Focinho / Crânio: Facial de paralelo de eixos longitudinais superiores crânio.
  • Mandíbulas: Oclusão incorrecta ou dentes mal implantados, braçadeira de mordida, dentição incompleta na grande variedade.
  • Trufa: Ausência parcial de pigmentação.
  • Pescoço: Arqueado.
  • Corpo: Linha superior arqueada.
  • Alcatra: Muito íngreme.
  • Esporas: Sua existência não é apreciada.
  • Cabelo: Sedoso e / ou subpêlo.

FALHAS GRAVES:

  • Focinho / Crânio: Crânio facial convergente de eixos longitudinal superior.
  • Trufa: Ausência total de pigmentação.
  • Orelhas: Arredondado.
  • Barriga: Agalgado muito.
  • Cauda: Fila de rosca.

FALHAS ELIMINATÓRIAS:

  • Comportamento: Agressividade ou timidez excessiva.
  • Aspecto geral: Sinais de cruzamento com um galgo (Sabujo espanhol) ou um Perdiguero (Braco Português).
  • Mandíbulas: Oposição inadequada dos maxilares.
  • Olhos: Olhos de cores diferentes (Heterocromia).
  • Orelhas: Curvado ou dobrado.
  • Cor: Distribuídos, English Toy Terrier, Tri-color ou totalmente branco.
  • Qualquer cão apresentando sinais claros de anormalidades físicas ou de comportamento deve ser desqualificado.

NOTA: Machos devem apresentar dois testículos de aparência normais, bem desenvolvidos e acomodados a bolsa escrotal.

TRADUCCION: Rafael Santiago (Porto Rico).
Revisão técnica: Miguel Angel Martinez (Federação Cinológica Argentina).

Nomes alternativos:

    1. Portuguese Warren Hound (Inglês).
    2. Podengo portugais, Lévrier portugais (Francês).
    3. Podengo Português (Alemão).
    4. Cão-coelheiro (Português).
    5. Podengo português (español).

Boieiros
Cães Boieiros de acordo com o FCI

Boyero

conteúdo

Conhecido pelo nome de Cão Boieiros um número de raças de cães tradicionalmente foram utilizado para a gestão e a realização de gado.

O FCI raças de cães boyeros classificados em dois grupos distintos com base na sua aparência.
No grupo I, Seção 2, Ele colocou cães boyeros aparência lupóide (semelhante a um lobo) e no grupo II, Seção 3, para o trote da montanha.

Ler maisBoieiros

Can de Palleiro

Cão de Palleiro

O Can de Palleiro É uma raça de cão provenzal de pastoreio.

Os ancestrais do Palleiro Cão são cães introduzidos na Península Ibérica por povos da Europa Central e Nórdica em sucessivas invasões que formaram o Reino Suevo Galiza. Compartilha uma origem comum com o Pastores belgas, Alemão, Holandês, Floração ou com a Câo de Castro Laboreiro.

Este cão de fazenda existiu desde então em toda a Galiza, e enquanto muitas referências sobre ele, oral e literária, Ele permaneceu anônimo praticamente até o presente dia.

Seu nome é em alusão ao celeiro onde o pastor e guardião geralmente dormir.

Sua pele tende a ser grosso, sem flacidez, e o corpo conectado à frente. O baralho (Cor) é geralmente uniforme, com uma ampla gama de areia, canela, Brown, Abutre negro e uniforme. O cabelo é grosso e densa, mais no Inverno, sendo um animal que geralmente vivem ao ar livre, sempre com gado ou Palleiro.

Ler maisCan de Palleiro

Cão de Fila de São Miguel
Portugal FCI 340 - Molossóides - Dogue

Fila de San Miguel

El Cão de Cão de Fila de São Miguel É uma raça de cão Portugal, especificamente as ilhas dos Açores.

conteúdo

História

Com o assentamento do arquipélago dos Açores e o início da exploração das condições ideais das ilhas para a pecuária, a necessidade de cães nas ilhas para ajudar a dirigir e defender o gado logo se tornou aparente, datando do século XVI, a primeira referência à sua presença, particularmente na ilha de São Miguel. Esses animais são reconhecidos como precursores de Cão de Fila de São Miguel.

Embora a existência de Cão de Fila de São Miguel, como uma raça individual, foi gravado desde o início do século 19, só em 1982 começou a ser registrado por António José Amaral com a colaboração de Maria de Fátima Machado Mendes Cabral, médico veterinário, a fim de criar um censo de seus rebanhos. O primeiro cão oficialmente registrado da raça foi o “Corisca”, um representante perfeito da sua raça.

É também por iniciativa dessas mesmas duas pessoas que, em 1984, dois anos após o início do registro de pessoas, a primeira norma oficial é publicada. Em 1995 foi proposto à FCI (Federação Internacional de Cinologia) e a raça foi finalmente reconhecida em 2008.

Origem:

A raça conhecida hoje como Cão de Fila de São Miguel descendente de mastines e Alano trazido inicialmente para as ilhas dos Açores pelos primeiros colonos do continente. Mais tarde, e através do contato com outras pessoas que vieram e se estabeleceram nos Açores, o patrimônio genético da raça foi enriquecido por cruzamentos feitos com Mastim Inglês, bulldogs e Dogue-de-bordéus, até o culminar do surgimento da nova raça, com características morfológicas e temperamentais totalmente definidas.

Além dos mencionados, outras raças podem fazer parte da linhagem Fila de San Miguel, como o Cão-de-santo-humberto, também conhecido como Bloodhound, e o Dogo Canário, uma raça espanhola das Ilhas Canárias, mas o link real – sim tem – entre essas raças e o Cão de Fila de São Miguel ainda não comprovado.

Vídeo Cão de Fila de São MiguelPlaying around 1Vídeo na mesa de luz por VideoLightBox.com v 1.11

Características físicas

O Cão de Fila de São Miguel Caracteriza-se por ser um animal de tamanho e características rústicos e caracteristicamente mais longo que alto.. A raça é de tamanho médio, muscular, mas sem a aparência pesada de outras pessoas.

O focinho é bem proporcionado, aparentemente curto, mas esconde uma boca larga, com uma prótese total, capaz de uma mordida poderosa. A cabeça tem uma aparência sólida, largo e com as orelhas bem colocadas em cima, implantado em um pescoço forte que parte de um tronco sólido, com um amplo e profundo peito. As pernas são proporcionais ao corpo, sendo a frente, geralmente, ligeiramente separado.

O casaco é forte, suave e densa, e sempre listrado, e pode ser tawny, cinza ou amarelo, com malha branca no peito. As pernas também podem ser brancas. A cauda é implantada alta, é grosso, comprimento médio e levemente curvado. É amputada na altura da segunda ou terceira vértebra, ou é naturalmente curto.

  • Cabelo: curto, suave, densa, com cabelos texturizados.
  • Cor: cabelo grisalho, areia carbonatada (cinza), amarelo com todos os tons desbotados; sempre estriado. Pode mostrar manchas brancas na testa ou do queixo ao peito, e manchas brancas no antepé, no final ou em todos os quatro.
  • Tamanho: machos, de 50 a 60 cm; fêmeas, de 48 a 58 cm.

Caráter e habilidades

Corrida de uma inteligência viva e nítida, com grande facilidade de aprendizado, a força do caráter do Cão de Fila de São Miguel, juntamente com uma desconfiança dos instintos estranhos de todos os guardiões por vocação, pode ser facilmente confundido com agressividade, mas esconde uma natureza gentil com aqueles com quem lida de perto, enquanto permanece um guardião tenaz e corajoso daqueles que o tratam. Sua lealdade à sua família humana é extrema.

Com ênfase ainda maior, dada a natureza dominante da raça, a educação e a sociabilidade dos filhotes devem ser feitas desde o nascimento, gradualmente expondo os animais a novas situações e estímulos, a fim de melhorar o desenvolvimento de indivíduos equilibrados, capazes de viver com seres humanos e outros animais.

Não é uma raça adequada para iniciantes, dada a sua natureza dominante, reforçada por sua força física e seu caráter fortemente independente e autônomo.

Mesmo como animal de estimação, um Cão de Fila de São Miguel deve ter a oportunidade de ter uma tarefa para executar. O treinamento completo é sempre um meio simples e eficaz de fortalecer o relacionamento entre a família humana e o animal, enquanto fornece o exercício físico e mental necessário para o treinamento e desenvolvimento de um animal bem equilibrado.

No entanto, dadas as características intrínsecas da raça, treinando uma cópia do Cão de Fila de São Miguel É uma tarefa que pode ser bastante difícil para alguém que tem pouca experiência com cães.. Sendo uma raça muito inteligente e dominante, não responderá bem ao uso da força. Socialização completa recomendada.

O cão pastor pela tradição e excelência, sua aptidão natural para o gado pode, com o treinamento certo, pode ser canalizado para o cuidado de cavalos e outros pequenos ruminantes, como ovelhas e cabras. Quando não canalizado para pastagem, o Cão de Fila de São Miguel já demonstrou sua aptidão para a caça desportiva, como javali e veado.

Seu temperamento forte e protetor também é valorizado como um cão de autodefesa..

Saúde do Cão de Fila de São Miguel

Sendo uma raça rústica, Possui saúde robusta e não há registros até o momento para sugerir que exista alguma patologia à qual a raça seja propensa especificamente por razões genéticas.. A esperança média de vida desta raça é calculada em 12 anos.

Banheiro de Cão de Fila de São Miguel

A mesma robustez que dá vigor à raça também a torna uma raça mal mantida em sentido estrito. Os cabelos curtos e duros podem ser escovados ocasionalmente e os banhos serão esporádicos.. A alimentação adequada e equilibrada dará aos filhotes em desenvolvimento o que eles precisam para se tornarem adultos saudáveis, e o mesmo regime será suficiente para garantir a saúde do adulto..

Imagens do Cão de Fila de São Miguel

Tipo e reconhecimentos:

  • CLASSIFICAÇÃO FCI:Grupo 2 –> Cães do tipo Pinscher e Schnauzer, Molossóides, Cães de Montanha Suíços e Cães Boieiros. / Seção 2: Molossóides. 2.1 tipo dogue.
  • FCI 340
  • Federações:
    • FCI – Grupo 2: Cães do tipo Pinscher e Schnauzer, Molossóides, Cães de Montanha Suíços e Cães Boieiros. Seção 2: Molossóides. 2.1 tipo dogue.
  • Cão de Fila de São Miguel FCI standard
  • Nomes alternativos:

      1. Cão de fila de São Miguel, São Miguel cattle dog, São Miguel catch dog, Azores cattle dog, Azores cow dog (Inglês).
      2. fila de Saint Miguel (Francês).
      3. Cão Fila de São Miguel (Alemão).
      4. Fila de São Miguel, Cão das Vacas (Português).
      5. (español).

    Fonte:

    Wikipédia

    Fotos:

    1 – Cão Fila de São Miguel during International dog show in Rzeszów, Poland por Pleple2000 / CC BY-SA
    2 – Cão Fila de São Miguel during International dog show in Rzeszów, Polônia. por Pleple2000 / CC BY-SA
    3 – No Pico Queimado da Ribeira Grande, Filho e Mãe by A vida / CC BY-SA
    4 – Helsinque, Show do Vencedor do Finlandês 2015. por Tomasyna / CC BY-SA

    Utilização de cookies

    Este web site utiliza cookies para que você tenha a melhor experiência de usuário. Se você continuar navegando você está dando seu consentimento para a aceitação dos cookies acima mencionados e a aceitação de nosso política de cookies, Clique no link para obter mais informações.cookies de plugin

    ACEITAR
    Aviso de cookies