▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

Sabujo norueguês (Dunker)
Noruega FCI 203 - Sabujos de Médio Porte

Sabujo norueguês

O Sabujo norueguês (Dunker) é encontrado apenas em seu país de origem e é virtualmente desconhecido fora de suas fronteiras.

Conteúdo

História

O Sabujo norueguês foi originalmente chamado Dunker, em homenagem ao capitão e criador norueguês Wilhelm Conrad Dunker (1806-1860), que estabeleceu o primeiro padrão de raça em 1850. Durante a primeira metade do século 19, havia uma grande população de sabujos na Noruega, incluindo vários tipos usados ​​para caça de lebre. Wilhelm Dunker selecionou aqueles com o olfato mais aguçado e os cruzou com um Cão Arlequim Russo para produzir um cão versátil, capaz de caçar coelhos e lebres pelo olfato ao invés da visão, e durável o suficiente para suportar as condições climáticas adversas da Noruega.

Em 1902 foi fundada a Norsk Harehundklub, um clube dedicado a cães. Nesse mesmo ano, os cães foram divididos em dois grupos principais, conhecido hoje como Dunker y Hygenhounds. O primeiro foi o mais numeroso e incluiu cães locais de todo o país., fornecendo uma ampla e variada base de reprodução.

Embora a Noruega tenha sido menos afetada pela Segunda Guerra Mundial do que outros países europeus, a demanda por esses cães caiu drasticamente, o que tornava difà­cil para os criadores continuarem seu trabalho adequadamente. Como resultado, o número de espécimes diminuiu significativamente.

Depois que o conflito acabar, o Dunker recuperou alguma popularidade e foi oficialmente reconhecido pelo Fédération Cynologique Internationale (FCI) em 1956.

Contudo, este salto durou pouco tempo: perdeu terreno novamente a partir da década de 1970, devido à concorrência de raças estrangeiras de cães de caça importados para o país.

As coisas não melhoraram muito no 80, ao ponto que os problemas de endogamia começaram a aparecer. Na verdade, o declà­nio em sua população levou muitos criadores a recorrerem à  endogamia para continuar reproduzindo. Isso levou a um alto à­ndice de surdez congênita.. Por esta razão, em 1987, o comitê de reprodução Sabujo norueguês perguntou a Norsk Kennel Klubb (NKK), a organização canina de referência na Noruega, permissão para cruzar o Dunker com outras raças, mas eles negaram. Contudo, como as coisas não melhoraram muito, o NKK finalmente deu sua aprovação para algumas cruzes dois anos depois. Isso resultou em uma composição genética mais variada e saudável, mantendo os traços característicos da raça.

O United Kennel Club (UKC) reconheceu em 1996. Contudo, a outra organização de referência americana, o American Kennel Club (AKC), não fez o mesmo até hoje – nem o vizinho Canadian Kennel Club (CKC) ou o prestigioso British Kennel Club (KC). Na verdade, a nà­vel mundial, o reconhecimento da raça ainda é parcial.

É o mesmo para transmissão. Mesmo nos outros países escandinavos, está quase ausente, com exceção da Suécia, onde o Svenska Kennelklubben registra um número de nascimentos a cada ano que pode ser contado nos dedos de uma mão, em comparação com cerca de vinte no início dos anos noventa. Em França, nem uma única entrada foi feita no Livro das Origens Francesas (LOF) nas duas primeiras décadas do século XXI.

Na Noruega, o numero de Dunkers registrados todos os anos no NKK tem estado por aí 150 desde meados da década de 1990 2000. Contudo, isso marca uma redução pela metade do número em comparação com a mudança em anos 90. Este número limitado é parcialmente explicado pelo problema de surdez presente nesta raça.: quase o 75% da sua população sofre de surdez.

foto: Um sabujo norueguês por Canárias, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Características físicas “Sabujo norueguês (Dunker)”

O Sabujo norueguês É um cão de tamanho médio que se distingue por seu corpo longo e bem proporcionado, seu andar enérgico e claro e seu peso leve. Eles têm ossos sólidos, dando uma impressão de força e resistência. As costas são retas, firme e longo o suficiente para dar comprimento à  caixa torácica. Permite pernas dianteiras fortes e secas. A cauda é larga e grossa na base e afunila na ponta. Desce até o jarrete ou ligeiramente se projeta a partir do jarrete.

Dunker
Dunker

bastante longo, sua cabeça é caracterizada por um crânio levemente abobadado e um stop marcado. Localizado a meia altura, as orelhas são achatadas, sem pregas, pendurado e macio ao toque. Meia largura, afunilar em direção à  sua ponta, que é arredondado. Sua boca possui dentes em forma de tesoura dominados por um focinho quadrado e bem desenvolvido., nariz preto e narinas largas.

Os olhos dele são redondos, grande e muito penetrante. Embora sejam geralmente de cor escura, também existem indivà­duos com um ou dois olhos azuis, uma característica que está associada a um risco aumentado de surdez. Olhos de peixinho são permitidos em indivà­duos azuis (abigarrados). Independentemente da cor dos olhos, os olhos expressam calma e seriedade.

A pele de Dunker consiste em cabelo curto, disco rà­gido, apertado e denso. Sua coloração é um sinal distintivo da raça: são pretos com fulvo claro e manchas brancas, ou azul merle (¿bigarros?) e manchado com fulvo claro e manchas brancas. Casacos pretos com manchas castanho-amareladas são menos desejáveis, e aqueles em que o branco predomina (a ponto de representar pelo menos o 50% Da superfà­cie) são considerados indesejáveis ​​pela norma.

Por último, dimorfismo sexual não é muito acentuado nesta raça: machos e fêmeas são bastante semelhantes em tamanho e peso.

Expectativa de vida: 12 anos de idade.

Tamanho de Sabujo norueguês

    – Peso fêmea: A partir de 24 - 25 kg
    – Peso do macho: A partir de 24 - 25 kg
    – Tamanho fêmea: A partir de 47 - 53 cm
    – Tamanho macho: A partir de 50 - 55 cm

Caráter e habilidades “Sabujo norueguês (Dunker)”

O Sabujo norueguês é um caçador rápido e tenaz com uma capacidade olfativa acima da média. Eles se destacam principalmente na caça de lebre e coelho.

Sendo também gentil, amando, alegre e amigável, eles têm todas as qualidades necessárias para ser um excelente cão de companhia. Equilibrados, pacientes, tolerante e desprovido de agressividade, eles são bons companheiros de brincadeira para crianças. Contudo, é importante notar que um cão nunca deve ser deixado sozinho com uma criança pequena sem a supervisão de um adulto, e isso se aplica a todas as corridas.

Sua total falta de agressividade e sua atração por humanos, mesmo para aqueles que você não conhece, torna totalmente impossà­vel usar como um cão de guarda. Em vigor, não reservado de forma alguma, tímido, medroso ou agressivo com estranhos, em vez disso, eles tendem a recebê-los positivamente e confiar neles. Eles são mais propensos a saudar uma pessoa mal-intencionada com curiosidade e lambê-la, em vez de latir para avisar seu mestre ou fazê-los entender que é melhor seguir seu caminho.

Sua sociabilidade se estende a outros cães também. Portanto, é bem possà­vel dividir uma casa com um cão companheiro sem temer que as situações de conflito se multipliquem, e é geralmente amigável com aqueles que encontra em suas caminhadas.

Com gatos e outros animais, as coisas são um pouco mais complicadas. Seu instinto de caça naturalmente o leva a perseguir qualquer pequeno animal peludo que não faça parte da espécie canina.. Mesmo que ele tenha crescido com ele e deva considerar seu pequeno companheiro como um membro da famà­lia e não como uma presa em potencial, risco nunca pode ser descartado, então é melhor evitar tal coabitação. Quanto à queles que podem ser encontrados em seus passeios, você provavelmente quer persegui-los. Portanto, é preferà­vel mantê-lo na coleira durante as excursões, para evitar qualquer acidente.

Dunker
Dunker

Em qualquer caso, o medo de que ele persiga outros animais não significa que você não deva tirá-lo o suficiente todos os dias, sabendo que você precisa de muita atividade para gastar sua grande energia. Precisa de pelo menos 45 minutos de exercício por dia, mas sua resistência o deixa feliz para ir mais longe se tiver a chance. O que mais, é preferível variar os prazeres para permitir que ele gaste totalmente sua energia: longas caminhadas, correr pelo parque, esportes com cachorros, etc. Esportes que requerem corrida (como canicross) e aqueles que apelam aos seus sentidos (como rastreamento) eles são os mais recomendados. Na verdade, este cachorro fica muito feliz quando tem que mobilizar suas capacidades físicas e mentais. Em qualquer caso, além de permitir que você se exercite, todas essas atividades fortalecem o relacionamento com seu mestre, o que é especialmente importante se você for deficiente auditivo.

Do exposto, segue-se que o Dunker não é adequado para uma pessoa idosa ou muito sedentária, que eu não poderia te dar todo o exercício que você precisa. O ideal para ele é um mestre do esporte, e disposto a levar seu parceiro em suas várias atividades. Aposentados podem ser adequados para ele, se eles são ativos o suficiente.

Em qualquer caso, a vida na cidade não é ideal para ele, que precisa de grandes espaços para se desenvolver plenamente. Uma casa com jardim no campo é um ambiente muito mais apropriado para se viver.. Contudo, é importante garantir que o jardim esteja bem vedado e que o ambiente seja seguro, como seus instintos e instintos de caça logo o levam a seguir pistas e fugir.

Assim que sua necessidade de exercà­cio for satisfeita, o Sabujo norueguês tem um caráter fácil e dócil; está longe de ser tão teimoso quanto muitas raças de cães de caça. Contudo, seu olfato pode dificultar o treinamento, como ele é facilmente distraà­do por um cheiro e não responde aos comandos de seu mestre.

Sua propensão a latir também pode ser bastante irritante. Ele está particularmente apto a fazê-lo se seu mestre estiver ausente por muito tempo sem ter lhe dado nenhum exercício de antemão e sem ter os meios para fazê-lo ele mesmo.. Na verdade, a inatividade pode ser um fardo e causar esses problemas de comportamento, assim como a destruição, por exemplo. Contudo, contanto que você tenha algo para cuidar na ausência de sua famà­lia, não o tipo de cachorro que sofre muito de ansiedade de separação.

Educação “Sabujo norueguês (Dunker)”

Como todos os outros cães, o Sabujo norueguês deve ser socializado desde tenra idade. Em outras palavras, para que ele se torne um adulto equilibrado e não tenha problemas para encontrar seu lugar, ele deve ter o máximo de oportunidades sem demora para conhecer todos os tipos de humanos (veterinário, vizinhos, entregador, etc.), Outros animais, mas também para enfrentar vários ruà­dos, cheiros e situações. Isso é ainda mais importante, pois ele se distrai facilmente com o olfato..

As regras estabelecidas em sua educação também devem ser ensinadas a você desde cedo, quando sua capacidade de aprendizado e docilidade estão no seu melhor. como em qualquer raça, maus hábitos surgem rapidamente quando ele ainda é um filhote e se tornam problemas reais quando ele fica mais velho.

Em qualquer caso, o Dunker é uma raça de cão fácil de treinar e que escuta o seu dono, contanto que ele use um método de treinamento amigável para cães. Os tratamentos geralmente provam ser muito eficazes em reforçar positivamente as boas ações e facilitar o aprendizado. Contudo, à s vezes é necessário mostrar firmeza e afirmar sua própria autoridade para evitar que este cão obstinado faça o que lhe agrada. Também pode ser difícil chamar a atenção deles., dada a tendência de se distrair com o olfato.

Uma vez que tem uma forte inclinação para seguir seu nariz e perseguir pequenos animais que passam, Ensinar seu cão a ligar é especialmente importante para evitar o risco de um puxão frenético na coleira ou de fugir se ele se mover livremente.

Também pode ser útil tentar ensiná-lo a canalizar sua propensão a latir.. Contudo, como está profundamente enraizado nele, não se deve esperar que seja o mais calmo dos cães. Se for impossà­vel fazê-lo entender que algumas coisas não obrigam necessariamente a latir, pelo menos ele pode ser ensinado a parar no comando.

Por último, se o cachorro é surdo de nascença, como é o caso de uma fração significativa dos representantes da raça, o mestre deve obviamente se adaptar a esta restrição: Treinar um cão surdo não é feito da mesma forma que treinar outro cão capaz de ouvir a voz de seu dono.. A confiança é então ainda mais crucial na relação entre o animal e seu dono., para que possa aprender e viver em boas condições apesar da sua deficiência. É claro, a comunicação é então feita por meio de comunicação não verbal, e cabe ao professor adotar uma linguagem corporal explícita, baseado em gestos e mímica precisa, específico para cada indicação que você deseja dar.

Saúde “Sabujo norueguês (Dunker)”

O Sabujo norueguês é muito resistente, geralmente têm excelente saúde e muito boa longevidade.

Acostumado a viver em clima rigoroso na Noruega, pode tolerar frio e umidade sem dificuldade. Sua pelagem é naturalmente à  prova d'água e oferece boa proteção contra os elementos. Por outro lado, mostra alguma intolerância a altas temperaturas, mesmo que seja capaz de se adaptar a um clima mediterrâneo. Você simplesmente precisa iluminar suas atividades durante ondas de calor, ou pelo menos privilegiar aqueles que são realizados dentro, garantir que tem sempre acesso a um local à sombra ou mesmo ar condicionado e evitar qualquer esforço físico excessivo nas horas mais quentes.

Sua pequena população e difusão limitada previnem uma deterioração muito importante da saúde, mas foi demonstrado que ele está predisposto a certos problemas:

  • surdez, o que é uma doença hereditária. De acordo com a Fundação Ortopédica para Animais (OFA), quase o 75% da população da raça é hoje surda em pelo menos um, se não ambas as orelhas;
  • displasia do quadril, uma malformação articular que pode ser caracterizada por uma predisposição hereditária. Pode causar dor nas articulações, bem como dificuldade de movimentação;
  • displasia do cotovelo, que também pode ser favorecido por uma predisposição hereditária. É doloroso e leva à  dificuldade de movimentação e ao desenvolvimento de osteoartrite;
  • atrofia progressiva da retina, uma doença ocular hereditária e incurável. Causa perda de visão noturna primeiro, então perda de visão diurna, a ponto de o cachorro ficar totalmente cego;
  • Sarna demodecica, uma doença parasitária contagiosa que causa coceira e verdadeiro desconforto ao cão, perdendo gradualmente o apetite e o sono;
  • infecções de ouvido (otite, etc.), devido à  sua forma suspensa.
  • O que mais, indivà­duos usados ​​para caça estão expostos a vários riscos associados a esta atividade: feridas, parasitas, espinhos, etc.

    O que mais, o Dunker tem um forte apetite. Como geralmente está ativo, isso geralmente não é um problema. Contudo, Se não é, logo fica acima do peso.

    Dadas as condições hereditárias à s quais a raça está predisposta, o trabalho do criador desempenha um papel decisivo na adoção de um Sabujo norueguês que ele está em perfeita saúde e que provavelmente permanecerá assim. Além dos resultados dos testes genéticos realizados nos pais e no filhote para reduzir o risco dessas doenças, todo criador sério e responsável deve ser capaz de apresentar um atestado de boa saúde estabelecido por um veterinário, bem como documentos relacionados com as vacinas administradas.

    O que mais, quando o cachorro é pequeno e ainda está crescendo, seus ossos e articulações são particularmente frágeis: Por conseguinte, qualquer exercício físico excessivamente intenso ou prolongado deve ser evitado, já que eu poderia pagá-lo um dia ou outro, com sequelas potencialmente permanentes (malformações, etc.).

    Por último, é necessário consultar um veterinário pelo menos uma vez por ano para garantir que o cão está bem de saúde ou, Por outro lado, para poder detectar o mais rápido possível qualquer problema cujos sintomas ainda não sejam visíveis. Este exame de saúde também é uma oportunidade para realizar seus lembretes de imunização, que são outra alavanca essencial para manter o cão em boa saúde. Ainda no registro de prevenção, é responsabilidade do proprietário renovar os tratamentos antiparasitários sempre que necessário ao longo do ano, então seu parceiro nunca está desprotegido.

    Cuidado e manutenção “Sabujo norueguês”

    Uma raça difà­cil, o Sabujo norueguês não requer muita manutenção.

    Contudo, eles perdem muito cabelo, então escovar o cabelo duas vezes por semana não é demais para ajudar a remover os pelos mortos e mantê-lo em boas condições. Durante os períodos de muda na primavera e no outono, quando deveria ser feito com mais frequência (mesmo diariamente) para evitar o crescimento de cabelo em toda a casa.

    Já que seu cabelo não está muito sujo e, portanto, não tem um odor forte, dar banho nele duas ou três vezes por ano é geralmente suficiente. Em qualquer caso, um banho muito frequente fará com que a sebo naturalmente presente na pele desapareça, isola e protege das intempéries. Dito isto, não hesite em dar-lhe banho se ele ficar muito sujo, por exemplo, durante uma viagem de caça particularmente lamacenta. Em qualquer caso, você só pode usar um shampoo especialmente desenvolvido para cães, correndo o risco de danificar sua pele.

    Dunker
    Dunker

    O ouvidos, por outro lado, requer atenção especial, uma vez que sua forma suspensa implica um aumento do risco de infecções (infecções de ouvido, etc.). Devem ser limpos todas as semanas com um pano húmido ou com um produto de limpeza especialmente concebido para o efeito.. Também devem ser secos após cada banho ou após um longo período de tempo em local úmido..

    Seus olhos eles também devem ser examinados semanalmente e limpos, se necessário, com um pano úmido.

    Também é necessário escovar o dentes do seu cão todas as semanas ou mesmo todos os dias para evitar a formação de placa dentária e as suas possíveis consequências (mal hálito, doenças, etc.). Um creme dental especialmente desenvolvido para cães deve sempre ser usado.

    O que mais, é importante verificar regularmente as garras do seu cão para se certificar de que não estão ficando muito compridas e para apará-las se for o caso. Isso não só poderia atrapalhar sua caminhada, mas você também pode quebrar e potencialmente se machucar ao mesmo tempo. Dito isto, enquanto você está ativo e passando muitas horas ao ar livre, o desgaste natural geralmente é suficiente para arquivá-los.

    Para saber como proceder durante as sessões de manutenção, é útil beneficiar da experiência de um veterinário ou de um tratador pela primeira vez. Na verdade, se os vários procedimentos para escovar o casaco, as orelhas, os olhos, os dentes ou garras do seu animal de estimação não são feitos corretamente, não apenas resultados satisfatórios não serão obtidos, mas o dono pode até machucar ou machucar seu animal de estimação. O que mais, o dono deve se acostumar com seu animal de estimação logo, de forma que ao longo de sua vida ele aceita ser manipulado sem ser rebelde.

    O que mais, quando seu animal de estimação retorna de um longo tempo na selva, é uma boa ideia reservar sistematicamente um pouco de tempo para inspecioná-lo cuidadosamente: parasitas, espinhos ou sujeira podem ter entrado em seu pelo, e também pode ter sido ferido.

    Que preço faz um “Sabujo norueguês”

    Na Noruega, um cãozinho Dunker Custa cerca de 7000 Coroas norueguesas (Uns poucos 650 EUR). O preço de venda varia de um indivíduo para outro dependendo do prestígio da criação, a linhagem do cão e suas características intrínsecas.

    Uma vez que a raça não tem uma ampla distribuição internacional, é quase impossível encontrar um criador fora de seu país de origem.

    Portanto, se você está na França, Bélgica, Suíça, Canadá ou outro lugar, quem quer adotar um Sabujo norueguês você deve optar pela solução de importação. Neste caso, Deve-se notar que os custos de transporte e administrativos são adicionados ao preço de compra e, É claro, você deve respeitar os regulamentos para importar um cão do exterior.

    Classificações do "Sabujo norueguês (Dunker)"

    Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão "Sabujo norueguês (Dunker)" você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercà­cio, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nà­vel de tolerância para com eles.

    Adaptação ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cão amigável ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Perda de pêlo ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Nível de afeto ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade de exercício ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade social ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Casa ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cuidado ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com estranhos ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Latindo ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Saúde ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Territorial ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigo dos gatos ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Inteligência ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Versatilidade ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Adequado para crianças ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Vigilância ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Alegria ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Và­deos do "Sabujo norueguês (Dunker)"

    cão norueguês (Dunker) - Raça de cachorro
    Sabueso Noruego (Dunker) – Raza de Perro
    Dunker 🐶🐾 Tudo sobre raças de cães 🐾🐶
    Dunker ?? Everything Dog Breeds ??

    Tipo e reconhecimentos:

    • CLASSIFICAÇÃO FCI:
    • Grupo :
    • Seção : . .

    Federações:

    • FCI – Grupo 6: Sabujos, farejadores e raças assemelhadas. – Seção 1.2: Sabujos de Médio Porte.
    • UKCScenthounds

    Padrão da raça FCI "Sabujo norueguês (Dunker)"

    Origem:
    Noruega

    Data de publicação do padrão original válido:
    12.03.1999

    Uso:

    Sabujos



    Aparência geral:

    Médias; obviamente retangular, estrutura forte, sem dar a impressão de ser pesado. Deve mostrar a capacidade de ser tenaz e resiliente.

    PROPORà‡à•ES IMPORTANTES :
    A profundidade do peito deve ser de aproximadamente metade do comprimento da altura na cernelha.



    Comportamento / temperamento:

    O Norwegian Hound é considerado o cão de trilha resistente e robusto dos velhos tempos., um cão com um excelente temperamento. A raça é caracterizada por nervos de aço e por ser especialmente sociável e confiante.. Eles são conhecidos por terem um bom desempenho em testes de caça.. Deste modo, eles podem ser caracterizados como uma excelente combinação de cão de caça e companhia. Devido ao seu bom temperamento e caráter aberto, a raça também é fácil de treinar.

    Cabeça:

    Você não deve levar isso alto. Limpar limpo, carregado com dignidade, com bom comprimento e linhas paralelas, não cuneiforme.

    Região craniana:
    • Crânio : Ligeiramente volumoso, protuberância occipital proeminente. Se o focinho for longo e bem desenvolvido, o crânio pode ser mais largo, especialmente em machos, contanto que você não perca seus planos paralelos.
    • Nasofrontal depression (Stop) : Marcado, mas não profundo ou abrupto.

    Região facial:

    • Trufa : Preto, Janelas bem abertas.
    • Focinho : Mais longo do que curto, corte quadrado. Focinho reto e uniformemente largo.
    • mandíbulas / Dentes : Mordedura em tesoura. Prótese total.
    • Bochechas : Limpar limpo, sem maçãs do rosto proeminentes.

    Olhos : cor escura, rodada, bastante grande, mas não excelente. Olhos expressivos, inteligência brilhante, calma e gravidade. Pálpebras bem coladas. Olhos fixos são permitidos em cães «Blue merle».

    Orelhas : Implantação média, mais baixo do que alto. suave, largura moderada, afinando em direção à  ponta arredondada. Plano, sem pregas. Pendurado perto do rosto. Tempo suficiente para atingir o meio do focinho quando puxado para frente.

    Pescoço:

    Relativamente longa, sem queixo duplo visà­vel.

    Corpo:

    • linha superior : Nà­vel.
    • Voltar : Reto, firme e não muito longo.
    • Lombo : Largo e bem musculoso, no convexo.
    • Alcatra : com uma leve queda, bem musculado, Não tão curto.
    • No peito : Grande capacidade, com costelas bem arqueadas; as últimas costelas devem ser particularmente bem desenvolvidas, fazendo o peito parecer longo.
    • Linha inferior e abdômen : Ligeiramente incluà­do.

    Cola:

    Implantação no nível top line. grosso em sua raiz, afinando em direção à  ponta. Deve ser reto e portado com uma ligeira curva para cima; alcançando ou ligeiramente abaixo do jarrete.

    Extremidades

    MEMBROS ANTERIORES :

    • Como um todo. : Strong, magro e tendinoso.
    • Ombro : Muscular, escápula larga e inclinada, bem preso ao tronco; pontas das omoplatas juntas no topo. Ombros bem angulados e articulações do cotovelo.
    • Braço : Reto.
    • Metacarpo : Ligeiramente inclinado.
    • Pés dianteiros : Dedos fechados e arqueados com muito pelo entre eles. Almofadas de ouvido resistentes. Pés devem apontar para frente.

    MEMBROS POSTERIORES :

    • Como um todo. : bem angulado, paralelo na posição de parada. Sem ser muito anguloso ou com jarrete de "vaca".
    • Coxa : Grande.
    • Joelho : Perna bem angulada : ampla.
    • Jarretes : Posição estreita e baixa, largo se visto de lado.
    • Pés traseiros : Como os pés da frente.

    Movimento:

    Livre, com bom alcance. As extremidades, visto por trás, eles são paralelos; sem jarretes de vaca e sem ser muito angulado.

    Manto

    CABELO : Reto, disco rà­gido, denso e não muito curto. A parte de trás das coxas e a cauda podem ter mais pelos, contanto que o resto do corpo tenha um bom casaco.

    COR : Preto ou « Blue merle » com manchas amareladas ou esbranquiçadas. Castanho intenso ou cor predominantemente preta, Alcançar do focinho abaixo dos jarretes com uma chamada máscara é menos desejável. Quando branco, aumentando muito, atinge abaixo dos ombros para a barriga ou para os pés (meias), essas são marcas corretas e compatà­veis.



    Tamanho e peso:

    Altura à  Cruz:

    • Machos: 50-58 cm, ideal 52-54cm
    • fêmeas: 47-54cm, ideal 49-51 cm.


    Falhas:

    Qualquer desvio dos critérios acima é considerado faltando e a gravidade é considerada o grau de desvio do padrão e seu impacto sobre a saúde e o bem-estar do cão.

    • Quando em cães pretos ou fulvos claros, o branco atinge o meio do dorso, ou se os cães azul-merle apresentam manchas brancas, a avaliação desses cães deve ser diminuà­da em proporção ao grau de extensão do alvo.

    FALTAS DE ELIMINAÇÃO :

    • Agressividade.
    • Cor predominantemente branca (50% ou mais).

    Qualquer cão que mostre sinais claros de anormalidades físicas ou comportamentais deve ser desqualificado..



    N.B.:

    Os machos devem ter dois testículos de aparência normal totalmente descidos no escroto..

    Fonte: F.C.I - Federação Cinológica Internacional

    Nomes alternativos:

    1. Dunker (inglês).
    2. Dunker (Francês).
    3. Dunkerbracke, Dunkerlaufhund (alemão).
    4. Dunker (português).
    5. Cazador noruego, Dunker, Sabueso de Dunker (espanhol).

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Dálmata
    Croacia FCI 153 . Raças semelhantes

    Dálmata

    O Dálmata de hoje, são encontrados principalmente como cães companheiros.

    Conteúdo

    História

    As origens do Dálmata eles não são muito claros. Crà´nicas eclesiásticas do século 18 sugerem que ela se originou na bacia do Mediterrâneo oriental, e mais precisamente na região da costa dálmata (na croácia), de onde vem seu nome. Nestas crà´nicas, os cães representados são chamados Canis dalmaticus. Embora seja difícil definir quem são os antepassados ​​dos Dálmata, alguns acreditam que o Dogue alemão e o Pointer inglês contribuiu para a criação da raça.

    Alguns especialistas acreditam que este cachorro – ou pelo menos seus parentes próximos – já existia no tempo do antigo Egito, 2000 anos antes de Cristo. Esta hipótese é baseada nos desenhos encontrados nas tumbas dos faraós.

    Contudo, entre a segunda metade dos séculos 18 e 19, o Dálmata viajou pela Europa junto com nômades ciganos, fazendo sua aparição em muitos países. Na segunda metade do século XVIII teria chegado ao Reino Unido, onde realmente começou a ser criado e desenvolvido. Assim, embora suas origens pareçam ser croatas, foi o Reino Unido que lhe deu suas credenciais, e isso pode ser considerado como sua segunda pátria, Por assim dizer.

    Durante o período da Inglaterra vitoriana (1837-1901), atraiu a atenção de treinadores de cavalos de corrida, que o usavam para proteger os cavalos de predadores e ladrões e para dar um toque de estilo à sua criação.

    No final do século XIX, um verdadeiro trabalho de seleção foi iniciado por alguns nobres ingleses que o criaram para usar como cão de trabalho. Na verdade, além de seu papel como tratador de cavalos, foi capaz de acompanhar os cavalos e carruagens que puxavam, correndo na frente deles e abrindo caminho para eles graças aos latidos que alertavam e faziam com que os animais e pessoas que estavam na estrada se afastassem. ainda hoje, também é reconhecido com o Dálmata uma afinidade particular para a população equina.

    Durante este tempo, começou a ser usado para muitas outras tarefas. Em especial, provou ser muito competente como cão de guarda, mas também como um cão pastor, cão de corrida e até cão de circo.

    Eles foram importados para os Estados Unidos provavelmente no final do século 18, principalmente do Reino Unido. Lá também se destacou como cão de trabalho acompanhando os bombeiros., correndo em direção ao fogo rio acima dos cavalos que rebocavam seus veículos, para limpar o caminho. Ele então ficou de olho em seu equipamento enquanto tentavam controlar o fogo. Embora esta prática tenha obviamente desaparecido hoje em dia, muitos bombeiros americanos há muito mantêm um Dálmata como seu animal de estimação.

    No inà­cio do século XX, o Reino Unido tornou-se o país de referência para a raça. Algumas famà­lias britânicas foram amplamente reconhecidas pela qualidade de sua educação, e muitos de seus filhotes foram vendidos em todo o mundo. A familia Wells, em particular, estaria na origem da maioria das linhas americanas de Dálmata enviado para os Estados Unidos naquela época.

    Hoje em dia, encontrado principalmente como um cão de companhia. Sua aparência o torna particularmente reconhecível e os desenhos animados dos filmes da Disney Los 101 dálmatas (1961) e os 102 dálmatas (2001) contribuiu muito para torná-lo famoso.

    Nos Estados Unidos, o Dálmata foi reconhecido pelo American Kennel Club (AKC) em 1888, e pelo United Kennel Club (UKC) em 1914. A Federação Cinológica Internacional (FCI) demorou muito mais, já que não foi até 1955 quem fez o mesmo.

    O Reino Unido ainda é provavelmente o país mais prolífico, com alguns 1000 novos cachorros Dálmata inscrito anualmente no Kennel Club, a organização de referência do país. Contudo, houve um declà­nio significativo, uma vez que este número estava logo abaixo do 1500 nascimentos anuais no inà­cio 2010. Essa tendência também é observada em outros países., como austrália, onde o número de registros anuais no ANKC (Australian National Kennel Club) passou de quase 1500 meados da década 1990 - 500 na notà­cia.

    Em França, a raça é bastante bem representada, já que todos os anos eles são registrados na Société Centrale Canine (SCC) Uns poucos 700 indivà­duos, Eu quero dizer, em torno da 0,35% do total de todas as raças combinadas. Alcançou sua popularidade máxima no inà­cio do século 21, com mais de 800 o incluso 900 novos cachorros por ano. Foi particularmente durante a década de 1990 quando a raça experimentou um boom pronunciado, uma vez que o número de nascimentos por ano era apenas cerca de 250 no início desse período.

    Nos Estados Unidos, o Dálmata ocupa cerca de 60º lugar (de um total de 190) na classificação da raça com base no número de registros anuais com o AKC.

    Em geral, a raça experimentou altos e baixos em popularidade nas últimas décadas. São inúmeras as famà­lias que decidiram adotar um Dálmata depois de ter visto um desenho animado e/ou um filme em que ele aparece, antes de perceber algum tempo depois que eles não foram necessariamente feitos para um cachorro assim …

    Características físicas

    O Dálmata é um cão harmonioso e bem proporcionado. Eles são musculosos e animados, com uma silhueta simétrica e linhas limpas. Sua cruz é bem definida, seguido por um poderoso costas retas. Seus lombos são magros e musculosos, com garupa ligeiramente inclinada. O peito não deve ser muito largo, mas deve chegar até os cotovelos.

    As patas dianteiras são perfeitamente retas e com ossos sólidos. Ombros ligeiramente inclinados. As patas traseiras são retas e paralelas quando vistas por trás. As pernas são redondas, firmes e com almofadas elásticas fortes.

    A cauda chega aproximadamente ao jarrete. É bastante forte na base e, em seguida, diminui gradualmente até a ponta. A presença neste último de muitas manchas é procurada – que, no entanto, deve ser menor do que as do corpo – mas sua ausência também é aceita pelo padrão do Dálmata.

    Sua cabeça é bastante longa e seu crânio é achatado. As linhas superiores do crânio e do focinho são paralelas. Seu nariz é da mesma cor de suas manchas, Eu quero dizer, preto ou marrom. O focinho é longo e poderoso. As mandíbulas também são poderosas e em forma de tesoura..

    Os olhos são separados sem excesso, médias, redondo e brilhante. Eles dão ao cão uma expressão inteligente e muito viva. Como o nariz, sua cor depende da cor das manchas, então eles podem ser pretos ou marrons.

    As orelhas são bastante altas e têm uma textura fina. São largos na base e arredondados na ponta. Eles também têm muitos pontos bem definidos e preferencialmente numulares, Eu quero dizer, rodada.

    o casaco de Dálmata é curta, duro e brilhante. Isto é, É claro, a principal caracterà­stica distintiva da raça, com seus pontos numéricos, que hoje são menores e mais claros do que alguns séculos atrás, de acordo com as renderizações disponíveis. Contudo, permanecer enigmático, já que ninguém ainda estabeleceu com certeza de onde eles vêm. Em qualquer caso, o fundo é sempre branco, e essas manchas podem ser pretas ou marrons (fígado). Eles devem ser redondos e bem definidos, distribuà­do uniformemente por todo o corpo, mas a cabeça e a cauda devem ser menores que as outras. Existem espécimes tricolores (branco com manchas pretas e fígado), mas não são aceitos pelo padrão da raça.

    Caráter e habilidades

    Nascido para correr e aparentemente dotado de energia infinita, o Dálmata é uma das raças de cães mais resistentes. Portanto, é a escolha perfeita para um proprietário desportivo que sonha, por exemplo, em levar seu parceiro quando você for correr ou andar de bicicleta. Na verdade, este cão muito ativo precisa de muito exercà­cio, e, portanto, não é adequado para morar em apartamento, ou mesmo na cidade. Precisa de acesso a um jardim ou pátio, mas cuidado: em casa ou em uma caminhada, seus instintos de liberdade à s vezes o deixam um pouco fugitivo. Isso é ainda mais verdadeiro se você não conseguir fazer todo o exercício de que precisa., além disso, isso pode levar a vários problemas de comportamento: agressividade, estresse, destruição de objetos, etc.

    Amigáveis, leal e sensà­vel por natureza, ele gosta de fazer seu mundo rir por meio de muitas travessuras, mas ele também recebe seus mestres e amigos com um largo sorriso. Adora agradar, esfregar ombros com seus professores, siga-os em todos os lugares, receber atenção, e, portanto, aprecia muito o contato humano. Não é um animal que gosta de viver em seu canil sem se preocupar muito com isso.: seu lugar é em casa. Se ele está sozinho ou não tem lugar na sala, este cachorro da famà­lia só pode ser infeliz.

    A sua pelagem original e única torna-o apreciado pelos mais pequenos da família. Isto é uma coisa boa, uma vez que é uma raça de cão recomendada para crianças. Além de seu caráter afetuoso e proximidade com sua família, o fato de ser muito ativo e brincalhão o torna o companheiro perfeito para eles. Por outro lado, a energia dele, seu tamanho grande e cauda bastante longa não o tornam ideal para crianças mais novas, que correm o risco de serem empurrados sem querer. Portanto, é melhor que as crianças tenham uma certa idade. O Dálmata também pode ser adequado para aposentados, desde que sejam ativos e saudáveis ​​o suficiente para retirá-lo todos os dias.

    Alerta e muito interessado em tudo o que está ao seu redor, faz um bom cão alerta e avisa seus donos sem falta da chegada de uma pessoa. Por outro lado, é mais ilusório esperar que eu desempenhe o papel de cão de guarda, pois não mostra nenhuma agressão real ou ameaça a estranhos. Contudo, durante sua história, o Dálmata foi usado efetivamente para proteger as casas, mas deve-se dizer que seu instinto protetor desapareceu gradualmente ao longo dos anos, à  medida que seu uso evoluiu. O que mais, quando estranhos são trazidos para sua casa, tende a ficar longe e não busca muito contato com eles, pelo menos inicialmente. Em geral, embora ele possa ser protetor quando necessário, é um cão muito amigável com os humanos.

    Dotado de uma natureza equilibrada (embora à s vezes um pouco teimoso), o Dálmata ainda precisa ser socializado desde cedo, Eu quero dizer, ficando exposto a muitos outros companheiros caninos, animais, pessoas, sons e situações. Contanto que seja bem feito, pode se dar bem com a maioria dos cães e gatos, cuja companhia você geralmente gosta. Ele também tem uma afinidade especial com cavalos, herdado do seu trabalho com eles no passado. Por outro lado, ele também manteve um forte instinto de caça de seus ancestrais e adora pegar pássaros, ratos, topos, ratos ou outros roedores. Portanto, é melhor ficar de olho nele nas situações em que ele entra em contato com eles, e, claro, me impede de tentar viver com eles.

    Educação “Dálmata”

    A sua origem como cão de bombeiros faz com que Dálmata um ser reativo. Não é particularmente difícil de treinar, mas é aconselhável incutir o básico desde o inà­cio, de uma forma gentil, mas estrita. Em vigor, pode ter uma tendência a ser teimoso e assumir o lugar de um proprietário iniciante ou inseguro que não tem a oportunidade de ser treinado.

    Dotado de excelente memória, muito responsivo, ansioso para agradar e grato por recompensas, é particularmente adequado para métodos de treinamento canino baseados em reforço positivo, como o treinamento clicker. Para um velho cachorro de circo, adora aprender truques e mostrar suas habilidades de palhaço.

    Cubs Dálmata, Por outro lado, muitas vezes tendem a adotar comportamentos destrutivos, por exemplo, mastigar objetos que encontram ou cavar buracos no jardim. Aqui, também, deve-se mostrar a ele desde tenra idade quais atitudes são desejáveis ​​e quais não são.. Se eles têm permissão para, eles logo aprenderão maus hábitos, como eles fazem com os mocinhos.

    Por último, a socialização que começa em tenra idade é uma garantia de adaptação bem-sucedida a qualquer tipo de situação que você possa encontrar mais tarde na vida. É naturalmente sociável, mas como com qualquer cachorro, é melhor ensiná-lo o mais rápido possà­vel a reagir com calma a tantos cenários quanto possà­vel.

    Limpeza “Dálmata”

    O Dálmata é bem fácil de cuidar, mas é importante saber que ela perde cabelo constantemente e tem uma forte queda sazonal duas vezes ao ano, na primavera e no outono. Durante esses períodos, recomenda-se escovar o cão todos os dias. Lado de fora, uma ou duas escovadas por semana é o suficiente, embora alguns proprietários escolham escovar com mais frequência para minimizar a quantidade de cabelo na casa.

    Em qualquer caso, não adequado para pessoas que não suportam encontrar cabelo em toda a casa: não só perde cabelo o tempo todo, mas que seu cabelo é rígido e se aloja facilmente nos tecidos, por isso pode ser difícil removê-lo de roupas e sofás, por exemplo.

    Dito isto, além desta perda de cabelo significativa, o Dálmata eles são cachorros bem limpos, com uma pelagem não muito suja e não desenvolvem um forte odor corporal. O que mais, como seu pelo é curto, normalmente não é necessário que seu cão seja preparado profissionalmente.

    Também não é particularmente necessário dar banho regularmente em seu cão., a menos que, É claro, ser realmente sujo, por exemplo, depois de uma viagem ao ar livre. Além deste caso especial, um banho uma ou duas vezes por ano é mais do que suficiente.

    Contudo, como em todas as raças de cães com orelhas de abano, cuidado especial deve ser tomado para evitar o risco de infecção. A limpeza semanal é ideal, além da limpeza após cada atividade ao ar livre em áreas molhadas, por exemplo.

    Normalmente não é necessário aparar as garras de um Dálmata se você costuma passar tempo ao ar livre, uma vez que o desgaste natural é geralmente suficiente. Contudo, no caso de indivà­duos menos ativos, eles precisam ser aparados assim que se projetarem das almofadas, Eu quero dizer, em média uma vez por mês.

    Por último, como com qualquer cachorro, é aconselhável cuidar dos olhos uma vez por semana para evitar qualquer risco de irritação ou infecção.

    Saúde “Dálmata”

    O Dálmata geralmente com boa saúde. Contudo, como qualquer corrida, é mais sujeito a certos problemas, frequentemente hereditário neste caso. Portanto, quando um Dálmata, é útil pedir ao criador os resultados dos testes de saúde realizados em ambos os pais.

    Um dos principais riscos a que você está exposto é o da surdez hereditária, ainda mais porque nenhuma linhagem parece ser segura. Se em torno do 5% dos filhotes ficam completamente surdos à s 6 semanas de idade (após um curto período de tempo em que são capazes de ouvir), filhotes são ainda mais propensos a ficar completamente surdos de um ouvido. Sua porcentagem é bastante difícil de definir, muitas vezes o adotante ou proprietário não percebe o problema, a menos que teste a audição de seu parceiro. Na verdade, um cão surdo de um ouvido mostra mais ou menos os mesmos reflexos e reações a sons e situações que um indivíduo normal. Contudo, alguns médicos já investigaram o problema. De acordo com vários estudos realizados ao longo dos anos 90, a porcentagem de Dálmata surdo de um ouvido está por aí 20%. O médico. Bruce Cattanach, que postou uma resenha de seu trabalho intitulada “O dilema de Dálmata: cor da pelagem branca e surdez” en el Journal of Small Animal Practice en 1999.

    Em qualquer caso, não pode ser testado no nascimento. Um cãozinho, independentemente de raça, sempre nasceu com canais auditivos externos fechados. Abrem por volta do 12º ao 16º dia de vida, então só então você pode testar a audição. Na dálmata, surdez aparece antes 6 semanas de idade. É causada por uma deterioração do órgão de Corti (órgão de percepção auditiva) e parece ser causado pelos genes que causam sua cor branca. Ele pode ser detectado com a ajuda de um teste do 6 semanas de idade, e isso é o que qualquer criador sério de Dálmata. Indivà­duos surdos são obviamente excluà­dos da reprodução.

    Representantes desta raça também podem sofrer de urolità­ase (ou pedras na bexiga), uma doença causada por uma peculiaridade do sistema urinário do Dálmata-. Urina de Dálmata contém um nível particularmente alto de ácido úrico. Este ácido acarreta um risco aumentado de formação de cálculos e torna o sistema urinário mais frágil e sensà­vel do que o de outras raças. Esta doença pode até ser fatal se a situação evoluir para uma obstrução total das vias urinárias. Portanto, é importante garantir que o Dálmata urinar regularmente e sem dificuldade, e sempre tem fácil acesso a água doce. Para evitar o diagnóstico vital do animal, a doença deve ser detectada o mais rápido possà­vel, e o tratamento por um veterinário deve seguir imediatamente.

    O que mais, muitos representantes da raça sofrem de alergias de pele. Eles podem ser de origem alimentar, caso em que, o problema da comida pode simplesmente ser eliminado da dieta do cão. Eles também podem ser alergias de contato, Eu quero dizer, causado por uma reação direta a certas substâncias destinadas a cães, como tratamento para pulgas, shampoos para cães e outros produtos químicos. Por último, o Dálmata pode sofrer de alergias por inalação, causado, por exemplo, por pólen, poeira ou mofo. Frequentemente acompanhada de infecções de ouvido. O tratamento pode ser prescrito por um veterinário, dependendo da gravidade das reações.

    Como muitas raças grandes, o Dálmata eles também podem sofrer de displasia de quadril, uma doença hereditária que causa uma inserção imperfeita do fêmur na cavidade pélvica da articulação do quadril. Algumas pessoas afetadas sentem dor e claudicação em uma ou duas das patas traseiras, mas em outros é impossível perceber qualquer sintoma. Conforme o cachorro envelhece, problemas de osteoartrite também podem se desenvolver. Felizmente, existe um teste que pode detectar indivà­duos com displasia, para excluí-los da reprodução (e até mesmo da venda, em caso de detecção precoce). Para minimizar o risco, qualquer um que queira adotar um cachorrinho Dálmata deve, Por conseguinte, pergunte ao criador sobre os resultados do teste em questão.

    Esta raça também é mais afetada pela paralisia laríngea, que pode ocorrer em uma idade jovem. É uma paralisia dos músculos que permitem que a laringe abra e feche durante a respiração.. A principal consequência desta doença é a limitação da capacidade de respiração do animal, Eu quero dizer, dificuldades respiratórias. Enquanto para muitas raças este problema afeta principalmente indivà­duos mais velhos, o Dálmata você corre o risco de ser afetado muito mais cedo. Este problema pode ser facilmente resolvido com uma operação cirúrgica..

    O Dálmata Você também pode ser vítima de uma doença ocular hereditária chamada displasia do esfíncter da íris. Muito raro, causa uma sensibilidade pronunciada à  luz brilhante, visão noturna deficiente e cegueira parcial ou mesmo total do cão.

    Finalmente, é um cão sensível ao frio extremo. Portanto, deve absolutamente viver dentro de casa em regiões frias e/ou quando as temperaturas caem drasticamente no inverno.

    Uso “Dálmata”

    Hoje em dia, eles são principalmente cães de companhia ativos e de vida longa que adoram acompanhar seus donos ao ar livre, por exemplo, durante corrida ou ciclismo. Eles também podem ser usados ​​como um cão de alerta, mas não muito mais que isso: suas habilidades como cão de guarda estão muito longe do que costumavam ser.

    Ele também é um excelente competidor em esportes caninos que exigem suas grandes habilidades físicas., como agilidade, o flyball ou o Frisbee.

    compre um “Dálmata”

    O preço de um cachorro Dálmata obviamente depende do canil de onde vem, suas origens e suas qualidades morfológicas. Em média é 700 EUR, mas pode ir até 1000 EUR.

    O preço de uma mulher geralmente é significativamente mais alto do que o de um homem. Assim, dentro da mesma ninhada, não é incomum ver a diferença de 200 euros entre os dois sexos.

    Classificações do "Dálmata"

    Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão "Dálmata" você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercà­cio, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nà­vel de tolerância para com eles.

    Adaptação ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cão amigável ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Perda de pêlo ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Nível de afeto ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade de exercício ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade social ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Casa ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cuidado ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com estranhos ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Latindo ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Saúde ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Territorial ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigo dos gatos ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Inteligência ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Versatilidade ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Adequado para crianças ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Vigilância ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Alegria ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Imagens do "Dálmata"

    Fotos:

    1 – dálmata em busca completa por Biel1973, CC0, via Wikimedia Commons
    2 – Foto tirada no Peru com uma câmera por Jesus Emerson H.., CC BY-SA 2.5, via Wikimedia Commons
    3 – Um filhote de cachorro dálmata criado por Mago tecnológico, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons
    4 – Um cachorro dálmata por Oliver10203040 na Wikipedia italiana, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons
    5 – Dálmata saltando by Biel1973, CC0, via Wikimedia Commons
    6 – Dalmatiner por Heinz Höfling, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

    Và­deos do "Dálmata"

    Tipo e reconhecimentos:

    • CLASSIFICAÇÃO FCI:
    • Grupo :
    • Seção : . .

    Federações:

    • FCI – Grupo 6: Sabujos, farejadores e raças assemelhadas. – Seção 3: Raças semelhantes.
    • AKC – Não esportivo
    • ANKC – Grupo 7 (Não esportivo) (Cães de caça)
    • CKC – Grupo 6 – Não esportivo
    • KC – Não esportivo
    • NZKC – Não esportivo
    • UKC – Raças Companheiras

    Padrão da raça FCI "Dálmata"

    Origem:
    Croácia

    Data de publicação do padrão original válido:
    13.10.2010

    Uso:

    cão de caça. cão de serviço, de famà­lia, fácil de treinar para vários fins.



    Aparência geral:

    Este é um cão bem equilibrado, distintamente manchado, forte, muscular e ativo. De perfil simétrico, livre de movimentos grosseiros e pesados, Como um cachorro velho, é capaz de grande resistência e boa velocidade.

    proporções importantes

    • A relação entre o comprimento do corpo e a altura na cernelha é de aproximadamente 10:9.
    • A razão entre o comprimento do crânio e o comprimento do focinho é 1:1.


    Comportamento / temperamento:

    Sociável e amigável, nunca tímido ou reservado, livre de nervosismo e agressividade.

    Cabeça:

    Bom comprimento.

    Região craniana:
    • Crânio:Plano, bastante largo entre as orelhas, com área temporal bem definida. Sulco frontal subdesenvolvido. Completamente sem rugas.
    • Nasofrontal depression (Stop):Moderadamente bem definido.

    Região facial:

    • Trufa:Sempre preto na variedade manchada de preto, na variedade de fígado manchado sempre marrom.
    • Focinho:Longo e poderoso, nunca apontou. A ponte nasal é reta e paralela à linha superior do crânio..
    • Lábios:magrelo, bem ajustado à s mandà­bulas, nunca pendurado. A pigmentação total é desejada.
    • Maxilares/Dentes:Mandíbulas fortes com uma perfeita e regular mordida em tesoura, ou seja, os incisivos superiores se sobrepõem aos inferiores e são implantados verticalmente na maxila. Uma dentadura completa com 42 Peças dentárias (de acordo com a fórmula dental do cão) é desejado. Os dentes são bem proporcionados, regular e branco.

    Olhos:Moderadamente separados um do outro, médias, rodada, brilhante e cintilante, expressão inteligente e alerta. Castanho escuro na variedade com manchas pretas, marrom claro a âmbar na variedade com manchas fígado. A borda das pálpebras deve ser completamente preta na variedade com manchas pretas e completamente fígado na variedade com manchas fígado.. A borda das pálpebras deve estar bem colada no globo ocular.

    Orelhas:Conjunto bastante elevado, médias, bastante larga na base. Carregado perto da cabeça, afinando gradualmente para uma ponta arredondada. Textura fina. Manchas bien delineadas, de preferência manchado.

    Pescoço:

    Grandes, bem arqueado, afinando a cabeça; queixo duplo livre.

    Corpo:

    • Cruz:bem definido.
    • Voltar:Poderoso, reta.
    • Lombo de porco:Muito musculoso com músculos secos, ligeiramente arqueado.
    • Alcatra:Muito pouco inclinado.
    • No peito:Não muito largo, mas profunda e grande capacidade; deve chegar até os cotovelos. Visto de lado, o peitoril é claramente visà­vel. Costelas bem proporcionadas, longo, bem curvado, nunca plano, abarriladas o deformadas.
    • flancos:Limitar.
    • linha de fundo:Bastante retraà­do nas costas.

    Cola:

    Alcança aproximadamente até o jarrete. forte em sua raiz, afinando para a ponta, livre de grosseria. Inserção nem muito alta nem muito baixa. Em repouso, cai com uma leve curva ascendente no último terço da cauda.. Em movimento ela é carregada mais alto, ligeiramente superior à linha superior, mas nunca assumiu (Elegre) o enroscada. De preferência salpicado.

    Extremidades

    Membros anteriores

    Perfeitamente reto, com ossos fortes e arredondados de cima para baixo.

    • Ombro:Moderadamente oblà­quo, nítido e musculoso.
    • Cotovelos:Perto do corpo, nem entrou nem saiu.
    • Carpi:Strong, ligeiramente elástico.

    Membros posteriores

    arredondado, muscular, nítidos; visto de trás, eles são paralelos e verticais.

    • Joelhos:bem angulados.
    • Pernas:Strong.
    • Angulação do jarrete:Strong, bem angulado.

    Pés

    Rodada, compactar, com dedos bem arqueados (pés de gato). Almofadas redondas, duro e elástico. Unhas pretas ou brancas na variedade com manchas pretas, marrom ou branco na variedade com manchas fígado.

    Movimento:

    Grande liberdade de movimento: regular, ação poderosa e rítmica com passos longos e boa impulsão dos posteriores. Visto de trás, membros se movem em linhas paralelas, os últimos seguindo os anteriores em um único plano. Um passe de curto alcance ou membros derrapando lateralmente estão incorretos.

    Manto

    Pelo: Curta, disco rà­gido, densa, Lisa e brilhante.

    Cor: Cor de fundo branco puro. Na variedade com manchas pretas, as manchas são pretas; na variedade com manchas hepáticas, as manchas são marrom-fígado. Sem se misturarem, mas redondo, eles são bem definidos e tão bem distribuà­dos quanto possà­vel; tamanho 2-3 cm de diâmetro. As manchas na cabeça, cauda e membros são menores.



    Tamanho e peso:

    O balanço é de extrema importância.

    Altura à  Cruz

    • Machos:56–61 cm.
    • fêmeas:54–59 cm.

    Peso

    • Machos:aproximadamente 27-32 kg.
    • fêmeas:aproximadamente 24-29 kg.


    Falhas:

    Qualquer desvio dos critérios acima é considerado faltando e a gravidade é considerada a medida do desvio padrão.

    • Manchas bronzeadas (descoloração transitória de bronze de manchas pretas.

    fALTAS ELIMINATà“RIAS

    • Cão agressivo ou medroso.
    • Prognatismo superior o inferior acentuado.
    • Ectropión, entrópio, olho zarco, olhos de cores diferentes (heterocromia).
    • Olhos azuis.
    • Surdez.
    • Remendo delimitado perto de um olho (monóculo) ou manchas no corpo (no entanto admissível para reprodução).
    • Cachorro tricolor (manchas pretas e fígado no mesmo espécime).
    • Cor limão (manchas de limão ou laranja).
    • Comportamento muito tímido ou agressivo.

    Qualquer cão que mostre sinais claros de anormalidades físicas ou comportamentais deve ser desqualificado..



    N.B.:

    Os machos devem ter dois testículos de aparência normal totalmente descidos no escroto..

    Fonte: F.C.I - Federação Cinológica Internacional

    Nomes alternativos:

    1. Carriage Dog, Firehouse Dog, Plum Pudding Dog, Spotted Coach Dog, Leopard Carriage Dog (inglês).
    2. Dalmatinac (Francês).
    3. (kroatisch Dalmatinac) (alemão).
    4. (em croata: Dalmatinac) (português).
    5. Perro Bombero (espanhol).

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Dandie Dinmont Terrier
    Gran Bretañaa FCI 168 . Terrier de pequeno porte.

    Dandie Dinmont Terrier

    O Dandie Dinmont Terrier é um cão cujo padrão requer o que outros terriers consideram defeitos muito graves.

    Conteúdo

    História

    Este tiro terrier foi desenvolvido especialmente em torno de 1600 nas colinas de Cheviot e perto de Coquetdale para apoiar a caça de lontras e texugos. Mas também predadores e lebres tornaram a vida muito difícil para este caçador talentoso..

    A maioria dos cães desta raça era mantida por muito poucas famílias na área e também raramente eram dados a estranhos.. Criador conhecido Willi Allan, por exemplo, manteve um rebanho excepcional, mas ele se recusou a vender até um de seus cães, apesar das altas ofertas.

    Seus filhos e netos continuaram essa tradição após sua morte em 1704, mas ocasionalmente eles davam um cachorro a bons amigos ou como um favor. O mencionado criador John Davidson recebeu um parceiro dessa maneira e iniciou sua criação.

    Era o cão favorito do rei francês Luis Felipe, que possuía um par de dândis sobre 1840.

    O pintor Gainsborough imortalizou o Dandie Dinmont Terrier em seu retrato do duque de Buccleuch.

    Como raça de cão de caça escocês, o terrier foi originalmente usado para caçar lontras e texugos; com seu corpo longo e flexível tinha condições ideais para caçar na subestrutura. Hoje, os Dandie Dinmont Terrier Ele é considerado um companheiro fiel e um companheiro feliz em muitas situações da vida..

    É considerado o ancestral direto dos não menos independentes bassê de cabelos ásperos. Com a fundação do primeiro clube Dandie Dinmont em 1875, as características da raça foram unificadas.

    Nos países do continente europeu, o Dandie Dinmont Terrier fica muito atrás do entusiasmo das Ilhas Britânicas em termos de popularidade.

    Em sua terra natal, ainda pode ser experimentado como um determinado caçador e cão de guarda., mas uma vida como cão de companhia é mais comum. Este pequeno terrier é raramente observado em comparação com outras raças..

    A altura usual dos ombros entre 20 e 28 centímetros não é mais estipulado no padrão FCI. A nomenclatura é limitada a um peso de oito a onze kg para este pequeno terrier.

    O Dandie Dinmont Terrier é um descendente direto do Skye Terrier. Embora a raça seja relativamente comum na Grã-Bretanha, este humilde cão raramente é visto fora deste país.

    Características físicas

    O Dandie Dinmont Terrier é um representante especial do grupo terrier. Feroz, corajoso e resistente, é um rastreador confiável e um bom ajudante de caça.

    Na caçada, ele enfrenta doninhas, texugos e lontras. Muitas raças terrier têm os genes da dândis.

    Walter Scott nomes em seu romance os famosos seis terriers Dandie Dinmont Terrier com nomes extraordinários

    “Pimenta Auld” (= pimenta velha)
    “Pimenta jovem”.
    “Little Pepper”.
    “Mostarda velha”.
    “Mostarda jovem”.
    e “Mostarda Pequena”, indicando as cores de cabelo predominantes nesta raça.
    Sobre seu personagem, ele escreveu: “Eles não temem nada neste mundo que encontre peles peludas”.

    De acordo com o padrão da raça, a altura do ombro do Dandie Dinmont Terrier Deve ser de 24 - 28 cm, o peso ideal em condições de trabalho deve estar entre 8 e 11 kg.

    Algumas de suas características físicas, como pernas curtas e curtas, as costas dobradas, cabeça redonda e olhos grandes, provavelmente remontam ao cruzamento de várias raças de cães farejadores.

    A pelagem consiste em uma mistura encaracolada de cabelos duros e macios, que também são bastante longas, sobre 5 cm. Normalmente o revestimento do Dandie Dinmont requer pouca limpeza, só precisa ser penteado regularmente e aparado várias vezes ao ano.

    Caráter e habilidades

    O Dandie Dinmont Terrier mostra sua adaptabilidade não apenas na caça. Quando ele vive com seus humanos, ele é afetuoso e afetuoso sem se tornar amigo.

    Caracterizado por um alto limiar de estímulo, o que beneficia você como um cão de apartamento. Não late sem motivo, embora eu ouça e veja tudo. No entanto, a proporção de atividades ao ar livre na rotina diária deve ser grande o suficiente. Seus genes de caça continuam a determinar o impulso para trabalhar em estado selvagem.

    A obediência não é uma caracterà­stica marcante do feiticeiro Dandie Dinmont.
    Os seres humanos com uma postura consistente convencem esse terrier sensà­vel. Se você entende o significado de suas ações, quer agradar e se comporta como dito. Basicamente, nosso amigo de quatro patas reservado pode ser um bom cão de famà­lia.

    O Dandie Dinmont tem a mesma natureza inteligente e alerta que torna a maioria dos terriers bons cães de família. Felizmente, não costuma ser teimoso.

    Se você quiser manter seu Dandie Dinmont saudável e alerta, é essencial que você caminhe com ele todos os dias e que lhe dê uma dieta relativamente pobre em gordura.

    O Dandie Dinmont Terrier ela é ágil com as pernas curtas. Sua necessidade de exercà­cio é aproximadamente equivalente ao seu tamanho, mas longas caminhadas pelos bosques e campos com seu dono são muito bem-vindas. A palavra mágica é ação e atividade.

    Se vier à  mente e um roedor despertar seu instinto de caça, a caça é um hobby ao seu gosto.

    Nos limites do seu território, parece no momento extraordinariamente reservado em suas relações com outros cães. As opiniões diferem quanto ao grau em que as crianças são aceitas pelo Dandie Dinmont Terrier. Em geral, a criança é descrita como amante de crianças.

    Contudo, até aqui, não há rosa sem espinhos, e alegria para crianças desconhecidas pode ser individualmente muito menor do que. O proprietário é sempre obrigado a cuidar de seus animais de estimação.

    Cuidar da “Dandie Dinmont Terrier”

    Tem um subpêlo macio que cresce encaracolado, a camada superior sendo dura.

    Além da escovação regular, devemos aparar o pelo quase três vezes por ano. Isso remove os pêlos mortos sem amolecer os pêlos principais e sem reduzir a resistência à  água do revestimento duplo.

    É claro, cães que participam de shows devem ser tratados com mais cuidado.

    Cabelos especialmente grossos requerem atenção especial para enfatizar a característica forma macia e sedosa do cabelo. “topknots“. É importante que o cão nunca pareça ter sido preparado.

    As cores predominantes da pelagem são, como já indicado no romance de Scott pelos nomes especiais de cães, Pimenta, Eu quero dizer, tons entre azul-preto e cinza prateado claro, bem como mostarda, Eu quero dizer, cores de vermelho-marrom a bege.

    A qualidade dos cuidados com o casaco é muito visà­vel na cabeça impressionante do Dandie Dinmont Terrier. A cabeleira sedosa em volta dos grandes olhos é a figura que caracteriza o Dandie Dinmont Terrier.

    A pelagem como um todo é de cor pimenta ou mostarda. A primeira variante varia de preto azulado a cinza prateado, paleta de tons de mostarda mostra diferentes tons de marrom.

    Classificações do "Dandie Dinmont Terrier"

    Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão "Dandie Dinmont Terrier" você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercà­cio, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nà­vel de tolerância para com eles.

    Adaptação ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cão amigável ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Perda de pêlo ⓘ

    Avaliado 1.0 fora de 5
    1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Nível de afeto ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade de exercício ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade social ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Casa ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cuidado ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com estranhos ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Latindo ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Saúde ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Territorial ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigo dos gatos ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Inteligência ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Versatilidade ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Adequado para crianças ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Vigilância ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Alegria ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Imagens "Dandie Dinmont Terrier"

    Fotos:

    1 – Dandie Dinmont Terrier e West Highland White Terrier durante a exposição internacional de cães em Katowice, Polônia. Os cães vem do canil “Canis Terra” por Pleple2000 / CC BY-SA
    2 – Dandie Dinmont Terrier de 1915 por W. E. Mason – Cães de todas as nações
    3 – A fêmea – Dandie Dinmont Terrier durante a exposição internacional de cães em Katowice, Polônia. A cadela vem do canil “Canis Terra” por Pleple2000 / CC BY-SA
    4 – Dandie Dinmont Terrier, 2014 Westminster Kennel Club Dog Show, Cidade de Nova York. por Animais Assessor de Brooklyn, E.U.A. / CC POR
    5 – A cabeça da mulher – Dandie Dinmont Terrier durante a exposição internacional de cães em Katowice, Polônia. A cadela vem do canil “Canis Terra” por Pleple2000 / CC BY-SA
    6 – Dandie Dinmont Terrier por https://pxhere.com/es/photo/696735

    Và­deos do "Dandie Dinmont Terrier"

    Tipo e reconhecimentos:

    • CLASSIFICAÇÃO FCI:
    • Grupo :
    • Seção : . .

    Federações:

    • FCI – Terriers 2 Terrier de pequeno porte.
    • AKC – Terrier
    • ANKC – Grupo 2 (Terrier)
    • CKC – Grupo 4 – Terriers
    • KC – Terriers
    • NZKC – Terriers
    • UKC – Terriers

    Padrão da raça FCI "Dandie Dinmont Terrier"

    Origem:
    Reino Unido

    Data de publicação do padrão original válido:
    22.08.2017

    Uso:

    Terrier



    Aparência geral:

    É um cão que tem uma cabeça característica coberta por uma pelagem bonita e sedosa., com olhos grandes, estão profundamente cientes da Inteligentes, que contrabalançam o corpo que é curto e longo como uma doninha. Membros são curtos e fortes; com um casaco que a protege dos elementos.



    Comportamento / temperamento:

    Ele é um Terrier corajoso e empreendedor. Independente de, muito inteligente, decidiu, persistente, sensà­vel, carinhoso e nobre.

    Cabeça:

    A cabeça é de constituição sólida, grande, mas proporcional ao tamanho do cão; os músculos apresentam um desenvolvimento extraordinário, especialmente os dos maxilares.

    Região craniana:
    • Crânio: Largo e estreito em direção aos olhos; a distância entre o ângulo interno do olho e a parte de trás do crânio é quase a mesma que entre a orelha a orelha. A testa está bem abobadada; a cabeça deve ser coberta com cabelos muito macios e sedosos, não se limitando a apenas uma mecha.

    Região facial:

    • Trufa: É preto.
    • Focinho: Deve ter uma proporção de 3 - 5 em relação ao crânio. A parte de trás do focinho tem uma parte em forma de triângulo sem pêlos que aponta de volta para os olhos pelo nariz e tem cerca de 2,5 cm de largura. (2,5 cm).
    • Bochechas: Afunde gradualmente até um focinho forte e profundo.
    • Maxilares/Dentes: MANDàBULAS fortes, com dentes saudáveis, mordida completa e em tesoura, Eu quero dizer, que a face interna dos incisivos superiores está em contato com a face externa dos incisivos inferiores; os dentes devem ser inseridos diretamente nas mandíbulas. Qualquer desvio é altamente indesejável. Dentes são muito fortes, especialmente caninos que são excepcionalmente grandes para um cão pequeno. Os caninos devem se encaixar bem, de tal maneira que eles conferem força para agarrar e punir. O interior da boca deve ser pigmentado na cor preta ou escura.

    Olhos: Intensa cor escura de avelã; colocados bem separados uns dos outros e abaixo. Eles são ótimos para um cão pequeno, brilhante, cheio e redondo, mas não abaulado.

    Orelhas: Pingentes, bem atrás, distantes um do outro e situados na parte inferior do crânio; pendurar perto das bochechas com um ligeiro elevador na base; de largura na base na junção com a cabeça e a extremidade quase pontiaguda. A parte anterior da orelha deve ficar quase reta desde a inserção com a cabeça na ponta. A cartilagem e a pele da orelha devem ser muito finas.. O comprimento da orelha varia entre três e quatro polegadas. (7,5- 10cm). A cor das orelhas deve se harmonizar com a do corpo. No caso de um cachorro-pimenta, eles devem ser cobertos com cabelos macios, certo e escuro (em alguns casos quase preto). No caso de um cão de cor mostarda, eles também devem ser dessa cor, mas em uma sombra mais escura que o corpo, embora nunca seja preto. Em ambos os casos, Eles devem ter uma franja fina de cabelo claro que começa aproximadamente duas polegadas. (5 cm) da ponta da orelha, e quase a mesma cor e textura que a fechadura, dando às orelhas uma aparência pontiaguda característica. Esta característica pode não aparecer até que o cão atinja a idade de dois anos..

    Pescoço:

    Muito musculoso, bem desenvolvido e robusto, e mostra grande vigor. Com boa inserção nos ombros.

    Corpo:

    Longo, forte e flexà­vel.

    • Voltar: Deve ser bastante baixa na região da cernelha, formando uma ligeira curva e arco correspondente na região renal em sua descida gradual em direção à  base da cauda.. Nas laterais da coluna, você deve ter boa musculatura.
    • No peito: Bem desenvolvido e bem abaixado entre os ombros da frente.
    • Costelas: Bem arqueado e arredondado.

    Cola:

    É bastante curto e seu comprimento varia entre oito e dez polegadas. (20 – 25 cm), muito grossa na base e engrossar mais em um trecho de 10 cm (4 polegadas), e depois sintonize e termine em um ponto. Nunca deve torcer ou torcer, mas deve ser curvado como uma cimitarra. Quando o cachorro está excitado, a ponta da cauda forma uma linha perpendicular com a base da cauda; sua inserção não é muito alta nem muito baixa. Quando o cachorro está em repouso, você deve carregá-lo feliz e muito pouco acima do nà­vel do corpo.

    Extremidades

    MEMBROS ANTERIORES: eles são pequenos, com muito bom desenvolvimento muscular e ósseo, colocados bem afastados um do outro e o baú deve chegar bem no meio deles. Membros arqueados são muito indesejáveis.

    • Ombro: Bem inclinada para trás, mas não muito pesado.
    • antebraços: Devem seguir a linha do peito.
    • Pés anteriores: Direcionado para frente ou ligeiramente desviado para fora quando o cão é parado.

    MEMBROS POSTERIORES: Os posteriores são ligeiramente mais longos que os anteriores e bem separados., embora não seja aberto de uma maneira que não seja natural.

    • coxas: Devem ser bem desenvolvidos.
    • Joelhos: Articulações femoro-tà­bio-patelares angulares.
    • Jarretes: Bien descendidos. As esporas, se eles existissem, eles devem, como sempre, ser cortados.
    • Pés de volta: Rodada e com almofadas grossas para os pés. Os pés traseiros devem ser menores que os anteriores. Unhas bem pigmentadas na cor escura, embora possa variar de acordo com a cor da pelagem que cobre o corpo. Pés chatos ou dedos afastados são altamente indesejáveis.

    Movimento:

    Poderoso, com um empurrão em linha reta vindo das costas, que permite desenvolver uma etapa ágil, livre e leve, com bom alcance na frente. um movimento rígido, caminhando, pular ou cruzar é altamente indesejável.

    Manto

    Pelo: Nesta raça, a pelagem é uma característica muito importante.. Ele tem duas camadas de cabelo, um interior macio, brilhante e um exterior sem fio mais resistente, mas que dá a impressão de ser nà­tido ao toque. O cabelo não deve ser dividido em uma faixa ao longo das costas, deve ser estendido na forma de borlas produzidas pelos cabelos mais duros que saem através da camada interna dos cabelos mais macios. Os membros anteriores estão cobertos de pêlos compridos com franjas de quase 5 cm (2 polegadas) comprimento. A parte superior da cauda deve ser coberta com pêlos ásperos; no fundo o cabelo não é tão grosseiro, e tem franjas elegantes para cabelos mais macios.

    Cor: Pimenta ou mostarda.

    • Pimenta: Varia de preto azulado escuro a cinza prateado claro; tons intermediários são preferidos. A cor do corpo deve se estender bem abaixo dos ombros e quadris, gradualmente misturando-se com a cor dos membros e pés, que varia de acordo com a cor do corpo do fogo intenso ao fulvo claro. Deve ter um coque de cabelo branco-prateado grosso.
    • Mostarda: Varia de castanho avermelhado a castanho claro. Você deve ter um coque grosso de cabelo branco-amarelado; os membros e os pés devem ser mais escuros que a cabeça.

    Nas duas cores, o cabelo das franjas nos membros anteriores é quase consideravelmente mais claro que o cabelo na frente do membro. Alguns pelos brancos no peito são permitidos, assim como unhas brancas. Pés brancos são indesejáveis. O cabelo na parte inferior da cauda é de cor mais clara do que o cabelo na parte superior, deve ser uma cor mais escura que o corpo.



    Tamanho e peso:

    Entre 8 e 11 kg para homens em boas condições de trabalho. Pesos mais baixos são preferidos.



    Falhas:

    Qualquer desvio dos critérios mencionados acima deve ser considerado uma falha e a gravidade é considerada proporcional ao grau de desvio do padrão e suas conseqüências para a saúde e o bem-estar do cão..

    FALHAS DE DESCALIFICANTES:

    • Agressividade ou extrema timidez.
    • Qualquer cão que mostre sinais claros de anormalidades físicas ou comportamentais deve ser desqualificado..


    N.B.:
    • Os machos devem ter dois testículos de aparência normal totalmente descidos no escroto..
    • Apenas cães funcional e clinicamente saudáveis, com a conformação típica da raça, deve ser usado para reprodução.

    As últimas alterações estão em negrito.

    TRADUCCÍON: Lic. O. Valverde Calvo (Costa Rica). Versão original: IN.

    Fonte: F.C.I - Federação Cinológica Internacional

    Nomes alternativos:

    1. Dandie, Hindlee Terrier (inglês).
    2. Dandie (Francês).
    3. Dandie (alemão).
    4. Dandie (português).
    5. Dandie (espanhol).

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Dogue-de-bordéus
    Francia FCI 116 - Molossóides - Dogue

    Dogo de Burdeos

    O Dogue-de-bordéus É muito fiel ao seu dono e amoroso com as crianças.

    Conteúdo

    História

    O Dogue-de-bordéus, é um molossiano de tamanho médio a grande da França. O tipo molossiano é conhecido desde os tempos antigos e desempenhou um papel considerável em várias culturas do mundo antigo.. Os babilà´nios esculpiram seu molosser em granito. Serviram governantes como Hamurabi como cães de guerra. Molosses são cães fortes e pesados. Eles têm uma cabeça de comando com um focinho curto e lábios longos.. As orelhas são geralmente usadas penduradas. De acordo com as tradições da antiguidade em palavras e imagens, as principais características do molosso permaneceram essencialmente as mesmas por milhares de anos.

    O alcance de suas tarefas a serviço do homem também se manteve constante por um longo tempo. Os ancestrais da Dogue-de-bordéus serviu como cão de caça para caça grande e bem fortificada, especialmente como um saupacker. Eles tiveram que pegar e encurralar o perigoso javali até que o caçador pudesse matá-lo com a pena de javali., uma lança especial. Esta velocidade necessária, resistência, muita coragem e força. O Dogue-de-bordéus serviu e continua a servir hoje como cão de guarda e de proteção. Na Idade Média, era usado nas arenas de luta com animais. Os moluscos grandes e pequenos estão sempre espalhados pela Europa. O Dogue-de-bordéus foi criado como uma raça independente com o surgimento da criação moderna de cães como uma raça separada de cães. Em 1863 A primeira exposição canina francesa foi realizada no Jardim de Aclimatação de Paris.

    O Dogue-de-bordéus Já foi mostrado lá com o nome atual. O nome deve derivar do fato de que esses cães eram vistos com mais frequência em açougues na cidade de Bordeaux.. Naquela época, o Dogue-de-bordéus eles não eram tão grandes no entanto, pesado e tão enrugado quanto hoje. A monocromaticidade exigida hoje também estava faltando.. O homem premiado em Paris em 1883, “Batalha”, tinha uma cabeça sem rugas com uma máscara preta. O Dogue-de-bordéus muitas vezes teve que sofrer a turbulência política da humanidade. Durante a Revolução Francesa em 1789 foi quase exterminado, porque ele era considerado o cachorro dos ricos. Durante as duas guerras mundiais, os cães tiveram que sofrer tanto que sua raça ficou em perigo após as guerras. desde a década de 1960 vem experimentando um novo boom. Para reviver a corrida, diz-se que eles foram cruzados com o San Bernardos de pêlo curto.

    Características físicas

    O Dogue-de-bordéus Tem uma aparência impressionante, apesar ou talvez porque não é tão grande e pesado quanto um mastim ou um São Bernardo. Contudo, você pode ver o poder que ela apresenta em serenidade majestosa. O padrão estabelece uma altura na cernelha de 60 - 68 cm para os machos e 58 - 66 cm para as fêmeas. O peso no sexo masculino é de “pelo menos 50 kg” e o das fêmeas de “pelo menos 45 kg”. Infelizmente, a norma não prevê um limite de peso superior. Então hoje vemos espécimes com 70 kg e mais.

    Especialmente esse gigantismo está à  custa da aptidão e saúde dos cães.. O conde belga Bylandt dá 1894 como peso para o homem 54 – 60 kg. O cinólogo alemão Richard Strebel relata em 1905 de 54 – 55 kg como o melhor peso para um homem e 45 – 46 kg para uma mulher. Tal peso também faria muito bem ao atual Dogue de Bordeaux.. o casaco de Dogue-de-bordéus deve ser fino, curto e suave ao toque. Deveria ser “sólido em todos os tons de cor castanho, do mogno ao elisabetano”. Manchas brancas no peito e nas extremidades dos membros são permitidas quando não são muito extensas. Essa restrição de cores também não é muito benéfica para o pool genético da Dogue-de-bordéus. Tudo isso leva ao fato de que hoje o Dogue de Bordeaux é um dos cães de vida mais curta..

    Personagem

    Sério e seguro de si, mas com um senso de humor subjacente, o Dogue-de-bordéus é um companheiro vigilante e corajoso. Tem várias personalidades: distante, Extrovertido, engraçado, doce, lutador, rápido para aprender, cada um pertence a um cachorro diferente.

    No melhor dos casos, o buldogue é calmo e gentil, mas também pode ser teimoso. Quando um cão desse tamanho é teimoso e quer se safar dele, pode ser difícil de lidar. O Dogue-de-bordéus Deve ter uma socialização precoce e extensa combinada com uma forte liderança de seu proprietário, ou pode se tornar agressivo com outros cães, animais menores ou até pessoas. Se você quer viver com um Dogue-de-bordéus, você deve estar disposto a aprender a trabalhar com ele, controlá-lo e ganhar seu respeito.

    Um Bulldog que tem um dono a quem respeita é um cão maravilhoso da famà­lia. Desfrute de passar tempo com eles, mesmo na cama e no sofá. Não é um cão ativo e se contenta em estar em casa, certificando-se de que todos estejam seguros. Caminhadas curtas e momentos de jogo são a sua velocidade. Mas não se deixe enganar. Se alguém se aproximar da porta, o Dogue-de-bordéus está lá para protegê-lo do mal.

    Com crianças pequenas, é amar, Protetor, gentil e tolerante. Ao contrário de muitas raças grandes, eles podem ser muito barulhentos com crianças pequenas, o Bulldog geralmente é cuidadoso com eles. Contudo, cães grandes não são adequados para cuidar de crianças, e toda interação entre os dois deve ser supervisionada.

    O perfeito Dogue-de-bordéus não preparado pelo criador. qualquer cão, não importa quão agradável, nà­veis detestáveis ​​pode desenvolver latidos, escavação, contra-navegação e outros comportamentos indesejáveis ​​se você está entediado, não é treinado ou não é supervisionado. E qualquer cão pode ser um teste que vivem durante a adolescência.

    Comece a treinar seu cachorro no dia em que o trouxer para casa. Mesmo a oito semanas de idade, Ele é capaz de absorver tudo o que você pode ensiná-lo. Não espere até que você tenha 6 meses para começar trem ou ter de lidar com o cão mais teimoso. Sim é possà­vel, Leve-a a um treinador quando você tem entre 10 e 12 semanas, e socializa, socialice, socialice. Contudo, Note-se que muitos tipos de filhotes de formação exigem certas vacinas (tais como tosse do canil) mantenha-se atualizado, e muitos veterinários recomendam exposição limitada a outros cães e locais públicos até a vacinação dos filhotes (incluindo a raiva, cinomose e parvovirose) Eles são concluà­das. Em vez de treinamento formal, Você pode começar a treinar o seu cachorro para socializar em casa e entre amigos e familiares até imunizações são concluà­das no filhote de cachorro.

    Fale com o criador, Descrever exatamente o que você quer em um cão e pedir ajuda para escolher um filhote de cachorro. Os criadores veem os filhotes diariamente e podem fazer recomendações incrivelmente precisas assim que aprenderem um pouco sobre seu estilo de vida e personalidade.. Independentemente do que você deseja de um Dogue-de-bordéus, procure alguém cujos pais tenham personalidades legais e que tenham sido bem socializados desde o primeiro estágio do filhote.

    Dogue-de-bordéus fitness

    O Dogue-de-bordéus é um pouco mais exigente em sua manutenção. Não é adequado para um apartamento. Embora não seja um cão muito agitado, ele realmente gosta de ter um pouco de liberdade de movimento, por exemplo em um jardim. Aqui gosta de passar várias horas a dormir e a ver. Você precisa de muito espaço, porque ele quer poder se mover livremente. Aprecie longas caminhadas e pequenos passeios de bicicleta. Você precisa do seu exercà­cio diário, mas ela não é atleta. Esforço físico e mental devem ser evitados em clima quente. Lembre-se também de que cães tão grandes e fortes quanto Dogue-de-bordéus na nossa sociedade atual, supostamente amigo dos animais, muitas vezes encontram grande rejeição, à s vezes agressivo. Algumas pessoas simplesmente o temem por ignorância. Esta é uma das razões pelas quais não é aconselhável mantê-lo na cidade grande.. É preciso ter um orçamento suficiente para poder pagar por boa comida e, em caso de dúvida, também as contas do veterinário.

    Dogue-de-bordéus Educação

    O Dogue-de-bordéus pode ser treinado muito bem, no que diz respeito à s regras básicas de comportamento. Ele também deve ser bem educado desde a idade de um filhote para poder sempre administrar esse centro de poder. Ela não gosta de aprender truques cujo significado não está claro para ela. Ainda mais do que com a maioria dos outros cães, um relacionamento íntimo de confiança com seu mestre ou amante é a base para uma educação bem-sucedida. Também há consequências, porque ele Dogue-de-bordéus é inteligente, ele percebe cada pequena discrepância e sabe como usá-la para seus próprios propósitos. O Dogue-de-bordéus também é muito sensà­vel. Não se esqueça das injustiças. Tenha sempre em mente que a trela desses cães é apenas um controle simbólico. O Dogue-de-bordéus teria facilmente o poder de manobrar a outra ponta da coleira à vontade, Se eu quisesse. Mas não.

    Saúde Dogue-de-bordéus

    Como qualquer raça gigante com focinho curto, o Dogue-de-bordéus tem problemas de saúde. O pool genético limitado da raça cria um cão suscetà­vel a temperaturas extremas, a doenças cardíacas, como cardiomiopatia dilatada e estenose aórtica, e ectrópio, uma condição em que a pálpebra desaparece. Dogue de Bordeaux também é propenso a hiperqueratose nas patas.

    Nem todas essas condições são detectáveis ​​em um cachorro em crescimento, e é impossà­vel prever se um animal estará livre de estas doenças, então você precisa encontrar um criador respeitável que se comprometem a criar animais saudáveis ​​possà­vel. Deve ser capaz de produzir uma certificação independente de que os pais do cão (e avós, etc.) foram examinados para defeitos comuns e considerados saudáveis ​​para reprodução. É aí que entram os registros de saúde..

    Lembre-se que depois de receber um novo filhote em sua casa, Ele tem o poder de proteger um dos problemas mais comuns de saúde: a obesidade. Manter um Dogue-de-bordéus com o peso certo é uma das maneiras mais fáceis de prolongar sua vida.. Para tirar o máximo partido das habilidades preventivas para ajudar a garantir um cão saudável para a vida.

    Dogue-de-bordéus aliciamento

    A pelagem curta do Dogue-de-bordéus é fácil cuidar. Escove-o uma vez por semana com uma escova de borracha para remover os pelos mortos..

    Mas há mais coisas para cuidar do que cuidar do casaco. O Dogue-de-bordéus você tem rugas e precisa de cuidados especiais para evitar ser infectado. Limpe-os com um pano úmido ou lenço umedecido., e depois seque bem as dobras para evitar infecções de pele.

    Traga uma toalha de mão para limpar o rosto enrugado após cada refeição ou bebida de água. Quando ele balança a cabeça grande, jogue pedaços de lodo em todos os lugares. Também sai muito, então você vai gastar muito tempo varrendo e aspirando.

    O resto são cuidados básicos. Verifique as orelhas semanalmente e limpe se necessário, escove os dentes sempre que possível, e corte as unhas regularmente, geralmente a cada poucas semanas.

    Nutrição / Alimentação

    Como com todos esses cães pesados, especialmente na fase de crescimento, dieta e composição devem ser cuidadosamente consideradas. Mais tarde, isso não é problemático. O risco de torção estomacal deve ser levado em consideração.

    A expectativa de vida do Dogue-de-bordéus

    A expectativa média de vida de Dogue-de-bordéus isto é, Infelizmente, extremamente baixo, de 6 - 8 anos. Seria bom para a raça fazer tudo humanamente possível para corrigir isso..

    Compre um Dogue-de-bordéus

    Um filhote só deve ser comprado pessoalmente de um criador respeitável.. Isso pode ser planejado para alguns 1.500 – 2.500 EUR. Você deve olhar atentamente para o lixo e os pais, bem como obter informações sobre os antepassados. Você deve prestar atenção à  idade dos antepassados, e que eles não são muito pesados ​​ou muito enrugados.

    Classificações do "Dogue-de-bordéus"

    Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão "Dogue-de-bordéus" você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercà­cio, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nà­vel de tolerância para com eles.

    Adaptação ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cão amigável ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Perda de pêlo ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Nível de afeto ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade de exercício ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade social ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Casa ⓘ

    Avaliado 1.0 fora de 5
    1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cuidado ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com estranhos ⓘ

    Avaliado 1.0 fora de 5
    1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Latindo ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Saúde ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Territorial ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigo dos gatos ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Inteligência ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Versatilidade ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Adequado para crianças ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Vigilância ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Alegria ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Imagens do "Dogue-de-bordéus"

    Fotos:

    1 – Cachorro Dogue de Bordeaux 10 semanas de idade por publicdomainpictures.net
    2 – Dogue de Bordeaux Harley por publicdomainpictures.net
    3 – Bordeaux está confortavelmente no jardim por publicdomainpictures.net
    4 – Retrato de um Dogue de Bordeaux por publicdomainpictures.net
    5 – Um retrato de um Dogue de Bordeaux (Mastiff francês) por spaceodissey de Parma, Itália / CC POR
    6 – Harley e Doutzen – Dogue de Bordeaux e bulldog brincando juntos por publicdomainpictures.net

    Và­deos do "Dogue-de-bordéus"


    Tipo e reconhecimentos:

    • CLASSIFICAÇÃO FCI:
    • Grupo :
    • Seção : . .

    Federações:

  • FCI – Cães do tipo Pinscher e Schnauzer-Molossoide – Cães de Montanha e Boieiros Suiços. Seção 2.1 Molossóides, Tipo Mastife.
  • AKC – Cães trabalhando
  • ANKC – Grupo 6 (cães utilitários)
  • KC – cães de trabalho
  • NZKC – Cão utilitário
  • UKC – Cão de guarda

  • Padrão da raça FCI "Dogue-de-bordéus"

    Origem:
    França

    Data de publicação do padrão original válido:
    04.11.2008

    Uso:

    Cão de guarda, defesa e dissuasão



    Aparência geral:

    Molosso braquicefálico típico com linhas côncavas. O Dogue de Bordeaux é um cão muito forte com um corpo muito musculoso, mas mantendo uma linha geral harmoniosa.. Sua estrutura é bastante perto do chão, a distância esterno-solo é um pouco menor que a profundidade do peito. Bem construà­do, atlético e imponente, sua aparência é muito dissuasiva.



    PROPORà‡à•ES IMPORTANTES:

    • O comprimento do corpo medido da ponta do ombro até a ponta do à­squio é maior que a altura da cernelha na proporção de 11 / 10.
    • A profundidade do peito é superior a metade da altura na cernelha.
    • O comprimento máximo do focinho é igual a um terço do comprimento da cabeça.
    • O comprimento mínimo do focinho é igual a um quarto do comprimento da cabeça..
    • Nos machos, o perímetro do crânio corresponde mais ou menos à altura na cernelha.


    Comportamento / temperamento:

    Um velho cão de combate, o Dogue de Bordeaux é adequado como guardião,
    o que ele assume com atenção e muita coragem, mas sem agressividade.
    Um bom companheiro, muito apegado ao seu mestre e muito carinhoso. Calmo, equilibrado com um alto estímulo. O macho geralmente tem um caráter dominante.

    Cabeça:

    Volumoso, angular, largo, bastante curto, vista superior e frontal do trapézio. Os eixos longitudinais do crânio e da ponte nasal são convergentes (frente). A cabeça está coberta de rugas, em ambos os lados do sulco central. Esses cordões profundos de rugas são móveis, dependendo se o cão está vigilante ou não. A dobra que vai do canto interno do olho até o canto da boca é típica. Se presente, o vinco do canto externo do olho até o canto da boca ou o queixo duplo deve ser discreto.

    Região craniana:
    • No masculino: O perímetro do crânio medido no nível de sua largura máxima corresponde aproximadamente à sua altura na cernelha..
    • em fêmeas: Talvez menos.
    • Seu volume e forma são a conseqüência de um desenvolvimento muito importante das tempestades, arcos orbitais supra, arcos zigomáticos e espaços da mandíbula inferior. A região superior do crânio é levemente convexa de um lado para o outro. O sulco frontal é profundo, diminuindo em direção à  extremidade posterior da cabeça.. A testa domina a cabeça, mas não excede isso. De todas as formas, é mais largo do que alto.
    • Stop: Muito pronunciado, quase formando um ângulo reto com o focinho. (95º - 100º)

    Região facial:

    • Trufa: ampla, narinas bem abertas, bem pigmentado de acordo com a cor da máscara. Uma trufa virada para cima é permitida, mas não se for para trás, direcionado para os olhos.
    • Focinho: Strong, Largura, espessura, mas não carnudo sob os olhos, bastante curto, perfil superior um tanto cà´ncavo com pregas moderadamente visà­vel. Sua largura diminui ligeiramente em direção à  ponta; vista superior tem uma aparência quadrada geral. Em relação ao topo do crânio, a linha do focinho forma um ângulo ascendente muito obtuso..

    Quando a cabeça é mantida horizontalmente, a ponta do focinho, truncado e grosso na base, é oposto a uma tangente vertical à  frente da trufa.

    Seu perímetro é geralmente dois terços da cabeça. Seu comprimento varia entre um terço e um mínimo de um quarto do comprimento total da cabeça., da trufa à  crista occipital. limites estabelecidos (máximo um terço e mínimo um quarto do comprimento total da cabeça) são autorizadas, mas não queria, o comprimento ideal do focinho deve estar entre essas duas extremidades.

    • mandíbulas: Mandíbulas fortes e largas. Prognatismo (prognatismo é uma característica da raça). A parte de trás de os incisivos inferiores são anteriores e não estão em contato com a face anterior dos incisivos superiores.

    A mandíbula inferior se curva para cima. O queixo é bem marcado e nunca deve ser excessivamente coberto ou coberto pelo lábio superior.

    • Dentes: Strong, particularmente os caninos. Caninos inferiores posicionados bem afastados e ligeiramente curvados. Incisivos ok alinhados especialmente no maxilar inferior onde formam uma linha aparentemente reta.
    • Lábios: Lábio superior grosso, moderadamente pendular, retrátil. Visto de perfil, mostra uma linha inferior arredondada.. Cobre a mandíbula inferior nas laterais. Na frente da borda do lábio lábio superior está em contato com o lábio inferior, então cai para ambos os lados, formando um V largo e invertido.
    • Bochechas: Proeminente devido ao desenvolvimento muscular muito forte.

     

    • OLHOS: Em forma oval, bem afastados. O espaço entre os dois ângulos internos das pálpebras é igual ao dobro do comprimento do olho (olhos abertos). Expressão franca. A terceira pálpebra não deve ser visível.

    Cor: avelã a marrom escuro para um cachorro com uma máscara preta, cor mais clara tolerada, mas não é procurado em cães com máscara marrom ou sem máscara.

    • ORELHAS: Cor relativamente pequena, um pouco mais escura que o manto. Na sua inserção, a frente da base da orelha está levemente elevada. Devem ser quedas, mas não desligue; a borda frontal grudada nas bochechas quando o cão está atento. A borda das orelhas ligeiramente arredondada; não deve ir abaixo dos olhos. Inserção alta o suficiente, ao nível da linha superior do crânio que acentua ainda mais a sua largura.

    Pescoço:

    Muito forte e musculoso, quase cilíndrico. a pele está bem, flexà­vel, abundante e solto. A média de sua circunferência quase igual à  da cabeça. É separado da cabeça por uma dobra transversal ligeiramente acentuada, levemente curvado. A borda superior é ligeiramente convexa.. O queixo duplo bem definido começa no nà­vel da garganta formando pregas em direção ao peito, sem pendurar excessivamente. O pescoço., muito larga em sua base funde suavemente com os ombros.

    Corpo:

    • linha superior: Bem conservado. Cruz: bem marcado.
    • Voltar: largo e musculoso.
    • Lombo de porco: Largura. Bastante curto e sólido.
    • Alcatra: Descendo moderadamente em direção à  base da cauda.
    • No peito: Strong, longo, profundidade, Largura, descendo abaixo do nà­vel dos cotovelos. Antepeito largo e forte cuja linha inferior (inter axilar) é convexo no final. Costelas bem abaixadas e bem arqueadas, mas não em forma de barril. A circunferência do peito deve estar entre 25 - 35 cm. mais do que a altura na cernelha.
    • Linha inferior e abdômen: Curvado do peito profundo em direção a um abdômen um tanto retraído e firme. Nunca deve ser pendente ou muito retraído.

    Cola:

    Muito grosso na base. A ponta atingindo preferencialmente a altura do jarrete e não abaixo. Rolamento baixo, nunca quebrado ou curvo, mas flexà­vel. Pingente quando o cão está calmo, geralmente subindo de 90º a 120º dessa posição quando o cão está em ação sem enrolar ou enrolar.

    Extremidades

    MEMBROS ANTERIORES: Estrutura óssea forte, membros muito musculosos.

    • Ombro: Strong, músculos proeminentes. A inclinação da escápula média (aprox.. 45º da horizontal), ângulo da articulação escápulo-umeral ligeiramente maior que 90o.
    • Braço: Muito musculoso.
    • Cotovelos: No eixo do corpo, nunca muito perto do peito ou inclinado.
    • Antebraço: Visto de frente, reto ou ligeiramente inclinado para dentro se aproximando do plano mediano, especialmente em cães com um peito muito largo. Visto do perfil vertical.
    • Metacarpo: Strong. Visto de perfil um pouco inclinado. Visto de frente, à s vezes ligeiramente para fora, compensando uma leve inclinação para dentro do antebraço.
    • Pés anteriores: Strong. Dedos fechados, unhas curvas fortes, almofadas bem desenvolvidas e elásticas: o Dogue de Bordeaux fica bem nos dedos, apesar do peso.

    MEMBROS POSTERIORES: Membros robustos com forte estrutura óssea. bem angulados. Vistos por trás, os posteriores são paralelos e verticais, o que dá a impressão de força., mesmo que a parte de trás não seja tão larga quanto a da frente.

    • Coxa: Altamente desenvolvido, grosso com musculatura visà­vel.Joelho: Em um plano paralelo ao plano mediano ou ligeiramente para fora.Perna: Relativamente curto, musculada, descendente.
    • Jarrete: Curta, tendinoso, seu ângulo moderadamente aberto.Metatarso: Robusto, Sem esporas.
    • Pés de volta: Um pouco mais que os anteriores, dedos apertados.

    Movimento:

    Elástico para um moloso. Ao caminhar, o movimento é livre e elástico, colado ao chão. Bom empurrão por trás, boa extensão dos membros anteriores, especialmente durante a corrida, que é o movimento preferido. Quando a corrida é acelerada, a cabeça tende a diminuir, la línea superior se inclina hacia el frente y los pies anteriores se juntas más hacia el plano medio dando pasos hacia fuera con un movimiento de largo alcance de los miembros anteriores. O galope com um movimento bastante vertical. Capaz de alta velocidade em curtas distâncias coladas no chão.

    Manto

    • PELE: Bruto, solta o suficiente, sem dobras excessivas.
    • Pelo: Até, curto e suave ao toque.
    • Cor: Todos os tons de leonado de mogno a isabella. Boa pigmentação é desejada. São permitidas manchas brancas delimitadas na testa e nos membros.

    Máscara:

    • Máscara preta: A máscara geralmente é apenas ligeiramente estendida e não deve invadir a região craniana. Pode haver um leve sombreamento preto no crânio, orelhas, pescoço e parte superior do corpo. A trufa é preta.

    • Máscara marrom: (Geralmente chamado de vermelho ou bistre). A trufa é marrom, pigmentação das pálpebras e da borda dos lábios castanhos. Pode ter sombreamento marrom não invasivo; cada cabelo deve ter uma área marrom-avermelhada ou areia e uma área marrom. Neste caso, as partes inclinadas do corpo são de uma cor mais clara.

    • Sem máscara: O cabelo é tawny: a pele parece vermelha (Anteriormente chamado de "máscara vermelha"). O nariz pode estar avermelhado.



    Tamanho e peso:

    A altura deve corresponder mais ou menos ao perímetro do crânio.

    • Altura à  Cruz:
    • Machos: 60 – 68 cm.

    fêmeas: 58 – 66 cm. Tolerado 1 cm. abaixo ou 2 cm. acima desses limites.

    Peso:

    • Machos: Mínimo 50 Kg.
    • fêmeas: Mínimo 45 Kg.

    fêmeas: características idênticas, mas menos acentuado.



    Falhas:

    • Qualquer desvio dos critérios acima é considerado faltando e a gravidade é considerada o grau de desvio do padrão e seu impacto sobre a saúde e o bem-estar do cão.



      FALTAS GRAVES

    • Os machos devem ter dois testículos de aparência normal totalmente descidos no escroto..
    • Apenas cães funcional e clinicamente saudáveis, com a conformação típica da raça, deve ser usado para reprodução.
  • cabeça desproporcional (muito pequeno ou excessivamente volumoso).
  • Hypertipo Bulldog: (crânio plano, focinho com menos de um quarto do comprimento total da cabeça, dobras salientes (pergaminhos) atrás da trufa). Dobras importantes ao redor da cabeça.
  • Desvio lateral significativo do maxilar inferior.
  • Incisivos permanentemente visà­veis quando a boca está fechada. Incisivos muito pequenos, posicionamento desigual. Volta arqueada (Convexo).
  • Vértebras da cauda fundidas, mas não desviado.
  • Pés dianteiros inclinados para dentro (mesmo um pouco).
  • Pés dianteiros inclinados demais.
  • coxas planas.
  • Ângulo do jarrete muito largo (Angulação reta).
  • Ângulo do jarrete muito apertado, o cachorro parado embaixo de si mesmo na parte traseira.
  • Jarretes de vaca ou lotados.
  • Movimento ondulante forçado ou grave da região posterior.
  • Respiração excessivamente curta, limpei minha garganta.
  • Branco na ponta da cauda ou na área frontal dos membros anteriores, no pulso (pulso) e tarso (Hock) ou branco ininterrupto na frente do corpo, do antepeito à garganta.


    FALHAS DE DESCALIFICANTES

  • Agressividade ou extrema timidez.
  • Qualquer cão que mostre sinais claros de anormalidades físicas ou comportamentais.
  • Cabeça longa e estreita com parada insuficientemente pronunciada, com um focinho medindo mais de um terço do comprimento total da cabeça (ausência de tipicidade da cabeça).
  • Focinho paralelo à linha superior do crânio ou convexo.
  • Mandíbula torcida.
  • Boca não prognóstica.
  • Canino constantemente visà­vel quando a boca está fechada.
  • Là­ngua constantemente visà­vel quando a boca está fechada.
  • Olhos azuis. Olhos salientes.
  • Cauda atada e desviada para os lados, torcida. (cauda enrolada, Partido).
  • cauda atrofiada.
  • Frente do violino e tarsos curtos.
  • Ângulo do jarrete aberto para trás (jarrete invertido).
  • Branco na cabeça ou no corpo, qualquer outra cor do manto que não o tawny (sombreado ou não) e em um tigrado particular ou marrom sólido chamado "chocolate" (todo cabelo totalmente castanho).
  • Defeitos identificáveis ​​de incapacidade.


  • N.B.:
    • Os machos devem ter dois testículos de aparência normal totalmente descidos no escroto..
    • Apenas cães funcional e clinicamente saudáveis, com a conformação típica da raça, deve ser usado para reprodução.

    Fonte: F.C.I - Federação Cinológica Internacional

    Nomes alternativos:

    1. Bordeaux Mastiff, French Mastiff, Bordeauxdog (inglês).
    2. Dogue de Bordeaux (Francês).
    3. Dogue de Bordeaux (alemão).
    4. Mastim francês (português).
    5. Dogo de Burdeos (espanhol).

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Dobermann
    Germany FCI 143 . Tipo pinscher e schnauzer

    Doberman

    Embora o Dobermann tenha uma reputação de ser um cão afiado e até sinistro, seus fãs dedicados o consideram o mais amoroso e leal de seus companheiros.

    Conteúdo

    História

    A corrida Dobermann é o único na Alemanha a levar o nome de seu primeiro criador conhecido: Friederich Louis Dobermann (2 de Janeiro 1834 – 9 de Junho 1894). De acordo com a história, ele era cobrador de impostos, gerente de trilha, e além disso “perrero”, com o direito legal de pegar todos os cães de roaming grátis. Para criar o cão de guarda inteligente e confiável que você tinha em mente, cruzou cães pastores de cabelos curtos com Rottweilers, terrier preto e marrom, e Pinschers alemães. Cães chiques como galgos e Weimaraners também podem ter sido parte de sua “receita”. O “cães açougueiros” desempenhou o papel mais importante na formação da raça Dobermann, que naquela época já eram vistos como uma raça em si. Estes cães eram do tipo dos predecessores do atual Rottweiler, misturado com um tipo de Sheepdog preto com manchas vermelho-ferrugem que era comum na região da Turíngia. Com essas misturas, Dobermann começou seu incubatório nos anos 70 do século 19. Desta maneira, ele pegou “sua corrida” cães utilitários, casa e fazendas, eles não eram apenas vigilantes, mas também muito apegado ao homem.

    Foi amplamente utilizado como cão de proteção e para a polícia. A sua larga utilidade no Serviço Policial deu-lhe na altura o nome de “cão gendarme”. Na caça, era usado principalmente para o extermínio de vermes.. Para todas as condições expostas anteriormente, era óbvio que o FCI-St. Nº 143 / 30.09.2016 3 Dobermann oficialmente reconhecido como cão policial na virada do século 20. A educação de Dobermann resultou em um cão médio, forte e musculoso, que apesar de toda sua substância permite reconhecer elegância e nobreza. É ideal como cão de companhia, proteção e utilidade.

    A corrida Dobermann é o único na Alemanha a levar o nome de seu primeiro criador conhecido: Friederich Louis Dobermann (2 de Janeiro 1834 – 9 de Junho 1894). De acordo com a história, ele era cobrador de impostos, gerente de trilha, e além disso “perrero”, com o direito legal de pegar todos os cães de roaming grátis. Para parentalidade, ele acasalou cães especialmente mordedores do abrigo de cães. O “cães açougueiros” desempenhou o papel mais importante na formação da raça Dobermann, que naquela época já eram vistos como uma raça em si. Estes cães eram do tipo dos predecessores do atual Rottweiler, misturado com um tipo de Sheepdog preto com manchas vermelho-ferrugem que era comum na região da Turíngia.

    Com essas misturas, Dobermann começou seu incubatório nos anos 70 do século 19. Desta maneira, ele pegou “sua corrida” cães utilitários, casa e fazendas, eles não eram apenas vigilantes, mas também muito apegado ao homem. Foi amplamente utilizado como cão de proteção e para a polícia. A sua larga utilidade no Serviço Policial deu-lhe na altura o nome de “cão gendarme”. Na caça, era usado principalmente para o extermínio de vermes.. Para todas as condições expostas anteriormente, era óbvio que o FCI-St. Nº 143 / 30.09.2016 3 Dobermann oficialmente reconhecido como cão policial na virada do século 20. A educação de Dobermann resultou em um cão médio, forte e musculoso, que apesar de toda sua substância permite reconhecer elegância e nobreza. É ideal como cão de companhia, proteção e utilidade.

    Características físicas

    É um cão de porte médio, robusto e musculoso, linhas elegantes e comportamento nobre e altivo. A cabeça é alongada em forma de cone e buquê. As linhas craniofaciais são paralelas, a parada é leve e o nariz, profundidade. Os olhos são médios e ovais. As orelhas têm uma inserção alta e o animal as mantém na posição vertical. Se eles são inteiros, cair para os lados da cabeça, com as bordas bem coladas nas bochechas. A parte de trás é curta e sólida. Os membros são retos e gordos. A cauda é amputada deixando duas vértebras.

    • Pelo: curto, muito pegajoso e liso.
    • Cor: preto ou marrom com fogo. Azul não é mais criado porque transmite graves falhas genéticas.
    • Tamanho: nos machos, de 68 - 72 cm, para um peso de 40 - 45 kg. em fêmeas, de 63 - 68 cm, para um peso de 32 - 35 kg. Os tamanhos intermediários são os mais procurados.

    Caráter e habilidades

    É um dos cães mais doces e sensà­veis do mundo. Ele sai do seu caminho, com quem você deve morar em contato próximo. Deixá-lo sozinho no jardim significaria arruinar seu caráter.. Sobre ele Dobermann tem muita fofoca, Por exemplo, este cão "enlouquece" por volta dos sete anos de idade devido à falta de capacidade craniana. (um dos maiores absurdos, do ponto de vista científico, nunca ouvi falar em cinofilia, e não é que poucos sejam ouvidos). Hoje em dia, felizmente, são raros os casos em que se fala de cachorros "loucos" ou "ferocidade irreprimível".

    Muito amoroso com membros da famà­lia e seguro com crianças (desde que o deixem em paz), Com estranhos, mantém a reserva típica dos cães de defesa.. Uma amostra equilibrada, como todos aqueles de bons incubatórios, nunca se comportará agressivamente sem motivo, e se mostrará como um esplêndido cão de companhia dedicado ao seu dono.

    Comece a treinar seu cachorro no dia em que o trouxer para casa. Mesmo a oito semanas de idade, Ele é capaz de absorver tudo o que você pode ensiná-lo. Não espere até que você tenha 6 meses para começar trem ou ter de lidar com o cão mais teimoso. Sim é possà­vel, Leve-a a um treinador quando você tem entre 10 e 12 semanas, e socializa, socialice, socialice. Contudo, Note-se que muitos tipos de filhotes de formação exigem certas vacinas (tais como tosse do canil) mantenha-se atualizado, e muitos veterinários recomendam exposição limitada a outros cães e locais públicos até a vacinação dos filhotes (incluindo a raiva, cinomose e parvovirose) Eles são concluà­das. Em vez de treinamento formal, Você pode começar a treinar o seu cachorro para socializar em casa e entre amigos e familiares até imunizações são concluà­das no filhote de cachorro.

    Fale com o criador, Descrever exatamente o que você quer em um cão e pedir ajuda para escolher um filhote de cachorro. Os criadores veem os filhotes diariamente e podem fazer recomendações incrivelmente precisas assim que aprenderem um pouco sobre seu estilo de vida e personalidade.. Independentemente do que você deseja de um Dobermann, procure alguém cujos pais tenham personalidades legais e que tenham sido bem socializados desde o primeiro estágio do filhote.

    Observações e dicas

    Cães não selecionados e resultado de acasalamentos casuais são os únicos que podem ficar nervosos e, em alguns casos, morder. É essencial comprar o filhote em um bom canil que selecione beleza e personalidade.

    Saúde doberman

    Todos os cães têm o potencial de desenvolver problemas de saúde genéticos, assim como todas as pessoas têm o potencial de herdar uma determinada doença. Corra, não ande, de qualquer criador que não oferece garantia de saúde em filhotes, para dizer que a raça é 100 problemas por cento saudável e não tem conhecido, ou para lhe dizer que seus filhotes estão isolados da parte principal da casa por motivos de saúde. Um criador respeitável será honesto e aberto sobre os problemas de saúde da raça e a incidência com que ocorrem em suas linhagens..

    Um dos problemas de saúde mais sérios relacionados à raça no Doberman é a cardiomiopatia., o que causa um aumento no tamanho do coração. Um exame cardíaco anual é fundamental para detectar essa condição precocemente., e nenhum cão com cardiomiopatia deve ser criado. Nem você deve criar qualquer Dobermann sem um exame cardíaco completo por um cardiologista veterinário no último ano. A triste realidade, No entanto, é que um cachorro que faz um bom exame um dia pode desenvolver uma doença cardíaca no dia seguinte, e o filhote de pais sem doença cardíaca ainda pode desenvolvê-la.

    Outra condição relacionada à  raça que afeta o Dobermann é instabilidade vertebral cervical (CVI), comumente chamada de síndrome de Wobbler. É causada por uma malformação das vértebras no pescoço que causa pressão na medula espinhal e leva à  fraqueza e falta de coordenação nos quartos traseiros e, à s vezes, à  paralisia completa.. Os sintomas podem ser controlados até certo ponto em cães que não são gravemente afetados., e alguns cães experimentam algum alívio com a cirurgia, mas o resultado não é certo. Embora se acredite que a IVC seja genética, não há teste de rastreamento de doenças.

    O Dobermans eles também são propensos ao distúrbio hemorrágico conhecido como doença de von Willebrand, bem como hipoadrenocorticismo ou doença de Addison.

    Nem todas essas doenças são detectáveis ​​em um filhote em crescimento, e é impossà­vel prever se um animal estará livre de estas doenças, então você precisa encontrar um criador respeitável que se comprometem a criar animais saudáveis ​​possà­vel. Deve ser capaz de produzir uma certificação independente de que os pais do cão (e avós, etc.) foram examinados para defeitos comuns e considerados saudáveis ​​para reprodução. É aí que entram os registros de saúde..

    Os criadores devem aceitar que todos os resultados dos testes, positivos o negativos, são publicados na base de dados CHIC. Não é necessário que um cachorro receba bons resultados ou mesmo passe em avaliações para obter um número CHIC., portanto, o registro CHIC por si só não é prova de robustez ou ausência de doenças, mas todos os resultados dos testes são publicados no site do CHIC e podem ser acessados ​​por qualquer pessoa que queira verificar a saúde dos pais de um filhote.. Se o criador lhe disser que não precisa de fazer estes testes porque nunca teve problemas nas suas linhagens e os seus cães foram “veterinário verificado”, então você precisa encontrar um criador que seja mais rigoroso com o teste genético.

    Criadores cuidadosos examinam seus cães de criação para doenças genéticas e criam apenas os espécimes mais saudáveis e mais bonitos., mas às vezes a mãe natureza tem outras ideias e um filhote desenvolve uma dessas doenças apesar das boas práticas de manejo. Os avanços na medicina veterinária significam que, na maioria dos casos, os cães ainda podem viver uma boa vida. Se você vai ter um filhote, pergunte ao criador sobre as idades dos cães em suas linhas e do que eles morreram.

    Nem todas as visitas de Dobermann para o veterinário são devido a um problema genético. O Dobermans são uma das raças com peito profundo e tendência a inchar, uma condição em que o està´mago se expande com o ar. Isso pode se tornar a condição mais séria, torção gástrica, se o estômago torcer sobre si mesmo, cortando o fluxo sanguà­neo. Torção gástrica, vólvulo de dilatação gástrica, de repente ataca, e um cachorro que estava bem por um minuto pode morrer algumas horas depois. Fique atento a sintomas como inquietação e passagem, babeo, gengivas pálidas e lamber os lábios, tente vomitar, mas sem trazer nada, e sinais de dor. Torção Gástrica Requer Cirurgia Veterinária Imediata, e a maioria dos cachorros que já incharam uma vez vão inchar de novo. Isso significa que é prudente optar pelo procedimento conhecido como “torção gástrica”, o que impedirá que o està´mago torça no futuro. Este procedimento também pode ser feito como uma medida preventiva..

    Lembre-se que depois de levar um cachorro para casa nova, Ele tem o poder de proteger um dos problemas mais comuns de saúde: a obesidade. Manter uma Dobermann com um peso adequado é uma das maneiras mais fáceis para a vida prolongar. Para tirar o máximo partido das habilidades preventivas para ajudar a garantir um cão saudável para a vida.

    Banheiro Dobermann

    O banheiro é um pedaço de bolo. Cepilla al Dobermann com uma escova ou luva de caça toda semana, ou até passar uma toalha molhada sobre ela. Os dias em que você precisa de um banho, use um shampoo para cães, não é um produto humano. Enxágue bem e deixe secar ou secar com uma toalha.

    O Dobermann sai do cabelo moderadamente. Escovar regularmente ajudará a manter ele e sua casa limpos.. Como com qualquer cachorro, escovar antes de tomar banho ajuda a remover mais pêlos mortos, deixando menos cabelo para derramar. O seu aspirador funcionará mais se você escovar o seu Dobermann regularmente.

    O resto são cuidados básicos. Apare as unhas conforme necessário, geralmente a cada poucas semanas. Escove os dentes para uma boa saúde geral e hálito fresco.

    Classificações do "Dobermann"

    Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão "Dobermann" você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercà­cio, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nà­vel de tolerância para com eles.

    Adaptação ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cão amigável ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Perda de pêlo ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Nível de afeto ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade de exercício ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade social ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Casa ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cuidado ⓘ

    Avaliado 1.0 fora de 5
    1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com estranhos ⓘ

    Avaliado 1.0 fora de 5
    1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Latindo ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Saúde ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Territorial ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigo dos gatos ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Inteligência ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Versatilidade ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Adequado para crianças ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Vigilância ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Alegria ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Imagens do "Dobermann"

    Và­deos do "Dobermann"

    Tipo e reconhecimentos:

    • CLASSIFICAÇÃO FCI:
    • Grupo :
    • Seção : . .

    Federações:

    • FCI – Cães Pinscher e Schanuezer. Molossóides e Cães de Montanha, e Boiadeiros Suiços, Seção 1: Tipos de Pinscher e Schnauzer.
    • AKC – Cães trabalhando
    • ANKC – Grupo 6 (cães utilitários)
    • CKC – Grupo 3 – cães de trabalho
    • KC – cães de trabalho
    • NZKC – Cão utilitário
    • UKC – Cão de guarda

    Padrão da raça FCI "Dobermann"

    FCIFCI - Dobermann
    Dobermann

    Nomes alternativos:

    1. Doberman Pinscher, Dobie, Doberman (inglês).
    2. Dobermann Pinscher (Francês).
    3. Dobermann Pinscher (alemão).
    4. Dobermann pinscher (português).
    5. Dobermann, Dobermann pinscher (espanhol).

    Fotos:

    1 – Doberman por https://www.pxfuel.com/es/free-photo-xqbqf
    2 – Doberman por https://www.pexels.com/es-es/foto/36376/
    3 – Jean Dark Snö da Suécia, dobermann by Felill / CC BY-SA
    4 – Doberman por https://www.publicdomainpictures.net/es/view-image.php?imagem=232839&imagem = retrato de cachorro-doberman
    5 – Tallinn, Estônia, Dupla CACIB 2013 por Tomasina / CC BY-SA
    6 – Doberman por https://www.publicdomainpictures.net/es/view-image.php?imagem=158143&imagem = guarda-doberman-pinscher

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Mastiff tibetano (Mastiff tibetano)
    Tíbet FCI 230 - Molossóides . Montanha


    Mastín Tibetano

    O Mastiff tibetano Não é um cão para conviver com crianças.

    Conteúdo

    Classificações do "Mastiff tibetano (Mastiff tibetano)"

    Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão "Mastiff tibetano (Mastiff tibetano)" você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercà­cio, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nà­vel de tolerância para com eles.

    Adaptação ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cão amigável ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Perda de pêlo ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Nível de afeto ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade de exercício ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade social ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Casa ⓘ

    Avaliado 1.0 fora de 5
    1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cuidado ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com estranhos ⓘ

    Avaliado 1.0 fora de 5
    1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Latindo ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Saúde ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Territorial ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigo dos gatos ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Inteligência ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Versatilidade ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Adequado para crianças ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Vigilância ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Alegria ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    História de “Mastiff tibetano”


    O Mastiff tibetano o Doge do Tibete (Do-Khy), é um cão nativo do Tibete, Ele apareceu para o ano 8000 -. C.

    O “Mastin Tibetano” É uma raça antiga do trabalho dos pastores do Himalaia e um guardião tradicional de mosteiros tibetanos. Sua história tem sido cercada por grande misticismo desde que foi descoberta em tempos antigos.. Desde sua menção por Aristóteles (384 – 322 -. C.) no famosos escritos de Marco Polo, quem foi para a àsia em 1271, todos os relatórios históricos louvam a força natural e a grandeza do Doge do Tibete, física e mentalmente.

    Até seu latido Tem sido descrito como único e como uma característica da raça altamente preciosa.

    Os excelentes cinófilos europeus do passado, como Martin e Youatt, Megnin, Beckmann, Siber, bem como Strebel, Bylandt investigou intensamente o Mastiff tibetano, sendo fascinado com sua origem e papel para a Cultura tibetana.

    Um dos primeiros cães tibetanos a chegar às costas ocidentais foi um espécime masculino enviado à Rainha Vitória por Lorde Hardinge. (em que vice-rei de tempo da àndia) em 1847. Mais tarde no 1880 Edward VII (então príncipe de Gales), tomou 2 cães retornam à  Inglaterra. Um dos primeiros registros de maca dos Doges tibetanos foi em 1898, Nascido no Zoológico de Berlim.

    Considerada como a corrida levou todas as corridas de montanha grande e todos os mastiffs.

    De acordo com testemunhos que remontam a 2.000 anos antes de Cristo, o Mastiff tibetano foi usado pelos assírios como um cão de guerra e para a custódia dos prisioneiros..

    Ele ainda aparece com a mesma aparência que nos bas-relevos babilônicos, Egà­pcios e gregos, mostrando assim a grande difusão em tempos muito antigos.

    As conquistas romanas e invasões de povos asiáticos, Ele espalhou-se rapidamente para a bacia do Mediterrâneo dando origem a todas as corridas da Molóssia europeus, muitos de pastor e outro salvamento como o São-bernardo, o Terra-nova e o Cão de montanha dos Pirenéus.

    Características Mastiff tibetano

    Vídeos "Mastiff tibetano (Mastiff tibetano)"

    mastin tibetano

    Mastín tibetano

    Mastin Tibetano

    É um cão companheiro, Guarda e proteção; lento para amadurecer, fêmeas só chegar a seu apogeu entre 2 e 3 anos e os homens, pelo menos, a 4 anos.

    É um cão poderoso, pesados, estrutura óssea boa. Impressionante, aparência solene mas gentilmente.
    Eles têm o pés muito grande, forte e compacta. Eles têm a forma dos pés de gato com cabelos longos entre os dedos. Sua é forte, Free, sempre leve e elástico. Em caminhadas rápidas ele tende a aproximar os membros em uma linha média. Ao caminhar, Parece lento e cuidadoso.
    Os machos têm, nomeadamente, mais pelo que as fêmeas. A qualidade do cabelo é da maior importância do que a quantidade. Principalmente o cabelo deve ser bastante longo e denso.

    Quando o tempo está frio deve ter uma camada de cabelos, interno e espesso que torna-se escassas nos meses quentes.

    O cabelo é muito bem mas difà­cil, reta e aspereza. Nunca sedoso, curvas ou onduladas. O cabelo da camada interna, Quando ele tem, é bastante lanoso. O pescoço e ombros são cobertos com cabelo dando a aparência de uma juba. A cauda é coberta com cabelo denso e espesso. Parte superior traseira dos membros traseiros é franjas de formas bastante longos cabelos.

    Eles são de cor Preto intenso, English Toy Terrier, marrom, vários tons de ouro, cinza e azul; cinza e azul e fogo. A cor do fogo varia de uma tonalidade muito intensa para cores mais claras.

    Ele permite que uma estrela branca no peito. Manchas brancas mínimas são aceitáveis nos pés. Manchas de calor aparecem os olhos, nas extremidades inferiores, na parte inferior da cauda, ao redor do focinho e sob a forma de óculos de sol ao redor dos olhos.

    Personagem “Mastiff tibetano”

    Respeito ao temperamento, a corrida de que muitos peritos concordam que é um cão difícil na natureza ou complexo..., é distante, e demasiado independente a ponto de ser imprevisà­vel porque raramente deixa saber suas verdadeiras intenções.

    O Mastiff tibetano É um cão muito corajoso que não tem medo de nada, e que o torna em um excelente guardião.

    Sua famà­lia é muito amor e respeito, mas é completamente desconfiado com estranhos, e que pode levar a morder um estranho, por essa razão, normalmente não é um cão adequado para novatos... Desde, Se não tem formação adequada e responsável, Ele pode ser um perigo real.

    Por que a natureza peculiar e especialmente imprevisà­vel, estudiosos da corrida pose que não é um cão ideal para viver com crianças.

    É uma das raças de origem mais antigas e ainda é usada hoje na cadeia do Himalaia para a custódia de rebanhos e como guardiã de mosteiros..

    No exercà­cio desta função é segura e incorruptà­vel, feroz e perigosas com estranhos, como quase todas as raças que pode ser definida como “antigo” e cujo carácter foi obtido no decurso dos séculos.

    Pouco se espalhou fora da àsia, mesmo no mundo do cinophilia, É pouco frequente ver cópias desta corrida para participar na mostra internacional de cão.

    Observações

    Mesmo no Tibete está à beira da extinção devido às dificuldades envolvidas na criação de cães desse tamanho..

    O preço de um Mastin Tibetano actualmente varia entre 1500 e o 2000 EUR, Uns poucos 1700 e 2400 $.

    Na notà­cia, o reprodução do Mastiff tibetano se desenvolve quase exclusivamente em Inglaterra.

    Saúde “Mastiff tibetano”

    O Mastiff tibetano tem alguns problemas de saúde que podem ser preocupantes. Estes incluem displasia da anca e cotovelo, hipotireoidismo, a persistência das membranas pupilares (um distúrbio ocular) e desmielinização neuropatia herdada de caninos.

    Nem todas essas doenças são detectáveis ​​em um filhote em crescimento, e pode ser difícil prever se um animal estará livre dessas doenças., então você deve encontrar um criador de confiança comprometido em criar os animais mais saudáveis ​​possà­veis. Deve ser capaz de produzir uma certificação independente que os pais do cão (e avós, etc.) foram examinados para esses defeitos e considerados saudáveis para a reprodução. É aí que entram os registros de saúde..

    Criadores cuidadosos examinam seus cães de criação para doenças genéticas e criam apenas os espécimes mais saudáveis e mais bonitos., mas às vezes a Mãe Natureza tem outras ideias e um filhote desenvolve uma dessas doenças apesar das boas práticas de reprodução.. Avanços na medicina veterinária significam que, na maioria dos casos, o cão ainda pode viver uma boa vida.. Se você vai ter um filhote, perguntar ao criador sobre as idades dos cães em sua linha ea causa da morte.

    Tenha em mente que mastiffs tibetanos amadurecem muito lentamente. Eles não atingirão o tamanho máximo até que tenham 3 - 5 anos de idade.

    Lembre-se que depois de levar um cachorro para casa nova, Ele tem o poder de proteger um dos problemas mais comuns de saúde: a obesidade. Manter um mastiff tibetano em um peso apropriado é uma das maneiras mais fáceis de prolongar sua vida. Aproveitar ao máximo suas habilidades preventivas para ajudar a garantir um cão mais saudável para a vida.

    O asseio “Mastiff tibetano”

    O Mastiff tibetano tem uma camada dupla longa e espessa, com machos com cobertura mais luxuosa que as fêmeas. O subpêlo pesado é macio e lanoso; a camada superior é reta com uma textura dura. A quantidade de cabelo no pescoço e ombros dá a Mastiff tibetano a aparência de ter uma juba. Sua cauda e “calças” (as coxas traseiras) eles também são fortemente cobertos. Não é necessário aparar nenhuma parte do casaco, a menos que você queira dar uma aparência mais limpa aos pés. Com escovação regular, não deve precisar de banhos frequentes.

    Escovar para Mastiff tibetano várias vezes por semana para remover pelos mortos e manter a pele e o pêlo saudáveis. Durante a estação da muda, você vai querer escová-lo diariamente para manter seu cabelo sob controle.

    O resto são cuidados básicos. Aparar pregos conforme necessário, normalmente a cada semana ou duas. Escove os dentes com frequência com uma pasta de dente de estimação aprovada pelo veterinário para boa saúde geral e respiração fresca.

    Imagens “Mastiff tibetano”

    Vídeos “Mastiff tibetano”

    Tipo e reconhecimentos:

    • CLASSIFICAÇÃO FCI:
    • Grupo :
    • Seção : . .

    Federações:

    FCI , AKC , ANKC , CKC , KC , NZKC , UKC

    Padrão da raça FCI "Mastiff tibetano (Mastiff tibetano)"

    FCIFCI - Mastiff tibetano (Mastiff tibetano)
    Mastim

    Nomes alternativos:

    1. Mastiff (inglês).
    2. Mastiff du Tibet (Francês).
    3. Tibetdogge, Tibetanische Dogge, Tibetmastiff (alemão).
    4. Mastiff tibetano (português).
    5. Dogo del Tíbet (espanhol).

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Dogo argentino
    Argentina FCI 292 - Molossóides - Dogue

    Ele é um guardião feroz e defensor. Não é conveniente estimular sua agressividade.

    Dogo Argentino

    Conteúdo

    Classificações do "Dogo argentino"

    Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão "Dogo argentino" você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercà­cio, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nà­vel de tolerância para com eles.

    Adaptação ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cão amigável ⓘ

    Avaliado 1.0 fora de 5
    1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Perda de pêlo ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Nível de afeto ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade de exercício ⓘ

    Avaliado 4.0 fora de 5
    4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Necessidade social ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Casa ⓘ

    Avaliado 1.0 fora de 5
    1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Cuidado ⓘ

    Avaliado 1.0 fora de 5
    1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigável com estranhos ⓘ

    Avaliado 1.0 fora de 5
    1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Latindo ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Saúde ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Territorial ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Amigo dos gatos ⓘ

    Avaliado 1.0 fora de 5
    1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Inteligência ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Versatilidade ⓘ

    Avaliado 2.0 fora de 5
    2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Adequado para crianças ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Vigilância ⓘ

    Avaliado 3.0 fora de 5
    3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    Alegria ⓘ

    Avaliado 5.0 fora de 5
    5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

    História

    O Dogo argentino (mastim argentino) é uma raça de cão, creada por el médico argentino Antonio Nores Martínez, procurando um animal adequado para a caça de espécies comuns na Argentina, como javalis, queixadas e raposas vermelhas. Coragem, coragem e nobreza são qualidades que são maximizadas nesta raça.

    O Dogo argentino É a única raça de cachorro argentino viva (ver corridas extinto nota dois), definido por seu criador, O médico. Antonio Nores Martinez, como “o melhor cão entre todos os cães de rapina e mais presas entre todos os cães do mundo”.

    Na década de 1920, Antonio Nores Martinez (ajudado por seu irmão Agustín, seu pai Antonio e tios) Ele decidiu criar uma corrida da represa para coletar as melhores qualidades do “Cão Lutador da Córdoba“, mas com dimensões superiores e força física. O que mais, ele partiu para conseguir um cachorro que tivesse aptidões para caçar em matilhas, especialmente de javalis, mas que ele foi capaz de derrotar ou parar a presa em combate sozinho até a chegada de seu mestre ou do resto do bando.

    Antonio usado como base para o “Cão Lutador da Córdoba“, uma mistura de raças introduzida na Argentina por residentes inglês, Bull terrier e Buldogue, com raças que os espanhóis trouxeram, Alano espanhol e Mastim Espanhol. Esses cruzando, Ele estava invicto em lutas de cães, Antonio adicionou linhagens Bull terrier e Mastim dos Pirenéus. Assim, na décima terceira geração, Antonio percebeu que havia criado uma “máquina de guerra” perfeito, um cão de batalha invencà­vel. Os cães brancos de Antonio ficaram famosos porque nenhum outro cão poderia vencê-los no ringue..

    Assim nasce a família Araucana. Então Antonio partiu para legalizar o cachorro que ele havia criado, porque a luta, Apesar de ser sua paixão, eles foram proibidos em todo o mundo. Por outro lado, Ele era fascinado pela idéia de matar diretamente um cão para levantar, continuar e capturaram a represa. A família Araucana não era boa para caçar porque eram muito agressivas umas com as outras., muito pesadas em relação à sua altura e careciam de olfato. Então Antonio introduziu sangue Pointer, criando a família Guarani. Estes Dogos mantiveram o espírito de luta da família Araucana, mas eles foram mais resistentes a perseguir presas, tinham um olfato melhor e era possível fazer com que não brigassem.

    Eles passaram vários anos cruzando, seleções e ginástica funcional adequada até que no final da década de 1940, Antonio conseguiu consolidar o dogo argentino atual, reconhecida como o mais excelente cão de caça.

    Em 1946 uma luta pública pela apresentação da raça foi organizada entre Añá, uma amostra extraordinária de Dogo argentino e um javali reprodutor 5 anos. Foi uma corrida difà­cil para Aña, a luta saiu vitoriosa, então ele se rendeu em quarenta minutos, terminando a luta em perfeitas condições físicas. A batalha foi filmada e acordei na cinófilos uma grande admiração para o Doge (“O Dogo argentino“, por Paolo Vianini, Publicação de Vecchi, 2006.).

    Em 1947 Agustín organizou uma partida no Club de los Españoles em Morón entre Chino, um Dogo argentino e um touro preto crioulo, grande lutador. Depois de um tempo de combate, que ele lhe causou a fratura de fêmur chinês, Ele conseguiu transformar o nariz do touro, que, em poucos minutos, Ele não poderia resistir mais dor e ajoelhou-se. Chinês não caiu. O final foi realmente uma festa para o público espanhol. Francisco, outro irmão de Antonio, Ele entrou na arena e falou com os chineses que invadem suas presas e continuaram mancando (“O Dogo argentino“, por Paolo Vianini, Publicação de Vecchi, 2006.).

    Agustín foi um grande difusor da raça, finalmente conseguir o seu reconhecimento como tal (Veja a carta do Dr. Agustín Nores Martínez para a FCA). A norma foi publicada na revista “Diana” em 1947. O reconhecimento oficial da Argentina teve lugar 1964, e o internacional em 1973. Você pode ler a carta enviada pelo Dr. Agustín Nores Martinez1 à Federação Cinológica Argentina solicitando a abertura de registros genealógicos da raça, onde ele faz um relato detalhado das virtudes e potencial de Dogo argentino.

    Nas últimas décadas o Dogo argentino Foi introduzido com grande sucesso nos Estados Unidos e em vários países europeus.. Hoje você pode encontrar criadores muito bons em diferentes países do mundo e, claro, na Argentina, berço do Doge, que são criadores de excelência. Ele é atualmente um dos cães reguladores da polícia no Líbano.

    Características físicas

    É um cão muito forte e robusto, estrutura sólida e muscular em todas as partes do corpo, insensà­vel à  dor, capaz de combater com animais maiores que ele próprio e matá-los. Com a camada completamente branca, para distingui-lo facilmente no MT., o Dogo argentino difere de outros cães também por seu comportamento: ladra raramente, quase por não querer notar sua presença, mas quando atacado, é devastador.

    A cabeça é grande com um enorme crânio. A trufa é preta. Focinho ligeiramente cà´ncavo, com lábios finos para a mordida e capturas presas permite, Continue a respiração. Olhos castanhos, bem separados entre eles. Orelhas eretas ou semierguidas, triangular e corte. O pescoço é poderoso, grosso e arqueada.

    O tórax é ampla e profunda. A linha das costas muito alta nos ombros que depois se inclina em direção aos quadris. Os membros são retos, com as coxas musculares, jarretes curtos, Dedos Unidos e curtos. A cauda é longa e espessa. O macho deve medir entre 60 e 66 cm, e a fêmea entre 60 e 62 cm; peso o macho deve ser entre o 48 - 54 kg, a fêmea 45 kg. Sempre branco manto, e sem manchas, a pigmentação não for desejada.. O Dogo Argentino é uma atleta, para o qual deve ser mantido leve e leve e não com tendência à obesidade como se fosse um Mastiff.

    Por sua pele não ficar muito tempo exposto ao sol. Para uma perfeita manutenção de suas peles escovação com uma luva de borracha que arrastar o cabelo solto ou crin é necessária. Problemas de pele são bastante comuns, particularmente uma doença chamada demodexia, Ele tende a ocorrer principalmente no exemplar imunodeprimidos jovem.

    Caráter e habilidades

    É o cão de caça mais quintessencial. Bulldogs trabalham em matilha, geralmente quatro membros. Quando um buldogue enrola o javali, visa-lo para o efeito e ativada no focinho, orelhas, pescoço ou pernas, sem liberá-lo apesar da punição que receberia a Besta. O Dogo Argentino é uma mordida muito poderosa, uma grande resistência e muita coragem., qualidades que lhe permitem lutar com o animal até o fim ou até que cheguem os outros cães da matilha ou o caçador que acabará com o javali com uma faca.

    Em alguns casos, os cruzamentos de bulldogs com galgos são incorporados ao pacote, chamado de "laço", ter cães para ambos mais rápido e mais leve, mas eles não substituir Doges puros, muitos mais poderoso e resistente.
    Nos últimos anos o Dogo argentino Eu ganho maior fama na caça, Tendo em conta que pode corresponder em força para o puma e outro parceiro matar-lhe. Essas cópias são muito fortes e você não sente a dor.

    Como todos os cães de trabalho, é muito fiel ao seu mestre. Em casa normalmente se comportam bem e quase nunca ladra. Ele é calmo e equilibrado. Ele é muito leal e afetuoso com pessoas. Ele tende a ser agressiva em direção a seus pares se ele não é educado corretamente desde tenra idade.

    Você precisará exercer, e ser bem confortável espaço. Não é incomum encontrar espécimes com surdez. Seus olhos devem ser cuidados, limpeza deve ser diária para evitar qualquer tipo de inflamação.

    Como qualquer grande raça, precisa de um ensino forte e constante, mas sem violência. É importante ensiná-lo a não atacar outros cães e outros animais domésticos com os quais deve poder conviver em harmonia. A relação de hombre-perro é uma relação de submissão, Assim, a ordem hierárquica deve estabelecer claramente, quem é gratuitamente.

    Uma vez atingido este, o Dogo argentino será um companheiro excepcional, fiéis ao seu mestre que vai dar a sua vida se necessário. É um cão que seu papel é muito desperto instinto, na verdade, em pequenas explorações, eles acordar o instinto, Portanto, é um cachorro que como animal de estimação deve estar sempre na coleira ao passear com ele..

    Saúde do Dogo argentino

    Todos os cães têm o potencial de desenvolver problemas de saúde genéticos, assim como todas as pessoas têm o potencial de herdar doenças. Evite qualquer criador que não ofereça garantia de saúde aos filhotes., para lhe dizer que a raça tem problemas não conhecidos, ou manter os filhotes isolados a partir da parte principal da casa por motivos de saúde. Um criador respeitável será honesto e aberto sobre os problemas de saúde de raça e incidência ocorrendo com.

    As condições observadas na raça incluem hipotireoidismo e surdez. Bulldogs também podem ser propensos a glaucoma e paralisia laríngea. Y, como muitas raças grandes e gigantes, o Dogo Argentino pode desenvolver displasia da anca.

    A displasia da anca é um defeito herdado da cavidade da anca. Pode ser leve, causando pouca ou nenhuma dor, ou pode levar a claudicação severa. Buldogues com displasia da anca podem mover-se lentamente ou evitar saltar. Dependendo da gravidade da condição, perda de peso, medicação ou cirurgia podem ajudar a aliviar a dor. Os buldogues que serão criados devem ter um raio-x do quadril e triagem por um especialista em ortopedia veterinária aos dois anos de idade..

    Não compre um filhote de cachorro de um criador que não possa fornecer documentação escrita mostrando que os pais estavam isentos de problemas de saúde que afetam a raça.. Fazer os cães são “veterinário examinado” Não é um substituto para testar a saúde genética. Encontre seu cachorro em outro lugar.

    Criadores cuidadosos testam seus cães reprodutores em busca de doenças genéticas e criam apenas os cães mais saudáveis ​​e bonitos., mas à s vezes a mãe natureza tem outras idéias. Um filhote pode desenvolver uma dessas doenças, apesar das boas práticas de criação.. Os avanços na medicina veterinária significam que, na maioria dos casos, os cães ainda podem viver uma boa vida. Se você vai ter um filhote, pergunte ao criador sobre as idades dos cães em suas linhagens e quais são as causas mais comuns de morte.

    Lembre-se que depois de receber um novo filhote em sua casa, Ele tem o poder de proteger um dos problemas mais comuns de saúde: a obesidade. Manter um Dogo Argentino com o peso certo é uma das maneiras mais fáceis de prolongar sua vida.. Para tirar o máximo partido das habilidades preventivas para ajudar a garantir um cão saudável para a vida.

    Cuidado do Dogo argentino

    A preparação do Dogo Argentino é fácil devido ao seu pêlo curto, embora seu tamanho grande signifique que é um ótimo trabalho. Um banho a cada três meses (ou quando está sujo) usar um xampu suave para cães é uma boa ideia. Escove o seu casaco elegante com uma escova de cerdas naturais ou luvas uma vez por semana. Use condicionador / polidor para brilhar.

    O resto são cuidados básicos. Você deve verificar suas orelhas toda semana e limpá-las se necessário e cortar as unhas dos pés uma vez por mês. A escovação regular com uma escova de dentes macia e pasta de dentes para cães aprovada pelo veterinário mantém os dentes e as gengivas saudáveis. É essencial apresentar o Dogo Argentino quando ele é muito jovem, para que ele aprenda a aceitar o manuseio e a fazer barulho com tranquilidade.

    Imagens do "Dogo argentino"

    Và­deos do "Dogo argentino"

    Tipo e reconhecimentos:

    • CLASSIFICAÇÃO FCI:
    • Grupo :
    • Seção : . .

    Federações:

    • FCI – Cães Pinscher e Schanuezer. Molossóides e Cães de Montanha, e Boiadeiros Suiços, Seção 2.1: Molossóides, Tipo Mastife.
    • AKC – cães de trabalho
    • UKC – Cão de guarda

    Padrão da raça FCI "Dogo argentino"

    Origem:
    Argentina

    Data de publicação do padrão original válido:
    10.11.2011

    Uso:

    Cão de caça de grande porte



    Aparência geral:

    É um cachorro atlético, meso morpho, tipo padrão, proporções harmà´nicas. De poderosa musculatura, é ágil, sua aparência externa dá a sensação de poder, energia e força, contrastando com sua expressão de amizade e mansidão. tudo branco, pode ter uma única mancha escura no crânio.



    PROPORà‡à•ES IMPORTANTES:

    • Mesocefalia, o focinho deve ter o mesmo comprimento que o crânio.
    • A altura na cernelha deve ser ligeiramente maior que a altura da garupaA altura do peito deve representar cinquenta por cento, pelo menos a altura na cernelha.
    • O comprimento do corpo deve exceder até dez por cento (não mais) a altura na cernelha.


    Comportamento / temperamento:

    Deve estar silencioso, nunca latir na trilha, cheiro bom, venteador, ágil, forte, rústico e acima de tudo corajoso.

    Você nunca deve ser agressivo com os seres humanos, característica que será severamente observada. Ele deve ser entregue ao seu mestre sem condições ou reservas.

    Cabeça:

    Tipo meso cefálico de aparência forte e poderosa. Seus eixos faciais do crânio são convergentes.

    Região craniana:
    • Cenfurecido: Maciço, convexa no sentido anteroposterior e transversal devido aos relevos dos músculos mastigatórios e do pescoço.
    • Occipucio: Seu alà­vio não é observado, porque os poderosos músculos do pescoço o apagam completamente.
    • Stem: Definido, não deve ser profundo ou em ângulo reto.

    Região facial:

    Enquanto a região craniana, isto é, a linha que une os dois processos orbitais do frontal está à mesma distância do occipital e da borda alveolar da maxila..

    • Trufa: Preto fortemente pigmentado, narinas largas.
    • Hocico: O mesmo comprimento que o crânio, com sua linha superior côncava.
    • Labios: Suspensórios, bordas livres, pigmentado preto, nunca pêndulos.
    • mandíbulas / Dentes: Eles são compostos de mandà­bulas bem desenvolvidas e fortes, colocadas corretamente, sem prognatismo ou enognatismo, com dentes saudáveis, grande e normalmente implantado. Recomenda-se uma prótese total. A mordida é em tesoura aceitando em pinça.Bochechas: espaçoso, marcadas, coberto por pele forte, sem pregas. Oleiros bem desenvolvidos.
    • Ojos: Médias, formulário de almendrada, escuro ou avelã, com pálpebras pigmentadas preferencialmente pretas. Sua posição é sub-frontal, bem separado, aparência viva e inteligente, mas com dureza acentuada ao mesmo tempo.
    • Obares: Inserção lateral e alta, com boa separação entre os dois, dada pela largura do crânio. Funcionalmente, deve ser cortado e ereto, de forma triangular e não superior a 50% da borda anterior do pinna natural.

    Sem amputar, eles são de comprimento médio, ampla, apartamento grosso e arredondado em seu ápice. Casaco liso, um pouco mais curto que o resto do corpo e onde pequenos pontos não penalizados podem aparecer. Suspensão naturalmente desgastada, cobrindo a região posterior das bochechas. Em alerta, possui capacidade de semi-montagem.

    Pescoço:

    Espesso, arqueado, pele muito grossa da garganta, formação de rugas, com dobras macias, sem formar queixo duplo. A elasticidade da pele do pescoço se deve ao fato de o tecido celular estar muito frouxo.

    Corpo:

    Retangular. O comprimento do corpo (medido da ponta do ombro até a ponta do à­squio) só pode exceder até dez por cento de sua altura na cernelha, não mais.

    • Leunea Superior: Mais alto na cernelha e inclinado para a garupa em uma ladeira suave. Espécimes adultos têm um canal médio ao longo da coluna vertebral, dado pelo alívio dos músculos da coluna vertebral. Visto de lado, não deve ser administrado.
    • Cruz: Strong, bem marcado e alto.
    • Espalda: Muito forte e com grandes relevos musculares.
    • Lo(m)o: Curta, Largura, de grande musculatura.
    • Gsemelhança: Largo e forte. De inclinação média.
    • Peco: Largo e profundo. Visto de frente e perfil, o esterno deve se estender abaixo da linha dos cotovelos, dando assim a capacidade respiratória máxima. Tórax longo com costelas moderadamente arqueadas.
    • Leunmenor ea e barriga: Algo coletado acima da linha inferior do tórax, nunca agalgado, forte e com boa tensão muscular.

    Cola:

    Longo, sem exceder os jarretes, inserção grossa do meio. Em repouso, observa-se uma queda natural; em atenção ou em movimento, arqueado, bem curvado.

    Extremidades

    MEMBROS ANTERIORES:

    • ApArience geral: Direto, Prumo bem, com dedos curtos e bem unidos.
    • Ho(m)bros: Escápulas oblà­quas, com grandes relevos musculares, sem exageros.
    • BRAcomos: Humero de comprimento igual à  escápula, com boa inclinação.
    • Cotovelos: Robusto, coberto de pele um pouco mais grossa e mais elástica, sem vincos ou rugas. Naturalmente localizado contra a parede costal.
    • Umtebra: Contanto que os braços e perpendicular ao chão, de ossatura robusta e reta com bom desenvolvimento muscular.
    • Articulações do carpo: Longo e na mesma linha com os antebraços, livre de relevos ósseos e rugosidade
    • Metacarpo: Um pouco plano, bom osso, visto do perfil, com uma ligeira inclinação, nunca expirou.
    • Pemé anterior: Com dedos curtos e apertados. Com fortes almofadas para os pés, grosso e rústico; de preferência pigmentado a preto.

    MEMBROS POSTERIORES:

    • ApArience geral: Muscular, com jarretes curtos e dedos bem fechados sem esporas. Angulação média.
    • coxas: Fornecido ao conjunto. Strong, com desenvolvimento muscular significativo à  vista.
    • Cajadoemll-: Com boa inclinação.
    • Pemerna: Ligeiramente mais curto que as coxas, forte e musculoso.
    • Companhiarvejón: A articulação metatarsal do tarso é curta, forte e firme, garantindo a força de propulsão do membro traseiro. Tarso robusto, com a ponta do jarrete evidente. Metatarsos robustos, quase cilíndrico e prumo, Sem esporas.
    • Pemé mais tarde: Semelhante aos anteriores, mas um pouco menor e um pouco mais longo, eles mantêm as mesmas características.

    Movimento:

    ágil e firme, com mudanças visà­veis em mostrar interesse em algo, momento em que ele se torna ereto e rápido com reflexos, típico da raça. Passo lento. Jog ampla, boa suspensão dianteira e poderosa propulsão traseira. No galope ele mostra toda a sua energia e desenvolve toda a potência que possui. Seu deslocamento é ágil, seguro, na etapa, trote o galope. Deve ser harmonioso e equilibrado, mostrando construção sólida. Ambulância não aceita (pasuqueo), o que é considerado um defeito grave.

    Manto

    • Pele: Homogêneo, espessura, mas elástico. Ligado ao corpo por tecido subcutâneo semi-frouxo, elástico, sem formar rugas; exceto na garganta, onde o tecido celular subcutâneo é mais relaxado.

    Cópias com lábios e pálpebras pigmentadas pretas são preferidas. A pele pigmentada preta não é penalizada.

    • Pelo: Uniforme, curto, suave, com um comprimento aproximado de 1,5 - 2 cm. Varia sua densidade e espessura de acordo com o clima.
    • Companhialor: tudo branco. Somente uma mancha preta ou escura é permitida no crânio.

    Também pode ser localizado em um dos seus ouvidos, ou ao redor de seus olhos. O tamanho da mancha deve manter uma proporção adequada que não exceda dez por cento do tamanho da cabeça. Entre duas cópias das mesmas condições, você deve escolher o mais branco.



    Tamanho e peso:

    Alturpara a cruz:

    • Machos: 60 - 68 cm.
    • fêmeas: 60 - 65 cm.

    Alturideal:

    • Machos: 64 - 65 cm.
    • fêmeas: 62 - 64 cm.

    Pisso: Aproximado:

    • Machos: 40 - 45 kg.
    • fêmeas: 40 - 43 kg.


    Falhas:

    Qualquer desvio dos critérios acima mencionados é considerado uma falha e sua gravidade é considerada no grau de desvio do padrão e suas conseqüências na saúde e bem-estar do cão e na capacidade do cão de executar sua tarefa tradicional..



    FALTAS GRAVES:

    • Falta de desenvolvimento ósseo muscular (fraqueza).
    • Trufa parcialmente pigmentada em espécimes adultos
    • Dentes pequenos, fraco ou doente
    • Presença de ectrópio ou entrópio nas pálpebras
    • Olhos redondos pelo formato das pálpebras, olhos esbugalhados, claro ou amarelo.
    • Baú do Barril.
    • Peito de pena Costelas muito planas.
    • Falta de profundidade do peito, que não atinge a linha do cotovelo
    • Falta de angulação de qualquer um dos seus trens de locomotivas
    • Garupa mais alta que a cruz.
    • Movimento amble.
    • Machos e fêmeas cujo peso não está em conformidade com o estabelecido aqui e não está relacionado à  sua altura

    FALTAS DESQUALIFICANDO:

    • Agressividade ou extrema timidez.
    • Qualquer cão que mostre sinais claros de anormalidades físicas ou comportamentais deve ser desqualificado..
    • Prognatismo superior o inferio
    • surdo
    • falta de tipicidade.
    • Longhair.
    • Falta total de pigmentação no nariz em amostras com mais de dois anos
    • Trufa marrom.
    • Pêndulo labial.
    • Manchas de cabelo no corpo.
    • Mais de uma mancha na cabeça
    • Tamanho menor ou maior que o estabelecido
    • Olhos de cor diferente ou zarco
    • Falta de dimorfismo sexual.


    N.B.:
    • Os machos devem ter dois testículos de aparência normal totalmente descidos no escroto..
    • Apenas cães funcional e clinicamente saudáveis, com a conformação típica da raça, deve ser usado para reprodução.

    TRADUÇÃO: Jorge Nallem

    Fonte: F.C.I - Federação Cinológica Internacional

    Nomes alternativos:

    1. Argentine Dogo, Dogo (inglês).
    2. Dogo argentino (Francês).
    3. Dogo Argentino (alemão).
    4. Dogue argentino, Mastim argentino (português).
    5. Argentine Mastiff, Mastín Argentino (espanhol).

    1 – Cão Dogo argentino por joseltr / CC0
    2 – Dogo argentino por https://pxhere.com/es/photo/66875
    3 – Mastim argentino – Nome: Proprietário Ridge: – Fred, de Domaine Salvator por Wikipédia
    4 – Dogo Argentino durante exposição de cães em Katowice, Poland por Lilly M / CC BY-SA
    5 – Dogo Argentino por Paul Hermans / CC BY-SA
    6 – Eggon fazendo sua caminhada diária Blabriel / CC BY-SA

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Doge do Tibete
    Tíbet FCI 230 - Molossóides . Montanha

    O Doge do Tibete Não é um cão para conviver com crianças.

    Dogo del Tíbet

    É uma raça nativa do Tibete, Ele apareceu para o ano 8000 -. C. raça de trabalho antiga de pastores nà´mades do Himalaia e um guardião tradicional dos mosteiros tibetanos. Tem sido cercada por grande misticismo desde que foi descoberta nos tempos antigos..

    É um cão companheiro, Guarda e proteção; lento para amadurecer, fêmeas só chegar a seu apogeu entre 2 e 3 anos e os homens, pelo menos, a 4 anos.

    Outros nomes: Dogo del Tíbet / Do-Khy / Dogue du Tibet / Tibet-Dogge / Tibetan Mastiff

    Crupo 2 / Seção 2 – Molossos

    Raças de cães: Doge do Tibete