▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

Dogo argentino
Argentina FCI 292 - Molossóides - Dogue

Ele é um guardião feroz e defensor. Não é conveniente estimular sua agressividade.

Dogo Argentino

Conteúdo

Classificações do "Dogo argentino"

Coexistência é importante que você tem com seu novo amigo. Plantearte antes de adquirir uma raça de cão "Dogo argentino" você sabe alguns fatores. Nem todas as raças de cães são capazes de viver em um apartamento, Você deve levar em conta a sua qualidade, sua necessidade de exercà­cio, sua interação com outros animais de estimação, seu cuidado e se você tiver crianças pequenas, o seu nà­vel de tolerância para com eles.

Adaptação ⓘ

3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Cão amigável ⓘ

1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Perda de pêlo ⓘ

3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Nível de afeto ⓘ

3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Necessidade de exercício ⓘ

4.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Necessidade social ⓘ

3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Casa ⓘ

1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Cuidado ⓘ

1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Amigável com estranhos ⓘ

1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Latindo ⓘ

2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Saúde ⓘ

3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Territorial ⓘ

5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Amigo dos gatos ⓘ

1.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Inteligência ⓘ

3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Versatilidade ⓘ

2.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Adequado para crianças ⓘ

3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Vigilância ⓘ

3.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

Alegria ⓘ

5.0 fora de 5 estrelas (baseado em 1 Reveja)

História

O Dogo argentino (mastim argentino) é uma raça de cão, creada por el médico argentino Antonio Nores Martínez, procurando um animal adequado para a caça de espécies comuns na Argentina, como javalis, queixadas e raposas vermelhas. Coragem, coragem e nobreza são qualidades que são maximizadas nesta raça.

O Dogo argentino É a única raça de cachorro argentino viva (ver corridas extinto nota dois), definido por seu criador, O médico. Antonio Nores Martinez, como “o melhor cão entre todos os cães de rapina e mais presas entre todos os cães do mundo”.

Na década de 1920, Antonio Nores Martinez (ajudado por seu irmão Agustín, seu pai Antonio e tios) Ele decidiu criar uma corrida da represa para coletar as melhores qualidades do “Cão Lutador da Córdoba“, mas com dimensões superiores e força física. O que mais, ele partiu para conseguir um cachorro que tivesse aptidões para caçar em matilhas, especialmente de javalis, mas que ele foi capaz de derrotar ou parar a presa em combate sozinho até a chegada de seu mestre ou do resto do bando.

Antonio usado como base para o “Cão Lutador da Córdoba“, uma mistura de raças introduzida na Argentina por residentes inglês, Bull terrier e Buldogue, com raças que os espanhóis trouxeram, Alano espanhol e Mastim Espanhol. Esses cruzando, Ele estava invicto em lutas de cães, Antonio adicionou linhagens Bull terrier e Mastim dos Pirenéus. Assim, na décima terceira geração, Antonio percebeu que havia criado uma “máquina de guerra” perfeito, um cão de batalha invencà­vel. Os cães brancos de Antonio ficaram famosos porque nenhum outro cão poderia vencê-los no ringue..

Assim nasce a família Araucana. Então Antonio partiu para legalizar o cachorro que ele havia criado, porque a luta, Apesar de ser sua paixão, eles foram proibidos em todo o mundo. Por outro lado, Ele era fascinado pela idéia de matar diretamente um cão para levantar, continuar e capturaram a represa. A família Araucana não era boa para caçar porque eram muito agressivas umas com as outras., muito pesadas em relação à sua altura e careciam de olfato. Então Antonio introduziu sangue Pointer, criando a família Guarani. Estes Dogos mantiveram o espírito de luta da família Araucana, mas eles foram mais resistentes a perseguir presas, tinham um olfato melhor e era possível fazer com que não brigassem.

Eles passaram vários anos cruzando, seleções e ginástica funcional adequada até que no final da década de 1940, Antonio conseguiu consolidar o dogo argentino atual, reconhecida como o mais excelente cão de caça.

Em 1946 uma luta pública pela apresentação da raça foi organizada entre Añá, uma amostra extraordinária de Dogo argentino e um javali reprodutor 5 anos. Foi uma corrida difà­cil para Aña, a luta saiu vitoriosa, então ele se rendeu em quarenta minutos, terminando a luta em perfeitas condições físicas. A batalha foi filmada e acordei na cinófilos uma grande admiração para o Doge (“O Dogo argentino“, por Paolo Vianini, Publicação de Vecchi, 2006.).

Em 1947 Agustín organizou uma partida no Club de los Españoles em Morón entre Chino, um Dogo argentino e um touro preto crioulo, grande lutador. Depois de um tempo de combate, que ele lhe causou a fratura de fêmur chinês, Ele conseguiu transformar o nariz do touro, que, em poucos minutos, Ele não poderia resistir mais dor e ajoelhou-se. Chinês não caiu. O final foi realmente uma festa para o público espanhol. Francisco, outro irmão de Antonio, Ele entrou na arena e falou com os chineses que invadem suas presas e continuaram mancando (“O Dogo argentino“, por Paolo Vianini, Publicação de Vecchi, 2006.).

Agustín foi um grande difusor da raça, finalmente conseguir o seu reconhecimento como tal (Veja a carta do Dr. Agustín Nores Martínez para a FCA). A norma foi publicada na revista “Diana” em 1947. O reconhecimento oficial da Argentina teve lugar 1964, e o internacional em 1973. Você pode ler a carta enviada pelo Dr. Agustín Nores Martinez1 à Federação Cinológica Argentina solicitando a abertura de registros genealógicos da raça, onde ele faz um relato detalhado das virtudes e potencial de Dogo argentino.

Nas últimas décadas o Dogo argentino Foi introduzido com grande sucesso nos Estados Unidos e em vários países europeus.. Hoje você pode encontrar criadores muito bons em diferentes países do mundo e, claro, na Argentina, berço do Doge, que são criadores de excelência. Ele é atualmente um dos cães reguladores da polícia no Líbano.

Características físicas

É um cão muito forte e robusto, estrutura sólida e muscular em todas as partes do corpo, insensà­vel à  dor, capaz de combater com animais maiores que ele próprio e matá-los. Com a camada completamente branca, para distingui-lo facilmente no MT., o Dogo argentino difere de outros cães também por seu comportamento: ladra raramente, quase por não querer notar sua presença, mas quando atacado, é devastador.

A cabeça é grande com um enorme crânio. A trufa é preta. Focinho ligeiramente cà´ncavo, com lábios finos para a mordida e capturas presas permite, Continue a respiração. Olhos castanhos, bem separados entre eles. Orelhas eretas ou semierguidas, triangular e corte. O pescoço é poderoso, grosso e arqueada.

O tórax é ampla e profunda. A linha das costas muito alta nos ombros que depois se inclina em direção aos quadris. Os membros são retos, com as coxas musculares, jarretes curtos, Dedos Unidos e curtos. A cauda é longa e espessa. O macho deve medir entre 60 e 66 cm, e a fêmea entre 60 e 62 cm; peso o macho deve ser entre o 48 - 54 kg, a fêmea 45 kg. Sempre branco manto, e sem manchas, a pigmentação não for desejada.. O Dogo Argentino é uma atleta, para o qual deve ser mantido leve e leve e não com tendência à obesidade como se fosse um Mastiff.

Por sua pele não ficar muito tempo exposto ao sol. Para uma perfeita manutenção de suas peles escovação com uma luva de borracha que arrastar o cabelo solto ou crin é necessária. Problemas de pele são bastante comuns, particularmente uma doença chamada demodexia, Ele tende a ocorrer principalmente no exemplar imunodeprimidos jovem.

Caráter e habilidades

É o cão de caça mais quintessencial. Bulldogs trabalham em matilha, geralmente quatro membros. Quando um buldogue enrola o javali, visa-lo para o efeito e ativada no focinho, orelhas, pescoço ou pernas, sem liberá-lo apesar da punição que receberia a Besta. O Dogo Argentino é uma mordida muito poderosa, uma grande resistência e muita coragem., qualidades que lhe permitem lutar com o animal até o fim ou até que cheguem os outros cães da matilha ou o caçador que acabará com o javali com uma faca.

Em alguns casos, os cruzamentos de bulldogs com galgos são incorporados ao pacote, chamado de "laço", ter cães para ambos mais rápido e mais leve, mas eles não substituir Doges puros, muitos mais poderoso e resistente.
Nos últimos anos o Dogo argentino Eu ganho maior fama na caça, Tendo em conta que pode corresponder em força para o puma e outro parceiro matar-lhe. Essas cópias são muito fortes e você não sente a dor.

Como todos os cães de trabalho, é muito fiel ao seu mestre. Em casa normalmente se comportam bem e quase nunca ladra. Ele é calmo e equilibrado. Ele é muito leal e afetuoso com pessoas. Ele tende a ser agressiva em direção a seus pares se ele não é educado corretamente desde tenra idade.

Você precisará exercer, e ser bem confortável espaço. Não é incomum encontrar espécimes com surdez. Seus olhos devem ser cuidados, limpeza deve ser diária para evitar qualquer tipo de inflamação.

Como qualquer grande raça, precisa de um ensino forte e constante, mas sem violência. É importante ensiná-lo a não atacar outros cães e outros animais domésticos com os quais deve poder conviver em harmonia. A relação de hombre-perro é uma relação de submissão, Assim, a ordem hierárquica deve estabelecer claramente, quem é gratuitamente.

Uma vez atingido este, o Dogo argentino será um companheiro excepcional, fiéis ao seu mestre que vai dar a sua vida se necessário. É um cão que seu papel é muito desperto instinto, na verdade, em pequenas explorações, eles acordar o instinto, Portanto, é um cachorro que como animal de estimação deve estar sempre na coleira ao passear com ele..

Saúde do Dogo argentino

Todos os cães têm o potencial de desenvolver problemas de saúde genéticos, assim como todas as pessoas têm o potencial de herdar doenças. Evite qualquer criador que não ofereça garantia de saúde aos filhotes., para lhe dizer que a raça tem problemas não conhecidos, ou manter os filhotes isolados a partir da parte principal da casa por motivos de saúde. Um criador respeitável será honesto e aberto sobre os problemas de saúde de raça e incidência ocorrendo com.

As condições observadas na raça incluem hipotireoidismo e surdez. Bulldogs também podem ser propensos a glaucoma e paralisia laríngea. Y, como muitas raças grandes e gigantes, o Dogo Argentino pode desenvolver displasia da anca.

A displasia da anca é um defeito herdado da cavidade da anca. Pode ser leve, causando pouca ou nenhuma dor, ou pode levar a claudicação severa. Buldogues com displasia da anca podem mover-se lentamente ou evitar saltar. Dependendo da gravidade da condição, perda de peso, medicação ou cirurgia podem ajudar a aliviar a dor. Os buldogues que serão criados devem ter um raio-x do quadril e triagem por um especialista em ortopedia veterinária aos dois anos de idade..

Não compre um filhote de cachorro de um criador que não possa fornecer documentação escrita mostrando que os pais estavam isentos de problemas de saúde que afetam a raça.. Fazer os cães são “veterinário examinado” Não é um substituto para testar a saúde genética. Encontre seu cachorro em outro lugar.

Criadores cuidadosos testam seus cães reprodutores em busca de doenças genéticas e criam apenas os cães mais saudáveis ​​e bonitos., mas à s vezes a mãe natureza tem outras idéias. Um filhote pode desenvolver uma dessas doenças, apesar das boas práticas de criação.. Os avanços na medicina veterinária significam que, na maioria dos casos, os cães ainda podem viver uma boa vida. Se você vai ter um filhote, pergunte ao criador sobre as idades dos cães em suas linhagens e quais são as causas mais comuns de morte.

Lembre-se que depois de receber um novo filhote em sua casa, Ele tem o poder de proteger um dos problemas mais comuns de saúde: a obesidade. Manter um Dogo Argentino com o peso certo é uma das maneiras mais fáceis de prolongar sua vida.. Para tirar o máximo partido das habilidades preventivas para ajudar a garantir um cão saudável para a vida.

Cuidado do Dogo argentino

A preparação do Dogo Argentino é fácil devido ao seu pêlo curto, embora seu tamanho grande signifique que é um ótimo trabalho. Um banho a cada três meses (ou quando está sujo) usar um xampu suave para cães é uma boa ideia. Escove o seu casaco elegante com uma escova de cerdas naturais ou luvas uma vez por semana. Use condicionador / polidor para brilhar.

O resto são cuidados básicos. Você deve verificar suas orelhas toda semana e limpá-las se necessário e cortar as unhas dos pés uma vez por mês. A escovação regular com uma escova de dentes macia e pasta de dentes para cães aprovada pelo veterinário mantém os dentes e as gengivas saudáveis. É essencial apresentar o Dogo Argentino quando ele é muito jovem, para que ele aprenda a aceitar o manuseio e a fazer barulho com tranquilidade.

Imagens do "Dogo argentino"

Và­deos do "Dogo argentino"

Tipo e reconhecimentos:

  • CLASSIFICAÇÃO FCI: 292
  • Grupo 2: Cães do tipo Pinscher e Schnauzer, Molossóides e Cães de Montanha, e Boiadeiros Suiços
  • Seção 2.1: Molossóides, Tipo Mastife. Sem prova de trabalho.

Federações:

  • FCI – Cães Pinscher e Schanuezer. Molossóides e Cães de Montanha, e Boiadeiros Suiços, Seção 2.1: Molossóides, Tipo Mastife.
  • AKC – cães de trabalho
  • UKC – Cão de guarda

Padrão da raça FCI "Dogo argentino"

Origem:
Argentina

Data de publicação do padrão original válido:
10.11.2011

Uso:

Cão de caça de grande porte



Aparência geral:

É um cachorro atlético, meso morpho, tipo padrão, proporções harmà´nicas. De poderosa musculatura, é ágil, sua aparência externa dá a sensação de poder, energia e força, contrastando com sua expressão de amizade e mansidão. tudo branco, pode ter uma única mancha escura no crânio.



PROPORà‡à•ES IMPORTANTES:

  • Mesocefalia, o focinho deve ter o mesmo comprimento que o crânio.
  • A altura na cernelha deve ser ligeiramente maior que a altura da garupaA altura do peito deve representar cinquenta por cento, pelo menos a altura na cernelha.
  • O comprimento do corpo deve exceder até dez por cento (não mais) a altura na cernelha.


Comportamento / temperamento:

Deve estar silencioso, nunca latir na trilha, cheiro bom, venteador, ágil, forte, rústico e acima de tudo corajoso.

Você nunca deve ser agressivo com os seres humanos, característica que será severamente observada. Ele deve ser entregue ao seu mestre sem condições ou reservas.

Cabeça:

Tipo meso cefálico de aparência forte e poderosa. Seus eixos faciais do crânio são convergentes.

Região craniana:
  • Cenfurecido: Maciço, convexa no sentido anteroposterior e transversal devido aos relevos dos músculos mastigatórios e do pescoço.
  • Occipucio: Seu alà­vio não é observado, porque os poderosos músculos do pescoço o apagam completamente.
  • Stem: Definido, não deve ser profundo ou em ângulo reto.

Região facial:

Enquanto a região craniana, isto é, a linha que une os dois processos orbitais do frontal está à mesma distância do occipital e da borda alveolar da maxila..

  • Trufa: Preto fortemente pigmentado, narinas largas.
  • Hocico: O mesmo comprimento que o crânio, com sua linha superior côncava.
  • Labios: Suspensórios, bordas livres, pigmentado preto, nunca pêndulos.
  • mandíbulas / Dentes: Eles são compostos de mandà­bulas bem desenvolvidas e fortes, colocadas corretamente, sem prognatismo ou enognatismo, com dentes saudáveis, grande e normalmente implantado. Recomenda-se uma prótese total. A mordida é em tesoura aceitando em pinça.Bochechas: espaçoso, marcadas, coberto por pele forte, sem pregas. Oleiros bem desenvolvidos.
  • Ojos: Médias, formulário de almendrada, escuro ou avelã, com pálpebras pigmentadas preferencialmente pretas. Sua posição é sub-frontal, bem separado, aparência viva e inteligente, mas com dureza acentuada ao mesmo tempo.
  • Obares: Inserção lateral e alta, com boa separação entre os dois, dada pela largura do crânio. Funcionalmente, deve ser cortado e ereto, de forma triangular e não superior a 50% da borda anterior do pinna natural.

Sem amputar, eles são de comprimento médio, ampla, apartamento grosso e arredondado em seu ápice. Casaco liso, um pouco mais curto que o resto do corpo e onde pequenos pontos não penalizados podem aparecer. Suspensão naturalmente desgastada, cobrindo a região posterior das bochechas. Em alerta, possui capacidade de semi-montagem.

Pescoço:

Espesso, arqueado, pele muito grossa da garganta, formação de rugas, com dobras macias, sem formar queixo duplo. A elasticidade da pele do pescoço se deve ao fato de o tecido celular estar muito frouxo.

Corpo:

Retangular. O comprimento do corpo (medido da ponta do ombro até a ponta do à­squio) só pode exceder até dez por cento de sua altura na cernelha, não mais.

  • Leunea Superior: Mais alto na cernelha e inclinado para a garupa em uma ladeira suave. Espécimes adultos têm um canal médio ao longo da coluna vertebral, dado pelo alívio dos músculos da coluna vertebral. Visto de lado, não deve ser administrado.
  • Cruz: Strong, bem marcado e alto.
  • Espalda: Muito forte e com grandes relevos musculares.
  • Lo(m)o: Curta, Largura, de grande musculatura.
  • Gsemelhança: Largo e forte. De inclinação média.
  • Peco: Largo e profundo. Visto de frente e perfil, o esterno deve se estender abaixo da linha dos cotovelos, dando assim a capacidade respiratória máxima. Tórax longo com costelas moderadamente arqueadas.
  • Leunmenor ea e barriga: Algo coletado acima da linha inferior do tórax, nunca agalgado, forte e com boa tensão muscular.

Cola:

Longo, sem exceder os jarretes, inserção grossa do meio. Em repouso, observa-se uma queda natural; em atenção ou em movimento, arqueado, bem curvado.

Extremidades

MEMBROS ANTERIORES:

  • ApArience geral: Direto, Prumo bem, com dedos curtos e bem unidos.
  • Ho(m)bros: Escápulas oblà­quas, com grandes relevos musculares, sem exageros.
  • BRAcomos: Humero de comprimento igual à  escápula, com boa inclinação.
  • Cotovelos: Robusto, coberto de pele um pouco mais grossa e mais elástica, sem vincos ou rugas. Naturalmente localizado contra a parede costal.
  • Umtebra: Contanto que os braços e perpendicular ao chão, de ossatura robusta e reta com bom desenvolvimento muscular.
  • Articulações do carpo: Longo e na mesma linha com os antebraços, livre de relevos ósseos e rugosidade
  • Metacarpo: Um pouco plano, bom osso, visto do perfil, com uma ligeira inclinação, nunca expirou.
  • Pemé anterior: Com dedos curtos e apertados. Com fortes almofadas para os pés, grosso e rústico; de preferência pigmentado a preto.

MEMBROS POSTERIORES:

  • ApArience geral: Muscular, com jarretes curtos e dedos bem fechados sem esporas. Angulação média.
  • coxas: Fornecido ao conjunto. Strong, com desenvolvimento muscular significativo à  vista.
  • Cajadoemll-: Com boa inclinação.
  • Pemerna: Ligeiramente mais curto que as coxas, forte e musculoso.
  • Companhiarvejón: A articulação metatarsal do tarso é curta, forte e firme, garantindo a força de propulsão do membro traseiro. Tarso robusto, com a ponta do jarrete evidente. Metatarsos robustos, quase cilíndrico e prumo, Sem esporas.
  • Pemé mais tarde: Semelhante aos anteriores, mas um pouco menor e um pouco mais longo, eles mantêm as mesmas características.

Movimento:

ágil e firme, com mudanças visà­veis em mostrar interesse em algo, momento em que ele se torna ereto e rápido com reflexos, típico da raça. Passo lento. Jog ampla, boa suspensão dianteira e poderosa propulsão traseira. No galope ele mostra toda a sua energia e desenvolve toda a potência que possui. Seu deslocamento é ágil, seguro, na etapa, trote o galope. Deve ser harmonioso e equilibrado, mostrando construção sólida. Ambulância não aceita (pasuqueo), o que é considerado um defeito grave.

Manto

  • Pele: Homogêneo, espessura, mas elástico. Ligado ao corpo por tecido subcutâneo semi-frouxo, elástico, sem formar rugas; exceto na garganta, onde o tecido celular subcutâneo é mais relaxado.

Cópias com lábios e pálpebras pigmentadas pretas são preferidas. A pele pigmentada preta não é penalizada.

  • Pelo: Uniforme, curto, suave, com um comprimento aproximado de 1,5 - 2 cm. Varia sua densidade e espessura de acordo com o clima.
  • Companhialor: tudo branco. Somente uma mancha preta ou escura é permitida no crânio.

Também pode ser localizado em um dos seus ouvidos, ou ao redor de seus olhos. O tamanho da mancha deve manter uma proporção adequada que não exceda dez por cento do tamanho da cabeça. Entre duas cópias das mesmas condições, você deve escolher o mais branco.



Tamanho e peso:

Alturpara a cruz:

  • Machos: 60 - 68 cm.
  • fêmeas: 60 - 65 cm.

Alturideal:

  • Machos: 64 - 65 cm.
  • fêmeas: 62 - 64 cm.

Pisso: Aproximado:

  • Machos: 40 - 45 kg.
  • fêmeas: 40 - 43 kg.


Falhas:

Qualquer desvio dos critérios acima mencionados é considerado uma falha e sua gravidade é considerada no grau de desvio do padrão e suas conseqüências na saúde e bem-estar do cão e na capacidade do cão de executar sua tarefa tradicional..



FALTAS GRAVES:

  • Falta de desenvolvimento ósseo muscular (fraqueza).
  • Trufa parcialmente pigmentada em espécimes adultos
  • Dentes pequenos, fraco ou doente
  • Presença de ectrópio ou entrópio nas pálpebras
  • Olhos redondos pelo formato das pálpebras, olhos esbugalhados, claro ou amarelo.
  • Baú do Barril.
  • Peito de pena Costelas muito planas.
  • Falta de profundidade do peito, que não atinge a linha do cotovelo
  • Falta de angulação de qualquer um dos seus trens de locomotivas
  • Garupa mais alta que a cruz.
  • Movimento amble.
  • Machos e fêmeas cujo peso não está em conformidade com o estabelecido aqui e não está relacionado à  sua altura

FALTAS DESQUALIFICANDO:

  • Agressividade ou extrema timidez.
  • Qualquer cão que mostre sinais claros de anormalidades físicas ou comportamentais deve ser desqualificado..
  • Prognatismo superior o inferio
  • surdo
  • falta de tipicidade.
  • Longhair.
  • Falta total de pigmentação no nariz em amostras com mais de dois anos
  • Trufa marrom.
  • Pêndulo labial.
  • Manchas de cabelo no corpo.
  • Mais de uma mancha na cabeça
  • Tamanho menor ou maior que o estabelecido
  • Olhos de cor diferente ou zarco
  • Falta de dimorfismo sexual.


N.B.:
  • Os machos devem ter dois testículos de aparência normal totalmente descidos no escroto..
  • Apenas cães funcional e clinicamente saudáveis, com a conformação típica da raça, deve ser usado para reprodução.

TRADUÇÃO: Jorge Nallem

Fonte: F.C.I - Federação Cinológica Internacional

Nomes alternativos:

1. Argentine Dogo, Dogo (inglês).
2. Dogo argentino (Francês).
3. Dogo Argentino (alemão).
4. Dogue argentino, Mastim argentino (português).
5. Argentine Mastiff, Mastín Argentino (espanhol).

1 – Cão Dogo argentino por joseltr / CC0
2 – Dogo argentino por https://pxhere.com/es/photo/66875
3 – Mastim argentino – Nome: Proprietário Ridge: – Fred, de Domaine Salvator por Wikipédia
4 – Dogo Argentino durante exposição de cães em Katowice, Poland por Lilly M / CC BY-SA
5 – Dogo Argentino por Paul Hermans / CC BY-SA
6 – Eggon fazendo sua caminhada diária Blabriel / CC BY-SA

1 pensou em “Dogo argentino”

  1. Nós temos um !!!! Um cão de resgate, mas claramente desta raça. Cada descritor — escrito e fotográfico — é apenas certo. Ele tem duas manchas grandes nas costas, e o nariz dele – sempre rosa — também tem uma vaga. Ele é uma grande adição à  nossa famà­lia.

    Resposta

Deixar um comentário