▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

Tiriba-de-peito-cinza
Pyrrhura griseipectus

Tiriba-de-peito-cinza

Conteúdo

Descrição:

23 cm. comprimento e 70 gramas.

Tiriba-de-peito-cinza

O Tiriba-de-peito-cinza (Pyrrhura griseipectus) é um pássaro marcado por uma máscara no rosto avermelhado, interrompido por uma coloração branca em torno das regiões orbitais e fones de ouvido.

as penas do pescoço para a região superior peito Possuem coloração cinza com listras claras intercaladas, dando à  região uma aparência listrada ou escamado. A espécie tem uma característica remendo avermelhado em barriga, destacando coloração verde, sua predominante corpo. a região frente até o nuca, É marrom escuro com manchas brancas ou marrons mais claras que variam de ave para ave.. área traseira pescoço fronteira azul verde com uma largura. Eles têm um remendo marrom avermelhado na parte baixa do mesmo de volta o que leva à  coroa. O cauda É longa e marrom. Pico cinza-escuro; anel de olho cinza-branco; à­ris castanho-alaranjado.

Não tem nenhum dimorfismo sexual. O imaturo Eles são mais suaves do que os adultos; Você espalhados penas verdes no abdómen; o Cere e o anel orbital é branco, menos tom de cinza.

estatuto taxonómico:

Esta espécie é considerada uma subespécie de Pyrrhura [leucotis, emma o griseipectus] por alguns autores

  • Som do Tiriba-de-peito-cinza.

Habitat:

É no florestas tropicais, muitas vezes localizados em regiões serranas, onde as chuvas orográficas favorecem a ocorrência de enclaves Floresta Atlântico e Mata seca entre caatinga.

Reprodução:

O época de reprodução Ela ocorre durante a estação chuvosa. O Pà´r do sol É cinco a oito ovos em buracos escavados por pica-paus uma vez que eles não são capazes de cavar seus próprios ninhos; Eles usam esses buracos para dormir.

Quando os filhotes nascem, o par divide a tarefa de alimentação. Às vezes, eles contam com a ajuda de até mesmo um terceiro membro do rebanho para criar todos os filhotes com sucesso..

Alimentos:

Provavelmente se alimenta de frutas, flores, sementes e algas.

Distribuição e status:

Tamanho da sua gama (jogadores / residentes): 830 km2

Esta espécie foi anteriormente conhecido em 15 localizações (. Anon 2014) Dentro de Brasil. Actualmente, é em apenas três áreas no estado de Ceará, o Serra de Baturité e Quixadá (C. Albano em pouco . 2006, Waugh et al 2010.) e, mais recentemente observado em uma montanha rochosa Ceará, onde cinco aves foram registrado em março 2014 (Anon. 2014).

Em Serra do Baturité parece ser muito raro e parece ter sido extinto de várias áreas, mas os registros recentes de grupos no Área de Proteção Ambiental montanhas Baturité; pesquisas 2007 metade do habitat remanescente no site revelou perto 80 indivà­duos (C. Albano em pouco. 2007, 2008) e a população aqui é agora estimada em cerca de 250 aves (Waugh et al . 2010).

florestas de montanhas Baturité Eles têm sido muito reduzida para dar lugar a plantações de café e só 13% da selva permaneceu em 1996. A descoberta, em 2010 uma população de cerca de 50 aves em Quixadá (Waugh et al ., 2010) Ele aumenta a população mundial conhecida desta espécie em cerca de 300 aves.

O Tiriba-de-peito-cinza Foi anteriormente conhecido duas outras áreas: a encosta oriental do Serra de Ibiapaba em Ceará, e pequeno Serra Negra, em Pernambuco, onde era muito comum 1974, com bandos de 4-6 indivà­duos vistos regularmente no inà­cio 1980, embora não haja registros recentes. Há também relatos não confirmados 1991 estação em orgânica Murici Alagoas em que, possivelmente, que se refere a indivà­duos libertados; trabalho de campo recente foi incapaz de localizar a espécie.

Sua intervalo conhecido é muito pequeno, e as espécies diminuiu drasticamente no passado, uma tendência que pode ser permanente.

Conservação:

  • Justificativa da Lista Vermelha da Categoria

Pesquisas recentes indicam que esta espécie tem um extremamente pequena população, que continua a declinar após quedas históricas dramáticas. Por estas razões, qualifica como Criticamente em Perigo.

  • Justificação da população

Estado de conservação ⓘ


Em perigo crítico criticamente em perigo (UICN)ⓘ

• Categoria atual da Lista Vermelha dos UICN: criticamente em perigo.

• Tendência populacional: Diminuindo.

• Tamanho da população : 200 indivà­duos.

A população da Área de Baturité Montanhas de Proteção Ambiental Estima-se em cerca de 250 aves, e em descoberta 2010 uma população de cerca de 50 aves em Quixadá aumenta a população mundial conhecida de cerca de 300 aves (Waugh et al ., 2010). Isso equivale a cerca de 200 indivà­duos maduros.

  • Tendência de justificação

Esta espécie é suspeito de ser diminuindo rapidamente por causa de sua captura e perda de habitat em andamento dentro do seu alcance.

  • Ameaças

O destruição de habitat Ele tem desempenhado um papel no declà­nio da espécie com a cobertura florestal original agora reduzido para apenas 13%.

O plantações de café (especialmente onde o café é cultivado ao sol em vez de café de sombra) Eles estão afetando o habitat das espécies.

O principal ameaça, No entanto, Acredita-se que vir do captura ilegal curso para o comércio local e nacional (C. Albano um pouco 2006, Anon 2009..) e reprodução em cativeiro (Fernandes-Ferreira et al 2012.); o Tiriba-de-peito-cinza Eles podem ser facilmente adquiridos através da Internet (Girão y Albano 2008).

Ele é facilmente encontrado na o comércio internacional de gaiola de pássaro.

O falta de locais de nidificação naturais Também acredita-se que estão limitando o sucesso reprodutivo das espécies (Campos et al . 2014).

Ações de conservação em andamento

Apêndice II da CITES.

Em Brasil, Considerou-se acima em risco crítico (Silveira y Straube 2008), mas agora foi legalmente designado como ameaçadas nacional (MMA 2014), e protegido A lei brasileira.

mora dentro Área de Proteção Ambiental Serra do Baturité, mas esta área foi designado para o uso sustentável e tradicionalmente não foi alcançado para a conservação.

Gestão da terra por um proprietário privado na área levou a um aumento em uma pequena cidade conhecida (C. Albano um pouco . 2006).

A partir de 2007, ONG AQUASIS O Brasil tem vindo a realizar dois projectos de investigação: um patrocinado pela Fundação Brasileira Boticário de Proteção à  Natureza, a topografia do montanhas Baturité para monitorar sua condição e pesquisar sua biologia; e outro patrocinado Fundación Loro Parque, para populações adicionais (C. Albano em pouco. 2007, 2008).

Os levantamentos realizados nos sítios históricos e áreas de habitat potencial no período 2007-2008 Eles não têm sido capazes de localizar os membros dessa espécie, embora existam fortes indícios de indivíduos que ainda possam estar habitando as áreas degradadas Serra do Estevão, municipalidade mandà­bula, Estado de Ceará (C. Albano em pouco. 2007 2008, Anon 2007), onde foi, na verdade, redescoberto no 2010 (Waugh et al ., 2010).

Uma equipe de AQUASIS, financiado por uma concessão Programa de Liderança para a Conservação em 2012, realizaram buscas pela espécie em uma montanha isolada no Ceará e ele encontrou uma pequena população de cinco indivà­duos em Março 2014 (Anon. 2014).

Você também pode persistir em Serra Reserva Biológica Negra, Estado de Pernambuco, embora uma combinação de plantações de maconha e cultura local hostil dificulte o trabalho de pesquisa nesta última área (C. Albano em pouco. 2007, 2008).


Pelo menos 11 reservas particulares (RPPN) Eles estão em processo de ser criado no Serra de Baturité (C. Albano em pouco. 2007, 2008) e AQUASIS Eles agora estão envolvidos no processo de desenvolvimento de uma reserva natural na montanhas de Baturité (Campos et al . 2014).

AQUASIS fortaleceu os laços com agências governamentais a fim de influenciar as decisões políticas (Campos et al . 2014).

esquema caixa de ninho patrocinado pela Loro Parque Foi realizada com caixas-ninho instaladas em lugares diferentes com o consentimento dos proprietários de terra. (Anon, 2009).

AQUASIS Também eles forneceram ninho de caixas Insecticida tratado para reduzir as infestações de abelha e de vespa (Campos et al . 2014). Essas medidas provaram ser eficazes, com 16 caixas ocupado em 2012 resultando 97 ovos e 71 pintos nascidos com sucesso.

Um campanha de educação e conscientização grande escala foi levado a cabo no Serra de Baturité em 2008 (C. Albano em pouco. 2007, 2008) e continua hoje, com muitas escolas participando atualmente em programas de educação AQUASIS (Campos et al . 2014).

Um dos objectivos principais AQUASIS é promover a Cotorra pechigris como espécie emblemática, o trabalho que está sendo apoiado por ONGs comerciais e água ecoturismo Parque das Trilhas (Anónimo 2009).

AQUASIS Também pretende-se desenvolver a capacidade de observação de aves e um processo de desenvolvimento da consciência criação de meios de subsistência alternativos (Anónimo 2009). Um centro de visitantes foi recentemente criado (Campos et al . 2014).

Produz bem em cativeiro e as ações são realizadas em Brasil e no exterior. Sempre a reprodução em cativeiro é bem gerida e coordenada, pode ser usado para reintrodução na natureza.

Eles estão sendo realizados estudos sobre os fatores que influenciam a taxa de sobrevivência de pintos, genética populacional (em técnicas de ADN futuros pode ser utilizado como um impedimento contra o abuso de aves selvagens); tanto adultos e jovens foram marcados (Campos et al . 2014).

Ações de conservação propostas

realizar mais estudos em áreas semelhantes à  montanhas Baturité no nordeste do Brasil, tais como Serras de Aratanha, Maranguape e Machado, pela presença de populações adicionais existentes.

continuar monitoramento da população conhecido na Serra de Baturité.

melhorar gestão da conservação praticado no Parque Ecológico Guaramiranga.

Proporcionar incentivos para os proprietários de terras para aumentar a rede de reservas privadas montanhas de Baturité.

Monitorar e controlar o comércio local, nacional e internacional.

Investigar a viabilidade do uso bambu gigante (bambu-gigante) como locais para a construção de ninhos artificiais (Campos et al . 2014).

continuar a fazer campanhas de sensibilização para promover o Tiriba-de-peito-cinza como símbolo da conservação das florestas úmidas e da biodiversidade associada no montanhas de Baturité.

Investigar in situ medidas de conservação.

"Tiriba-de-peito-cinza" em cativeiro:

Sua captura contà­nua, tanto para o comércio nacional e internacional, Levaram esta bela ave a uma situação crítica, há apenas 200 espécimes na natureza. Há provavelmente mais animais cativeiro em seu habitat natural

Protegido pela Apêndice II da CITES, cada espécime cativas desta espécie que é capaz de reproduzir, deve ser colocado em um programa de reprodução em cativeiro bem gerenciado e não vendido como animal de estimação, a fim de assegurar sobrevivência a longo prazo.

Nomes alternativos:

Gray-breasted Conure, Gray-breasted Parakeet, Grey-breasted Conure, Grey-breasted Parakeet, Maroon-faced Parakeet (Gray-breasted) (inglês).
Conure à poitrine grise (Francês).
Graubrustsittich, Salvadori-Weißohrsittich (alemão).
Tiriba-de-orelha-branca, tiriba-de-peito-cinza, periquito cara-suja (português).
Cotorra pechigrís, Periquito sujo, Cotorra de pecho gris (espanhol).


Classificação científica:

Salvadori-Thomas
Salvadori Tommaso

Ordem: Psittaciformes
Famà­lia: Psittacidae
Gênero: Pyrrhura
Nome científico: Pyrrhura griseipectus
Citação: Salvadori, 1900
Protonimo: Pyrrhura griseipectus


Imagens Periquito-de-peito-cinzento:

Vídeos "Tiriba-de-peito-cinza"



Espécies del género Pyrrhura
  • Pyrrhura cruentata
  • Pyrrhura devillei
  • Pyrrhura frontalis
  • —- Pyrrhura frontalis chiripepe
  • —- Pyrrhura frontalis frontalis
  • Pyrrhura lepida
  • —- Pyrrhura lepida anerythra
  • —- Pyrrhura lepida coerulescens
  • —- Pyrrhura lepida lepida
  • Pyrrhura perlata
  • Pyrrhura molinae
  • —- Pyrrhura molinae australis
  • —- Pyrrhura molinae flavoptera
  • —- Pyrrhura molinae hypoxantha
  • —- Pyrrhura molinae molinae
  • —- Pyrrhura molinae phoenicura
  • —- Pyrrhura molinae restricta
  • Pyrrhura pfrimeri
  • Pyrrhura griseipectus
  • Pyrrhura leucotis
  • Pyrrhura picta
  • —- Pyrrhura picta caeruleiceps
  • —- Pyrrhura picta eisenmanni
  • —- Pyrrhura picta picta
  • —- Pyrrhura picta subandina
  • Pyrrhura emma
  • Pyrrhura amazonum
  • —- Pyrrhura amazonum amazonum
  • —- Pyrrhura amazonum lucida
  • —- Pyrrhura amazonum snethlageae
  • Pyrrhura lucianii
  • Pyrrhura roseifrons
  • —- Pyrrhura roseifrons dilutissima
  • —- Pyrrhura roseifrons roseifrons
  • —- Pyrrhura roseifrons parvifrons
  • —- Pyrrhura roseifrons peruviana
  • Pyrrhura viridicata
  • Pyrrhura egregia
  • —- Pyrrhura egregia egregia
  • —- Pyrrhura egregia obscura
  • Pyrrhura melanura
  • —- Pyrrhura melanura berlepschi
  • —- Pyrrhura melanura chapmani
  • —- Pyrrhura melanura melanura
  • —- Pyrrhura melanura pacifica
  • —- Pyrrhura melanura souancei
  • Pyrrhura orcesi
  • Pyrrhura albipectus
  • Pyrrhura rupicola
  • —- Pyrrhura rupicola rupicola
  • —- Pyrrhura rupicola sandiae
  • Pyrrhura calliptera
  • Pyrrhura hoematotis
  • —- Pyrrhura hoematotis hoematotis
  • —- Pyrrhura hoematotis immarginata
  • Pyrrhura rhodocephala
  • Pyrrhura hoffmanni
  • —- Pyrrhura hoffmanni gaudens
  • —- Pyrrhura hoffmanni hoffmanni

  • Tiriba-de-peito-cinza (Pyrrhura griseipectus)


    Fontes:

    Avibase
    – Papagaios do Mundo - Forshaw Joseph M
    – Papagaios um guia para os papagaios do mundo – Tony Juniper & Mike Par
    Birdlife

    Fotos:

    (1) – Gray-breasted Parakeet por writhedhornbill [CC POR 2.0], via Wikimedia Commons
    (6) – Pyrrhura griseipectus por Internet Archive Livro ImagensFlickr

    Sons: Ciro Albano, XC7948. acessà­vel www.xeno-canto.org/7948

    5/5 (1 Reveja)
    Compartilhe com os seus amigos !!

    Deixar um comentário