▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

Tiriba-de-testa-azul (caeruleiceps)
Pyrrhura picta caeruleiceps

Cotorrita de Perijá

Conteúdo

Periquito Perijá. Copyright ProAves Colà´mbia.

Descrição:

21-23 cm. altura.

O Tiriba-de-testa-azul (Pyrrhura picta caeruleiceps) verde é geralmente o frente e áreas ao redor olhos, vermelho escuro.

No và´o escuro mancha vermelha é muito evidente abdómen. Asas abaixo acinzentada. O Coronilla e o nuca Eles são azuis; a frente e os lados da tira cabeça, aparência vermelha e escamosa do peito com margens mais amplas. Esta subespécie está incluà­do dentro da espécie Pyrrhura picta.

Cotorrita de Perijá

Notas:

    Historicamente, classificação de Pyrrhura picta caeruleiceps (Todd 1947) Ele tem sido sujeito a opiniões encontradas. Enquanto alguns autores reconhecem este taxon ao nà­vel de espécie, outros consideram que é uma subespécie de Pyrrhura subandina (Todd 1947) ou Pyrrhura picta (Meyer de Schauensee 1949), sendo esta última a classificação mais seguida (Hilty & Marrom 1986, poço et para o. 1997, Rodrigues & Hernandez-Camacho 2002). Com base na análise de caracterà­sticas morfológicas, Joseph (2000) e Joseph & Stockwell (2002) sugerido que a P. caeruleiceps deve ser considerado como uma espécie filogenética distinta e que o táxon Pyrrhura pantchenkoi (Phelps 1977), descrita a partir de duas amostras com plumagem desgastado, é um sinónimo. Hilty (2003) Ele continuou este tratamento, Mas o pássaro comitê de classificação Sobre a América do Ornitólogos americanos’ União Recentemente, a Comissão considerou que a informação existente era insuficiente para apoiar esta mudança taxonà´mico de acordo com o conceito biológico de espécie e manteve provisoriamente caeruleiceps como uma subespécies de periquito pintado (Remsen et al. 2010).
    Fonte: Redescoberta e notas sobre a ecologia e vocalizações do Periquito de Todd (Pyrrhura picta caeruleiceps) no nordeste da Colà´mbia

Ecologia:

Eles habitam na selva úmida, florestas semi-úmidas e de nuvens baixas.
Ninho árvores consideráveis ​​em ninhos abandonados de outras espécies.

Distribuição:

A enigmática e pouco conhecido Tiriba-de-testa-azul (Pyrrhura picta caeruleiceps) Ele tem uma gama muito restrita na floresta, principalmente entre 500 e 900 metros atitude ao longo da fronteira entre Colômbia e Venezuela, bem como manchas de floresta tropical no sopé do Serrania del Perija.

Sua população liberdade Acredita-se ser de cerca de 30 - 50 indivà­duos.

Conservação:

Estado de conservação ⓘ


Em perigo (UICN)ⓘ

A floresta perda e fragmentação são as principais ameaças que enfrentam esta ave, mas a espécie também é preso e mantida em gaiolas como um animal de estimação. De acordo com as categorias de UICN É considerado Em perigo (IN), principalmente devido à  destruição de habitat.

Imagens "Tiriba-de-testa-azul (caeruleiceps)"

Vídeos "Tiriba-de-testa-azul (caeruleiceps)"



Espécies del género Pyrrhura
  • Pyrrhura cruentata
  • Pyrrhura devillei
  • Pyrrhura frontalis
  • —- Pyrrhura frontalis chiripepe
  • —- Pyrrhura frontalis frontalis
  • Pyrrhura lepida
  • —- Pyrrhura lepida anerythra
  • —- Pyrrhura lepida coerulescens
  • —- Pyrrhura lepida lepida
  • Pyrrhura perlata
  • Pyrrhura molinae
  • —- Pyrrhura molinae australis
  • —- Pyrrhura molinae flavoptera
  • —- Pyrrhura molinae hypoxantha
  • —- Pyrrhura molinae molinae
  • —- Pyrrhura molinae phoenicura
  • —- Pyrrhura molinae restricta
  • Pyrrhura pfrimeri
  • Pyrrhura griseipectus
  • Pyrrhura leucotis
  • Pyrrhura picta
  • —- Pyrrhura picta caeruleiceps
  • —- Pyrrhura picta eisenmanni
  • —- Pyrrhura picta picta
  • —- Pyrrhura picta subandina
  • Pyrrhura emma
  • Pyrrhura amazonum
  • —- Pyrrhura amazonum amazonum
  • —- Pyrrhura amazonum lucida
  • —- Pyrrhura amazonum snethlageae
  • Pyrrhura lucianii
  • Pyrrhura roseifrons
  • —- Pyrrhura roseifrons dilutissima
  • —- Pyrrhura roseifrons roseifrons
  • —- Pyrrhura roseifrons parvifrons
  • —- Pyrrhura roseifrons peruviana
  • Pyrrhura viridicata
  • Pyrrhura egregia
  • —- Pyrrhura egregia egregia
  • —- Pyrrhura egregia obscura
  • Pyrrhura melanura
  • —- Pyrrhura melanura berlepschi
  • —- Pyrrhura melanura chapmani
  • —- Pyrrhura melanura melanura
  • —- Pyrrhura melanura pacifica
  • —- Pyrrhura melanura souancei
  • Pyrrhura orcesi
  • Pyrrhura albipectus
  • Pyrrhura rupicola
  • —- Pyrrhura rupicola rupicola
  • —- Pyrrhura rupicola sandiae
  • Pyrrhura calliptera
  • Pyrrhura hoematotis
  • —- Pyrrhura hoematotis hoematotis
  • —- Pyrrhura hoematotis immarginata
  • Pyrrhura rhodocephala
  • Pyrrhura hoffmanni
  • —- Pyrrhura hoffmanni gaudens
  • —- Pyrrhura hoffmanni hoffmanni

  • Fontes:


    – Livro papagaios, Papagaios e araras Neotropical
    Proaves

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Periquito-testinha
    Brotogeris sanctithomae

    Periquito-testinha

    Conteúdo

    Descrição:


    Anatomia-papagaios-pt

    16,5 - 17,5 cm. altura.
    O Periquito-testinha (Brotogeris sanctithomae) tem o frente e a frente do coroa, amarelo brilhante; remanescente cabeça e nuca, verde azulado.

    Manto, de volta e colares verde escuro, mais pálida e mais brilhante na Grupa e no abrigos de supracaudales. Tuga azul no redes internas, verde no redes externas; principais coberturas azul esverdeado; outros coberturas Verde, o menor e médio verde azeitona ligeiramente impregnado. Penas de voo cor azul-petróleo redes externas, verde escuro redes internas, e luz azul abaixo; infra-wing coverts menor, Verde, o mais velhos, blues. Partes inferiores verde amarelado. Na parte superior, o cauda é verde; a seguir é mais amarelado.

    O pico É bastante escuro laranja-acastanhado; Cere rosa pálido; o à­ris marrom; pernas osso acinzentado.

    Ambos os sexos têm a plumagem semelhante.

    Descrição 2 subespécie:

    • Brotogeris sanctithomae sanctithomae

      (Estácio Muller, 1776) – Nominal.


    • Brotogeris sanctithomae takatsukasae

      (Neumann, 1931) – A faixa amarela atrás (e por vezes abaixo) do olhos Estende-se ao longo do abrigos de fones de ouvido. A mancha amarela na frente à s vezes é maior.

    Habitat:

    Principalmente habita nas florestas do segundo-crescimento, em áreas úmidas de floresta tropical, florestas e pântanos nas margens de grandes rios e ilhas fluviais e clareiras perto de cursos de água; - 100 metros em Colômbia e 900 metros em Peru. Gregária, geralmente em pequenos bandos; por vezes, em reuniões maiores. O Periquito-testinha é muito comum em vilas e cidades ribeirinhas onde chega em grandes bandos para passar a noite. Visite palmeiras nas margens dos rios.

    Reprodução:

    Ninhos nas árvores, em cavidades naturais ou termiteros, grupos pequenos e ruidosos. visualizações em ninhos em Maio e Julho, com imaturo durante o mês de junho Colômbia.

    Alimentos:

    Poucos detalhes sobre sua dieta; tendo vistas flores Erythrina em Colômbia.

    Distribuição:

    Tamanho da área de distribuição (reprodução/residente): 3.870.000 km2

    Esta espécie está confinada ao bacia do Amazonas sudeste Colômbia (área Leticia), Nordeste e Sudeste Peru e a oeste de Brasil, possivelmente, na margem direita Rio Preto e nas bacias hidrográficas Purus, Solimões (esta a cerca de Cojadás) e sul do Juruá, ao norte de Bolívia em Pando e Beni, Ele é capaz de ver de forma dispersa no amazônia oriental, em torno da foz dos rios negro e Madeira, para leste até ao Amapá e Pari Oriental, possivelmente até a área Belém.

    Aparentemente sedentário. Locais (por exemplo, em Loreto, Peru) mas comum ou abundante em muitos lugares (por exemplo, sobre Leticia).

    Talvez sua população foi reduzida devido ao comércio local (por exemplo, em Peru), mas o efeito de perda de habitat permanece dentro do intervalo inferior. Presente em muitos áreas protegidas (por exemplo, > Parque Nacional de Manu, Peru).

    Distribuição 2 subespécie:

    • Brotogeris sanctithomae sanctithomae

      (Estácio Muller, 1776) – Nominal. Bacia oeste Amazona, do sudeste de Colômbia ao norte de Bolívia.


    • Brotogeris sanctithomae takatsukasae

      (Neumann, 1931) – Ambos os lados da bacia sob Amazona, a partir da junção com o Rio Preto a leste do Pari.

    Conservação:

    Estado de conservação ⓘ


    estado Preocupação menor ⓘ (UICN)ⓘ

    • Categoria atual da Lista Vermelha dos UICN: Pouco preocupante.

    • Tendência populacional: Estável.

    Justificação da população

    O tamanho da população mundial Ele não quantificou, mas esta espécie é descrita como “comum” (Stotz et ao., 1996).

    Justificação da tendência

    Eles suspeitam que esta espécie tem perdido 15,9-17,4% de habitat dentro de sua distribuição mais de três gerações (15 anos) baseado em um modelo de desmatamento da Amazà´nia (Soares-Filho et ao., 2006, Pássaros, et ao., 2011). Dada a susceptibilidade das espécies de caça e / ou captura, suspeita de declà­nio da população em <25% durante tres generaciones.

    "Periquito-testinha" em cativeiro:

    salvo pet localmente mas incomum em cativeiro fora de seu alcance.

    Nomes alternativos:

    Tui Parakeet, Golden-headed Parakeet (inglês).
    Toui à front d’or, Perruche toui, Perruche tui (Francês).
    Tuisittich (alemão).
    Periquito-testinha, estrelinha, estrelinha-do-pará, periquito-brasileiro, periquito-de-testa-amarela, periquito-estrela, tuim, tuipara-estrelinha (português).
    Catita Frentigualda, Periquito Cabeciamarillo, Periquito Pálido (espanhol).
    Periquito Cabeciamarillo, Periquito frentiamarillo (Colômbia).
    Perico Tui (Peru).

    Classificação científica:

    Ordem: Psittaciformes
    Famà­lia: Psittacidae
    Gênero: Brotogeris
    Nome científico: Brotogeris sanctithomae
    Citação: (Estácio Muller, 1776)
    Protonimo: Psittacus St. Thomas

    Imagens “Periquito-testinha”:

    Và­deos do "Periquito-testinha"



    Espécies do gênero Brotogeris
  • Brotogeris sanctithomae
  • —- Brotogeris sanctithomae sanctithomae
  • —- Brotogeris sanctithomae takatsukasae
  • Brotogeris tirica
  • Brotogeris versicolurus
  • Brotogeris chiriri
  • —- Brotogeris chiriri behni
  • —- Brotogeris chiriri chiriri
  • Brotogeris pyrrhoptera
  • Brotogeris jugularis
  • —- Brotogeris jugularis exsul
  • —- Brotogeris jugularis jugularis
  • Brotogeris cyanoptera
  • —- Brotogeris cyanoptera beniensis
  • —- Brotogeris cyanoptera cyanoptera
  • —- Brotogeris cyanoptera gustavi
  • Brotogeris chrysoptera
  • —- Brotogeris chrysoptera chrysoptera
  • —- Brotogeris chrysoptera chrysosema
  • —- Brotogeris chrysoptera solimoensis
  • —- Brotogeris chrysoptera tenuifrons
  • —- Brotogeris chrysoptera tuipara

  • Fontes:

    Avibase
    – Papagaios do Mundo - Forshaw Joseph M
    – Papagaios um guia para os papagaios do mundo – Tony Juniper & Mike Par
    Birdlife
    – Livro papagaios, Papagaios e araras Neotropical

    Fotos:

    (1) – Um periquito Tui na Uarini, Amazona, Brazil By Cláudio Dias Timm from Rio Grande do Sul [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons
    (2) – Tui periquito em uma gaiola por Ruth Rogers (originalmente carregada no Flickr como Tui Parrot) [CC POR 2.0], via Wikimedia Commons
    (3) – Brotogeris sanctithomae por Gabriel SmithFlickr
    (4) – Brotogeris sanctithomae (Rio Amazonas – Brasil) por Martha de Jong-LantinkFlickr
    (5) – Foto tirada do flickr.com – ©barbetboy

    Sons: controles-canto.org

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Cacatúa Gang-gang
    Callocephalon fimbriatum


    Cacatúa Gang-gang

    Conteúdo

    Descrição

    Aproximadamente 35 cm. altura e peso médio de 257 (g).
    O Cacatúa Gang-gang (Callocephalon fimbriatum) é uma pequena cacatua, robusto, com um crista Ofuscante, grande asas ampla, e um cauda curto. São gregário mas relativamente calma.
    O machos do Cacatúa Gang-gang são imediatamente reconhecà­veis por sua cabeça e crista escarlate. O restante plumagem é de ardósia cinza.
    O fêmeas eles têm o cabeça e o crista cinza. O penas a parte inferior do corpo são revestidas com verde, laranja e amarelo, dando uma aparência escamosa. O cauda também tem as listras horizontal branca. Caso contrário, é idêntico ao macho.

    O jovem são semelhantes aos fêmeas, Eles diferem em suas Inà­cio, o cabeça Vermelho e um crista mais curtos e menos torcido.
    O Cacatúa Gang-gang Não pode confundi-lo com outras espécies de papagaios. Em voo, No entanto, à s vezes sua forma é semelhante para o cacatúa Galah.

    Habitat:

    Vídeo – "Cacatúa Gang-gang" (Callocephalon fimbriatum)

    Durante o Verão Eles estão nas florestas de montanha e áreas com sub-bosque de arbustos densos. Em Inverno Ele passará para altitudes mais baixas e secos, florestas mais abertas. Eles muitas vezes podem ser vistos ao longo das estradas e em parques e jardins em áreas urbanas. Eles exigem altas árvores ocas para ninho.

    Reprodução:

    Para homem casais monogâmicos. A fêmea escolhe um buraco na árvore do direita e ambos os sexos preparam o ninho para a postura. Eles revestem os lados do buraco com serragem e pó de mascar.. Ambos os sexos incubam os ovos e cuidam dos jovens. Os pais alimentam seus filhotes por quatro a seis semanas após Pena.

    Grupos familiares são comumente vistos se alimentando juntos durante a época de reprodução.. Em alguns casos, viveiros serão formados’ Onde tem vários casais aninhados juntos, seus jovens empoleiram-se juntos na mesma árvore, Enquanto os pais procuram por comida.

    Alimentos:

    É alimentos para animais principalmente de sementes de árvores e arbustos nativos e introduzidos, com uma preferência para o eucalipto, barbas e espinhos. Eles também comem bagas, frutas, frutos secos, insetos e suas larvas.

    São principalmente arbóreo, eles pousam no chão apenas para beber e forragear entre frutas ou cones caídos.

    Alimentam-se em bandos de cima 60 aves fora da época de reprodução. Alimentar-se em pares ou pequenos grupos familiares, durante o época de reprodução.

    Eles são capazes de usar plantas exóticas como alimento na áreas urbanas.

    Distribuição:

    distribuição de tamanho (reprodução/residente): 333.000 km2

    Eles são endêmicos para o sudeste de Austrália. São muito difundidos nesta de Nova Gales do Sul, desde a Central das pistas e platà´s à  costa sul, ao longo das regiões do nordeste do Victoria - Seymour, com alguns registros no leste da Melbourne, Península de Mornington e Sudoeste Gippsland.
    Foram também introduzidas na Ilha Kangaroo ao sul de Austrália.

    Conservação:

    Estado de conservação ⓘ


    estado Preocupação menor ⓘ (UICN)ⓘ

    • Categoria atual da Lista Vermelha dos UICN: Pouco preocupante.

    • Tendência populacional: Em ascensão.

    eles olham afetados negativamente pelo desmatamento e a remoção de árvores maduras (potenciais criadouros). Uma população é classificada como ameaçado: no Lane Cove de vale, Nova Gales do Sul.

    O resto da população Suspeita-se que pode ser aumentando e agora vai passar o inverno nos subúrbios de Canberra.

    O população mundial são estimados em mais de 20,000 indivà­duos.

    "Cacatúa Gang-gang" em cativeiro:

    Isto é muito raras em aves de capoeira e difícil de encontrar como animal de estimação.

    São Inteligente e lúdico, Mas eles têm uma grande tendência a sofrer de software. Eles são muito destrutivo exigirem brinquedos abundantes para não atacar os móveis da casa.

    Quando você se cansar, muitas vezes é automutilan como uma forma de lutar contra o tédio.

    Sua expectativa de vida Você pode superar o 60 anos.

    Nomes alternativos:

    Gang-gang Cockatoo, Cockatoo Corella, Helmeted Cockatoo, Red-crowned Cockatoo, Red-headed Parrot (inglês).
    Cacatoès à tête rouge, Cacatoès gang-gang (Francês).
    Helmkakadu, Helm-Kakadu (alemão).
    Cacatua-gang-gang (português).
    Cacatúa Gang Gang, Cacatúa Gang-gang (espanhol).

    Classificação científica:

    Ordem: Psittaciformes
    Famà­lia: Cacatuidae
    Nome científico: Callocephalon fimbriatum
    Gênero: Callocephalon
    Citação: (Conceder,JB, 1803)
    Protonimo: Psittacus fimbriatus

    Imagens Gang-gang Cacatua:



    Fontes:
    Avibase
    infoexoticos
    Birdlife

    – Fotos: Jan Wegener, Marbiz (Panoramio), papouch.webzdarma.cz, Benjamint444 (Commons.wikimedia.org)

    – Sons: (Xeno-canto)

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Periquito-grande-alexandre
    Psittacula eupatria


    Periquito-grande-alexandre

    Conteúdo

    Descrição:

    Ilustração de papagaio Alexandrina

    Entre 50-62 cm. comprimento e peso entre 198-258 gramas.
    O Periquito-grande-alexandre (Psittacula eupatria) tem o frente, lordes e coroa verde brilhante, fundindo até lavanda em bochechas, abrigos de fones de ouvido e de trás do coroa; linha escura fraca na parte de trás Cere até o anel de olho; faixa preta estreita a partir da base pico, lateralmente através da base do bochechas, que se liga com uma vasta Colar rosa em torno da parte de trás do pescoço.

    Nuca, manto, colares, Grupa e abrigos de supracaudales cinza-verde. Coverts supra-alares marrom menor; outro coberteras superior da asa Verde (mais brilhante e penas do corpo de esmeralda). O primário e o secundário acinzentado, verde com pontas escuras para o vexilos estagiários anteriores, negruzcas um continuación.

    coberteiras infra-alares cinza-verde. O partes inferiores verde amarelado, peito matiz acinzentado com. Na parte superior, o cauda verde-claro com ponta amarela; na parte inferior, amarelo dourado.

    Pico vermelho com ponta pálida: cera esbranquiçado; à­ris amarelo pálido; pernas cinza rosa.

    O feminino sem marcações preto e rosa pescoço e é geralmente mais moderada.

    O imaturo Assemelha-se a feminino (Os machos são, por vezes, distinguida pela maior tamanho).

    Descrição subespécies
    Subespécie
    • Psittacula eupatria Avensis

      (Kloss, 1917) – Semelhante da subespécie Psittacula eupatria magnirostris mas com o pescoço mais amarelo, o pico menor e perto azul neckband, reduzida ou ausente. Yellower abaixo da subespécie Psittacula eupatria nipalensis.


    • Psittacula eupatria eupatria

      (Linnaeus, 1766) – A espécie nominal


    • Psittacula eupatria magnirostris

      (Bola, 1872) – Ela difere das subespécies Psittacula eupatria nipalensis pela coloração azul acima banda rosa, que é mais limitada e por vezes inexistente ea banda-de-rosa nuca que é mais larga; swe outras subespécies difere por ter a pico Maior.


    • Psittacula eupatria nipalensis

      (Hodgson, 1836) – Maior e mais cinzento do que as espécies nominal, menos lavanda em cabeça e mais ampla faixa preta bigode.


    • Psittacula eupatria siamensis

      (Kloss, 1917) – Rosto e pescoço amarelo, nuca azulada. Ligeiramente menor do que a subespécie Psittacula eupatria Avensis.

    Habitat:

    Vídeo – "Periquito-grande-alexandre" (Psittacula eupatria)

    O Periquito-grande-alexandre Está distribuído em uma grande variedade de florestas úmidas e secas e terras arborizadas., mas também eles são vistos em áreas cultivadas, manguezais (por exemplo, de Rhizophora mueronata nas ilhas do Baía de Bengala) e plantações de coco, principalmente nas terras baixas up 900 metros acima do nà­vel do mar; no Provà­ncia de Punjab (Paquistão) alargar as áreas de pinheiros subtropicais (Pinus roxburghii) e penetra em plantações irrigadas em áreas desérticas; ascender ao sopé da himalaio nas zonas de árvores (vontade Shorea) e ciliares, raramente acima de 1.600 m.

    No Bandhavgarh National Park, o Periquito-grande-alexandre prefere florestas mais densas que o Periquito-cabeça-de-ameixa (Psittacula cyanocephala) e o Periquito-de-colar (Psittacula krameri).

    Normalmente, eles encontraram em pequenos grupos, mas à s vezes eles formam grandes rebanhos onde o alimento é abundante poleiros e comunais, onde as aves podem se unir em uma grande árvore.

    Reprodução:

    O ninho do Periquito-grande-alexandre Eles encontraram em cavidades de árvores (por exemplo, de Dalbergia, Shorea o Salmalia), palmas das mãos ou, muito raramente, edifà­cios, mas geralmente longe de assentamentos humanos.

    O ninho É composto por uma câmara cheia de aparas de madeira produzidos por Barbets o pica-paus durante a escavação ou extensão da cavidade; entrada rodada geralmente limpo.

    O temporada de reprodução geralmente de novembro a dezembro e de março a abril, dependendo da localização (por exemplo, Fevereiro-março no Punjab e o Ilhas Andaman e de dezembro a fevereiro no centro Birmânia).

    O tamanho médio embreagem é de 2-4 ovos medição 34,0 x 26,9 mm. O período de incubação média é de 28 dias geralmente após a colocação da segunda ovo. Os filhotes saem do ninho em cerca de sete semanas de idade. Eles são criados para cerca de três semanas e normalmente são desmamados entre 12 - 16 semanas de idade.

    Alimentos:

    A dieta de Periquito-grande-alexandre Ele inclui uma variedade de sementes cultivadas e silvestres, flores, néctar, grãos, frutas e legumes.

    Considerado grave pragas em alguns lugares: o 70% sua dieta Paquistão vem de áreas cultivadas.

    Alimenta-se principalmente no inà­cio da manhã e tarde.

    Alimentos conhecidos incluem goiaba (Psidium guajava), néctar Salmalia, Butea e Erythrina, pétalas carnudas Bassia latifolia e folhas jovens de legumes.

    Distribuição:

    A situação no Afeganistão do Periquito-grande-alexandre é incerto, possivelmente algum grupo no extremo nordeste, sobre Jalalabad.
    Em Paquistão, colà´nias isoladas São e Peshawar, mais difundido e frequente nas planícies irrigadas de Punjab; Eles são distribuà­dos a partir de Punjab (àndia), sopé himalaio e sul do Nepal, em todo o àndia e Sri Lanka, bem como o leste através Bangladesh.

    Em Butão e Assam em Birmânia Central e do Sul (não encontrado no norte), estendendo-se a partir do norte Tailândia, Central e do Norte Camboja e Laos e de norte a central e do sul Vietnã.

    Presente na Islas Andaman (nenhum al em Dez Grau Canal) e Narcondam (àndia) e no Ilhas Cocos (Bangladesh), Baía de Bengala.

    Movimentos sazonais em algumas áreas e em outro local nà´made.

    geralmente comum, mas muito mais raro no leste e esporadicamente distribuà­do pela Sul àndia.

    Diminuindo em Sri Lanka, onde agora é raro, especialmente no norte.

    Quedas acentuadas em Tailândia e provavelmente em outras partes do Indochina.

    Seu aparecimento em torno de algumas áreas urbanas pode ser devido a vazamentos.

    Introduzido em partes do Europa (Alemania, Bélgica, Países Baixos, Médio Oriente (Peru, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Irã) e Japão.

    Distribuição de subespécies
    Subespécie
    • Psittacula eupatria Avensis

      (Kloss, 1917) – Sul de Assam (Nordeste do àndia) e Myanmar, mas a área de contacto com as subespécies Psittacula eupatria nipalensis e Psittacula eupatria siamensis, É desconhecido.


    • Psittacula eupatria eupatria

      (Linnaeus, 1766) – A espécie nominal


    • Psittacula eupatria magnirostris

      (Bola, 1872) – Ilhas Baía de Bengala, Andaman, Coco e Narcondam.


    • Psittacula eupatria nipalensis

      (Hodgson, 1836) – Paquistão através de Punjab (àndia) até Assam, Bangladesh, Nagaland e Manipur, incluindo saias himalaio e Nepal, ao sul , aproximadamente I8° norte; a área de contacto com as subespécies Psittacula eupatria Avensis, desconhecido.


    • Psittacula eupatria siamensis

      (Kloss, 1917) – Oeste e norte de Tailândia, Laos, Camboja e Vietnã.

    Conservação:

    Estado de conservação ⓘ


    estado Pouco preocupante (UICN)ⓘ

    • Lista vermelha atual de UICN: Quase ameaçada

    • Tendência populacional: Diminuindo

    Esta espécie foi atualizada de Pouco preocupante com base em novas informações sobre as tendências da população. Está listada como Quase ameaçada, já que, embora permaneça comum em algumas áreas e seu status seja obscurecido por populações selvagens, Suspeita-se a ser submetido a o declà­nio da população moderadamente rápido devido à  contà­nua perda de habitat, para nà­veis insustentáveis ​​de exploração, a perseguição e captura.

    O Periquito-grande-alexandre É amplamente capturado e vendido como gaiola de pássaro.

    Em Camboja, roubo de ninhos e adultos de captura, Eles representam as principais ameaças, É um dos mais procurados após pássaros (F. Vai em algum. 2013).

    Apesar do virtual desaparecimento das espécies Tailândia, filhotes ainda aparecem no comércio ilegal em mercados de aves Bangkok, embora, possivelmente, sua origem é Camboja (P. Ronda em um pouco. 2013).

    O comércio ilegal, bem como a destruição de locais de nidificação, ameaça para as espécies Paquistão (S. Khan em um pouco. 2013). Também, Ele relatou que a espécie está ameaçada por extenso caça furtiva nas mãos de tribos locais Gujarat (V. Vyas em alguns. 2013).

    Perda e degradação de habitat são também graves ameaças. Em Camboja, mudanças no uso das terras baixas tem sido rápida (R. Timmins em alguns. 2013) e as taxas de degradação e perda de florestas de terras baixas são esperados impactar mais sobre a espécie (F. Vai em algum. 2013). As taxas de conversão de habitat Laos Eles são descritos como grave (JW Duckworth in litt. 2013).

    Ações de conservação propostas:

      – Empreender levantamentos periódicos para monitorar a tendência da população da espécie.
      – Realizar pesquisas e avaliar a situação no Paquistão (S. Khan em um pouco. 2013).
      – Monitorar as taxas de perda e degradação de habitat através da distribuição das espécies.
      – Quantificar o impacto da colheita para o comércio.
      – Impor restrições comerciais.
      – Realizar actividades de sensibilização para desencorajar a captura e comércio.
      – Aumentar a quantidade de habitat adequado que recebe proteção.

    "Periquito-grande-alexandre" em cativeiro:

    O Periquito-grande-alexandre é um pássaro popular entre as aves de capoeira. É ideal para aviários ao ar livre e não tolera temperaturas abaixo de 5°C.. Elas se reproduzem bem em aviários. Isso Psittacula É uma das mais antigas espécies de papagaios em cativeiro continente euro-asiático. Nomeado após o lendário imperador Alexandre, o Grande, ele teve vários espécimes exportados por seus legionários de volta para vários países do Mediterrâneo. Desde então, Este papagaio tem sido popular entre os nobres de todos os países da Anatolia, Europeia e Mediterrânica Império.

    Este é um tipo Ativo, Ele gosta de água e prontamente aceita diferentes ou novos alimentos. Tem um bico vigoroso e por isso é importante manter o poleiro livre de toxicidade e sem produtos químicos como desinfetantes., fungicidas, insecticidas ou pesticidas. O Periquito-grande-alexandre, como outros papagaios, Eles estão entre os melhores imitadores.

    No que respeita ao seu longevidade, De acordo com fontes, um espécime ainda estava vivo após 30 anos em cativeiro. Em cativeiro, estes papagaios foram conhecidos que eles podem aumentar a partir do 4 anos de idade.

    Estas aves Inteligente Eles fazem bons animais de estimação para aqueles dispostos a prestar obediência formação contà­nua. Se negligenciado, ou formação adequada é dada, o Periquito-grande-alexandre torna-se propenso a rasgar as penas e outros problemas comportamentais. O bico grande e poderoso do papagaio tem uma mordida forte e, portanto, não é recomendado como um animal de estimação para as crianças. uma grande gaiola é necessário para acomodar sua bela, cauda longa e estreita.

    Não é uma espécie difícil de reproduzir, na verdade geralmente bem sucedida.

    Nomes alternativos:

    Alexandrine Parakeet, Alexandrine Parrot, Andaman Parakeet, Large Indian Parakeet, Large Parakeet, Rose-breasted Parakeet (inglês).
    Perruche alexandre (Francês).
    Grosser Alexandersittich, Alexandersittich (alemão).
    Periquito-grande-alexandre (português).
    Cotorra Alejandrina, Cotorra de Alexander (espanhol).


    Classificação científica:

    Carl Linnaeus
    Carl Linnaeus

    Ordem: Psittaciformes
    Famà­lia: Psittaculidae
    Gênero: Psittacula
    Nome científico: Psittacula eupatria
    Citação: (Linnaeus, 1766)
    Protonimo: Psittacus eupatria


    Periquito-grande-alexandre Imagens:



    Espécies del género Psittacula
  • Psittacula finschii
  • Psittacula himalayana
  • Psittacula roseata
  • —- Psittacula roseata juneae
  • —- Psittacula roseata roseata
  • Psittacula cyanocephala
  • Psittacula alexandri
  • —- Psittacula alexandri abbotti
  • —- Psittacula alexandri alexandri
  • —- Psittacula alexandri cala
  • —- Psittacula alexandri dammermani
  • —- Psittacula alexandri fasciata
  • —- Psittacula alexandri kangeanensis
  • —- Psittacula alexandri major
  • —- Psittacula alexandri perionca
  • Psittacula derbiana
  • Psittacula longicauda
  • —- Psittacula longicauda defontainei
  • —- Psittacula longicauda longicauda
  • —- Psittacula longicauda modesta
  • —- Psittacula longicauda nicobarica
  • —- Psittacula longicauda tytleri
  • Psittacula columboides
  • Psittacula calthrapae
  • Psittacula eupatria
  • —- Psittacula eupatria Avensis
  • —- Psittacula eupatria eupatria
  • —- Psittacula eupatria magnirostris
  • —- Psittacula eupatria nipalensis
  • —- Psittacula eupatria siamensis
  • Papagaio de Ward †
  • Psittacula krameri
  • —- Psittacula krameri borealis
  • —- Psittacula krameri krameri
  • —- Psittacula krameri manillensis
  • —- Psittacula krameri parvirostris
  • Psittacula eques
  • —- cavaleiro cavaleiro cavaleiro†
  • —- Psittacula eques echo
  • Aves exiladas †
  • Psittacula caniceps

  • Fontes:

    Avibase
    – Papagaios do Mundo - Forshaw Joseph M
    – Papagaios um guia para os papagaios do mundo – Tony Juniper & Mike Par
    Birdlife

    Fotos:

    (1) – Parakeet Alexandrine no Parque Kowloon, Hong Kong por Charles Lam de Hong Kong, China (YummyUploaded por Snowmanradio) [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons
    (2) – Parakeet Alexandrine Alexandrine Parrot ouro. A 17 anos de idade periquito de estimação em casa em Mumbai por Rudolph.A.furtado (Próprio trabalho) [Domínio público], via Wikimedia Commons
    (3) – Parakeet Alexandrine (também conhecido como o papagaio Alexandrine) no Rainbow selva (O Centro de Reprodução Papagaio australiano), Kalbarri, Western Australia por Sheila Bradford [CC POR 2.0], via Wikimedia Commons
    (4) – Um Parakeet Alexandrine masculino (também conhecido como Alexandrino Parrot) em uma árvore por Sammy Sam [CC BY-SA 3.0], via Wikimedia Commons
    (5) – Parakeet Alexandrine (Psittacula eupatria). Um par por trabalho derivado: Snowmanradio (falar)Two_species_of_Psittacula_on_perch.jpg: Thomas Guignard [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons
    (6) – Parakeet Alexandrine batendo suas asas por Iamoarampage em Inglês Wikipedia [Domínio público], via Wikimedia Commons
    (7) – Parakeet Alexandrine no Parque Kowloon, Hong Kong por Charles Lam de Hong Kong, China (RestingUploaded por Snowmanradio) [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons
    (8) – Parakeet Alexandrine no Parque Kowloon, Hong Kong por Charles Lam de Hong Kong, China (YummyUploaded por Snowmanradio) [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons
    (9) – Parakeet Alexandrine Psittacula eupatria Melghat Tiger Reserve Maharashtra por Dr. Raju Kasambe (Próprio trabalho) [CC BY-SA 3.0], via Wikimedia Commons
    (10) – Uma pintura de um Parakeet Alexandrine, também conhecido pelo Alexandrino Parrot, (Originalmente a legenda “Um manto com capuz. Parrakeet encapuçado.”) por Edward Lear 1812-1888 [Domínio público], via Wikimedia Commons

    Sons: David Edwards (Xeno-canto)

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Tiriba-fogo
    Pyrrhura devillei


    Tiriba-fogo

    Conteúdo

    Descrição:

    Tiriba-fogo

    Ele mede 25 - 28 cm e 70 peso GR.

    Em voo é notório o axila vermelho com linha amarela no final; Remendo vermelho na barriga. O cauda é vermelho opaco.

    Anteriormente era considerada como uma subespécie do Tiriba-de-testa-vermelha (Pyrrhura frontalis), de coroa Castanho, plumagem mais escura, e o coverts infra-asa especialmente o vermelho e o amarelo.

    Pico Preto; anel de olho branca nua; à­ris marrom. Cola longo.

    Não tem nenhum dimorfismo sexual.

    Habitat:

    Vive na floresta, nas bordas claras e pantanosas, até que o 1000 (m).

    É uma espécie tolerante de perturbação do habitat.

    Voar em bandos entre 6 - 12 indivà­duos.

    Reprodução:

    Ninhos na árvore de tocas e é peças de teatro entre outubro e dezembro.

    Alimentos:

    Alimentar uma grande variedade de frutos secos e frutas.

    Distribuição:

    É distribuà­do entre o sul da Brasil (Mato Grosso do Sul), Norte da Paraguai (Noroeste da Concepção e sudeste do Alto Paraguai) e sudeste do Bolívia.

    Em Brasil Só é conhecido em Mato Grosso do Sul, Onde é limitado para as serras Bodoquena e Maracayú, no ecótono entre a Planalto e as terras baixas para o Pantanal, e desde o inà­cio da rio taboco no municà­pio de Aquidauana. Tem um escopo muito limitado na Paraguai, de onde os registros desta última estão confinados às matas ciliares ao longo do rio apa.

    Conservação:

    • Categoria Lista Vermelha do UICN atual: Quase ameaçada
    • Tendência populacional: Estável

    O tamanho da população mundial Tiriba-fogo Isso não foi quantificado, Mas esta espécie tem sido descrita como “raros“.

    Estado de conservação ⓘ


    estado Pouco preocupante (UICN)ⓘ

    Esta espécie é suspeito que eles experimentaram um moderadamente rápido declà­nio devido à  extensa perda e degradação de sua gama de habitats dentro. Agora sobreviver em uma paisagem altamente fragmentada. Sua área de distribuição em Brasil sofreu extensa perda florestal e degradação devido à expansão agrícola e à produção de carvão. As florestas do norte do Concepção e aqueles que estão em Chaco, na zona mais oriental de Paraguai, estão sob pressão crescente e viram um desmatamento considerável nos últimos 10 anos (R. Argila em litt., 2009).

    Há um hibridização aparente com a Tiriba-de-testa-vermelha (Pyrrhura frontalis) observada na rio apa (R. Argila em litt., 2009).

    O o comércio é aparentemente mínimo (poço et ao., 1997).

    "Tiriba-fogo" em cativeiro:

    Estes pequenos papagaios são muito raro em cativeiro, Apesar de seu potencial para animais de estimação é excelente. Eles são pássaros animados e confiança adquirida em breve com seu dono. São muitas vezes do banho e não são mastigar duro. são principalmente calma e eles só devem ser altos quando eles estão animados. Pode ser agressivo em direção a outras aves. Brincalhão e curioso e geralmente resistentes.

    Nomes alternativos:

    Black-winged Parakeet, Black-winged Conure, Blaze winged Parakeet, Blaze-winged Conure, Blaze-winged Parakeet, Deville’s Conure (inglês).
    Conure de Deville, Perriche de Deville, Perruche de Deville (Francês).
    Devillesittich, Deville Sittich, Deville-Sittich (alemão).
    tiriba-fogo (português).
    Chiripepé ala anaranjada, Cotorra de Deville, Perico de Alas Naranjas, Periquito alianaranjado (espanhol).
    Periquito alianaranjado (Bolívia).
    Chiripepé ala anaranjada (Paraguai).

    Classificação científica:

    Ordem: Psittaciformes
    Famà­lia: Psittacidae
    Gênero: Pyrrhura
    Nome científico: Pyrrhura devillei
    Citação: (Massena & Souance, 1854)
    Protonimo: Conurus devillei

    Imagens "Tiriba-fogo"

    Vídeos "Tiriba-fogo"



    Espécies del género Pyrrhura
  • Pyrrhura cruentata
  • Pyrrhura devillei
  • Pyrrhura frontalis
  • —- Pyrrhura frontalis chiripepe
  • —- Pyrrhura frontalis frontalis
  • Pyrrhura lepida
  • —- Pyrrhura lepida anerythra
  • —- Pyrrhura lepida coerulescens
  • —- Pyrrhura lepida lepida
  • Pyrrhura perlata
  • Pyrrhura molinae
  • —- Pyrrhura molinae australis
  • —- Pyrrhura molinae flavoptera
  • —- Pyrrhura molinae hypoxantha
  • —- Pyrrhura molinae molinae
  • —- Pyrrhura molinae phoenicura
  • —- Pyrrhura molinae restricta
  • Pyrrhura pfrimeri
  • Pyrrhura griseipectus
  • Pyrrhura leucotis
  • Pyrrhura picta
  • —- Pyrrhura picta caeruleiceps
  • —- Pyrrhura picta eisenmanni
  • —- Pyrrhura picta picta
  • —- Pyrrhura picta subandina
  • Pyrrhura emma
  • Pyrrhura amazonum
  • —- Pyrrhura amazonum amazonum
  • —- Pyrrhura amazonum lucida
  • —- Pyrrhura amazonum snethlageae
  • Pyrrhura lucianii
  • Pyrrhura roseifrons
  • —- Pyrrhura roseifrons dilutissima
  • —- Pyrrhura roseifrons roseifrons
  • —- Pyrrhura roseifrons parvifrons
  • —- Pyrrhura roseifrons peruviana
  • Pyrrhura viridicata
  • Pyrrhura egregia
  • —- Pyrrhura egregia egregia
  • —- Pyrrhura egregia obscura
  • Pyrrhura melanura
  • —- Pyrrhura melanura berlepschi
  • —- Pyrrhura melanura chapmani
  • —- Pyrrhura melanura melanura
  • —- Pyrrhura melanura pacifica
  • —- Pyrrhura melanura souancei
  • Pyrrhura orcesi
  • Pyrrhura albipectus
  • Pyrrhura rupicola
  • —- Pyrrhura rupicola rupicola
  • —- Pyrrhura rupicola sandiae
  • Pyrrhura calliptera
  • Pyrrhura hoematotis
  • —- Pyrrhura hoematotis hoematotis
  • —- Pyrrhura hoematotis immarginata
  • Pyrrhura rhodocephala
  • Pyrrhura hoffmanni
  • —- Pyrrhura hoffmanni gaudens
  • —- Pyrrhura hoffmanni hoffmanni

  • Tiriba-fogo (Pyrrhura devillei)


    Fontes:

    Avibase
    – Papagaios do Mundo - Forshaw Joseph M
    – Papagaios um guia para os papagaios do mundo – Tony Juniper & Mike Par
    Birdlife

    Fotos:

    (1) – Periquito-de-asa-Blaze, Pousada Aguape, Mato Grosso Sul, No Brasil piscar por Viagem de animais selvagens
    (2) – Iconographie des perroquets :Paris :P. Bertrand,1857 biodiversitylibrary

    Sons: (Xeno-canto)

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Periquito-de-encontro-amarelo
    Brotogeris chiriri

    Periquito-de-encontro-amarelo

    Conteúdo

    Descrição:

    20-25 cm. comprimento e 72 gramas.
    O Periquito-de-encontro-amarelo (Brotogeris chiriri) tem um plumagem, em geral, verde brilhante; o partes inferiores Eles são de um verde mais pálida e abrigos de baixos são verde-amarelado.

    O asas Eles são de um verde mais escuro, com a moldura amarela, visà­vel quando asas permanecem dobrados ou quando a ave está em và´o. Seus pico, em forma de gancho, é laranja-marrom e pernas e pés, cinzento rosado. O anéis de olho Eles são branco cremoso e olhos castanho escuro.
    Está intimamente relacionado com a Periquito-de-asa-branca (Brotogeris versicolurus). Na verdade, considerou-se conspécifica (ou propriedade pertencentes à  mesma espécie) até 1997.

    O fêmeas dimorfismo sexual e não devem ser sexados, seja cirurgicamente ou por DNA.

    O imaturo são semelhantes aos adultos mas têm o cauda mais curto e o pico É um marrom mais escuro.

    nota taxonà´mica:

        Até 1997, alguns taxonomistas considerado o Periquito-de-asa-branca e o Periquito-de-encontro-amarelo pertencentes à  mesma espécie. embora o Periquito-de-encontro-amarelo Tem as mesmas secundárias penas amarelas secretas que podem ser vistos no Periquito-de-asa-branca – nenhum branco nas penas preliminares da asa.

    Descrição 2 subespécie:

    • Brotogeris chiriri behni

      (Neumann, 1931) – Semelhantes para o espécie nominal, excepto que são ligeiramente maior; o corpo verde não tem o corante amarelo.


    • Brotogeris chiriri chiriri

      (Vieillot, 1818) – Nominal.

    Habitat:

    Vídeo – "Periquito-de-encontro-amarelo" (Brotogeris chiriri)

    Eles são principalmente abaixo 1000 m, localmente up 2500 metros em um variedade de habitats incluindo florestas úmidas, sazonal e costeira, Pantanal, savanas e parques da cidade. relataram a 2500 metros em zonas áridas.

    De um modo geral, viajando em bandos; Em tais como pequenos grupos 2 - 4 aves, mas eles têm sido observados para 20. Eles são descritos como pequenos papagaios activos, divertido de assistir.

    Reprodução:

    Ninho geralmente nas cavidades de árvores ou na árvore de térmitas ninhos. Eles também formam túneis de nidificação em folhas de palmeiras mortas..

    uma vez que um ninho Tem sido localizada e correctamente “preparado” o casal, É realizada a Pà´r do sol, entre 4 e 5 ovos. após a reprodução, o Periquito-de-encontro-amarelo eles formam grandes cabanas comunais até a próxima estação reprodutiva.

    Alimentos:

    Em seu habitat natural, feed de sementes (incluindo surtos), frutas como bagas e figos e flores. Também consumir néctar, insetos e seus larvas. Muitas vezes eles são vistos visitar barreiros (áreas onde há solo rico em minerais) e as margens dos rios para se alimentar do solo.

    Distribuição:

    Tamanho da sua gama (nidificadora / residente ): 5,670,000 km2

    Distribuà­do dentro Leste Brasil a leste do Bolívia, Paraguai e o norte da Argentina, em Formosa, Chaco, Missões e o norte da Correntes. As populações introduzidas em Miami, Flórida e Califórnia.

    Distribuição 2 subespécie:

    • Brotogeris chiriri behni

      (Neumann, 1931) – Centro de Bolívia a noroeste da Argentina, em Salta.


    • Brotogeris chiriri chiriri

      (Vieillot, 1818) – Nominal.

    Conservação:

    Estado de conservação ⓘ


    estado Preocupação menor ⓘ (UICN)ⓘ

    • Categoria atual da Lista Vermelha dos UICN: Pouco preocupante.

    • Tendência populacional: Estável.

    Justificativa da categoria Lista Vermelha

    Esta espécie tem um extremamente grande gama e, Por conseguinte, ele não se aproxima dos limiares de vulnerabilidade sob os critérios do intervalo de tamanho (extensão <20,000 km2 combinada con un tamaño de rango decreciente o fluctuante, extensión / calidad de hábitat o tamaño de población y un pequeño número De lugares o fragmentación severa). La tendência demográfica parece ser estável e, Por conseguinte, a espécie não se aproxima dos limiares vulneráveis ​​sob os critérios da tendência populacional (> 30% declinar ao longo de dez anos ou três gerações). O tamanho da população não foi quantificado, mas não se acredita que seja perto dos limites para vulnerável sob o critério do tamanho da população (<10.000 individuos maduros con un descenso continuo estimado> 10% em dez anos ou três gerações ou uma estrutura populacional). Por estas razões, a espécie é avaliada como a pouco preocupante.

    Justificação da população

    O tamanho da população do mundo não foi quantificado, mas esta espécie é descrita como “bastante comum” (Stotz et ao., 1996).

    Justificação da tendência

    Suspeita-se que a população é estável na ausência de evidência de qualquer redução ou ameaça substancial.

    "Periquito-de-encontro-amarelo" em cativeiro:

    hoje é Raro.

    Desde o final dos anos sessenta até meados dos anos setenta, mais de 260.000 estes foram periquitos importado da América do Sul para o comércio de animais de estimação. Nesse momento, o Periquito-de-encontro-amarelo Era o papagaio mais importado. Eles se estabeleceram em Califórnia (Los Angeles, San Francisco) populações auto-sustentáveis Periquito-de-encontro-amarelo liberada ou escapes; populações também em Flórida (Miami), bem como Connecticut e Nova Iorque.

    O Chirirí Kitten parece ser mais adequado ao seu habitat adotado do que seu primo próximo., o do Periquito-de-asa-branca (Brotogeris versicolurus).

    O Periquito-de-asa-branca Ele diminuiu consideravelmente desde o inà­cio 80, enquanto Periquito-de-encontro-amarelo Estabeleceu-se em diferentes habitats.

    Em 2002, a população de Periquito-de-encontro-amarelo na área de Los Angeles, Califórnia Ele foi estimada em 400 indivà­duos. No Flórida, Eles prosperaram mais do que qualquer outro lugar do Estados Unidos – tem havido enormes bandos, várias centenas deles. A espécie também está bem estabelecida no centro da cidade Rio de Janeiro, Brasil, que também foi introduzida.

    Nomes alternativos:

    Yellow-chevroned Parakeet, Chiriri Parakeet, Yellow chevroned Parakeet (inglês).
    Toui à ailes jaunes, Conure à ailes jaunes, Perruche ou, Toui à miroir jaune, Toui chiriri (Francês).
    Gelbflügelsittich, Kanarienflügelsittich (alemão).
    periquito-de-encontro-amarelo, periquio-de-encontro-amarelo, periquito-de-asa-amarela, tuí-chiriri (português).
    Catita chiriri, Catita Chirirí, Catita chíriri (espanhol).
    Catita chirirí (Argentina).
    Catita chiriri, Catita chíriri (Paraguai).
    Tu’î Chyryry (guarani).

    Classificação científica:

    Ordem: Psittaciformes
    Famà­lia: Psittacidae
    Gênero: Brotogeris
    Nome científico: Brotogeris chiriri
    Citação: (Vieillot, 1818)
    Protonimo: Psittacus chiriri

    Imagens Catita Chiriri:



    Espécies do gênero Brotogeris
  • Brotogeris sanctithomae
  • —- Brotogeris sanctithomae sanctithomae
  • —- Brotogeris sanctithomae takatsukasae
  • Brotogeris tirica
  • Brotogeris versicolurus
  • Brotogeris chiriri
  • —- Brotogeris chiriri behni
  • —- Brotogeris chiriri chiriri
  • Brotogeris pyrrhoptera
  • Brotogeris jugularis
  • —- Brotogeris jugularis exsul
  • —- Brotogeris jugularis jugularis
  • Brotogeris cyanoptera
  • —- Brotogeris cyanoptera beniensis
  • —- Brotogeris cyanoptera cyanoptera
  • —- Brotogeris cyanoptera gustavi
  • Brotogeris chrysoptera
  • —- Brotogeris chrysoptera chrysoptera
  • —- Brotogeris chrysoptera chrysosema
  • —- Brotogeris chrysoptera solimoensis
  • —- Brotogeris chrysoptera tenuifrons
  • —- Brotogeris chrysoptera tuipara

  • Fontes:

    Avibase
    – Papagaios do Mundo - Forshaw Joseph M
    – Papagaios um guia para os papagaios do mundo – Tony Juniper & Mike Par
    Birdlife

    Fotos:

    (1) – Um periquito amarelo-chevroned em Sarutaiá, São Paulo, Brasil por Dario Sanches [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons
    (2) – Periquito-de-bico-amarelo de estimação Por Wagner Machado Carlos Lemes de Goiânia, Brasil [CC POR 2.0], via Wikimedia Commons
    (3) – Um periquito amarelo-chevroned empoleira-se em uma árvore por Paulo Barradas (Brotogeris chiririUploaded por Sno quais Você nradio) [CC POR 2.0], via Wikimedia Commons
    (4) – Periquito-de-cabeça-amarela em Goiânia, Goiás, Brazil By Delcio Gonçalves from Goiânia, Brasil (Um milho diferenteUploaded by Snowmanradio) [CC POR 2.0], via Wikimedia Commons
    (5) – Periquito de encontro amarelo. Foto tomada no sertão do Rio Sucuriú By Deusdedith de Souza Alves Filho DehAlves (Próprio trabalho) [CC BY-SA 4.0], via Wikimedia Commons
    (6) – Parakeet Amarelo-chevroned (Brotogeris chiriri)(Esquerda) e Parakeet Pêssego-fronteou (Aratinga aurea)(Direita) em Combretum Flores por Bernard DUPONT da França [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons
    (7) – Um periquito amarelo-chevroned no Brasil por Alastair Rae (Flickr: Parakeet Amarelo-chevroned) [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons
    (8) – Um periquito amarelo-chevroned em Bonito, Mato Grosso do Sul, Brasil. É perching na haste de uma manga, que tem comido por Alexandre Pereira [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons
    (9) – Um periquito amarelo-chevroned em Erythrina velutina por Derek Keats de Joanesburgo, África do Sul (… em SUINàƒ) [CC POR 2.0], via Wikimedia Commons

    Sons: Fernando Igor Godoy (Xeno-canto)

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Periquito-das-seychelles †
    Psittacula wardi

    Periquito-das-seychelles

    Conteúdo

    Descrição:


    Anatomia-papagaios-pt

    O Periquito-das-seychelles (Psittacula wardi) Era um papagaio de tamanho médio, com um comprimento de cerca de 41 cm e um peso entre 100 e 125 gramas.

    Era verde com um grande pico vermelho com pontas amarelas, uma mancha vermelha sobre a ombros e uma longa cauda. O macho tinha uma estreita faixa preta na bochecha e um pescoço preto carente de feminino e juvenil. blueness em nuca e olhos amarelo. o pernas Eles foram acinzentada

    taxonomia:

    Estudos filogenéticos sugerem que esta espécie de distância do Periquito-grande-alexandre (Psittacula eupatria).

    Habitat:

    Em um relatório que eles foram vistos sobre o floresta ao longo de um campo milho.

    Eles provavelmente estavam em pequenos grupos ou bandos, fazendo và´os em greve. Foi relatado que as aves foram cautelosos, presumivelmente devido à  sua constante busca.

    Reprodução:

    não existem dados.

    Alimentos:

    Era uma espécie florestal, o que provavelmente se alimentava de frutas e sementes.

    Distribuição:

    O Periquito-das-seychelles Foi endémica Mahe e Silhueta, Seychelles, com um registro visual de Praslin. Um número considerável foi encontrado em 1811, Mas era raro em 1867 e o último espécime foi baleado em Mahe por Abbott em 1893. Ele pode ter sobrevivido até o século XX (Skerrett y Disley 2011), embora aparentemente ele já foi extinto quando Nicoll Ele visitou a ilha 1906 (Lionnet 1984).

    Conservação:

    • Categoria atual da Lista Vermelha dos UICN: Extinto.
    • Tendência populacional: Os últimos indivíduos conhecidos foram mortos a tiros em 1893.

    Desmatamento de florestas para plantações e caça coco e captura (em particular, proteger as plantações de milho) foram as principais causas do desaparecimento das espécies (Vaz e Cooper 1989).

    Em cativeiro:

    Os últimos registros em cativeiro dessas aves datam do ano 1883.

    Atualmente existem dois espécimes nos museus de Liverpool e Nova Iorque.

    Nomes alternativos:

    Green Parakeet, Seychelles Alexandrine Parrot, Seychelles Parakeet, Seychelles Parrot (inglés).
    Perruche des Seychelles (francés).
    Seychellen-Edelsittich, Seychellensittich, Seychellen-Sittich (alemán).
    Periquito-das-seychelles (portugués).
    Cotorra de las Seychelles, Cotorra de los Seychelles, Cotorra de Seychelles (español).


    Classificação científica:

    Newton Edward
    Newton Edward

    Ordem: Psittaciformes
    Famà­lia: Psittaculidae
    Gênero: Psittacula
    Nome científico: Psittacula wardi
    Citação: (Newton, E, 1867)
    Protonimo: Palaeornis wardi



    Espécies del género Psittacula
  • Psittacula finschii
  • Psittacula himalayana
  • Psittacula roseata
  • —- Psittacula roseata juneae
  • —- Psittacula roseata roseata
  • Psittacula cyanocephala
  • Psittacula alexandri
  • —- Psittacula alexandri abbotti
  • —- Psittacula alexandri alexandri
  • —- Psittacula alexandri cala
  • —- Psittacula alexandri dammermani
  • —- Psittacula alexandri fasciata
  • —- Psittacula alexandri kangeanensis
  • —- Psittacula alexandri major
  • —- Psittacula alexandri perionca
  • Psittacula derbiana
  • Psittacula longicauda
  • —- Psittacula longicauda defontainei
  • —- Psittacula longicauda longicauda
  • —- Psittacula longicauda modesta
  • —- Psittacula longicauda nicobarica
  • —- Psittacula longicauda tytleri
  • Psittacula columboides
  • Psittacula calthrapae
  • Psittacula eupatria
  • —- Psittacula eupatria Avensis
  • —- Psittacula eupatria eupatria
  • —- Psittacula eupatria magnirostris
  • —- Psittacula eupatria nipalensis
  • —- Psittacula eupatria siamensis
  • Papagaio de Ward †
  • Psittacula krameri
  • —- Psittacula krameri borealis
  • —- Psittacula krameri krameri
  • —- Psittacula krameri manillensis
  • —- Psittacula krameri parvirostris
  • Psittacula eques
  • —- cavaleiro cavaleiro cavaleiro†
  • —- Psittacula eques echo
  • Aves exiladas †
  • Psittacula caniceps

  • Periquito-das-seychelles (Psittacula wardi)


    Fontes:

    Avibase
    Papagaios do Mundo - Forshaw Joseph M
    Papagaios um guia para os papagaios do mundo – Tony Juniper & Mike Par
    Birdlife

    Fotos:

    (1) – Seychelles Periquito (Psittacula wardi), representação por John Gerrard Keulemans de ‘Extinct Birds’ por Lionel Walter Rothschild do ano 1907 por John Gerrard Keulemans [Domínio público], via Wikimedia Commons

    ▷ O mundo dos animais de estimação: Cães, gatos, aves, répteis, anfà­bios

    Tiriba-do-pescoço-branco
    Pyrrhura albipectus

    Cotorra cuelliblanca

    Conteúdo

    Descrição:

    Tiriba-do-pescoço-branco

    24 - 25,5 cm. altura.

    O mais notório da Tiriba-do-pescoço-branco (Pyrrhura albipectus) É o amarelado-branco ou branco que vai desde o bochechas até o peito.

    Coroa listras escuras cinza pálido na parte de trás; banda frontal avermelhado fina; bochechas escalações de amarelo e verde e abrigos de fones de ouvido Orange; Colar cheia branca e peito amarelo; barriga e permanecendo partes superiores Verde. Asas Verdes com principais coberturas e vermelho área do carpo, e primário azuladas; cauda verde longo e pontudo, opaca vermelho na parte inferior.

    O imaturo carece da banda frontal e tem a mais pálida abrigos de fones de ouvido.

    Habitat:

    Vive principalmente em floresta primária úmida, forrageio em árvores de fruto, preferencialmente ao longo dos rios, Embora ele tolera áreas abertas e interceptadas, a partir de 900 - 2000 m (geralmente entre 1400 e 1800 m).
    Faça movimentos altitudinais seguindo a frutificação. Moscas em bandos de 12 - 50 indivà­duos. Ele banha em piscinas ou entre rochas cobertas de musgo.

    Reprodução:

    Há pouca evidência sobre sua reprodução, possivelmente a partir de Maio a julho de. Um caixeiro jovem foi visto em setembro (Snyder et ao., 2000).

    Alimentos:

    O dieta inclui frutas, sementes e flores Vinha, feita principalmente no dossel.

    Distribuição:

    Tamanho da sua gama (reprodução/residente): 19.600 km2

    Confinada a três áreas no sudeste Equador e mais recentemente, também foi encontrada no norte Peru.

    Em Equador É conhecido a partir da Parque Nacional Podocarpus, o Cordilheira de Cutucu e o Cordilheira do Condor. Embora seus números pareçam relativamente baixos, possivelmente com uma população total de apenas alguns milhares de indivà­duos, Aparentemente é comum em Parque Nacional Podocarpus. Há também registros confirmados até o sul de o Pangui em Zamora-Chinchipe. Também recentemente observado em partes adjacentes do Cordilheira do Condor, Peru, com um avistamento liberado Condor Mirador no Morona-Santiago (Navarrete 2003). Essas extensões de alcance sugerem que não é tão severamente ameaçado quanto se temia anteriormente. (Balchin y Toyne 1998).

    Conservação:

    Estado de conservação ⓘ


    Violação Vulnerável (UICN)ⓘ

    • Categoria atual da Lista Vermelha dos UICN: Vulnerável.

    • Tendência populacional: Diminuindo.

    Justificativa da categoria Lista Vermelha

    Esta espécie é classificada como Vulnerável porque ele habita em alguns lugares e tem um pequeno intervalo no qual o habitat (e presumivelmente a população) Ele está a diminuir.

    Justificação da população

    O população total pode ser apenas alguns milhares de aves, O que é colocado na banda 2.500-9.999 indivà­duos. Isso é equivalente a 1.667-6.666 indivà­duos maduros, arredondado aqui para 1.500-7.000 indivà­duos maduros.

    Justificação da tendência

    Suspeita-se que a espécie é caindo lentamente, com base contà­nua destruição de habitat.

    Ações de conservação em andamento

    CITES Apêndice II.
    • O Parque Nacional Podocarpus É um local importante para a conservação das espécies. Um plano de manejo revisado foi elaborado para a área e uma campanha de conscientização pública destaca a importância do parque (Snyder et para o. 2000).
    • O Tiriba-do-pescoço-branco Encontra-se também no reserva Tapichalaca de 3.500 hectares do Fundación Jocotoco, onde eles são utilizados com êxito caixas de nidificação artificiais (Waugh 2009).
    • Também encontrado no Ichigkat Muja- Condor Range National Park (F. Angulo 2012 um pouquinho.).

    Ações de conservação propostas

    • Realizar levantamentos para avaliar a distribuição das espécies e o tamanho total da população.
    • Monitorar as taxas de perda e degradação de habitat dentro de seu alcance.
    • Gerenciar o Parque Nacional Podocarpus de modo que as espécies ameaçadas estão melhor protegidos.

    "Tiriba-do-pescoço-branco" em cativeiro:

    Não é fácil encontrá-lo em cativeiro.

    Nomes alternativos:

    White-necked Parakeet, White necked Parakeet, White-breasted Conure, White-breasted Parakeet, White-necked Conure (inglês).
    Conure à col blanc, Perriche à col blanc, Perruche à col blanc (Francês).
    Weißhalssittich, Weisshals-Sittich (alemão).
    Tiriba-do-pescoço-branco (português).
    Cotorra Cuelliblanca, Perico de Pecho Blanco (espanhol).
    Perico de Cuello Blanco (Peru).


    Classificação científica:

    Frank Chapman
    Frank Chapman

    Ordem: Psittaciformes
    Famà­lia: Psittacidae
    Gênero: Pyrrhura
    Nome científico: Pyrrhura albipectus
    Citação: Chapman, 1914
    Protonimo: Pyrrhura albipectus


    Imagens Tiriba-do-pescoço-branco:

    Vídeos "Tiriba-do-pescoço-branco"

    Tiriba-do-pescoço-branco (Pyrrhura albipectus)



    Espécies del género Pyrrhura
  • Pyrrhura cruentata
  • Pyrrhura devillei
  • Pyrrhura frontalis
  • —- Pyrrhura frontalis chiripepe
  • —- Pyrrhura frontalis frontalis
  • Pyrrhura lepida
  • —- Pyrrhura lepida anerythra
  • —- Pyrrhura lepida coerulescens
  • —- Pyrrhura lepida lepida
  • Pyrrhura perlata
  • Pyrrhura molinae
  • —- Pyrrhura molinae australis
  • —- Pyrrhura molinae flavoptera
  • —- Pyrrhura molinae hypoxantha
  • —- Pyrrhura molinae molinae
  • —- Pyrrhura molinae phoenicura
  • —- Pyrrhura molinae restricta
  • Pyrrhura pfrimeri
  • Pyrrhura griseipectus
  • Pyrrhura leucotis
  • Pyrrhura picta
  • —- Pyrrhura picta caeruleiceps
  • —- Pyrrhura picta eisenmanni
  • —- Pyrrhura picta picta
  • —- Pyrrhura picta subandina
  • Pyrrhura emma
  • Pyrrhura amazonum
  • —- Pyrrhura amazonum amazonum
  • —- Pyrrhura amazonum lucida
  • —- Pyrrhura amazonum snethlageae
  • Pyrrhura lucianii
  • Pyrrhura roseifrons
  • —- Pyrrhura roseifrons dilutissima
  • —- Pyrrhura roseifrons roseifrons
  • —- Pyrrhura roseifrons parvifrons
  • —- Pyrrhura roseifrons peruviana
  • Pyrrhura viridicata
  • Pyrrhura egregia
  • —- Pyrrhura egregia egregia
  • —- Pyrrhura egregia obscura
  • Pyrrhura melanura
  • —- Pyrrhura melanura berlepschi
  • —- Pyrrhura melanura chapmani
  • —- Pyrrhura melanura melanura
  • —- Pyrrhura melanura pacifica
  • —- Pyrrhura melanura souancei
  • Pyrrhura orcesi
  • Pyrrhura albipectus
  • Pyrrhura rupicola
  • —- Pyrrhura rupicola rupicola
  • —- Pyrrhura rupicola sandiae
  • Pyrrhura calliptera
  • Pyrrhura hoematotis
  • —- Pyrrhura hoematotis hoematotis
  • —- Pyrrhura hoematotis immarginata
  • Pyrrhura rhodocephala
  • Pyrrhura hoffmanni
  • —- Pyrrhura hoffmanni gaudens
  • —- Pyrrhura hoffmanni hoffmanni

  • Fontes:

    Avibase
    – Papagaios do Mundo - Forshaw Joseph M
    – Papagaios um guia para os papagaios do mundo – Tony Juniper & Mike Par
    Birdlife
    – Livro papagaios, Papagaios e araras Neotropical

    Fotos:

    (1) – Ingrid Grunwald, IBC943789. Foto de Branco-necked Periquito Pyrrhura albipectus em Zamora-Chinchipe, Equador. acessà­vel em hbw.com/ibc/943789.

    Sons: (Xeno-canto)